terça-feira, abril 05, 2005

"Mais papistas do que o Papa?"

A Antena 1 decidiu não pôr no ar O Amor É... de Domingo passado. Sem me dar qualquer explicação ou - bem mais importante! - aos ouvintes. O resultado aí está: fui inundado por mails a protestar, alguns falando em eventual censura, outros a verberar o ridículo da atitude. Trata-se de um episódio triste e surpreendente, devo confessar. Até por traduzir uma ideia "medieval" sobre os católicos: alguém acredita que se sentiriam chocados por eu abordar "as mentiras no amor" no dia seguinte à morte do Papa? Ou será que o programa nem sequer foi ouvido e se lhe receou o estilo, habitualmente descontraído? O mesmo programa será emitido no próximo Domingo. E, ao contrário do habitual, tenciono ouvi-lo. Para tentar perceber o que disse de herético, que gargalhada traduzia falta de respeito, quantas pessoas - católicas ou não... - ofendi.
Perdoem a frase num agnóstico - Por amor de Deus!

75 comentários:

Gotinha disse...

Não ouvi o programa mas a situação também me "faz comichão"! Parece um assunto tabu, o Papa tem que ser venerado e nada de mau pode ser dito.... há 5 minutos acabei de ler no jornal que o Santana Lopes quis adiar o congresso devido à morte do Papa.....
Repito: Por Amor de Deus!!!
*
P.S.-> Agnóstica n.º 2

janus disse...

Também vou ver o programa, no domingo, mas certamente não transmitiram apenas porque toda a programação deve ter sido alterada, dos 4 canais apenas o canal 2 variou do tema Papa

panamá disse...

Realmente! É ridículo, de facto! Parabéns pelo blog:)

cris disse...

O meu pai é produtor independente de rádio e relator desportivo numa rádio regional. Cancelaram-lhe a transmissão em directo do relato do Benfica-Marítimo por causa da morte do Papa! Enfim, não há limites para o papismo. :((

(Domingo lá estarei na Antena 1, já se vê)

Turno da Noite disse...

Amor!? disse Amor é!? Ah, é que não pode, quer dizer não deve, ou melhor, não será próprio, não sei se compreende, mas é uma questão de respeito, pelo santo padre, pelo senhor.
Agnóstico!?
Ora, tenha respeito ao menos pela instituição, secular,
e c l e s i a ...
É que amor desse não, amor amor só o do santo padre, por nós pecadores, só o do senhor pelo santo padre que por nós pecadores, sente o único amor dizível, escutável, e assim sentido, por nós, eternos pecadores,
assim consentido.

Não sei se compreende, é que já nascemos em pecado.

Calvin disse...

Digam-me pelo menos que as farmácias continuaram a vender preservativos... :o)

Kwan disse...

É nestas pequenas coisas que se perceber o (sub)desenvolvimento social de um país. Digo eu, que tambem nao rezo!

Circe disse...

Meninos e Meninas,
the show must go on e assim temos:
pessoas com crianças de solo, a desidratar, a arrastarem-se cinco horas até 2 metros de um Homem em exibição, MORTO a ser exibido, fotografado, amarfanhado em nome de
quê, ADORAÇÃO ? Só vejo loucura e histerismo e negócio, e SHOW OFF!!!! E se deixassem Karol em PAZ? Sinceramente, nem já a morte se respeita, vale tudo...

L. disse...

A mim o que me faz muita confusão é a RDP1 transmitir, para todo o País, todos os domingos, a missa dominical. E se ainda por cima cancelam o programa das 11 horas de domingo, então ainda menos entendo. Já vivi estas "cenas" e não gostei. Lamentável e triste.

noiseformind disse...

EXTRACTO DO TESTAMENTO DO PAPA RELACIONADO COM PORTUGAL

Do nosso enviado do Murcon ao Vaticano,


Meóz amigoz, êsse sénhor Rúlio é um desencaminhadore de almaz e juntamente com tódóz ós que pregam a Psicólógia, essá dóutrinah sem fundamentó científicó, deverah ser caladz poiz afazta az pessoaz do mistério do amór fraternal que se cria entre um homem e uma mulher, cómó extá no plano divino de NSJC. Éssa abominaçao de reflectirmoz sobre nósz própriux, constantando que ah nóssa conduta é motivada nao por inspiração divina mas sim por recalcamentosh é uma falsa ideia do homem (pódendo no entanto aplicar-se à mulher, que é um ser inferior e nunca poderá celebrar missa, apesar de por falta de padres já o fazerem em pontos remotos desse bélo paíx max dexde q n venhá nu Jórnal tódo benhe).

