quarta-feira, abril 13, 2005

Outros vértices de triângulos?

Esta semana gravámos para Estes Difíceis Amores com mails de gente que afirmava amar duas pessoas. Acreditem que foi complicado escolher, eram bastantes! Fiquei a pensar. Também no consultório ouço mais essa afirmação e menos a pergunta ao "especialista": "diga-me: no fundo, de qual gosto?". Ontem dei uma aula sobre Amor Romântico e a gravação veio-me à cabeça quando explicava que o registo clássico de "pessoa da minha vida" vinha sendo substituído pelo de "pessoas da minha vida", quando uma dada relação falhava (no meu calão diz-se monogamia seriada:)). A pressão cultural para considerar que o aparecimento de uma segunda atracção resulta do desvanecer da primeira é muito grande, traduzindo uma "patologização" destes triângulos. Cada vez estou mais convencido de que, pelo menos em alguns casos!, não é assim. Sobretudo, verifico que uma nova paixão não implica a certidão de óbito do amor reinante. Que acham vocês?

251 comentários:

1 – 200 de 251   Mais recente›   Mais recente»
Anónimo disse...

a existência de um "amor reinante" não deixa de ser uma forma de monogamia...

yulunga disse...

Gravaram para os "Dificeis Amores"? O programa ainda passa? Raramente vejo televisão. Algum almita que me diga hora, canal e dia? Agradeço pois então.

Julio Machado Vaz disse...

Domingos, RTPN, 23. RTP 2, de Sábado para Domingo, à 01.30 (com atraso habitual:)).

sofia disse...

Concordo em absoluto, Professor. Mas continuo a acreditar que, para que surja um segundo amor, é necessário que exista alguma lacuna no primeiro (no caso da simultaneidade). Não será uma certidão de óbito, mas é, certamente uma situação de diagnóstico reservado... Bom dia a todos :).

yulunga disse...

Pois Dr. Murcon, o que eu acho é que se podem amar várias pessoas ao mesmo tempo, mas com amores diferentes. Eu posso amar imenso um amigo, dar-me prazer fazer-lhe caricias e estar juntinho bem apertadinho porque me sinto bem, por ser uma amizade especial, mas o amor que sinto pelo homem com quem tenho uma relação amorosa é mais que isso; é carnal, sinto desejo, toca-me campainhas. Não tenho como ter duvidas entre os dois amores. Agora o Dr. fala se a relação amorosa se começar a degradar e eu começar a sentir algo mais por alguém, Duvidas de quê? Entre alguém que se deixou de dar e alguém que se está a dar? Isto é a minha opinião. E depois tal como há pessoas que têm a mania das doenças, outras deve haver que adoram viver na incerteza que alimentam o drama.

yulunga disse...

Dr. Murcon obrigada. Lá estarei se não for para a Night ok?

sofia disse...

Perdoem-me a imprecisão. Prognóstico reservado. (A esta hora, ainda tenho neurónios a dormir...) :)

sofia disse...

Cara Yulunga: É possível amar duas pessoas com a mesma intensidade erótica. Mais, não sei. Mas duas, é possível. Acredita. :)

Kwan disse...

Acredito que para aparecer um novo amor é necessário passar a certidão de obito do anterior. Só assim a alma estará totalmente disponivel...

Tão só, um pai disse...

Esta é forte. Apetece-me "passar", nesta lerpa a "doer".
Sinto que, nisto, do amôr sentido, a triangulação nunca é recíproca, e há sempre alguém muito magoado, na assimetria de expectativas. Pode ser cultural, tem que ser. Isto, de os nossos sentimentos serem "produzidos" sob fortes condicionantes sociais ... mas custa a aceitá-lo ...

Tão só, um pai disse...

P.S.
Talvez seja a tal história dos "chifres" ...

yulunga disse...

Sofia talvez. Comigo torna-se dificil sentir desejo por um amigo. Desejo por desejo é-me mais fácil sentir por um estranho que visualmente me atraia. Mas ao estar bem na relação que tiver nunca passará daí. Não vejo necessidade

Calvin disse...

Dois amores em simultâneo?... Eu não consigo. Na verdade, nem um em simultâneo eu consigo :o)
Agora a sério (não que estivesse a brincar), acho que é possível, não fossem todos os amores diferentes. Uns preenchem espaços que os outros não ocupam. Eu é que não concebo isso para mim.

Calvin disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Sofia, aliás até acho que estes desejos que sentimos por estranhos, deverão ser aproveitados na relação que temos. Aproveitamos a "pica", chegamos a casa... e mantemos acesa a chama. Tipo filme prnográfico estas a ver?

lena disse...

parece que isso acontece muito nos casamentos, yulunga...
8)

yulunga disse...

Os trîângulos amorosos a mim arrepiam-me, não porque existem mas, pelo motivo porque existem. A falta de diálogo na relação é uma coisa que não entendo. A época do descartável chegou, enfim, as pessoas e aos sentimentos. É mais fácil procurar alguém do que lutar contra e ultrapassar momentos menos bons duma relação.

PortoCroft disse...

Bom dia consulentes e 'consuladas'.

Isto, realmente, há coisas... Até ao Prof. temos que 'puxar as orelhas'. Sim, porque isto de ser Professor e não nos professorar, ser dinamizador e não nos dinamizar, ser irreverente e não nos irreverenciar, não podia continuar. ;)

Amar no mesmo género e grau, parece-me complicado. Ter paixões, comixões e outros sentimentos, cujas palavras acabam com o mesmo sufixo...Ah!...disso ninguém está livre. Eu que o diga. ;)

Anónimo disse...

alimentar um amor, como nos alimentamos todos os dias...o amor não pode morrer de fome...num triângulo há sempre alguém mais forte...alguém que oferece todos os ingredientes ... para que se possa viver...e não existir...

PortoCroft disse...

Escrevi comixões? duhhhhhhhhh...Comichões, sff.

Alice disse...

Dirão que só vos mando citações
e com tal não me importarei…
antes de aqui passar tinha visitado um site sobre Drummond de Andrade
mando-vos o link (http://memoriaviva.digi.com.br/drummond/opoeta.htm) e peço que lá vão

no fim do item O Poeta está o seguinte:

“Apenas doze dias depois (da morte da filha) , em 17 de agosto de 1987, Drummond morre numa clínica em Botafogo, no Rio de Janeiro, de mãos dadas com Lygia Fernandes, sua namorada com quem manteve um romance paralelo ao casamento e que durou 35 anos (Drummond era 25 anos mais velho e a conheceu quando ele tinha 49 anos). Era uma amor secreto, mas nem tanto. Lygia contaria ao jornalista Geneton Moares Neto (a quem Drummond concedeu sua última entrevista) que “a paixão foi fulminante”.

Ou, como diria o meu pai, não há nada como realmente…

Só vos direi que até agora nunca estive apaixonada por duas pessoas ao mesmo tempo. Nada me garante, ouvindo o que outros dizem, que tal não me venha ainda a acontecer.
E se for mesmo possível? Cada um saberá de si, como em tantas outras coisas na vida!

sofia disse...

Nas relações, nada é assim tão linear, Yulunga; Infelizmente, para os que não têm a sorte de encontrar no outro, um motivo para a fidelidade, para a entrega sem reservas. Essa da "pica", comigo não funciona. Quando estou com, estou só com. Não consigo utilizar indutores exteriores a mim e ao outro. Na volta, estou a perder uma excelente oportunidade. Mas não funciono assim, mesmo :).

yulunga disse...

Oh Sofia foi um desbloqueador de conversa. Filmes porno e motores de arranque extras.

yulunga disse...

Não acho que tenho feito o comentário chave, mas ninguém pega no descartável? Será que vive tudo nessa onda? Volto mais logo.

Anónimo disse...

Quero acreditar que o Prof. tem razão, que novas paixões não implicam a morte de uma anterior... Mas este tem sido o terror de toda a minha vida amorosa, com o qual não consigo lidar, que me tem destruído aos poucos, que me retirou a doçura e a calma, que me transformou num ser acossado, medroso, dorido, sem auto-estima, raivoso, mesquinho, maldoso e sádico... Este foi e é o preço que pago por me manter fiel ao meu amor; por me manter apaixonada há mais de metade da minha vida por um homem que me ama profundamente (não tenho dúvidas), mas que vai saltitando de nova em nova paixão a cada seis meses. Nunca consegui entender a dor que isso me causa, mas tornou-se numa dor de morte em vida: nada me importa, funciono de forma reactiva... sentindo-me o mais horrível dos seres, mesmo quando o espelho me diz que sou uma das mulheres mais bonitas que conheço e quando o sucesso e o reconhecimento por todos os trabalhos, nas diversas áreas a que me dedico, são tremendos.

yulunga disse...

Voltei num pulinho. Alice, claro que cada um sabe de si, mas por essa ordem de ideias nunca se debateria nada. Cada um sabe de si e está falado e resolvido. Até logo

yulunga disse...

E não resisto. E ainda serei despedida... Anónima, doi-te a traição? Há quanto tempo? Desculpa a sinceridade, mas olha para o espelho e em vez de confirmares a tua beleza, tenta encontrar respeito por ti própria e gostar um pouco mais de ti. Manda o gajo p´ros porcos, não sem antes lhe cortar a pila :-)

yulunga disse...

Anónima, e a porra destas coisas de traições, não sei se por as mulheres serem mais sensiveis ou submissas, causa-lhes um sofrimento enorme. Começam a pôr em causa a sua feminilidade, o seu desempenho, vem a duvida: onde foi que EU falhei. As mulheres tendem a carregar todo o fardo do insucesso da relação. Não faças isso. Dá o grito do Ipiranga.

sofia disse...

Ok, Yulunga :). O descartável, não é obrigatóriamente uma noção aplicável a todos os tipos de infidelidade. Na minha opinião, existe uma diferença abismal entre infidelidade recorrente e pontual. Se, no primeiro caso, acredito que o móbil seja o enaltecimento do ego, no segundo (apesar de esse enaltecimento poder existir), é uma questão de, como foi referido pelo Calvin, preenchimento de lacunas, na relação. Quando falta alguma coisa, e partindo do princípio de que nada é inevitável, há situações menos fáceis de evitar. Uma infidelidade, para mim, só fará sentido se a justificação passar por aí. O que passar disso, considero abusivo e imperdoável.

