quarta-feira, abril 20, 2005

às ordens da Yulunga:)

E quem sou eu para a contrariar? Ainda por cima com o apoio da Lys? E do Portocroft? Ná, ainda sofro uma tentativa de assassinato... Substitua-se o post!

Soneto do amor total

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor presente
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinicius.

Uf! Estarei safo? Porque se nem a poesia me conseguir o vosso perdão...:)

170 comentários:

OlhoVivo disse...

Não será Amor a mais ? :P*********

noiseformind disse...

Hoje era dia para meter um poema do Pedro Abrunhosa, que actua logo na Casa da Música

jotakapa disse...

E como Vinicius consegue captar e transmitir a intensidade que o "amor total" deve ter!

Quando se ama assim, tudo parece mais intenso, mais sereno, mais forte, mais brilhante!

lobices disse...

...Yulunga ao poder!...
...poema magnífico
...Vinicius no seu melhor
...bravo Júlio

lobices disse...

caminhar

...caminho por espaços vazios;
sem ventos nem ondas de mar ou de areias; caminho por loucas miragens de sonhos que anseias; caminho por calçadas de granito frio; duro, mas dentro dele, como ouro puro, a força da sua própria grandeza; caminho com leveza, por vielas escuras, nuas, de ténue luz duma varanda; caminho por onde não se anda; caminho por rios de água rasa, onde o sol brilha no coração que abrasa; caminho na direcção do nada, onde tudo se apaga num instante de beleza como uma estrela quando morre na sua própria incerteza; caminho sem saber por onde e por mais que procure, não diviso luz; caminho somente porque amo, sem saber porquê, sem saber o porquê, sem saber que a loucura me sufoca e que por detrás desta insana caminhada, estarás sempre tu, mulher amiga, meu amor e minha amada!...

Anónimo disse...

Caro professor é com prazer que vejo que decidiu participar com um pouco mais de si e mais assiduamente neste seu blog :)
E estou de acordo consigo, a Yulunga é uma mulher com M maiúsculo.
Está, portanto perdoado, e não sofrerá nenhuma tentativa de assassinato porque estaremos aqui para o proteger. :)

Maite

yulunga disse...

Dr. Murcon, muito sinceramente? Mas muito sinceramente? Esse titulo onde figura o meu nick, deixou-me pequenina :-)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Quando me passar a taquicárdia, volto para comentar.
Fiquei nervosa, sim. E depois?

Rosa disse...

"Quando o poder do amor ultrapassar o amor pelo poder, o mundo conhecerá a paz". Quem o disse foi Jimi Hendrix, e acho que a frase pode fazer a ponte entre um post e outro. Porque, ó Professor, vai-me desculpar, mas passar assim do Espírito Santo para o Amor Total, de repente, sem aviso prévio, é dose! :)

noiseformind disse...

amok_she, anda ao concerto que ainda há bilhetes. Para ti, preço de amigo: 150 euros.

Já quem quiser ir aos U2, é coisa para se falar em leilões do Sapo lá mais para Julho:))))))))))))))

Morrer de amor é o meu sonho. Quando tinha 20 anos o meu sonho secreto de como morrer feliz da vida era ser morto aos 100 anos por um actor pornográfico cheio de ciúmes depois de a mulher dele o ter deixado dado eu conseguir ser melhor que ele na cama. Mas pronto, depois passei a ser mais realista.

Talvez ser morto aos 90 anos por um actor pornográfico cheio de ciúmes depois de a mulher dele o ter deixado dado eu conseguir ser melhor que ele na camaloooooooooool

looooooooooooooool

Divirtam-se por aqui pessoal, vemo-nos na Casa das Escadas

Peter

yulunga disse...

Noise tu bota lá a outra foto.
Queria comentar o poema mas estou sem jeito.
Tu inspira-me, tu desbloqueia-me a fidelidade.

Elisa disse...

Yulunga
Não comentes o poema. Quando muito o gesto. Os poemas sentem-se. E, pelo que me apercebo, estás a sentir.

Anónimo disse...

Olá! Venho convidar-vos a passar pelo

www.defesadopublico.blogspot.com

Está a decorrer uma petição na tentativa de se chegar a um acordo no sentido da não construção do edifício por trás da Casa da Música (Porto).

Um Abraço. João.

yulunga disse...

Elisa, partilho essa opinião. Poemas sentem-se. A mim é-me sempre dificil comentar poemas. Da mesma forma que não os consigo escrever, comentá-los torna-se tarefa dificil.
Mas um esforço também não custa

yulunga disse...

Elisa mas o que eu sinto mesmo é que se o Noise que tem 27 anitos e eu que sou cota, juntassemos as idades verdadeiras e rachassemos a conta a meias faziamos cá uma vaquinha...

Paula Lima disse...

Nada como navegar pelo mundo dos blogs, saltando de um para o outro para descobrir o seu, pelo belo acaso, como sempre. Já está nos Favoritos e lá vou ter que procurar a sintonia da Antena 1 para ouvi-lo.
Vou voltar sempre!!
Paula Lima

PortoCroft disse...

Prof. pela minha parte, tem todo o apoio que necessitar para fazer a yulunga feliz. ;))))

yulunga disse...

Comento-o, resumindo-o:
Amo-te como amigo e como amante
Amo-te como um bicho, simplesmente
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Com um desejo maciço e permanente.

lobices disse...

...como diria o brasileiro:
...
..."Minhá nóssa!..."
:)

PortoCroft disse...