Como tás a ver Éme, o programa não foi apenas adiado: toda a tua vida pública foi suspensa e por ordem papal estás condenado ao opróbio sempre que puseres os pezinhos na rua loool loool loool loool loool loool loool loool loool

Só ainda n fecharam este blog pq a Igreja ainda não reconheceu a existÊncia da Internet loooooooool

Peter

noiseformind disse...

E já agora Éme, fica a minha dúvida: estar a fazer sexo sem estar no matrimónio ou pelo menos num noivado à hora da morte de um papa será uma agravante do conhecido pecado da fornicação?
E será que até ao grito "Habemus papa" não se deverão suspender todos os pecados dado que o tipo que nos puxava as orelhas deles está morto? Ou será que precisamente por ficarmos sem mao firme a controlar-nos o pecado é maior? Estas dúvidas estão-me a comer totalmente ; )))

Aliás, já começo a sentir remorsos da minha conduta: ontem tava a meter um preservativo e as minhas mãos tremiam-me, o meu corpo suava... a sério... tudo remorsos... pobres de nós pecadores.

Éme, nunca mais falas de sexo aqui pá : ))) o que mostra que este blog precisa de uma Leonor que traga assuntos picantes susceptíveis de aumentar a audiência (não que ela esteja baixa, mas como medida preventiva) loooool looooool loooooool

HABEMOS PAPA ET SUUS NOMEN EST:

JULIUS I!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Caty disse...

noiseformind,
loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool
loooooooooooooooooooooooooooooool
tá demais!!!


... e mais não digo ; )))

Tão só, um pai disse...

Tanto quanto sei, como todo e qualquer mortal, a estações lutam por audiências. Caro Júlio, pode ser um campeão, mas o Papa ainda o é mais. Lamento, outrosim, a alteração sem prévia informação ou, quiçá, o correspondente pedido de autorização. Olhe, mude de estação, para outra que possua, também, cobertura nacional.

Stephen King disse...

Só mais um desenvolvimento da verdadeira natureza da instituição eclesiástica. Aliás, a exibição do cadáver embalsamado durante tanto tempo parece-me coisa própria da barbárie de outros tempos, mas enfim...
Mais um agnóstico, cada vez mais convicto.

PortoCroft disse...

Mas o que esperavam num país que:

- Deve o seu reconhecimento, enquanto tal, ao Papa.
- Usou a Igreja e a expansão da fé para justificar a fuga à sua pequenez.
- Teve um regime ditatorial, por meio século, suportado no tripé: Deus, Pátria e Família.

E...
- Alberga dos maiores embustes da Igreja que é o Santuário de Fátima?

Por vezes dou comigo a pensar (eu por vezes tenho dessas veleidades):

Porque será que a Igreja não aceita, ao menos, o aborto terapêutico? Se o não aceita, porque não aceita então o uso de preservativo?

Cheguei à conclusão de que tal se deve a uma visão economicista:
Nascendo todos, supostamente, pecadores, todos somos, potencial e simultâneamente, a matéria prima (visto carregarmos o pecado) e o objecto do seu negócio. Para isso basta-nos nascer. Por isso a interrupção voluntária da gravidez e o uso de preservativos mexe tanto com a Igreja. Entende-se: 'Business is business'. ;)

(bitaite quase amordaçado)
O prof. pensou em criar um simples blogue e acabou criando mais uma cadeira nesta única universidade em que toda a asneira é permitida.

Tudo farei para passar com louvores. ;)

xis disse...

Bom dia.
Devo dizer que também eu me mostrei surpreendida por terem cancelado o seu programa. Não consigo entender toda esta mediatização à volta da morte do Papa. Reconheço o valor que o Papa teve desde que assumiu o seu cargo, na unificação de religiões, na "luta" pela pacificação, mas não é esse mesmo o cargo de um Papa? o Papa pediu perdão pelos actos de abuso sexual entre os padres e as crianças, mas que outra saída lhe restava? Calar-se, fingir que nada se passava e cada vez mais os católicos se afastariam da igreja? A sua luta contra a doença, foi de louvar, nunca se entregando e lutando sempre. Cada vez que olho o ecrã da televisão e vejo pessoas que esperam 10 horas numa fila para ver o Papa, a sorrirem, a comerem, como se da ida para uma qualquer celebração se tratasse, dá-me arrepios. Não dúvido que muitos deles estejam em profundo luto pela morte do Papa, mas outros será mesmo pelo "aparecer", pelo "ver", pelo dizer que "eu, estive lá". Perdoem-me todos os que possa ofender com este pequeno e singelo texto, mas é o que sinto. Ao Prof. Júlio, apenas lhe posso dizer que Domingo lá estarei para o ouvir, como sempre.
Bem Haja

lobices disse...