Mitsou disse...

Concordo em absoluto com a resposta da yulunga à anónima. E há outro tipo de "amante" que provoca o mesmo afastamento. A entrega total à profissão, que sublima afectos e desejos. Nasce a solidão acompanhada. Aí, é esse respeito, de que a yulunga fala, que nos abre a porta da rua e nos encaminha para uma nova morada.

PortoCroft disse...

Sofia,

Auto citação:

Infidelidade e um cheque devolvido, resultam ambos da mesma coisa:

- Falta de cobertura!

lobices disse...

...um dia, algures num dos meus blogs, escrevi um texto sobre a fidelidade versus infedilidade; como considero que a fidelidade não existe, atrevo-me a postar aqui essas palavras escrita:

...uma relação entre um casal pressupõe, acima de tudo, a existência de amor, a vivência desse amor, a fortificação desse amar, dessa forma de estar, de se ser e de se darem um ao outro...

...este facto, esta necessidade, não "obriga" que esse amor ou essa forma de amar "deva" durar para toda uma vida em comum, ou seja, o amor sendo universal e devendo nós amar tudo e todos duma forma incondicional, não "obriga" a que o amor "resista" a um desgaste dentro da relação de um casal...

...quando nos "casámos" não o fazemos para toda a vida (como catolicamente nos "obrigam"...) mas sim porque gostamos um do outro daquela forma e naquele momento...

...e aqui é que tudo se pode alterar, é que aquela forma pode mudar e os momentos passam a ser outros que não aquele que se viveu naquela dada altura...

...eu nunca fui fiel!...E, no entanto, amei sempre!... Amei sempre a mulher com quem me relacionava naquele dado momento como amei sempre todas as outras, pela simples razão de que eu amo...e não sei amar de outra forma!...

...o que é ser fiel?

...o que é ser infiel?

...para mim não existe fidelidade nem infidelidade, para mim existe amor, existe uma forma de estar neste mundo que é amar tudo e todos de uma forma incondicional; aceitar que da mesma forma que eu amo, há um outro ser (a mulher com quem eu me relaciono por exemplo naquele dado momento) que também pode amar como eu!

...e amar é dar-se, amar é darmo-nos totalmente e essa forma de dádiva pressupõe o compreender, o aceitar, o entender e, muito acima de tudo, o querer simplesmente que o "outro" seja feliz!... E se esta felicidade "passar" por outro amor, "passar" por outra relação, eu apenas tenho de entender que, naquele momento, a forma de ser e de estar não é a mesma que era no momento anterior... Se se amar verdadeiramente, vai-se entender esse facto, vai-se compreender isso, vamos aceitar que queremos a felicidade do outro em detrimento da nossa!...

...amar é isso, é amar de tal forma que o outro seja mais importante do que nós próprios!...

...porém, o que está de errado e o que torna o amor em dor e te faz sofrer ou te faz falar em infidelidade, é apenas o errado sentido de posse que ainda existe na nossa cultura, talvez também na nossa espécie, talvez na idéia errada da traição, de sermos "substituidos" por outro alguém!...

...já o disse tantas vezes, ninguém é de ninguém! Como posso eu "possuir" a minha companheira, como posso ser eu "dono" dela? O amor ou uma relação pressupõe e/ou obriga à escravidão? Ou seja, és minha e de mais ninguém? Aqui já? Não "sais" daqui?

...amar é deixar fluir...

...amar é deixar ir se isso for a forma de amar do nosso ser amado!

...amar é desejar que o ser que amámos seja feliz, da forma que ele quizer e não da forma que eu "quero"...

...amar é, pura e simplesmente, dizer:- "Vai e sê feliz, e se fores feliz com quem quer que seja, eu vou também ficar feliz, por ti!...

...não há nada a perdoar, não há que perdoar... há apenas que amar, há apenas que entender e aceitar...

...aceitar e saber agradecer tudo o que nos é dado, e darmo-nos da mesma forma que desejamos que se nos dêem a nós!...

...a infidelidade de que se fala habitualmente passa quase sempre pela "troca" de alguém por outro alguém, um momento de deslize como se diz, uma traição!... Vejam isso de outra forma forma, vejam isso como uma procura constante da felicidade e não cercem os outros dessa procura; deixem que todos tenham a possibilidade de "voar", de encontrar outros horizontes, de buscarem o amor...

...a busca do amor é uma procura constante e só iréis parar quando vos convencerdes que o amor é amar duma forma sem posse, nem destino, duma forma incondicional...

...amar-vos mesmo que não me amem...

...resumindo:

...não há vértices, há apenas ângulos, sejam eles graves, agudos ou rasos...

yulunga disse...

O Dr. Murcon deve estar doido da vida. Andei a queimar pestanas para tirar um curso e orientar pessoas e vêm estas "aves raras" aos trambolhões dar conselhos. Desculpe Dr. Murcon, mas nestas coisas é quase impossivel dissociar a nossa opinião dos conselhos que damos mas,(isto é em surdina e só para si)que raramente aplicamos

Calvin disse...

Gosto de fazer com que a pessoa que amo se sinta especial e gosto-me de me sentir especial para ela. Eu sei que isto é uma postura conservadora (ingénua?) mas lidar com mais do que uma relação nestas condições é banalizá-las.

sofia disse...

Portocroft: :) Se, por cobertura, entendermos a manutenção da relação, em TODOS os aspectos que a compõem (ou nos mais importantes, pelo menos), concordo. Se, de outra forma, nos cingirmos ao acto de cobrir, a minha resposta é esta: :))).

xis disse...

acredito que se pode amar uma pessoa e dividir com ela a vida. acredito que possa surgir o amor por outra pessoa, não retirando o amor da primeira. as pessoas são diferentes, as vivências e histórias diferentes, a partilha também será diferente, bem como o amor é diferente de pessoa para pessoa.

sofia disse...

Lobices: Talvez um dia, eu seja capaz de amar assim... :). A infidelidade, não é trocar de parceiro. É manter o parceiro, na crença de ser o único alvo do nosso amor, e permitir que essa verdade se modifique sem o seu conhecimento. É diferente, digo eu... :)

noiseformind disse...

Neste tema posso dizer que o meu blog e o meu consultório estão em sintonia. Nas classes altas do Porto e Lisboa, com ambos dos membros dos casais em desempenho de quadro e rendimento individual superior a 2000 euros, as mulheres traem mais do que os homem, e a sua traição prolonga-se no tempo sem qualquer sinal de preocupação ou tendência para acabar. Normalmente um amante que já vem dos tempos da universidade, mais seguro do que o marido, também ele casado mas casado após a mulher com quem tem o affair.

Hollywood sempre nos disse que quem trai lixa-se, destroi o seu lar, ou leva um tiro. No The End os amantes dos filmes eróticos estão quase sempre separados, o sexo que fizeram com tanta raiva esgotou-se, as cenas picantes são-nos mostradas apenas nos primeiros encontros, depois apenas aparece o antes e o depois, sinal educativo que em sociedade o sexo "sem amor" acaba por cansar.

Nada mais falso nas classes altas portuguesas. Mas atenção, não há congresso se sexualidade neste país nem post no meu blog em que não chame a atenção de que este não é o panorama geral NEM PARA LÁ CAMINHA.

Ainda temos mulheres que defendem o seu "direito ao amor romantico", destruído como paradigma socialmente basilar um pouco por toda a Europa/mundo ocidental. Ainda conheço muitas mulheres que clamam pelo seu direito a criar os filhos com o vencimento do marido sem qualquer aspiração profissional de permeio. E infelizmente a grande parte da traição masculina é enquadrada ainda num mecanismo de inevitabililidade hormonal totalmente falso e sem fundamento de qualquer espécie.

Porém, no entanto, em todo o caso... os triângulos proficuam e mostram a sua estabilidade. Aliás, sou sincero, tenho vários casais em que a traição feminina passa totalmente ao lado do core-problem da relação e nem o trago para o debate sobre a qualidade dos afectos na relação. Mesmo com amante, desde que estável e desde que a relação mantenha uma certa texturização não vejo mal nenhum vir ao mundo.

Claro que vão dizer "não é nada, a classe média tb tem esse direito". Muito bem, certamente que o fará, quando um dia num qualquer estudo de nível nacional dois terços das mulheres não acharem ser o "amor" o elemento principal para estabelecer e manter uma relação...

E agora vou-me lá receber o prémiozito, se não se importam.

FAÇAM ISTO CHEGAR AOS 100 (posts, claro):)))))))))))))))))))))

(mas sem conversinhas Portocroft, essa sedução intelectual da Elisa pode decorrer em "ambiente fechado" e além disso olha que o Lobices espreita looooooooooool)

loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool

Portem-se todos mal pessoal.

Para os que durante o dia vão vegetar sobre as patologias e sofrimentos vários da traição, pergunto-lhes que interesse tiveram em fundear as suas relações que se tornaram triãngulos em conhecimento mútuo, sexo pro-activo e mutuamente satisfatório e em interesses comuns bem como em trajectórias sociais compatíveis. Respondam a isso com sinceridade e terão a resposta para que a vossa próxima relação não acabe trifásica

até logo irmãos e irmãs (fogo, nem uma psi sexy a comentar por estas bandas... snif snif snif snif... um blog do Papa dos psis e só cai por aqui um psi, e para mais um jovem inexperiente e convencido)

Maria disse...

durante muito tempo a crença de que nao se pode amar mais que uma pessoa persegui.me... até que encontrei alguem que compreendeu que o facto de termos um homem na nossa vida nao implicava termos um amante ou alguem que ia fazer sempre sombra a relaçao!
o facto de se amar mais que uma pessoa ao mesmo tempo nao implica de forma nenhuma, na minha maneira de ser, uma traiçao. Eu amo o meu marido com todo o meu ser e amo o meu melhor amigo.... nao considero que o esteja a trair quando afirmo isto. O meu marido, homem, companheiro, amigo, ..., pai do meu filho de 3 meses :D, é o velhote que eu espero ter ao meu lado. O amigo é uma das pessoas mais importante da minha vida desde dos meus 15 anos (24 agora), sim amo-o de uma maneira muito profunda... com isto traio o meu marido, o meu coraçao diz que nao!