Escrevia a yulunga, Segunda-feira, 19/04/2005 - 9:33 AM:

"Dr. Murcon passei um fim de semana optimo graças a si. E também graças a si estou a passar pela minha primeira experiência no sexo tântrico. Este sábado foi a sedução e a excitação; o orgasmo só virá no próximo sábado. Muito obrigada :-)"

Prof. desculpe lá mas esta tenho que lhe dizer:

Seu estraga prazeres! ;))))

Anónimo disse...

Se a tal Ygrego se sente pequenina, também quero. Tenho mesmo de dar graxa, Professor, ou basta escrever aqui umas tretas?

Afinal, qual é o truque para entrar neste clube?

(Não não por favor lobovelho, não meta bedelho aqui que até já enjoa)

andorinha disse...

Mais uma vez aqui chegada só a esta hora devido à minha complicadíssima :) vida profissional, digo apenas que partilho a opinião do Lobices no comment das 3.29 e a da Elisa no das 4.22.

PS: Alerta importantíssimo: não é por não ter opinião própria, é só porque se o que eu queria dizer já foi dito (e bem) não o vou estar a repetir.
Conclusão - quem chega a estas horas tem a vida facilitada:)))))
Ou não, depende....

yulunga disse...

Lobices sabes onde me inspirei para o resumo? Naquele poema:
Com três letrinhas apenas...

Portocroft, tenho-me estado a aguentar bem.

PortoCroft disse...

yulunga,

Bom...como falaste em taquicardia... Fui levado a pensar, admito que erradamente, na consumação da coisa... ;)))

yulunga disse...

Anónimo, porque este blog é de uma figura publica...
Aqui não se dá graxa. Este não é um blog de moda, não se fala de scarpin.
Aqui fala-se de sexo.
Aqui dá-se o corpo ao manifesto.
Junte-se ao maralhal

andorinha disse...

Portocroft,
Ainda bem que continuas com o teu fantástico sentido de humor.:)


Lá tinham que vir os ANÓNIMOS novamente "desestabilizar".
Desculpem lá, se calhar não devia reagir, mas é mais forte do que eu.
Esta gente irrita-me solenemente!

yulunga disse...

Portocroft, a taquicárdia foi consequência do titulo do post.
Falo sério.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
andorinha disse...

Tantos elogios à Yulunga, já estou a ficar com ciúmes.:)))))

PortoCroft disse...

yulunga,

Mas, nesse caso, com toda essa tua perseverança, o melhor se calhar é avisar a Protecção Civil da tua área para que eles estejam a postos no próximo Sábado, não achas? ;)))))

yulunga disse...

E o que é ser anónimo? Ou ter um nick? Em ambos estão pessoas por detrás. Em ambos não lhes vemos o rosto.

yulunga disse...

Portocroft, mas acho que o programa é tão curto, que ninguém vai dar por isso. Se calhar nem eu.

andorinha disse...

Amok_she,
Não falei para ti ou se falei não sabia. Se és o anónimo das 5.10.....

E já agora: desestabilizar no bom sentido é óptimo, agora provocações idiotas são perfeitamente dispensáveis.

PortoCroft disse...

yulunga,

Há uma diferença abissal. Quando te registas no sistema, ficam guardados os dados do teu computador. Donde te registas etc.

andorinha disse...

Yulunga,

Desculpa lá, mas ser anónimo ou ter um nick não é a mesma coisa. Isso é ser demasiado condscendente.
Se é assim, porque não passas a comentar como anónima em vez de Yulunga?

andorinha disse...

Ah Portocroft como tu me compreendes!:))

yulunga disse...

Portocroft, pois de net percebo pouco. Mas não era a isso que me referia. Claro que é mais fácil manter um dialogo, um contacto quando há um nome. É impensavel falar com 20 anonimos e saber a quem nos dirigimos. Mas não seremos ao fim ao cabo todos um pouco anonimos?

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Andorinha, uso nick porque gosto de comunicar gosto de criar empatias. E fazendo aqui a separação entre virtual e real, eu não faço nada anonimo na vida real e tenho o mesmo comportamento no virtual. E porque tanto o meu nome como o meu nick me estão associados como pessoa real eu funciono de igual forma e defendo-os da mesma forma

Tão só, um pai disse...

Yulunga,

"
Amo-te como amigo e como amante
Amo-te como um bicho, simplesmente
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Com um desejo maciço e permanente."

... esse desejo de amor, hoje, tá fraquito ... explode, rapariga, explode ...

yulunga disse...

TSUP eu pessoalmente não colocava nem mais uma letra que fosse. E olha que explodir em pouco espaço o estrago é maior

andorinha disse...

Yulunga,
"Mas não seremos ao fim e ao cabo todos um pouco anónimos?"
Pronto, não existem os rostos, mas o nick identifica a pessoa.
Para além de como tu dizes ser complicadíssimo manter uma conversa com 20 anónimos ao mesmo tempo, há outra coisa. Esses anónimos podem-nos pôr a nós em causa!
Eu sei lá, por absurdo, se um desses anónimos és tu, eu, o Noise, a Maite e por aí fora...
Levando o maquiavelismo ao extremo passamos a exprimir as nossa posições "oficiais" com o nick e as outras, eventualmente mais complicadas ou provocatórias como anónimos.
Se quiser ser mazinha até digo que é o que se calhar algumas pessoas já têm feito, não me admirava nada.
É que há gente para tudo.:((

PortoCroft disse...

yulunga,

Vamos ver. O Ciclone que me corrija se eu estiver errado... ;))))

O teu nome, data e local de nascimento fazem parte da tua identidade, certo?