...ai Profe, profe!... Quando deixares de falar como falas, deixarei de te ler ou ouvir
...quando deixares de falar sobre o Amor como falas deixarei de te conhecer...
...falemos de Amor, na sua forma mais pura e mais bela que é o momento da fusão da carne e do espírito entre um homem e uma mulher, no momento em que a dualidade deixa de existir para se transformar no Par, entidade única que no momento do amor, no momento mais alto, no momento mais sublime, se transforma o prazer no mais profundo sentir do Divino!...
...é aí que o Homem se torna Deus e que Deus se torna Homem...
...fazer amor num quarto em que numa dada parede pende o crucifixo é algo que me permite sentir que o abraço tem sentido, que o corpo é espírito e que Ele não se entregou em vão, Ele o fez por Amor e a morte pode ser o orgasmo final!...

Anna^ disse...

Tanto queremos ser credíveis que caímos no ridículo...á boa moda portuguesa!!!
Espero por si...no Domingo...á hora do costume no local habitual :)

bjokas ":o)

Anónimo disse...

Lobices, foste um bocado reducionista com a frase: "...falemos de Amor, na sua forma mais pura e mais bela que é o momento da fusão da carne e do espírito entre um homem e uma mulher"

Então o amor homossexual não conta???? :-)
M.

lobices disse...

...para o anónimo M.: não vejas reducionismo nas minhas palavras ao referir o "homem e a mulher"; no entanto, aceitando que possa existir amor na homossexualidade, só entendo o acto sexual como o mais "puro" (não no sentido homofóbico) na junção de um pénis com uma vagina, situação que para além de ser a mais comum não deixa de ser aquela para a qual o ser vivo está confinado para a normal conservação da espécie; é nesse sentido que entendo o acto sexual entre um homem e uma mulher, no momento do orgasmo, como aquilo que num dos meus escritos designei como sendo "O Momento Divino"...
...extraí da minha já longa vida muitas lições e de todas a que mais me conseguiu fazer-me sentir imortal foi exactamente esse precioso momento em que o homem e a mulher deixam de ser dois e passam a ser um único ser: o Par; para além de entender que é nesse momento que o Homem atinge o Divino e Este se instala nele...

PortoCroft disse...

Pois...Lobices...

Razão tinha o Bill Clinton quando afirmava que, o se passou com a Mónica, não era um acto sexual.

A 'Junção' era outra. E, sem crucifixo. ;)

mantenhas disse...

Já fiquei pendurada com uma filha a kem tiraram os desenhos animados por imperativos informativos e não a avisaram e nem sei se terão avisado os produtores. Por certo não foi pelo conteúdo do programa. Não dramatizem nem conjecturem tanto e sempre mal. O Amor do programa, O Amor divulgado pelo Papa, O Amor que me tenho e a vós e ao meu cão bem como ao meu carro, são compatíveis e não agridam tanto nem sejam tão azedos.

Amor osas mantenhas

Anónimo disse...

“Para mim, um Paço Arquiano é alguém que tropeça, que não recebe a sabedoria à partida, porque se a recebesse não seria Paço Arquiano, mas apenas um sábio. Os Paço Arquianos são Paço Arquianos porque, não tendo a sabedoria, a procuram, querem e amam”.
Comandante Guélas

www.riapa.pt.to

Mitsou disse...

«O acto sexual é para ter filhos» - disse, com toda a boçalidade, o deputado do CDS no primeiro debate na A.R. sobre legalização do aborto. A resposta em poema, que fez rir todas as bancadas parlamentares, veio de Natália Correia. Aqui fica (lembram-se?):



Já que o coito - diz Morgado -
tem como fim cristalino,
preciso e imaculado
fazer menina ou menino;
e cada vez que o varão
sexual petisco manduca,
temos na procriação
prova de que houve truca-truca.
Sendo pai só de um rebento,
lógica é a conclusão
de que o viril instrumento
só usou - parca ração! -
uma vez. E se a função
faz o orgão - diz o ditado -
consumada essa excepção,
ficou capado o Morgado.