Concordo que temos de falar das pessoas da nossa vida.... eu acredito na musica que diz que confiança é mais importante que monogamia. Nunca o trai mas acredito que se nao tivessemos a confiança que temos um no outro... nunca tinhamos passados de uns meses de namoro.

sofia disse...

Calvin: Nessas condições, sendo que, à partida, ninguém está insatisfeito, concordo contigo. Se isso é ser ingénuo, viva a ingenuidade :).

nikonman disse...

E como é que se escreve ao autor deste blog?
Gostava de te lançar um repto, um convite. Mas não vejo aqui nenhum endereço electrónico!

noiseformind disse...

"até que encontrei alguem que compreendeu que o facto de termos um homem na nossa vida nao implicava termos um amante ou alguem que ia fazer sempre sombra a relaçao!"

MAria, é para ver como é raro o latino macho permitir essas coisas: amizades com o sexo oposto? Nem pensar!!!

Aliás, se há coisa comum em muitas das minhas amizades com mulheres é quando namorarem passarem a clandestinas. O nro do tele passa a nome de mulher, quando se vai sair comigo vai-se sair "com uma amiga". E claro, depois de ter a fama... mais vale ter o proveito!!!

Mas a forma como colocaste o problema está perfeita, é um dos maiores indicadores do nossa atrase social, essa nuclearização docotonómica homem/mulher. Felizmente, e antes que a Odete apareça aí a pelejar pelo direito a usar os homens todos a seu bel-prazer, HÁ EXCEPÇÕES OK???? eu disse que havia excepções Odete :))))))))))))))))))

looooooool

noiseformind disse...

Nikonman, nós para falar com Ele regra geral colocamo-nos por terra e rezámos um "terço de Freud", que são as 50 palestras proferidas por Freud mais 5 interpretações de quadros de Leonardo Da Vincci. Mas mesmo assim não é seguro que ele apareça looooooooooooooooooooooool

Panasca-Mor disse...

Acho que o Murcon anda a delirar. Ou será impressão minha? *piscar de olho*

yulunga disse...

Noise uma psi, pode ser uma psicopata? Não me digas que não fui original e sexy vestir-me de ratinha branca e dizer. Aqui me tens. Não me digas que não

Carlos disse...

Pois eu acho que o Dr. tem toda a razão! Que raio de mania que o bicho homem tem de complicar as coisas!!! Pois se não tira pedaço, por que não passar uns bocados bem passados e depois voltar ao ninho? Amo-as a todas e não deixo de amar menos ninguém por causa disso, muito menos a minha mais que tudo! Para as feministas frustradas: sim moças e ela que faça o mesmo, obviamente!
Façam o favor de serem felizes!!!

Tão só, um pai disse...

... se calhar, ele anda por aí, mais ou menos anónimo ...

noiesoformind (até no taxi, este blog é viciante) disse...

Yulunga, de psicólogo e psicopata, todos temos meia lata )que mal, mas pronto, rima remotamente)

Um estudo sobre o direito a nõa se conhecer de facto seria ume studo revolucionário, mas quase ninguém tem a tua sinceridade em afirmar que se excusa a procurar os seus próprios significados e defende aquilo que defende na realidade: uma simplicidade de gestos que resulta do não questionamento dos mecanismos:))))))))))))))))))))))

Tenho de fazer um quadro histológico e depois arranjar um ambiente neutro, talvez a Cufra, e depois testar o sujeito de forma sistemática:)))))))))))))))))))

até logo yulunga, obrigada pelo teu sacrificio pela ciência

;)

Peter

janus disse...

Em tempos tive uma gata completamente monogâmica que viveu feliz com o seu gatinho durante anos e me presenteava com uma ninhada de 4 gatos de 4 em 4 meses. Ao mudar para o campo, e o seu gato tb, passavam-lhe perto lindos gatões, cheios de charme... daí a minha gata formou um triângulo amoroso,nem sei até se qudrado ou polígono, e viveram todos felizes até que a morte os separou... Deduzindo, só somos monogâmicas enquanto não nos passam pela frente gatões que nos façam mudar de ideias... mas, os amores antigos ficam sempre na nossa recordação como umas das razões de ter vivido

yulunga disse...

Oh Noise esta minha/tua versão cobaia de algo que ainda não atingi. Terei que começar por mim, para entender os outros, certo? Tens que ter paciência... Esperas que escorregue onde?

lobices disse...

...são 13,39 h
...acho que vou dormir a sesta
...amar não cansa
...a falta de amor é que provoca o sono
...devo andar nessa fase
LOL

lobices disse...

...antes de adormecer: onde andam por aqui as psicólogas e as psiquiatras?
...só vejo psi machos
...chau
...até logo
:):):):)

PortoCroft disse...

noiseformind,

Isto dum tipo viver à procura da mulher-twix é lixado. Se calhar elas fazem o mesmo. Mas, como convém, somos sempre os últimos a saber. Porque, sem excepções, como sabes, todas o fazem por amor. Nos homens, a excepção à regra, é o Lobices. ;)

Sou de opinião de que todos somos infiéis. Quanto mais não seja no pensamento.

yulunga disse...

NOISE? "E infelizmente a grande parte da traição masculina é enquadrada ainda num mecanismo de inevitabililidade hormonal totalmente falso e sem fundamento de qualquer espécie." Que raio é isto? O Dr. fala de AMOR, AMOR. A questão hormonale animal tinhas que ser tu a levantá-la, não é? Queres é ver o circo pegar fogo. E depois diz que fazia umas massas com a forma como não sabemos lidar com a agressividade. És do nucleo duro ok.

yulunga disse...

Portocroft essa infidelidade é tramada. Não há uma unica testemunha que possa arrolar ao processo do frente a frente. Nessa as mulheres ganham aos pontos

Tão só, um pai disse...

... mas a "sociedade dos tarecos" é marcadamente matriarcal. Como tal, poligâmica. O mesmo sucede em muitas outras espécies. Já o mesmo não acontece com outras. No entanto, sociedades matriarcais poligâmicas existem e abundam na espécie humana. Tive contacto com elas em África. Onde também abundam sociedades poligâmicas patriarcais. Aqui, o número de mulheres de um patriarca é sinónimo de riqueza acumulada. E também pela riqueza em força de trabalho, provido por essas mulheres. Estes comportamentos terão origens, condicionantes e contextos históricos muito próprios. Nomeadamente no que se refere ao rácio populacional Muheres por Homem, ou o inverso. A dita "revolução sexual" ter-se-à iniciado durante e no pós segunda guerra. Até acho que terá sido durante a dita. Porquê? É verdade que são vários os factores que contribuem para um dado resultado. Acontecimentos bélicos poderão, também, contribuir para a destruição completa de dogmas sociais e culturais. No caso em apreço, desconheço se, para além do "faço porque gosto e porque só me sinto bem assim", existirá qualquer outra mutação da mãe Natureza que o incentive cada vez mais. Sei lá. Talvez seja da globalização. Mais informação, do desafio constante aos tabus sociais ... a verdade é que, não obstante os constantes ataques de que é alvo, e que deveriam ter já levado à sua extinção, família, enquanto conceito e estrutura, continua a ser a base de qualquer sociedade. As famílias monoparentais e poligâmicas serão uma mutação? Serão um novo orgão, ou um tumor? Como podem topar, estou cheio de perguntas bem parvas ... E logo eu que até nem me queria meter nisto ...

tareca disse...

"No entanto, sociedades matriarcais poligâmicas existem e abundam na espécie humana. Tive contacto com elas em África"

Oh tão só pai, múltiplos homens para uma mulher chama-se poliandria e não poligamia.

Tão só, um pai disse...

P.S.
É caso para dizer. Se, em Portugal, existem 7 mulhers para um homem, isto anda muito mal distribuído ...

Tão só, um pai disse...

Tareca, tens razão. Sou muito ... desavergonhadamente "colturali". Obrigado.

yulunga disse...

Tão só um pai, nem novo orgão nem tumor. São culturas diferentes. E a forma com que estamos aqui a debater tem a ver com o nosso ponto de vista nesta cultura que temos, que nos é imposta, em que vivemos. sei lá. Este debate nalgumas tribos africanas não teria um unico comentário

Ale (mestressan) disse...

Escrevi isso em meu blog - minha opinião a respeito do assunto!

A Filosofia do Espírito (Ale - 03/03/05)
Ontem, em uma aula de filosofia, escutei uma frase atribuída a um dos primeiros filósofos, Heráclito. Trata-se de uma verdade constante e completamente imutável, acho até que ao invés de ser considerada uma frase filosófica, poderia até ser denominada de frase científica com fundamentos espirituais, diante de sua profundidade e beleza, diante da percepção clara e verdadeira deste pensador. Ao escutar tamanha beleza de ensinamento, mesmo com sua notável simplicidade, tive uma verdadeira alucinação, como que atingido de uma forma fulminante pelo efeito de alguma droga poderosa, extremamente alucinógena e de uma força quase inimaginável que me fez viajar por completo, como uma viagem astral pra dentro de mim. Não citarei na íntegra, até porque não me foi dita com tamanha precisão, mas tentarei aproximar ao máximo para que me faça entender, para que eu possa, através de palavras, traduzir o que vivi e compreendi diante de tudo: “É impossível banhar-se duas vezes no mesmo rio, porque em uma segunda vez já não será o mesmo rio e nem tampouco a mesma pessoa”.
Como é dinâmica a vida, como é mutável o coração humano. Independente da mudança, todos mudam. Muitas vezes temos uma compreensão do amor, sentimos com toda intensidade aquele amor e chegamos a afirmar uma convicção inabalável do nosso sentimento e pensamos: “estou pronto!” Mas a vida, as circunstâncias, os acontecimentos chegam até nós com a força de um furacão, arrastando tudo aquilo que até então nós tínhamos em nós, inclusive a nossa própria consciência da verdade, da tranqüilidade e da segurança do que é realmente verdadeiro em nós. As ilusões trazidas pelos ventos têm a função única de fortalecer a nossa alma, a nossa resistência, flexibilizar o nosso espírito ao mesmo tempo, torná-lo firme. Acontece que, como muitas árvores, muitos seres humanos permitem-se serem levados pelo vento devastador das fantasias, da ignorância, das incertezas, na busca incessante de uma felicidade falsa proporcionada pela euforia das emoções. A base da explicação para a dependência psicológica de algumas drogas é a sensação de euforia causada por elas, seguida de uma depressão posterior, o que faz com que o suposto viciado precise, psicologicamente, por uma necessidade de encobrir a depressão, utilizar novamente aquela droga, pois sob o efeito da mesma as pessoas se consideram felizes, após a depressão a euforia e depois a depressão novamente e a necessidade da euforia, e assim a criação de um círculo vicioso de autodestruição. Exatamente da mesma forma, funcionam as ilusões e fantasias. A busca da suposta “felicidade” faz com que nos deixemos ser levado pelo furacão das emoções, das ansiedades incontroláveis, pela euforia dos momentos. Após a passagem do vento, entramos em um estado de “depressão moral” de insatisfação pessoal e a solução imediata imaginada é o uso daquela droga novamente, a ilusão, a fantasia humana.
Até quando viveremos como folhas secas? Até quando os ventos nos carregarão sem um rumo definido, nos jogando pra lá, nos trazendo pra cá? Sinto que somente quando compreendermos que a felicidade consiste em tranqüilidade, em segurança de que se ama alguém e de que esse alguém lhe ama, no tocante a sentimento verdadeiro do amor, mesmo sem o fogo da ansiedade e das sensações confusas. A felicidade também consiste em uma base moral e calma do cumprimento de nossas responsabilidades para com o nosso próximo, para com nós mesmos, para com nossa família e para com a sociedade, a ponto de você poder, à noite, em seu quarto, colocar a sua cabeça no seu travesseiro como se naquele instante você estivesse deitando sua consciência em uma nuvem de algodão macio e claro, com a pureza da sua alma bela e tranqüila e com a certeza do cumprimento do dever de cada ser, do respeito, da educação, da amizade e do sentimento do verdadeiro AMOR!