Quando crias um 'nick' na net, estás a criar uma identidade paralela que pode ou não ser relacionada com a tua identidade de nascimento. Isso é uma decisão tua. Mas, o certo é que a partir desse momento, tens um elemento identificativo que as pessoas usam para te reconhecer na net. E deves cuidar dele como do teu nome.

É precisamente por isso que existe o anonimato. Para que as pessoas possam proteger a sua identidade por completo. Os motivos que as levam a isso são diversos e nem sempre com segundas intensões. Depois há aqueles que usam dessa faculdade para, sem escrúpulos, vomitarem todo o seu veneno. E a esses, damos a atenção que merecem: Nenhuma.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
andorinha disse...

Yulunga,

É isso, e pelo que já conheço de ti eu sei que é assim.
Por isso mesmo não consegui compreender a tua "defesa" dos anónimos.
São duas posturas antagónicas.

Elisa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Elisa disse...

Ora... Ora... desculpem lá... mas não só somos todos anónimos, aqui ou lá fora, como além do mais atrevo-me a dizê-lo somos todos virtuais. Seja lá onde for. E é por me verem a cara e saberem o meu nome que eu sou menos anónima ou virtual? Dar a 'cara' ou, neste caso, o 'nick' e até mesmo 'a imagem' ao manifesto não conduz necessariamente ao conhecimento de quem 'está do lado de lá do ecrán'. Temos essa ilusão, com certeza. Mas não passa disso. É como na vida. Afinal.
Depois... hum... fiquei um pouco perplexa com as reacções ao comentário do/a anónimo/a. É que já vi comentários de outros (?) anónimos a outros posts do JMV e não houve qualquer reacção ao anonimato de quem os escreveu. Agora foi só porque o senhor ou a senhora foi pouco simpático/a?

yulunga disse...

Andorinha, sem duvida que isso pode acontecer. Comentarmos com o nick e com um anonimo. Mas para quê? Se não andamos aqui de forma honesta, podemos registar um nick andar por ai e passado um tempo apagá-lo.
Pode haver quem não saiba registar. Por exemplo eu aqui no blogspot andei algum tempo anonima, se bem que assinava no final, até descobrir como me registar.
Os anónimos são pessoas, são opiniões, são atitudes, são maneiras de estar na vida

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Susy disse...

No meu entender ás vezes as pessoas têm receio de por o nome, e comentam como anonimos, no meu caso não tenho blog associado mas coloco o meu nome. Ninguem sabe quem eu sou tb não venho aqui para provocar apenas para comentar, acho que assim é que deve ser feito, é a primeira vez que venho aqui e fiquei surpresa com as coisas que li. No entanto so queria acrescentar uma coisa, isto é um mundo virtual que as vezes pode representar sentimentos reais, o meu namorado tem um blog e nem por isso deixo de transparecer esse sentimento no blog, tipo se eu gosto digo que gosto, senão tb sou capaz de discordar e nem por isso nos zangamos. Bem não quero aborrecer mais.
Só que este blog está muito fixe!!! Parabéns

Elisa disse...

PortCroft
a corrigir nesse teu comentário, apenas as 'intensões' que deveriam ser intenÇões. De resto? Nada mais, me parece.

PortoCroft disse...

Por outro lado, pensa nisto:

A identidade que crias na net, provavelmente, é a que deverias considerar como a tua verdadeira identidade. Porque foste tu que a criaste. Não depende de factores aleatórios, como a tua vontade de nascer, no dia tal, à hora tal e em tal local; nem é um nome que usas, assumes como teu mas que, te foi dado, não tiveste voto na matéria. ;))))

PortoCroft disse...

elisa,

Eu sabia. ;)))

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Elisa disse...

Se já sabias porque é que perguntaste?

yulunga disse...

Amok_she essa duvida não tolda nada o ambiente, porque haveriia de o toldar? Isso passou pela cabeça de todos. Apenas foi comentado por uma, que mostrou alguma veracidade. Eu acho que tornou o ambiente muito mais puro.

Elisa eu não sou virtual.
Quem escreve no computador opiniões sou eu, quem sente "coisas" e as tenta transmitir sou eu.
Eu, pessoa de carne e osso.

PortoCroft disse...

Não perguntei. Sabia que não deixarias passar um erro. ;)

Elisa disse...

Yulunga
somos todos virtuais. Experimente, pensar um pouco mais sobre esta frase e logo me dirá se somos ou não somos virtuais, aqui como lá fora (sim, eu frisei que esta característica é comum a este meio e aos meios mais comuns de sociabilidade, i.e., àqueles que nos põe frente a frente...)
A sua atitude, como a minha, face aos anónimos, revela qualquer coisa que escasseia (aqui e lá fora, uma vez mais): tolerância.

Elisa disse...

Erraste propositadamente?

lobices disse...

...para a Anonymous das 5.10 PM:

...que escreveu:

"...Afinal, qual é o truque para entrar neste clube?

(Não não por favor lobovelho, não meta bedelho aqui que até já enjoa)..."


...qual é o truque?

...no mínimo ser-se educada e não chamar lobovelho a quem, sendo velho não se considera como tal...

...no mínimo isso

...por outro lado, tenho um enorme prazer em o ser (lobovelho, mais correctamente velho lobo) e em ter esse estatuto!...

beijinhos

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Papo-seco disse...

Prof. Já pensou em mudar o sistema de comentários?

Na minha opinião devia pensar nisso, é que este está complicado para tantos "comments"

Elisa disse...