NATÁLIA CORREIA
(fim de citação)

Tinha guardado este mail da titas e acho que vem a propósito.

Anónimo disse...

Concordo plenamente com o nosso companheiro de comentários Tão só, um pai. Aliás já me tinha referido ao assunto num comentário anterior. Temos saudades de o ver, para além de o ouvir, caro professor. Porque não um programa de televisão?

Gostaria ainda de exprimir o meu horror perante atitudes de pessoas que fazem questão de dizer que são católicos e praticantes e depois falam da instituiçao (e principalmente do seu representante)com o maior deboche. Nem os que se consideram ateus o fazem.

Maite

lobices disse...

...Maité!...o Profe tem um programa na Tv...

Anónimo disse...

Sério?!
Bolas...Peço desculpa pela gaffe (minha ignorância). Lobices diga-me em q canal e em que horário, por favor.

Maite

P.S. fora isso mantenho o que disse no meu comentário

PortoCroft disse...

Absolutamente Maite.

Mas, onde está a tolerância?

(Não que goste muito da palavra. Acho-a duma sobranceria intolerável).

patrícia disse...

Credo, aí vêm as manias de perseguição. Mas o que é o Papa tem a ver consigo? Coitados dos gajos da Antena 1. Apeteceu-lhes variar por amor de Deus!!!

Bastet disse...

Pois olhe que quem não achou graça nenhuma foi a minha mãe (de 72 anos), cujas manhãs de Domingo são religiosamente passadas a ouvi-lo e que faz o favor de me relatar o que disse pelo telefone quando eu própria não o posso ouvir. Estes relatos têm aprofundado a cumplicidade existente entre mim e a minha mãe. Estou certa que disto sabendo o próprio Papa desaprovaria terem-lhe suprimido a voz Sr. Professor!!!

Tão só, um pai disse...

Mitsou,
Esta Natália é ferroenta, de doer ...

lobices disse...

...Maite:
...é o programa Estes Dificeis Amores...no Canal 2...aos Sábados à noite, ou melhor, por volta da 1 da manhã de Domingo...o Profe, a Profe Gabriela e a Leonor...

alex disse...

Ai, ai pobre Professor
Parece que vai começar a fazer psicanálise via blog
Um dos seus "fieis" considera que
"... Amor, na sua forma mais pura e mais bela que é o momento da fusão da carne e do espírito entre um homem e uma mulher".
Então e os outros tipos de Amor, como o dito platónico, o amor maternal ou paternal, amor incondicional dos progenitores ?
O Amor não pode ser reduzido ao amor fisico.

Gotinha disse...

Que agradável troca de ideias aqui se gerou...

lobices disse...

...to Alex: diriges-te ao Profe citando uma "sentença" minha, considerando-a ponto de partida para perguntares ao JMV "então, e os outros amores?"...
...claro que o Amor é vasto e não se resume tão somente e apenas ao amor físico; o amor físico (já agora para que saibas qual a minha filosofia de trazer por casa...) não é amor: é acção e como tal, é "amar" e não um sentimento; o amor é um sentimento e amar é dar; amar é uma entrega, uma dádiva e daí ser, na minha opinião (apenas porque tenho dierito a ela), a mais pura forma de amor pois é nesse momento único (não existe outro idêntico a nível sensorial; o momento do orgasmo é único e impossível de igualar) que (ainda na minha opinião) a carne se funde com o espírito e, para além disso, o homem e a mulher se fundem numa só entidade a que eu (pomposamente) chamo de: Par...
...para além ainda destas duas considerações ainda há uma terceira na qual entendo também que é nesse momento que o Homem atinge o Divino e que Este se sublima nele...
...talvez algo comparado com o big bang da origem do universo por analogia com a possível criação de vida (ainda que ela não surja)...
...e, como também já referi, quem sabe se a morte não será o último orgasmo!...

PortoCroft disse...

Quando li o comentário do Lobices, presumi que se referia ao amor carnal. E, o amor carnal, do ponto de vista dum homem heterossexual, tem como objecto a mulher.

Não me pareceu, por isso, haver qualquer intuito homofóbico ou redutor da sexualidade.