Desejo que todos possamos encontrar o nosso verdadeiro amor e desejo aos que já o encontraram que saibam fortalecê-lo a cada dia e tenham a força pra resistir às fantasias do mundo, permitindo assim, que o nosso coração encontre a serenidade da verdadeira felicidade!

yulunga disse...

Mas olha que uma cultura em que a mulher possa ter mais que um homem, não estou a ver.

Tareca disse...

Não leste o noise yulunga? Em Portugal para pertencer a essa cultura basta ganhar mais de 2000 euros e trabalhar no Porto ou em Lisboa. Infelizmente não é o meu caso, tenho de me contentar com o típico "colega de trabalho" de quando em vez:)

yulunga disse...

E olha que na Natureza o que se passa é isso. Quem manda é a femea que escolhe o macho mais robusto afim de garantir uma boa descendência.
Deviamos aprender com os bichos e por-vos na linha :-)

Tão só, um pai disse...

... e há ... a última de que ouvi falar foi, algures, na zona do Tibete. Elas trabalham nos campos E os gajos passam o dia a dormir e a comer. Mas o "engate", está a cargo deles.

Tão só, um pai disse...

Bom, tanto quanto percebi pela "gatagem" que tinha em casa, a fêmea não andava muito preocupada com robustezas. Enquanto tivesse o cio, e houvesse vontade masculina, toda a gente "molhava a sopa". Depois, a ninhada era mesmo esquisita. Um, branco e grandão, como o da vizinha. Outro, listado, como o vadiasso que se passeava pelo listo. E por aí em diante.

sofia disse...

Existe, Yulunga. Não me lembro onde, mas há um pedaço de mundo onde as mulheres podem (e devem) ter os homens que quiserem... :)

Anónimo disse...

Ausenta-se uma pessoa 24 horas e é o suficiente para chegar aqui e ter de "perder" uma hora a ler-vos para não perder o "fio à meada". E o que vejo, com a maior satisfação, é uma discussão onde ninguém atira com as suas frustações, insegurança e amarguras contra os outros como se fossem "pedras a rolar pela calçada".
Eu acredito na alma gémea, acredito mesmo (chamem-me romântica - tão fora de moda hoje em dia) Claro que encontramos, ao longo da vida, imensas pessoas que nos fazem sentir deste ou daquele modo mais ou menos alucinante. Também nunca consegui manter uma amizade com um namorado de que tivesse gostado, depois da relação ter acabado, prefiro que fique longe apesar de lhe desejar as maiores felicidades (é como com os carros que já tive, prefiro sempre não os ver mais)
A propósito de amor, agora lembrei-me de um post do professor (o do "Dia do pai" 20 Março) e de uma frase (e desculpem-me mas não resiste a fazer copy e paste) "Minha Mãe, atenta, mexeria eficazes cordelinhos para lhe fazer a vontade, qualquer sinal de angústia por parte do seu amor a afligia." é isso que para mim é amor, dar-nos de forma incondicional e receber da mesma forma.

Maite

Tão só, um pai disse...

Maite, chamar-lhe-ia adoração. Por vezes, muito pouco "paritária". Mas, digam o que disserem, gosto muito daquele amor em que não há ansiedade, apenas uma fábrica de ternura e de doçura, constante. Só que não nos deixa fazer mais nada. E isto dos dois e o amor numa cabana ...

Caty disse...

Bem, espero que o meu comment seja o nro 69. Só para dizer uma coisa: Maite, isso não é amor, é servilismo e anulação de vontade. Pergunta ao Professor se quando ele quer sair de um sítio depois de ter feito não sei quantas centenas de km para lá chegar espera que a mulher que está com ele trate de fazer as malinhas e vir embora sem palavra de protesto? Esqueceste-te de interpretar o contexto histórico rapariga.
Mas não te preocupes que à medida que o teu tipo de mulher vai ficando mais raro cada vez mais homens o procuram:)

Caty


Peter, seu maluco!!!

sofia disse...

Já ouviram falar em pássaros - cuja espécie (isto só pode ser uma crise de amnésia selectiva) não me recordo agora -, que vivem em infidelidade constante, porque as fêmeas escolhem um macho para lhes construir o ninho e partilhar a vida, e, tentando não levantar suspeitas, elegem e procriam com outro, genéticamente mais bem apetrechado? 40% das fêmeas dessa espécie, têm esse comportamento...

sofia disse...

Isso é amor, Maite. Sem dúvida. Também acredito na alma gémea. :)

Calvin disse...

Mas não é o que se passa agora? A fêmea escolhe o macho que lhe parece ser o mais robusto... :o)

PortoCroft disse...

'40%...elegem e procriam com outro... genéticamente mais bem apetrechado'

Pois. Na espécie humana não, claro. ;)

Susy disse...

Claro que é Calvin. E não podia ser de outra forma. Ou tás à espera que uma rapariga no seu perfeito juízo vá escolher um "lingras"? ;))))

Caty disse...

yulunga said...
NOISE? "E infelizmente a grande parte da traição masculina é enquadrada ainda num mecanismo de inevitabililidade hormonal totalmente falso e sem fundamento de qualquer espécie." Que raio é isto? O Dr. fala de AMOR, AMOR. A questão hormonale animal tinhas que ser tu a levantá-la, não é? Queres é ver o circo pegar fogo.

Yulunga, e não é que o circo pegou mesmo fogo?:)

Anónimo disse...

Tão só, um pai eu sou muito pouco a favor de cabanas :)))

Nada há de servilismo e anulação da vontade num amor que é recíproco.

Maite

Caty disse...

Pois maite, já estou a ver a reciprocidade desse teu amor. Um limpa, outro suja, um vê televisão, outro faz o jantar, um trabalha, o outro fica em casa. Pois, realmente é um amor em que tudo encaixa perfeitamente. Ali o Portocroft já deve estar a perguntar "onde é que tão as mulheres como a Maite escondidas, tenho 539 canecas de cerveja para lavar lá em casa":) tou a brincar Portocroft

PortoCroft disse...

Susy,

Se a tua teoria tivesse fundamento, eu ainda hoje era virgem. ;)

Tão só, um pai disse...

Caty, e porque não?

"Mas não te preocupes que à medida que o teu tipo de mulher vai ficando mais raro cada vez mais homens o procuram:)"

Não é por acaso que umas "os têm todos atrás" e outras ... enfim. Parece-me, outrosim, que a "robustez estéetica" da rapariga, também conta ...

Lyra disse...

Hum..Acredito que se possa amar uma pessoa e estar apaixonada por outra. Isso acredito. A paixão é muito pele, muito desejo, o olhar nos olhos do outro e querer estar. O amor pelo contrário ás vezes parece quase que não é importante, até que a outra pessoa nos falta. Amar duas pessoas ao mesmo tempo... Sim talvez. Se tomar-mos a loucura da paixão como amor (que até deve ser). Não sei. Nunca soube defenir esses sentimentos por palavras. Mas se são dois´há sempre um que fica com menos, que fica mais só... a parte que se ama talvez, que a paixão tolda-nos os olhos e os sentidos. (não assino nada do que disse. Não tenho certezas. Vou pensar e sei que hei-de voltar cá)

Ana Aires disse...

No meu mundo, que se tem mantido cor-de-rosa, penso que apenas um pode ser o teu verdadeiro amor. Lembro-me de amar e não ser amada, e sentir que nunca amaria como àquele, que não me queria. Hoje amo, como nunca na minha vida (embora curta), amei ninguém, sinto que está pessoa é a certa, a única, perfeitinha, feita à minha medida, pois "encaixamos" um no outro como eu não imaginava possível. Eu não julgo ser possível apaixonar-me por outra pessoa, quando vejo nesta a "estrela sobre o ombro esquerdo", de que Paulo Coelho falava em Brida. Acredito que há mais que uma alma gémea para cada pessoa... mas ao se encontrar uma delas...é para toda a vida. Assim o espero...
Será que estou a ser ingénua?...

Que todos encontrem a sua!

Mantenhas disse...

Lindo.

Isto é fenomenal!

Abri o post pela manhã e axei exagero a frase onde JMV diz algo como ter sido base para o programa 'mail's', pensei ... 2 ou 3.

Não. Devem ter sido mesmo muitos, a ver pelo número de intervensões.

Mentalidades. O peso da cultura cria-nos uma reserva maléfica sobre essa matéria.


Agimos em conformidade.

Tudo o que escrevem e ainda vão escrever será válido.

Para cada um de nós o nosso sentir.

Oxalá, encontrássemos todos o parceiro/a que partilhasse esse mesmo sentir com a maior das franquezas e intimidade.