Quem determina o que é vertical? Quem define o carácter mais adequado? Quem ajuíza do que deve ser a qualidade de ser humano? Para onde foi a tolerância? Estamos quase no 25 de Abril e as pessoas ainda não podem exprimir-se livremente sem serem julgadas e sumariamente condenadas? Podemos não ter o mesmo estilo, podemos não ter o mesmo carácter, podemos nem sequer querer relacionar-nos com pessoas com opiniões e atitudes diferentes de nós... mas não deveríamos experimentar a tolerância?

andorinha disse...

Amok_she,

A dúvida existirá em vários espíritos, eu limitei-me a verbalizá-la.
Não colocar essa hipótese é de uma grande ingenuidade. Isso tem, tão só, a ver com a honestidade das pessoas e infelizmente nem todas as pessoas são honestas.

"....ou de nada valeria estar(mos) aqui por inteiro..." é a tua opinião, tão discutível quanto a minha.
Para mim vale a pena estar aqui por inteiro porque imensa gente está e é isso que importa.

Anónimo disse...

Andorinha começo achar que o que tu dizes no teu comentário das 5.54 é a mais pura verdade e atrever-me-ia a dizer que já não é de agora.
Elisa, só agora vi a sua resposta ao meu comentário do outro post e acho, minha cara, que não estamos assim tanto em desacordo.

Maite

P.S. Para que conste eu assino sempre os meus comentários. Assumo por completo tudo o que digo e não viria aqui provocar como anónima, porque eu faço-o (falo em relação às provocações)com este nick.

Elisa disse...

E já agora (depois vou-me embora)... eu, ao contrário do outro, tenho sempre MUITAS dúvidas e (felizmente) engano-me com frequência.

PortoCroft disse...

Elisa,

Nunca gostei desa palavra. E, como distinta pessoa me afirmou, há pouco tempo atrás, também acho que ela, por si, carrega um sentimento / atitude oblíqua quando pronúnciada entre seres humanos.

Ou seja, quando alguém se diz ser tolerante, está inplicitamente, a dar os primeiros sinais de intolerância.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Elisa, sei lá se errei de propósito. Já nem consigo responder a todos. Estou baralhada porra com tanta gente a dar-me em cima porque defendi um anónimo.
Vamos ver se ma faço entender

PUMMM - Isto é um murro na mesa, ok?

Eu defendo que quem cá anda deve fazê-lo da forma que lhe apetecer, como disse são maneiras de estar na vida.
Tolerância aqui tenho a mesma que na vida real, por isso se um anonimo de dirige a mim, e achando que o faz de forma honesta, eu dirijo-me da mesma forma.
Se é simpatico, também sou.
Se brinca, eu também brinco.
Se ofende, eu defendo-me e ou ataco ou ignoro ou eventualmente brincar um pouco.
Mas um anonimo continua a ser alguem

Elisa disse...

PortCroft
(afinal ainda voltei)
Não me parece que assim seja. A tolerância permite-nos aceitar as diferenças, mesmo que não concordemos com elas ou sejamos incapazes de nos colocar no 'lugar do outro'. Por muito distinta que tenha sido a pessoa que te explicou isso... talvez eu prefira que sejas tu a explicar-me esse 'sentimento oblíquo'... aliás gostei desta expressão... sentimento oblíquo... soa bem. :)

cris disse...

Cruzes, a parafernália de postadas q aqui vai à conta de um poema de amor!

Ai, esta Primavera torna tão fáceis estes difíceis amores...
:))

Elisa disse...

Yulunga
o 'erro' era do PortoCroft :)

Amok_she
eu diria justamente o oposto... a tolerância é o lugar da dúvida. Talvez estejamos a atribuir significados diferentes às palavras. A dúvida é o principio do conhecimento. Parece-me a mim.
Não quis dizer que a Amok-she estivesse a impor o que quer que seja... apenas que há coisas que não podem ser definidas em termos absolutos. A eterna questão do certo e do errado, do bem e do mal. Nada mais que isso.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
PortoCroft disse...

Elisa,

Soa bem? Pois...Dessa expressão não sou o autor. Mas, achei-a perfeita para definir a auto-colocação do emissor relativamente ao recipiente da palavra tolerância.

lobices disse...

...to Elisa: (comentário das 6.03 PM)

...não seremos todos anónimos?
...claro que não; ainda que não estejas ao meu lado, no mínimo vendo o meu perfil ficas a saber um pouco de mim e até me podes contactar...

...comentar anonimamente, é possível, é desejável até, por vezes, desde que se utilize o anonimato para dizermos coisas que noutras circunstâncias nos possam ser adversas; dar uma opinião que não queremos assumir, por exemplo.

...outra coisa é usar o anonimato para "ferir" ou "desferir" palavras menos correctas para com o dono do blog ou para com os cometadores...

...foi o caso da anónima das 5.10; utilizou o anonimato para, por exemplo, perguntar o que era preciso fazer para se juntar ao clube, dizendo a seguir para que o lobovelho (e aqui o único que se assume como tal, sou eu...) não desse palpites porque até já enjoa

...eu posso "enjoar" mas prefiro que alguém mo diga na cara de olhos nos olhos e não covardemente por detrás dum nick anónimo, como foi o caso

...é só isso; de resto estou-me marimbando para esses "dixotes"; já ando pela net desde maio de 2000 e já estou muito habituado a isso...

...as pessoas reagiram, tal como eu reagi (o que agradeço)

...as pessoas podem usar o anonimato sem ser para ferirem os outros...

...fica unicamente na consciênia de quem o escreveu

...eu, estou sempre bem!...

yulunga disse...