Já o mesmo não poderei dizer relativamente ao acto sexual ser a tal 'junção de um pénis com uma vagina'. Aí sim, o Lobices, muito provavelmente por esquecimento, não fez justiça ao inconformismo do 'macho latino', sempre em busca de outras 'manilhas'. ;)

PARTILHAS disse...

Bem... antes demais devo dizer que sou católica.
Daquelas que acha este papa que morreu agora, uma pessoa fantástica...

Ainda assim, estou mais do que de acordo... com o exagero levantado à volta da morte do Senhor.

Devo "confessar" que passei a 6ª e o sábado comovida com o sofrimento e a "onda" de fé generalizada. Fui à Igreja e tudo rezar por ele.

E não mais chorei, desde que morreu. Graças a Deus, que descansa... Mas, as audiências assim são... e são assim...

Primeiro os Euros da publicidade, seja em que nome for...

Diga lá as horas Sr.Professor e a frequência da Antena I... nunca ouvi, mas posso começar... Se faz favor...

yulunga disse...

Expliquem-me por favor, pois eu não chego lá. Se o assunto do Papa está tão desgastado, porque comentam?

yulunga disse...

E estou a começar a deliciar-me por estas bandas. Até que enfim que este espaço não é só para carpir egoisticamente. Habemos tertulia!!! Lobices e Portocroft, que Deus vos abençoe.

yulunga disse...

Portocroft e porque não manter o que a ditadura defendia? Temos que ir por ai? Deus, pode ser uma qualquer fé. Em nós, por ex. Pátria, respeitá-la um pouco mais talvez nos retirasse a pequenez, digo eu. E familia... Familia é familia e é no seio dela que as pessoas se estruturam

yulunga disse...

"porque não aceita então o uso de preservativo?" entendo que a igreja com esta atitude tenta fazer prevalecer a fidelidade. Julgo eu, que na visão da igreja o uso do preservativo leva um pouco à promiscuidade. Meu filho, deves respeitar a tua esposa, mas se usares preservativo serás absolvido. Mais ou menos isto.

yulunga disse...

Estou maravilhada com o discurso do Lobices e com o ar delicioso que tem. Faz-me lembrar o meu tio Alfredo quando aborda esse tema duma forma deliciosa, diria gulosa, e nós ao ouvi-lo a deliciar-nos como se fossemos miudos a comer uma gulosice. Porque o meu tio Alfredo não nos fala de sexo, fala-nos de sexualidade. Anónimo é diferente, tão diferente... O Portocroft também tem "pinta". Dr. Murcon está de parabéns com estes dois visitantes. Que tal convidá-los para o seu programa?

lobices disse...

...to PortoCroft: ao referir o acto sexual entre um pénis e uma vagina, não estou a ser (mais uma vez?...) reducionista; as "manilhas" de que falas são imensas e podem-se inscrever como acto sexual também; um fellatio é um acto sexual, claro...
...porém, o que eu quis dizer é que o acto sexual, em si mesmo, por excelência, como acto de amor destinado ao prazer e à procriação onde pode ser obtido o orgasmo (se possível em sintonia, o que torna excelso tal facto...), é a junção de um pénis com uma vagina...
...que eu saiba a mulher atinge o orgasmo por excitação do clitóris
...num fellatio só o homem atinge o orgasmo, por exemplo...
...por isso, quando "reduzo" o acto de amor carnal ao sexo obtido pela junção dos sexos a esse efeito também destinados, pretendo chegar àquilo a que designo por "Momento Divino" (vidé meu post sobre este tema no meu blog), e só nessas circunstâncias é possível deixar de existir "ali" um homem e uma mulher e passar a existir o "Par", a entidade que fundirá o corpo e o espírito e onde Deus se sublima e o Homem atinge o "alto"...
...de resto, tudo bem... :)

Circe disse...

"Familia é família e é no seio dela
que as pessoas se estruturam"-Yulunga said.
Olhei imediatamente para o espelho e apalpei as rótulas, os cotovelos, as unhas...ufff...que alívio verificar que afinal ainda tenho a cabeça entre as orelhas!

É que eu nunca tive família,pregaste-me cá um susto,
carago!...

lobices disse...