Tri Angulares Mantenhas

yulunga disse...

Maite pedras para quê? Aqui só mesmo o Noise vestido de Ignatz a mandar-me tijolos à mona a achar que sou a Gata Chalupa

Lyra disse...

Ana o Paulo Coelho tambem dizia que havia várias almas gémeas para uma só pessoa.. E se se encontra uma outra alma gémea?...

Susy disse...

Portocroft: Como diz a minha mamã, há sempre um testo para cada panela... ou que seria do Sol se ninguém gostasse de amarelo? Ainda bem que os conceitos são relativos, senão também estava bem arranjada! :))

Maria disse...

Ana.... a propria Brida encontrei duas almas gemeas e amou-as com a mesma intensidade!

Caty disse...

Lyra, e se se encontra 12 almas gémeas? Morre-se por desidratação de tanto sexo ou distribui-se os encontros pelo mês fora?
Olha que o Noise e o Portocroft dessa calendarização devem perceber bem:)


Caty

yulunga disse...

Lyra e porque não associar a paixão ao amor? Não é bem melhor? Para quê esfrangalhar o vizinho se posso esfrangalhar quem amo? Eu acho que amor e paixão é ajgo dificil, mas pelo que vale a pena lutar

Susy disse...

Bem, se se encontrarem 12 almas gémeas resolve-se o problema com uma orgia + umas bejecas por causa da desidratação... :)))

circe disse...

Nikon:
Pode tentar o endereço
oamore@rdp.pt, para comunicar com
o Prof, creio eu. E sempre se pode
escrever-lhe para casa... mas nesse
caso evite o correio azul - o carteiro pode não gostar! :)))))

Anónimo disse...

eu que todos os dias sou um bocadinho Murcona acho que não só o Professor teve mais uma vez o dom de nos fazer olhar para o nosso umbigo e para onde mais nos apeteça nos outros... como! - e isto sim é importante!!, criou condições, e até talvez abençoou alguns triângulos neste blog... já estou a ver: Portocroft-yulunga-Lobices; Portocroft-Elisa-Yulung; Portocroft-anonymous-noisemind... portocroft- :)))) e por ai em diante...
Abençoado seja o amor!!

Lyra disse...

Caty essa questão das almas gémeas foi levantada pela Ana. E a verdade é que já lá vai o tempo em que acreditava em almas gemeas. Mas ao ler o post do JMV lembrei-me de uma amiga que andava com o casamento por um fio. Teve uma ralação extra-conjugal (nada premeditado , aconteceu e não dá (nem iria) para entrar aqui em promenores). A paixão acabou por passar. O casamento manteve-se. Mais forte. Mas tambem acredito e isso agora é outra questão que dá pano para mangas, que ninguém trai apenas uma vez. Se um dia o fizer, fá-lo-á sempre. Uma vez ou outra.

PortoCroft disse...

Susy,

Eu não queria dizer isto. Sério que não. Por razões óbvias. Mas, tendo como base a tua afirmação, só posso concluír que anda muita mulher por aí, sem juízo nenhum. Felizmente. ;)

Respondi Caty? ;))))

Lost In Portugal disse...

Anteriormente postei como Maria, agora registei-me no blogger :)

12 almas gemeas!?!? Nao sei se chamaria isso de sorte ou azar!?

Lyra disse...

Ou como diria a minha avó (todos temos avós sábias) Só se procura fora de casa o que não se tem lá dentro! E não tem que ser sexo. Pode ser apenas atenção, meiguice, etc.

Ana Aires disse...

na minha opinião, quando se diz que se ama igualmente duas pessoas é porque ainda não se ama a pessoa certa, ou alma gémea como lhe quizermos chamar. Encontrar uma alma gémea não é assim tão fácil quanto isso, não é porque se quer, nem se deseja, simplemente acontece, e acontece quando não a procuras. Dadas estas circunstâncias encontrar uma que seja é bastante complicado. Duas então... Lyra e maria, eu própria acredito que existe, mais que uma. Mas, se bem me recordo a Brida não fica com as duas... Serás sempre feliz apenas com uma, mesmo que encontres mais... E sendo a que "escolhes" realmente a tua alma gémea... não sentirás falta de te entregar a outra...

Lyra disse...

yulunga porque há quem acredite, ha quem nunca acreditou, ha quem deixou de acreditar. E a paixão não é eterna. Passa. O amor esse sim. Permanece ou não. Mas a paixão ...:-) passa sempre.

sofia disse...

No meu caso, Calvin e Portocroft, não. A não ser que o "genéticamente mais bem apetrechado" se estenda ao intelecto... e à capacidade de amar da mesma forma que eu, claro. :) Além disso, as fêmeas "pulam a cerca" para garantirem uma descendência de elite. E, salvo raras excepções ( quando não há contraceptivos à mão, talvez), a variante humana deste comportamento não existe com essa finalidade. Ou...? :)

Caty disse...

Pois Lyra, nõ se escolhe por ser a "relação oficial", não se escolhe por pressões familiares, não se escolhes por a outra pessoa ser também casada. Não!!! Ño teu mundo cor de rosa é tudo por amor!

Bem dizia o outro senhor lá atrás:

"Ainda temos mulheres que defendem o seu "direito ao amor romantico", destruído como paradigma socialmente basilar um pouco por toda a Europa/mundo ocidental."

Portocroft, quer dizer... contigo não era um triangulo, era um multi-angulo de vertice indifenidos não?

Lyra disse...

Ana não sentirás? Será? Nem por um momento que seja?

Lyra disse...

CATY no meu mundo côr de rosa :-)??
Estás a sair do tema e a entrar por caminhos que desconheces :-)

yulunga disse...

Lyra eu acho que a paixão é o amor louco, sem complexos, carnal. Porque não associar o fisico ao sentimento?

Susy disse...

O post da Ana obriga-me a sair do tom de brincadeira. Um bocadinho como dizia o outro: "De que falamos quando falamos de Amor?". Ora, parece-me que há quem confunda amor com sexo e que acredite na impossibilidade de sexo sem amor... Uma visão um tanto ou quanto adolescente, não?

Calvin disse...

Nestas coisas de amores, sou binário (deformação profissional, seguramente): ou uma ou nenhuma. :o)
E antes binário do que primário. :o)

sofia disse...

Contra todas as estatísticas, afirmo, com segurança, que uma paixão pode durar vários anos. Com intervalos... mas pode. :)

yulunga disse...

Lyra não sei se és casada ou tens alguém (também não interessa), mas nunca saiste de casa do conforto do lar para dar uma rapidinha no carro, como se fazia nos tempo de namoro, da paixão? Eu acho que isto é alimentar uma relação e acho magnifico

Lyra disse...

Yulunga mas a paixao é isso mesmo que dizes e tambem é amor. Mas para mim é efémero. Casa-se (ou não) por quem se está apaixionada/o mas passado um ano, dois, três, o que seja, já não é a paixão que move as pessoas mas sim o amor em que essas paixões se tornaram (um amor diferente daquele da paixão. Ah pois que euacho que há amores diferentes!)

Calvin disse...

Sofia, eu estou a falar do mais bem apetrechado, mas não sei de quê. :o) As mulheres é que definem o critério e nem todas têm o mesmo. :o)

ASHTRAY disse...

Acho que podemos amar várias pessoas de forma simultânea, agora paixão em cada momento só temos por uma.
De qualquer forma não devemos ser redutores com o amor.

Lyra disse...

Alimentar uma relação! Alimentar o amor. Dar paixão ao amor. (pq não se tem tempo para. Ou são os filhos, ou a vida, ou o trabalho.)São poucos mas ainda são. Mas não se vive eternamente apaixonado. Se alguem viver assim Que ponha o dedo no ar! :-)

noiseformind disse...

Bem, isto está em estado de sítio. O Éme falava de triangulos, mas como sempre e devido à predominancia do mulherio acabou-se a falar se o cor-de-rosa-choque será melhor que o cor-de-rosa-aveludado. Bem tinha razão eu em dizer que esta coisa das "triangulações" não era para todos. Pois é, se ainda há pessoas que acham que é tudo uma caçada ao regresso À primeira vez! enfim...

Vou para o avião, não roguem pragas que aquilo depois cai. Yulunga, nunca te imaginei tão pink, um dia destes pedes para a mulher não poder votar:)))))))))

Portocroft, és bom rapaz mas não quero ficar num triângulo amoroso contigo, numa orgia já pode ser, mas tu ficas com a Lyra, a Maite e a yulunga, eu fico com a Caty, a Andorinha e a susy looooooooooool
looooooooooool looooooooooooool

Yulunga... isto realmente incendiou, e ainda bem que assim tem muito mais interesse:))))))))
E as ideias tão fortíssimas e bem argumentadas, nada de copy pastes, tirando o da Caty, que ao menos foi de um autor de jeito looooool

Claro que o Lobices quando chegar, com a sua capacidade de geminar, nos tira a companhia feminina toda, por isso há que aproveitar antes de ele voltar.

Boa tertúlia e até logo à noite.

AMANHÃ LOU REED NA CASA DA MUSICA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

QUEM FOR DAQUI QUE DIGA PARA O PESSOAL SE ENOONTRAR LÁ E FAZER UNS COMMENTS LIVE:))))))))))))

Lyra disse...

Cá pra mim a Sofia tem razão pronto! E olhem o calvin tambem :-) E somos todos diferentes com opinião própria! E vou trabalhar! Mas vocês não trabalham? Olhem vejam "Estes dificeis amores". Vale sempre a pena :-)

sofia disse...

Eternamente? Só pode responder quem já não pode apaixonar-se novamente. E isso não é possível... :)))

yulunga disse...

E falando sério sobre trios. Para que não os haja, penso que não se deve deixar morrer a paixão. Dinamizar a relação e não a deixar cair na monotonia e tudo em nome do amor. Vou trabalhar

Lyra disse...

Sofia agora que te tinha dado a razão vens-me com essa? :-)

Lyra disse...

Estava a brincar contigo ;-) Vou trabalhar

Ale (mestressan) disse...