Amok_she, olha que não sou tão condescendente assim. Aqui talvez seja um pouco do que no real (e não digas que me contradigo quando disse que tinha comportamento igual no real e virtual) e passo a explicar:
como dizia sou um pouco mais condescendente, ou leio as pessoas um pouco mais, para melhor as entender. Aqui falta som, tons de voz, expressões de rosto.
Os lol e os smiles não são suficientes e eu pessoalmente ñão sou muito adepta. Faço-o por arrasto.
Não direi que dou mais tempo às pessoas para mostrarem quem são, mas sim mais tempo a mim para não errar. Egocentrismo, talvez. Percebeste?

Elisa disse...

Reafirmo: somos todos anónimos, aqui e lá fora. Somos todos virtuais aqui e lá fora. É o que penso.
E, com certeza que tem razão Amok-she... cada um de nós só pode ver a vida e dar-se aos outros (no limite, deixar de ser anónimo e virtual)de acordo com os trajectos da sua própria existência.
Estou de acordo com a Yulunga, os 'anónimos' que aqui comentam são pessoas como nós, com atitudes, opiniões, comportamentos. E com todo o direito a elas.

andorinha disse...

Yulunga às 6.05,

Mas eu concordo totalmente contigo. Se calhar não me consegui fazer entender, pode ter sido isso.
E claro que não estava a pôr-te a ti em causa.
Aliás eu também andei um tempo sem me registar, porque também não sabia, mas sempre assinei. Que queres? A mim sempre me fez muita confusão o anonimato.
Tu dizes que são maneiras de estar na vida - pois serão, só não percebo porque não hão-de as pessoas assumirem aquilo que dizem.
E as pessoas não têm que ter um nick registado; comentam aqui pessoas como anónimas, mas que assinam. As opiniões dessas pessoas têm para mim tanto valor como as das "registadas".

E por aqui me fico sobre este assunto, senão realmente corro o risco de atribuir aos anónimos mais importância do que a que eles têm.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

ANONIMO/A
Vês como se consegue ser figura de proa?
Basta dizer umas tretas.
Acertaste na mouche.

yulunga disse...

Amok_she vou-te ser muito sincera. Fiquei vaidosa, pronto, com o titulo do post. FIIIIQUEI!
O anonimo que não me acha piada, ok é-lhe legitimo, resolveu fazer o que?
Para mim e agradeço-lhe imenso, aumentou-me o protagonismo, a forma como o fez não me interessa; eu aproveitei. E se o mundo não girou em torno de mim eu andei a girar em torno dele.

yulunga disse...

Mas se formos a ver bem o protagonista acabou por ser o anonimo. Ele conseguiu. Acho que foi inteligente na forma como o fez

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
andorinha disse...

Elisa,

Tolerância? Sim, será algo a cultivar. E a frontalidade, a honestidade, o gosto de dizer as coisas de cara descoberta?

Se levarmos a tolerância ao limite, teremos que ser tolerantes com tudo?! Onde isso nos levaria!!!
Estes discursos às vezes são perigosos.

E não metas o 25 de Abril "ao barulho". Ninguém está aqui a pôr em causa a liberdade de expressão.
Era o que faltava!!!

andorinha disse...

Yulunga e Maite,

Obrigada por me compreenderem.:)))
Parece que as pessoas têm medo das palavras e então fica toda a gente melindrada só porque se diz o que se pensa.
Pensa-se mas não podemos dizer?!
Isso sim, era antes do 25 de Abril.

yulunga disse...

Amok_she eu acho que aqui quem não é egocentrico acaba por desenvolver um pouco essa caracteristica, chamemos-lhe assim. Porque se vai "enturmando", porque vai cada vez mais expondo opiniões. E isso é muito bom. ulgo que para algumas pessoas com pouca auto-estima, estas participações neste tipo de coisas é um optimo exercicio para alimentar um pouco mais o ego. Julgo eu

Tão só, um pai disse...

.. há pessoas que têm a nossa preferência.

Porque são engraçadas, sãs de palavras, diria mesmo honestas.

Porque gostamos delas, estamos sempre a chamá-las e ... porque não, a picá-las.

Têm sempre resposta pronta, é delicioso lê-las.

A Yulunga é uma delas. Não acho que coloque demasiados comentários. Pelo contrário, contrasta com a frieza e rispidez generalizadas que por aí grassam. Que continue a ser ela.

yulunga disse...

Andorinha entendi-te porque também raciocino com maldade, mas não a pratico. Foi o que fizeste. Fizeste uma associação maldosa, mas transmitiste a tua ideia de forma pura, sem maldade

Tão só, um pai disse...

Portocroft

"Ou seja, quando alguém se diz ser tolerante, está inplicitamente, a dar os primeiros sinais de intolerância."


O facto de alguém se achar bondoso, ou ser bondoso, não estará a dar quaisquer sinais de maldade ...

yulunga disse...

Tanto elogio meu Deus. E logo eu que tenho uma carrada de defeitos gravissimos. Mas estou aqui de forma transparente, divirto-me imenso e tiro um prazer danado destas conversas.

Elisa disse...

Não vejo o perigo de se ser 'tolerante' com tudo.
Aqui tratou-se de uma crítica clara à liberdade de alguém, usando os meios que entendeu e as formas que entendeu, se expressar. Posso, usando da minha liberdade de expressão, pôr o 25 de Abril, onde mais me apeteça, além do mais. E, na linha da minha argumentação, fazia todo o sentido (para mim) evocar esse 'dia claro, inteiro e limpo' nas palavras da Sophia.
Para ser mais honesta e frontal e descoberta e, sim, inteira e limpa (e partindo do princípio que estou a relacionar-me anónima e virtualmente com pessoas com uma infinita capacidade de compreensão') agora só me apetece mesmo citar o Poema em Linha Recta do Álvaro de Campos:
«Arre! estou farto de semi-deuses. Onde é que há gente no mundo?»

andorinha disse...

Pois é, Yulunga, caímos na esparrela da/do anónima/o .(

lobices disse...

...to Amook-she das 6.55 PM:
...
...exacto; tu dizes e sei muito bem a opinião que tens de mim mas sempre te assumiste assim e em directo sem anonimatos; por isso, eu me dou bem contigo e aceito as tuas "críticas"...

...o que um anónimo faz é por covardia... só isso

má nada!...

:)

andorinha disse...

Pronto a minha consciência não me permite manter mais tempo calada.
A anónima fui eu. Eu não disse que estava com ciúmes?:)))))))))))))))

yulunga disse...

Elisa qual Sophia? A do Mundo de Sophia?

Andorinha nada disso. Animou isto.

lobices disse...

...THE GREAT PROBLEM
is:

...TODOS terem a opinião que a sua opinião é melhor que a opinião do outro!...

...TODOS acharem que devem meter na cabeça do outro que o outro está errado e que ele é que está certo!...

...TODOS pensarem que a verdade está do seu lado, quando (na minha verdade) a verdade não existe...

...é só isso

:)

yulunga disse...

Andorinha nada disso. Animou isto, pronto.

Elisa qual Sophia? A do Mundo de Sophia?

Anónimo disse...

Mas afinal de contas como é que um poema de amor gera tanta controvérsia?

Anónimo disse...

Gandas malucos!

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Lobices isso acaba sempre por acontecer. Tem que acontecer. Todo s ser humano luta pelo poder, seja de que forma for, seja com que armas for. E inevitavel

Elisa disse...

Yulunga
Não, a Sophia de Mello Breyner Andresen, no poema intitulado 25 de Abril
«esta é a madrugada que eu esperava, o dia inicial, inteiro e limpo, onde emergimos da noite e do silêncio e livres habitamos a substância do tempo».

Anónimo disse...

Eu tou no Porto.
Vai um francesinha?

Anónimo disse...

Mas não pago.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Elisa disse...

Ora bem, Lobices. É isso mesmo, me parece.
Eu nada sei. Como disse... tenho sempre muitas dúvidas e engano-me a toda a hora. Não há certeza, verdade ou o que quer que seja que resista.

yulunga disse...

Anonimo podes crer. Gandas malucos. E se a vida fosse vivida com esta intensa fluidez o mundo era uma maravilha

PortoCroft disse...

Nâo. Nâo é isso, Tão só, um pai.

Quando alguém se diz tolerante, coloca-se automáticamente num plano superior. Daí eu nâo gostar da palavra. Estás a ver a minha ideia?

Quando oiço a palavra sendo proferida relativamente às minorias então, sejam elas étnicas ou outras, salta-me a tampa.

As pessoas ou se aceitam ou não. Se as aceitamos não as estamos a tolerar mas a olhá-las como iguais, no mesmo plano.

yulunga disse...

Elisa dum poema do livro "Coral"?

Tão só, um pai disse...

Anónimo, aceito. Mas, primeiro, as senhoras.

yulunga disse...

Elisa já li que não.

Elisa disse...

PortoCroft
hum... ok, uma vez mais dicionários diversos. Compreendo esse ponto de vista. Mas chamo-lhe tolerância.
«meto-me para dentro e fecho a janela».

Tão só, um pai disse...

Portocroft,
Percebo.

Anónimo disse...

Atão, bai uma francesinha ou nãoe?

Elisa disse...

Amok-she
Aparentemente não estava a provocar-me, a Yulunga. Mas confesso que hesitei :)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Amok_She leste o livro? E o Alberto não é delicioso? Eu acho que o Lobices é um pouco como ele.

Anónimo disse...

Sois todos mesmos uns gandas malucos.

Anónimo disse...

Mas, agora a sério, vale a pena ser maluco. A vida é mais bela quando somos malucos. Levar isto tudo a sério é uma seca do carago.

Elisa disse...

Mas não se pode ser um grande maluco e, simultaneamente, levar tudo a sério? Ou... levar tudo a sério e ser, ao mesmo tempo, um grande maluco? Não vejo qualquer incompatibilidade. Existe?

Tão só, um pai disse...

amok_she,
Todos nós nos aceitamos mútuamente, com restrições.

Por isso, toleramos.

Não que nos ponhamos num plano mais elevado.

Pura e simplesmente, existem terrenos que não queremos invadidos.

Porquê banir a palavra? O Portocroft tem razão. Mas com restrições.

Se eu até tolero o bacalhau ...

andorinha disse...

Yulunga às 7.11

"Estou aqui de forma transparente, divirto-me imenso e tiro um prazer danado destas conversas."
Eu sei que sim e é por isso que eu gosto de ti, "murcona"!

Eu estou da mesma forma ( desculpem lá , mas tinha que acrescentar isto):)))

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
PortoCroft disse...

Elisa,

Meu Ciclone de eleição... ;)

Melhor do que eu sabes que as palavras têm um significado no dicionário e ainda outros na vida real. Não podemos nos abstrair da carga e/ou conotações que as palavras vão adquirindo no dia a dia.

Elisa disse...

Bom, Amok_she se o face-to-face é mesmo necessário, isso resolve-se não? Eu alinho, desde que o PortoCroft dance comigo cheek-to-cheek no meio de um grande vendaval de ciclones e anti-ciclones e com raios e coriscos para iluminar o salão. :-))))

PortoCroft disse...

Tão só, um pai,

E gostas de tolerância de ponto, não é? E quem não gosta?