O AMOR (Kahlil Gibran - O Profeta)


Quando o amor o chamar
Se guie
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados
E quando ele vos envolver com suas asas
Cedei-lhe
Embora a espada oculta na sua plumagem possa feri-vos
E quando ele vos falar
Acreditai nele
Embora a sua voz possa despedaçar vossos sonhos como o vento devasta o jardim
Pois da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica
E da mesma forma que contribui para o vosso crescimento
Trabalha para vossa poda
E da mesma forma que alcança vossa altura e acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol
Assim também desce até vossas raízes e a sacode no seu apego à terra
Como feixes de trigo ele vos aperta junto ao seu coração
Ele vos debulha para expor a vossa nudez
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas
Ele vos mói até extrema brancura
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis
Então ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma no pão místico do banquete divino
Todas essas coisas o amor operará em vos para que conheçais os segredos de vossos corações
E com esse conhecimento vos convertais no pão místico do banquete divino
Todavia se no vosso temor procurardes somente a paz do amor, o gozo do amor
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez, abandonásseis a ira do amor
Para entrar num mundo sem estações onde rireis, mas não todos os vossos risos
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas
O amor nada dá, se não de si próprio
E nada recebe, se não de si próprio
O amor não possui nem se deixa possuir
Pois o amor basta-se a si mesmo
Quando um de vós ama, que não diga 'Deus está no meu coração'
Mas que diga antes 'Eu estou no coração de Deus'
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor pois o amor se vos achar dignos determinará ele próprio vosso curso
O amor não tem outro desejo se não o de atingir a sua plenitude
Se contudo amardes e precisardes ter desejos
Sejam estes os vossos desejos
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho que canta sua melodia para a noite
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria
De acordardes na aurora com o coração alado e agradecerdes por um novo dia de amor
De descansardes ao meio-dia e meditardes sobre o êxtase do amor
De voltardes pra casa à noite com gratidão
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado
E nos lábios uma canção de bem-aventurança

Lyra disse...

noiseformind Fica lá com quem quiseres masa não me arranjes pares. LiVRA :-) Fui.

Lyra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Não me querendo alargar, mas já o fazendo...
lyra, eu não sinto. Obviamente que não posso dizer, nunca vou sentir... mas no fundo acredito que não vou...

caty, essa do mundo cor-de-rosa, possivelmente era dirigida a mim... Eu tenho consciência que há milhares de escolhas diferentes que nos levam a um caminho diferente do que nos levaria o coração... mas não se falava aqui de amor?! Cada um faz a escolha que entende, e eu com isso não tenho nada a ver...

Ser ou não romântica, acreditar ou não no amor, eu acredito e acho que tudo o que se faz com amor, faz-se melhor, até cozinhar por exemplo... Mas isso sou EU que acredito e uma vez que sou feliz acho que tenho o direito de manter o meu mundo cor-de-rosa.

susy, eu nunca falei em sexo.

sofia disse...

De todos, eu serei a que menos razão tem, de certeza :))). E agora, está na minha hora. Isto é viciante, mas eu também trabalho! O Calvin tem sempre razão. :) Hoje, não vou perder o Professor. Já o comboio... (Piadinha fácil, desculpem. Até nem vou de comboio...) :)

yulunga disse...

Noise, eu rosa? Branca como a neve. E gozem com a rapidinha drive-in. Não ponham vocês achas na fogueira a ver se gozam os santos populares.

Anónimo disse...

Deixo pela primeira vez um post aqui. E faço-o com uma pergunta: não existirá aqui um preconceito relativo aqueles que se mantêm num casamento, sendo fiéis, felizes, bons amantes, amigos e intrinsecamente unidos?
Porque não permitir que alguém ame apenas e só uma pessoa e que com essa pessoa viva experiências que a realizem?
Desde quando a monogamia é sinal obrigatório de infelicidade?
Não estaremos apenas e só a arranjar pretextos para nos sentirmos melhor criticando aqueles que invejamos?
Parabéns Professor pelo blog e por tudo que me ensinou ao longo dos anos.
Obrigada a todos

Susy disse...

Não há preconceito nem muito menos invejas, há só pontos de vista distintos... Se uns são felizes em tons de rosa, parabéns; outros são-no a vermelho púrpura. ;)

lobices disse...

...neste momento: 16,38
...este será o 125º. comment
...UFA, já nem se pode dormir a sesta descansado!... Quando se acorda e se olha para este lençol de comentários ficamos sem palavras para poder participar...
...fogo... ahh carago, mas assim é que eu gosto: tudo à luta... (não é tudo ao monte e fé emDeus... isso é outra coisa...)
...mas dizéis todos(as)
e tendes razão
...vários conceitos e nenhum padrão
...até gatos entraram
...e pássaros não ficaram atrás
...culturas se discutiram
...e quantidades hormonais e procura de "habilitações" fecundantes e procriativas
...uns limpando a toca e outros na dita...
...amor, amor, amor...
...prefiro o meu eterno grito:
...
"...amei, amo e amarei com garra, com força, com dor, com riso, com lágrima, com a palma da mão, com o doce beijo da alma e o calor do coração; amei, amo e amarei com o espírito, com fogo, com ar, com terra, com mar, com chão, com chuva torrencial, lama, vento ou mesmo num estado demencial; amei, amo e amarei com tudo o que fui, com tudo o que sou e com tudo o que serei, dentro de mim, sendo eu ou quem me habita, como quem grita, em ti, aí ou aqui..."
...ou:
"...amem-me com força, com amor, com dor, com sol, com alma, com ódio, com riso, com choro, com doçura, com mel, com fel, com frio, com mãos, com corpo, com olhos, com línguas e olfactos...
...amem-me com dorso, com costados, com palmas, com gelo ou com fogo...
...amem-me com garra, com pena, com ternura ou com censura...
...amem-me um minuto, uma hora, um dia, uma vida, um momento ou uma eternidade...
...amem-me no ventre ainda ou já com idade, com siso ou indeciso, com chuva, com vento, com água, com sal...
...amem-me por um momento que seja para que esse momento perdure na vida ainda que essa vida não perdure nesse momento!..."

PortoCroft disse...

Caty,

Também não é assim... Atenta na provecta idade do animal. ;)

noise,

Rapaz, convence-te que são as mulheres que escolhem os homens que as hão-de escolher. E ainda bem. Porque eu concerteza, teria dificuldade na escolha. ;)

Susy disse...

Sim senhor Lobices, quem assim fala... era isto que eu queria dizer com vermelho púrpura: intenso, extremo, arrebatador... claro que pode haver isto dentro duma monogamia. Calculo...;)

gorda disse...

eu cá estou a fazer dieta para que não caia num vértice dum triângulo amoroso. Pois não suportaria tal ideia, não de viver um triângulo, pois isso não me assusta, de ser mais uma num triângulo.

Mantenhas disse...

Ena pá, já vai em casi 2000 ... heheheh

Quero ver como é que o gaijo (leia-se JMV) se vai desenrrascar desta.

Daqui a nada as 24 horas na lhe bastam e tem de arranjar desdobres ... ou daí ... ainda tem de mudar o formato à coisa, pois acredito k ele próprio está surpreso.

Ganda bhuuummmm, digno de estudo ele só e por si.

Curiosa Mente Mantenhas

Tão só, um pai disse...

Eu até estava a gostar da contagem das almas.

As piquenas sabem que, em havendo 7 almas femininas para uma masculina, têm menor probalidade de encontrar mais do que uma alma gémea, do que os piquenos.

Números são números ...

Tão só, um pai disse...

Portocroft,

Com a verdade, mataste-me a ilusão ...

"Rapaz, convence-te que são as mulheres que escolhem os homens que as hão-de escolher. E ainda bem. Porque eu concerteza, teria dificuldade na escolha. ;)"

lobices disse...

...a profícua e profunda participação neste tema tem apenas uma razão: a admissibilidade da triangulação!...
...toda a gente sabe que ela existe
...toda a gente a sente e muitos a vivem...
...não é possivel viver com um só amor em fidelidade absoluta (mas isto é apenas a minha opinião; não sou doutorado em matéria tão vasta mas fui ao longo da vida um grande experimentador de sentimentos e um grande visionador de comportamentos
...somos todos tocados pelo "bichinho" do ciúme e isso só significa que amamos mais do que uma pessoa; se tal não fosse o ciúme não existiria pois estaria nos nossos génes a inaturalidade desse comportamento e o ciúme seria desnecessário por inexistir a triangulação, a quadratura, o hexagono e por aí em diante
...aprendi muito com os pombos (já que se falou de gatos e de pássaros, também vou meter aqui o meu bico); meu pai foi columbófilo e, portanto, concorria com os pombos correios. Uma das formas utilizadas para acicatar a vontade animal de rápido regresso ao pombal desde o sítio onde ele seria largado (às vezes distâncias superiores a 700 kms) era, antes de o meter na caixa de viagem colocar um outro macho dentro da casota da fêmea (ou vice-versa) e fazê-lo ver que a fêmea dele estava na companhia de outro pombo.
...Crueldade... mas verdade
...o pombo ficava com ciúmes e raro seria não ser aquele a chegar em primeiro lugar...
...por isso
...não me venham com histórias de fidelidade (será, a existir, a excepção à regra)...
...somos todos infiéis
...porque amar assim o exige
(estarei a ser radical?...)

lobices disse...

...Júlio:
...em cerca de 15 dias de contagem quase 9.000 visitas, o que dá uma média de 600 por dia!...
...parabéns sinceros!...
...não pares, p.f.
:)

Elisa disse...

Bem, para entrar na dança... eu estou absolutamente de acordo com a/o xis. É possível amar várias pessoas, ao mesmo tempo. Claro que é. Gabriel Garcia Marquez escreveu uma vez uma coisa extraordinária (desculpem, não sei se foi nos 100 anos de solidão ou no AMor em tempos de coléra) - 'el corazón tiene más habitaciones que una casa de putas'. O meu é um imenso bordel. Não me parece também que uma nova paixão implique um atestado de óbito às paixões e amores passados. Em mim, continuam todos vivos e, acreditem, que de vez em quando até nem me importo de os revisitar. Acham que sou muito promíscua ou apenas honesta ou apenas humana? Eu cá não sei e, pior, nem penso nisso. Sou um bocado ciclónica, que querem? Ah e como já deixei aí a propósito de outro post, sou uma ferverosa adepta (talvez viciada) nos primeiros instantes, aqueles da chama, da faísca, da chispa... aqueles de que nos lembraremos, seguramente, no leito da morte. Amores para toda a vida tenho alguns. Os amigos, sempre, a quem amo profundamente e alguns homens que continuo a amar e que me amam, apesar de já não sermos o Amor. É difícil? Nem por isso...

lobices disse...