Mas, estamos a falar do uso da palavra em termos sociais, nos relacionamentos e interacções humanas.

Elisa disse...

PortoCroft
Eu nada sei melhor que tu. Apenas de um modo diferente. vamos à dança? ;-)

yulunga disse...

Andorinha quem me dera ser murcona por vezes. Sabes que nestas coisas de net e de chats, etc, as pessoas que considero mais interessantes, mais "recheadas" são regra geral do Norte, e por vezes dá vontade de conhecer, e a distância e a falta de tempo não ajudam.

PortoCroft disse...

'Eu alinho, desde que o PortoCroft dance comigo cheek-to-cheek no meio de um grande vendaval de ciclones e anti-ciclones e com raios e coriscos para iluminar o salão. :-))))'

Elisa,

Se tolerares as minhas pisadelas nos teus calos. ;))))))

yulunga disse...

Andorinha e da mesma forma que as pessoas que são do norte são diferentes, as que vieram das ex colonias têm uma forma muito mais bonita de se relacionarem e de alimentar uma amizade.

yulunga disse...

E boa tarde para todos. Boas blogadas

yulunga disse...

E boa tarde para todos. Boas blogadas

PortoCroft disse...

Estou aqui a rir que nem doido. Não é que eu não tolere as minhas loucuras. É que, se a partir dum poema de amor acabamos a falar em tolerância e a sermos intolerantes com as ideias de cada um... Nem quero pensar o que seria se o Prof. tivesse colocado um 'post' sobre, sei lá... guerra, desafectos, invejas... ;))))

Está tudo louco. ;)))

PortoCroft disse...

Até amanhã yulunga. Resto de noite feliz.

Elisa disse...

Portocroft
primeiro arranjarei os calos. Para estar convenientemente à altura das tuas pisadelas.

PortoCroft disse...

;)))

elisa,

Não sei porque hás-de fazer isso. Eu serei perfeitamente tolerante para com os teus calos. ;))))

Anónimo disse...

É difícil falar de amor. Mais simples é concebê-lo como uma espécie de hormona do crescimento, qualquer coisa temporã e mais não é que despropósito se experimentado quando não é de todo conveniente - pelas circunstâncias, pela idade ou pela doce insanidade que lhe vem colada.

Li não ser o amor um sentimento. Menos ainda um bom sentimento, daqueles a que recorremos para pintar o universo em tons pastel. O amor é uma consensualidade de sentimentos: duas pessoas que o sentem permutam-no, sem precisarem de saber como ou porquê. Nunca confundido com o desejo de ser adorado, o que sucede quando, num arrepio gelado cá dentro, nos sentimos mal-amados.

O poema diz de um amor inteiro, que das metades estamos fartos porque as vivemos.

Tati

Ale (mestressan) disse...

Acho que vcs nem lembrarão...Yulunga, fui o primeiro a me apaixonar e a nadar o atlântico e revelar meu sentimento neste blog! Ainda te amo, mesmo com tanta concorrência "desleal"...quem sabe um dia eu chegue aos pés destes teus grandes admiradores! Um beijo (ALE)

Anónimo disse...

Ninguém apraceu; já tou a comer a francesinha (com ovo) e batatas á parte. A bejeca ao lado. eheheheh

Calvin disse...

140 comentários em cinco horas? Atiro a toalha ao chão... Não tenho pedalada para isto. O pior é que um comentário a propósito do post nesta altura do campeonato já fica fora de contexto! :oD

PortoCroft disse...

Calvin,

Quatro. A hora do 'post' está atrasada uma hora. ;))))

Anónimo disse...

anonymous...francesinha com ovo????
que horror!!!!!
Calvin atiraste a toalha ao chão???..bolas...vou fechar os olhos ;)

Maite

BOCAGE disse...

Nascemos para amar; a humanidade
Vai tarde ou cedo aos laços da ternura.
Tu és doce atractivo, ó formosura,
Que encanta, que seduz, que persuade.
Enleia-se por gosto a liberdade;
E depois que a paixão n’alma se apura,
Alguns então lhe chamam desventura,
Chamam-lhe alguns então felicidade.
Qual se abisma nas lõbregas tristezas,
Qual em suaves júbilos discorre,
Com esperanças mil na ideia acesas.
Amor ou desfalece, ou pára, ou corre;
E, segundo as diversas naturezas,
Um porfia, este esquece, aquele morre.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Alex disse...

Foi com imenso prazer que fiquei a saber do seu Blog, Professor. Não sou (com pena) sua aluna, sou uma grande fã!
Bem haja!
:)

andorinha disse...

Yulunga,

Esperando que voltes aqui mais logo só te queria dizer o seguinte: não sei se as pessoas do Norte são mais interessantes, não sei se se pode generalizar assim. No Sul também deve haver pessoas interessantes, que diabo!

E depois dizes que as que vieram das ex-colónias têm uma forma muito mais bonita de se relacionarem e de alimentar uma amizade. Porque dizes isso?
Eu não tenho amigos nem conhecidos que tenham vindo de lá , por isso não sei.
Tu vieste de lá? Não estou a ser irónica nem provocadora (acho que já me vais conhecendo ), aqui faria falta realmente o "face to face" para não haver hipótese de interpretação errada.

Pois, a distância é grande e a falta de tempo também é um problema, mas quando quiseres vir a Guimarães tens um casulo onde ficar.
Já me estou a fazer de convidada para ir a Cascais, percebes?:)))
Havemos de nos encontrar ou aqui ou aí, combinado?

Calvin disse...

Portocroft, só espero que este pessoal não seja tão rápido a comentar como a fazer outras coisas... :oD

Nem sabes o que perdes, Maite. :oD

Impossível, como viste, Amok. Ainda se trabalhava àquela hora e o Benfica estava a começar. E ainda me falta ter conhecimento de causa... :o)

andorinha disse...

Calvin,
Sou da mesma opinião. Se o pessoal for assim tão rápido em tudo, é mesmo um desconsolo.

Mas onde estava a toalha, afinal?:)))

yulunga disse...

Bom dia a todos.
Andorinha, não, não vim de África. Mas conheço várias pessoas que vieram e cultivam muito o culto da amizade, ou pelos menos lá o faziam, e têm muito o hábito de se encontrarem em cafés e "perder" horas a abordar temas interessantes. Os mais velhos então são excelentes contadores de historias.

PortoCroft disse...

calvin,

Se forem assim tão rápidos, vieram cair no sítio certo... Umas sessões de terapia e uns fármacos apropriados, resolvem o problema. ;)))

Ah!... A propósito, vi anteontem um documentário, aqui na TV, relativo a esse assunto. Parece que no Brasil já fazem um cirurgia plástica para a remoção dum nervo (sensor) do corpo do pénis. ;)))

yulunga disse...

Portocroft remover um nervo para que? Cruzes

Calvin disse...

Portocroft, isso significa que os apressados são na verdade os homens mais sensíveis? Ou os mais enervados? :o)

Andorinha, voltei a apanhá-la. Sou um rapaz tímido, até. :o)

yulunga disse...

Calvin, ejaculação precoce? Porra... esse assunto é SÉRIO e tinha que ter obrigatoriamente a presença do Dr.

Calvin disse...

Yulunga, precisamente por ser sério é que brinquei com ele. :o) E não me parece ser particularmente mais sério que todos os outros que têm aqui sido abordados. :o)

yulunga disse...

Calvin e claro que se pode brincar, mas debater seriamente torna-se dificil, pois acho que necessitavamos de bons conhecimentos médicos, quer fisicos quer mentais, para o debater de forma seria, entendes?

papisa disse...

Não sendo habitual ao "Murcon" (antes uma simples viajante curiosa), e podendo eventualmente cair na repetição de um qualquer comentário já aqui deixado, arrisco-me ainda assim a deixar aqui um e-mail que recebi...pela referencia ao amor total..


"SEGUNDO CAMÕES!...


"Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer"


Ah Camões
Se vivesses hoje em dia
Tomavas uns anti-piréticos
Uns quantos analgésicos
E Xanax ou Prozac para a depressão
Compravas um computador
Consultavas a página do Murcon
E descobririas
Que essas dores que sentias
Esses calores que te abrasavam
Essas mudanças de humor repentinas
Esses desatinos sem nexo
Não eram feridas de amor
Mas somente falta de sexo!!!"

Urban disse...

Escrevam, escrevam muito que eu prometo que vos leio.
O pior é o resto, a falta de tempo para me "meter" nas conversas.
Oh que chatíce!

Calvin disse...

Yulunga, o tema, apesar de sério, não foi introduzido com o intuito de ser abordado de forma séria. :o)

Anónimo disse...

Andorinha
Onde achas que os homens gostam de enrolar a toalha??? Hum!!!???

Maite

Katz disse...

Antes de mais, Parabéns Yulunga (já agora acho o nome curioso quererá dizer alguma coisa?), o poema que lhe foi dedicado é belíssimo.

Elisa, um ciclone dá sempe jeito... É bom tê-la por cá, sobretudo depois de ver que tem, apesar dessa rectidão toda, um excelente sentido de humor!

Tolerância / Intolerância Vs Anonimato ou não.... Francamente vou fazer bis de algo que já disse num post qualqer.... A minha opinião é simples deverá funcionar a consciência de cada um. Sabemo-lo bem que há pessoas que usam o anonimato com "boas" intenções outras nem por isso, mas francamente cabe à "mente sã" procurar o "corpo são".

Andorinha, adoro Guimarães! São pequenos sítios assim que nos fazem acreditar que Portugal é, de facto, bonito!

À paparoca que se faz tarde...

yulunga disse...

Katz, já me perguntaram isso muita vez. Aqui fica: É o nome duma musica. O agrupamento chama-se Dead Can Dance

Elisa disse...

Katz
A rectidão (ou lá o que é...) pode andar a par com um bom sentido de humor. Penso eu. Não sei é se possuo realmente uma e outra característica, mas obrigada.

Papisa
Fantástica essa conclusão! :-))))

Calvin disse...

Os geniais Dead Can Dance. :o)

andorinha disse...

Calvin,

Voltaste a apanhar-me? Como?!! Sou muito fugidia...
Eu é que de vez em quando te apanho, não posso deixar fugir um adepto do Glorioso!:)

Maite,
A história da toalha era mesmo só para provocar o Calvin:)

Katz,
Também eu gosto de Guimarães em termos de paisagem e agora também em termos de iniciativas a nível cultural (aqui há uns anos atrás era uma desgraça). Já quanto à mentalidade das pessoas não posso, infelizmente, dizer o mesmo.
Mas toda esta zona do Minho é, de facto, lindíssima.

Katz disse...

Andorinha,
Se vamos por mentalidades... O melhor é não ir por aí!
É sempre mais fácil apreciarmos um sítio quando não moramos lá, passamos por cima desses "pequenos" detalhes sem que eles nos firam ou desconfortem.

Mr. Noise estou à espera do tal poema do Abrunhosa, já que não vou poder ir à casa da Música faça-me lá o gosto ao olho ;))