...é isso mesmo Elisa!......
"...homens que continuo a amar e que me amam, apesar de já não sermos o Amor. É difícil? Nem por isso..."
...é isso: amar e não amor!...
...alguém que pensa como eu!...
UFAAAAAAAAAAA
:)

andorinha disse...

Ufa!!!!! Que estafa! O que é que eu posso dizer de novo depois de tantos comentários?!

Vou tentar ser sintética, coisa que não é o meu forte.
Respondendo à pergunta do post a minha resposta é: claro que não, uma nova paixão não implica a certidão de óbito do amor existente.
Claro que é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo. Com a mesma intensidade não sei, talvez com nuances diferentes. Como diz o Calvin, uns amores preenchem espaços que outros não ocupam. Ninguém prenche o outro na sua totalidade, esta é a minha opinião.
Existem diferentes formas de amar e várias podem coincidir no tempo.

E porque falam sempre em triângulos? Não poderá ser um quadrilátero? Ou isso já é demais?!
Desde que as pessoas se sintam felizes assim e vivam de acorco com aquilo que pensam nada é censurável.
Acho até que é saudável. Ficar "presa" a uma só relação apenas por pressão social é negativo e se calhar até nefasto para a saúde emocional( mas aí os psis falarão com mais autoridade, não é assim ,Noise?)
Não estou a "criticar" quem tem só uma relação e é feliz, não caio nessa visão tão simplista.

Por arrastamento surge a questão da infidelidade e do ciúme.
Para mim são dois conceitos estranhíssimos.
Ciúme nunca senti, não sei o que é.
E como pergunta o Lobices - O que é ser fiel? O que é ser infiel? É-se fiel só porque não se vai com outra pessoa para a cama?
Ora meus senhores, não me lixem.
E é-se infiel porque se vai?
Para mim muito mais do que a questão da fidelidade/infidelidade põe-se a questão da lealdade.
Ser leal, honesto e sincero numa relação isso sim, é para mim importante.
Se as pessoas podem ir tomar um copo com o namorado,mas também com amigos, com conhecidos, com pessoas que acabaram de conhecer e isso não lhes levanta qualquer problema nem lhes traz nenhuma culpabilização porque não se pode passar o mesmo quando nos apetece ir para a cama com alguém?
Eu percebo que todo o banho cultural em que fomos formatados possa ser um obstáculo a uma atitude assim tão livre nesta matéria, mas tenho pena que a generalidade das pessoas ainda pense nesses moldes.
Gostaria de viver num mundo em que ir para a cama com alguém se nos apetece e quando nos apetece fosse tão natural como ir tomar um copo.
Isto daria "pano para mangas" mas não me quero alongar muito mais (prometi ser sucinta:)))

Noise,
Nunca pelejei pelo direito a usar os homens todos a meu bel-prazer. Já me estás a provocar outra vez?:))))))))))))))
Usar neste contexto é uma palavra que detesto. Assim como não gosto de ser usada, nunca iria fazê-lo.
Agora direito a estar com todos os que me apetece e que também queiram estar comigo, sem dúvida!
Eu sei que isto pode soar duma forma estranha a certos ouvidos, mas ....é exactamente o que eu penso e tento fazer.
Só lamento, como já te disse, que os homens ainda continuem a fazer a tradicional distinção - ou esposas virtuosas ou galdérias , daí que às vezes não haja espaço para mim que não sou nem uma coisa nem outra:(

Tu ficas com quem?!! Comigo, com a Caty e a Susy? Era o que faltava....
Mais uma vez o macho a
decidir?:)))))))))))
Quando é que aprendes, Noise?



porque é que não pode acontecer o mesmo

Tão só, um pai disse...

Lobo,

Acho que somos suficientemente flexíveis e tolerantes para admitir, de tudo, um pouco muito.

Mesmo que não seja a nossa opção pessoal.

Não "triangulo", a menos que duas meninas gémeas me digam que não podem passar, nem sem mim, nem uma sem a outra. E eu não possa passar sem elas. Há que respeitar os laços de sangue.

Mas não sou capaz de magoar alguém, não quero ser magoado e, também, não gosto de ver pessoas magoadas. Quando a dôr passa a fazer parte do jogo, o encanto acaba-se.

Não conheço nenhum triângulo feliz. Em todos eles há uma parte humilhada, dorida. Por alguma razão, nunca vivem os três na mesma casa. As excepções não contam.

Mas a vida não é feita do meu conhecimento pessoal. Concedo sempre o benefício da dúvida, a quem faça desta a sua opção.

lena disse...

elisaaaaaaaaaa!
:)***********************



lol

PortoCroft disse...

Tão só, um pai,

Baseio-me nas leis de mercado... Havendo muita qualidade, em quantidade... ;)

Calvin disse...

Desde que se respeitem as pessoas, a cardinalidade do amor é irrelevante.

yulunga disse...

Informação de ultima hora: Passes sociais aumentam 3,7% em Maio. Isto numa relação a dois pesa. Imaginem a três. Tenham consciência

Elisa disse...

lauraaaaaaaaaaaaaa :)) Isso significa partilha de pontos de vista? :)
Lobices ora, há montes de gente que assim pensa. A dificuldade talvez esteja em o admitir. Não sei. I love to love. E de qualquer forma, o mundo está cheio de pessoas... Deveríamos de facto contentarmo-nos com apenas uma? Mas, uma vez mais, claro, tudo depende do momento, das circunstâncias, de quem somos no momento e do que precisamos no momento. Ou não?

PortoCroft disse...

elisa,

'O meu é um imenso bordel.'

Ora bolas. ;)

andorinha disse...

Elisa,

Disseste tudo duma forma perfeita. Subscrevo em absoluto!

yulunga disse...

Lobices, a ideia da Elisa julgi que a partilhei no inicio com isto " o que eu acho é que se podem amar várias pessoas ao mesmo tempo, mas com amores diferentes. Eu posso amar imenso um amigo, dar-me prazer fazer-lhe caricias e estar juntinho bem apertadinho porque me sinto bem, por ser uma amizade especial, mas o amor que sinto pelo homem com quem tenho uma relação amorosa é mais que isso" mas como sou incompreendida. Partilhemos então na lama.

Elisa disse...

Portocroft ora bolas porquê?
Andorinha ups... não queria nada dizer tudo e espero sinceramente que o não tenha dito e ainda para mais de uma forma perfeita?? Ora bolas, digo eu agora.

yulunga disse...

Já não percebo de que amor falam e de que forma de gostar. Não fiz tilt, mas ando lá perto

andorinha disse...

No meu primeiro comentário está uma frase deslocada:
porque é que não pode acontecer o mesmo.
Sorry!

Anónimo disse...

Cara Caty,
Penso que ao proferir esta frase "Pois maite, já estou a ver a reciprocidade desse teu amor. Um limpa, outro suja, um vê televisão, outro faz o jantar, um trabalha, o outro fica em casa." está a pensar numa empregada e não numa mulher. Porque sendo assim, concordo consigo em pleno.
Isso faz-me lembrar aqueles "senhores de antigamente" que tinham empregadas internas (ou não), novas (claro), que faziam a lida da casa e se apaixonavam, ingenuamente, pelo seu "patrão" depois de ele as terem seduzido e lhe dedicavam um amor "canino" (desculpem a expressão).
Infelizmente não foi só "no antigamente". Já vi aqui neste blog alguém dizer:
"Se há uma coisa que devia ser proibida é o cavalheirismo. Então não é que só por eu ter ido buscar uma amiga a Ponte de Lima agora de manhã tive de a ir levar??????????E claro que foi em tom de bricadeira (diz ele):))))
Eu pergunto, será que isso não é também uma forma de desvalorizar as mulheres e reduzi-las a simples objectos?

Maite

lobices disse...

...I rest my case...for today!...
...with a peacefull mind
...I`ll not go away
...I love trying to find
...not the reason
...not the wisdom
...but, at least, the season...
...
...(sinceramente não sei onde fui buscar estas palavras)
...sorry, but I like them

lobices disse...

...to Yulunga:
...a long kiss to you
...because:
..."partilhamos, então... na lama"
...
...creio que não irão entender mas sei que nós os 2 as entendemos
:)*

yulunga disse...

Andorinha a Elisa escreve muito bem em poucas palavras, enquanto que nós vamos dando uns tiros para todos os lados a ver qual acerta. Ela seria muito boa para o nucleo duro femea.

yulunga disse...

Lobices, não tarda muito terei que meter os papeis para adopção dum tio gemeo

lobices disse...

...to Yulunga:
...LOL

andorinha disse...

Elisa,

Rectifico então: tudo o que disseste foi duma forma perfeita.
A língua portuguesa é muito traiçoeira:)

É bom encontrar aqui uma alma gémea!

Calvin disse...

Maite, o cavalheirismo não é mais do que querer tratar bem uma mulher. Isso desvaloriza-a em quê?

Susy disse...

Para mim cavalheirismo é exactamente sinónimo de machismo! Quero lá que um gajo me abra a porta; tenho mãozinhas para a abrir... e assim por diante. Livra! ;)
Desculpem a fuga ao tema central, mas isto dos rapazes serem quase obrigados a certas atitudes para com as mulheres (se bem percebi a Maite) complica-me com os nervos. ;)

lobices disse...

...gosto de uma mulher que seja cavalheira para comigo...
...
..."isto" é mau?...

andorinha disse...

Yulunga,

Tens toda a razão. A Elisa tem uma capacidade de síntese que eu não tenho. Seria, sem dúvida, uma excelente aquisição para o nosso núcleo.:)

Susy disse...

De todo, Lobices! Pelo contrário: é bom, é lindo (os meus meninos recebem flores de quando em vez), a mim o que me irrita é o carácter de obrigatoriedade com que algumas pessoas vêem a coisa.

Calvin disse...

Susy, se for cavalheirismo, não é obrigação. Dar uma flor a uma mulher também é machismo? Ela tem mãozinhas para a (es)colher... :o)

lobices disse...

...susy:
...no problem
...se tens mãozinhas para abrir a porta, abre-a
...mas...bolas...é sempre giro ele sair do carro, dar a volta e abrir-te a porta...depois, dá-te a mão e ajuda-te a sair...
...sorris para ele
...e
...bem
...depois é lá convosco
LOL
...
...cavalheirismo não significa machismo...
...mas olha: se for uma mulher a conduzir e ela sair para me abrir a porta e me ajudar a sair, o que será isso?...
:)

andorinha disse...

Júlio,

Isto hoje bate todos os recordes!!!
Vou desligar o pc e dar um passeio porque os meus neurónios estão prestes a desligar.
Como se consegue digerir tanta informação? E a que ainda virá?
É uma atitude de sadismo da sua parte?:))
Quer levar-nos todos para o consultório?:))))))

lobices disse...

...susy: já tinhas dado a resposta...OK
:)

yulunga disse...

Eu sou cavalheira com os meus amados. No restaurante puxo eu a cadeira para lhes poder apalpar o rabo.

lobices disse...

...claro
...isto é um jogo de sedução do Júlio!...
...ele percebe disto, folks!...
...imagino-o (com aquele olhar matreiro) a fazer refresh de meia em meia hora e a deliciar-se com estas nossas incursões no campo das psicomanias de que sabemos tudo
...LOL
...continua Júlio!...
:)

yulunga disse...

Andorinha o Dr. saberá bem retirar o sumo necessário de tudo isto. Se ele não tiver capacidade quem terá?

lobices disse...

...to Yulunga:
...bolas; quando me convidares fazes o favor puxa-me a cadeira todas as vezes que quiseres!...
...LOL

:)*

Anónimo disse...

Calvin, não a desvaloriza em nada, pelo contrário. Acho que eu é que fui pouco explicita no final do meu comentário e consequentemente mal interpretada.

Maite

yulunga disse...

Lobices, mas se ele cá viesse de vez em quando dar uma achega, assim p´ro ar. Então era como chegar lume à estopa. Eu acho que anda a ver como nós nos seduzimos

lobices disse...

...mais de 20 comentário à hora
...puxa

lobices disse...

...pois...ele a "gozar" ca malta
...lol

lobices disse...

...mas ouçam lá!?... vossas excelências não trabalham?... eu, é como o outro, na qualidade de reformado, enfim...
...olha que o Sócrates ainda vai pedir satisfações ao Júlio!...
...

yulunga disse...

Lobices e não sabemos tudo? Pelo menos cada um sabe de si. Eu partilho opinião, apesar de ter a noção que por vezes imponho mais que partilho, mas é uma forma de escrever. Não sei se sei tudo, mas sei escrever

PortoCroft disse...

Elisa,

Eu não sou eu, nem sou o outro
sou qualquer coisa de intermédio,
pilar da ponte de tédio,
que vai de mim para o outro
(Mário de Sá Carneiro)

Tédio? No coração não me parece. ;)

yulunga disse...

Lobices eu leio e por vezes falo com os clientes por telefone. De vez em quando calo-me e ouço: está?

Calvin disse...

OK, Maite. :o)

Anónimo disse...

Não me mandes trabalhar lobices , que ainda não fiz outra coisa hoje.
Agora é hora do descanso "do guerreiro" :)))))) e merecido, podes crer

Maite

P.S.(este é o meu último comentário, hoje) para não chatear mais ninguém ;)

Tão só, um pai disse...

Pois ...

"Eu sou cavalheira com os meus amados. No restaurante puxo eu a cadeira para lhes poder apalpar o rabo."

... se também pagares a conta ...

Julio Machado Vaz disse...

Mas vocês são triangulomaníacos:). Um tipo chega a casa e não acredita no número de comentários. Amanhã vou propor-vos quadriláteros!:).
P.S. Mas quais comentários? Vocês organizaram uma tertúlia! Consigo imaginar-vos em mesas junto ao mar, cerveja em punho, tremoços a caminho da boca:).

lobices disse...

...Júlio:
...venham essas "quadrangulares"
...LOL

lobices disse...

...mas eu só vou a essa tertúlia à beira mar, com cerveja e tremoços, se a Yulunga for também e me puxar a cerdeira para eu me sentar...
...LOL

yulunga disse...

Lobices, estivemos muito perto. O jantar de Moscavide? Não marquei porque não tive oportunidade, mas estive perto de lá passar só no final p´ro café, mas depois achei deselegante aparecer assim. Estou arrependida, pois parece-me que correu muito bem. Tal pai pagas tu apalpo eu ;-)

lobices disse...

...Yulunga!...
...pago eu, apalpas tu?!...
...prontus atão!...
...lá por isso, não deixaremos de ir passear à beira mar e enterrar os pés na areia...
...LOL
:)*

yulunga disse...

Lobices essa dos pagas tu apalpo eu era para " O Tal Pai" que se estava a fazer ao "bife" - vulgo jantar

yulunga disse...

Não é tal pai é "tão só um pai" sorry. Que nick

Anónimo disse...

A minha mãe foi lá casa outro dia. Resmungou-me pela desarrumação e lá me convenci que era hora de fazer uma limpeza. Sabem, deitar finalmente ao lixo aqueles papelitos, talões de compras, bilhetes de cinema e coisas que tais, que tendo a acumular dentro da jarra da sala, em cima da escrivaninha... Enquanto ia vasculhando, ia encontrando bilhetes, fotografias e coisinhas que me faziam lembrar o meu ex. Coisa sem piada nenhuma, mas foi o que mais me fez pensar, em cada recado com a sua letra, cada bilhete que me ofereceu, faziam lembrar-me dele. Não que fosse exactamente mau, mas a verdade é que não me apetecia lembrar, especialmente agora que somos amigos, tudo de bom por que passamos. Guardo ou deito fora? Guardo, com a intenção de que o mesmo se passe com os meus sentimentos mais fortes, mas para quê guardar algo que no fundo me magoa? Quem me garante que não lhes volte a pôr a mão, que não me façam sentir este mesmo vazio criado pela nossa separação? Mas, por outro lado, não os consigo deitar fora, recordações de tão bons momentos... como deitar fora os desenhos de criança. Ao fim guardo-os, pensando que mesmo a coisa mais ínfima me faz recordá-lo e ao nosso amor, mas guardo com medo, com muito medo, que o meu actual namorado os encontre e, não sendo capaz de entender, apesar de todo o amor que lhe tenho, acabe também a chorar.

yulunga disse...

Dr. Murcon essa cena de esplanada seria girissima se o Dr. conseguisse moderar cá a turba, o que duvido. Boas tardes e boas blogadas pela calada da noite

lobices disse...

...entendido
...no problem

EM disse...

O "problema" estará provavelmente no facto de a monogamia ser apenas uma convenção social, imposta e perpetuada, em grande parte,pelos cânones da igreja católica.

Tão só, um pai disse...

Yulunga e demais:

Para os amigos, TSuP. Como o sois todos ...

... e nada de subentendidos ...

noiseformind disse...

Pronto, pronto, vocês hoje descontrolaram-se um cadito, fruto de tempo livre a rodos, como vos invejo, mesmo isso sendo pecado pela Santa Madre Igreja

Dado que voltaram ao tema central, os triângulos, gostava de dizer que é mais e mais comum um casal jovem chegar ao terapeuta com o problema de não assumpção de uma criança como plano urgente da parte dela e depois o que está na raíz da falta da atractividade da maternidade é o facto de ela não querer perder tempo para o outro tempo do triângulo. O adultéro hoje em dia é visto como factor qualidade de vida tanto para homens como para mulheres

NO ENTANTO!!!!!!!!!!!

Não quero com isto dizer que as pessoas que são traídas não fiquem magoadas, pq ficam, E MUITO. E CADA VEZ MAIS pois hojeem dia normalmente o casamento traduz-se num afecto que se presume integral e portanto não é assim tão fácil aceitar que a outra parte possa abrir os braços e pernas a outro elemento.

Andorinha, eu escolher o trio de mulheres com quem fazer a orgia não invalida que elas não tenham ouras escolhas que não passa por mim. Aliás, nem que me tenham por parceiro exclusivo, aliás, não aspiro a tanto, trabalho há tempo bastante nisto para saber que muito do que sai da boca das pessoas numa relação visa manter a relação e não ter teor verídico per se...


POIs, pois pois... quase 200 comments... looooooooooooooooooool

Já parece o mercado do Bolhão!!!!!


Peter

microrocha disse...

so gostava de saber como se faz nestes casos de...como diz?Monogamia nao sei q?
Espera-se? Leva-se a serio?
O q é realmente? Isso passa? É fruto da pasmaceira de vida que se leva, tendo em conta o que se esperava dela? Ou é muito sério?
Muito sério sei que é...agora quanto?!?...

Caty disse...

microrocha

Nos casos de monogamia não há nada a fazer, é parvo quem quer não é?

;)

Seja louvado o Murcon por este enorme consultório gratuito:)

Calvin disse...

Triangulações... Ninguém sabe o mail do Gabriel Alves? Ele é que é A eminência no assunto. :o)
Júlio, com tanta freguesia, tem que passar a haver serviço de bar. E estou a pensar no PortoCroft que está ali a gerir o conteúdo da mesma caneca ao longo de centenas de comentários. :oP

microrocha disse...

n,n...
o que eu queria dizer era no caso de se ter mais que um amor...
ou uma substituição, apos tantos e tantos anos.

Caty disse...

Maite, fica a saber que quem disse isso de levar uma amiga a Ponte de Lima foi o Peter, que é meu amigo e estava a brincar, não sabes o que é brincar? E se ele não a pudesse levar? Ela não podia ir de taxi? Ele tinha cento e tal pessoas em casa e mesmo assim foi buscá-la. E no dia seguinte ainda tinha umas 50 e tal e mesmo assim foi levá-la. E não foi desagradável para as pessoas que ficaram na casa dele sem saber onde estavam as coisas? Pois, com essa estupidez de levar tudo a sério perdes completamente o contexto ás coisas.

Que idade tens? 50 e...? Mentais tens, o corpo é que ainda pode estar atrasado no atrofiamento das ideias

Calvin disse...

Não te preocupes, Microrocha: a monogamia não é contagiosa. E contagiante, só mesmo para populações de risco. :o)

Anónimo disse...

200!!!

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 251   Mais recente› Mais recente»