...to Yulunga: obrigado pelas tuas simpáticas palavras... pareço o teu tio Alfredo e estou a imaginar a cena tal como a descreves...
...é...é um pouco isso; a vida, os anos passam sem darmos por isso e quando "aqui" chegamos (quando chegamos a este patamar da vida) já temos um pouco mais de "sabedoria" (sendo que sabedoria é a acumulação de saberes e sabores, acumulação de conhecimentos... é isso que os anos nos vão dando... nada mais do que isso...)
...por vezes (muitas vezes) os novos dão-nos "lições" (que nenhum mais velho despreze o dito do mais novo) mas há apenas um pormenor: é que já "aqui" estamos e os mais novos ainda vão a caminho...
...o meu lema no meu blog e na minha vida é: "Amar é o caminho"
...e este "Amar" não é só palavra é também e sobretudo acção, acto, vivência, luta, lágrima e riso
...fazer amor é a melhor coisa que existe neste Universo!...

lobices disse...

...to Circe: tenho obtido no meu blog muitas palavras tuas e de uma ternura imensa que agradeço
...como não tenho forma de comunicar (e não poder comunicar é loucura para mim... eu preciso de comunicar... é como respirar...) contigo, aproveito esta hipótese para deixar aqui a minha dose de satisfação por saber que me lês
...o ego a ser alimentado também é bom, não é? :)
...quanto à tua falta de família, conforme dizes em relação a um comment da Yulunga... humm... a família esté dentro de nós ainda que seja um único ser (nós mesmos)
...nada melhor que eu ser a minha única família (é que, desta forma, eu sei quem sou... mesmo que não saiba de onde venho nem para onde vou...)
...:)*

yulunga disse...

Lobices, não, não tem a ver com a idade. Tenho um amigo bem mais velho e culturalmente bem iluminado, para aí da idade do Alfredo (que não é tio, é "tio") com quem também falo abertamente de sexo e a delicia não é a mesma. Tem a ver com a forma como se exprimem e como nos envolvem na conversa. Dá para entender?

yulunga disse...

Saberes e sabores, por ex. Estás a ver? São estes pequenos pormenores, que numa conversa se saboreiam, e que apetece "comer". Uma conversa que exalta sentidos, que tem cheiro, tem sabor. Que apetece, pronto!

lobices disse...

...to Yulunga: entendi...sorrio...obrigado, mais uma vez...

Blimunda disse...

Caty,

Também adorei o 'testamento' a que o nosso enviado noiseformind teve acesso, esperemos que seja revogado por clara incapacidade mental do testamentário:), é que eu adoro ouvir (e ver) o Prof Julio. Ou Rúlio, como diz o Santo Papa:)

Julio Machado Vaz disse...

Vou convidar o Tio Alfredo!:)

lobices disse...

...Profe: rectificação: "tio" Alfredo...
:)

Ale (mestressan) disse...

Caro Senhor,

Permita-me por um link em meu humilde blog ao seu. Tenho uma coluna de blogs com algum conteúdo e gostaria de por o link do seu lá! Grato! Alessandro

PortoCroft disse...

'Eis que de repente o céu escurece e uma 'dama' brilhando, deixando um rasto de luz, se aproxima...'

Isto, ou qualquer coisa como isto não me é, completamente, desconhecido. E, no entanto, cheira-me a mofo. Assim tambem me fazem sentir algumas pessoas. Presumo que o cheiro bafiento, provenha das suas cabeças bolorentas. Não estou seguro disso.

Cough!...cough!...(desculpem o pigarrear) ;)

yulunga said...
'Portocroft e porque não manter o que a ditadura defendia?'

Deus, Pátria e Família? E, o que é 'Deus', e o que é Pátria? e o que é Família? Muito provavelmente o que é significante para si, nada significa ou tem significado diferente para mim.

yulunga said...
'...entendo que a igreja com esta atitude (proibição do preservativo) tenta fazer prevalecer a fidelidade'

E, com excelentes resultados, não é?

noiseformind disse...

Fogo, uma pessoa ás 7 da manhã diz "preservativo" e "sexo" no mesmo post e ás 11 da noite vê que quase só se falou disso. São palavras cheias de magia que parecem animar o pessoal por estas bandas, uma forma de Viagra Digital ; ))) seus malucos!!!!

Caty e Blimunda, obrigada pelas palavras e acima de tudo pelos sorrisos sobre o testamento :))))

Pois pois pois Lobices, aí no campo todo bucólico mas depois quando toca a falar de amor, "amor" e ""amor"" destravas-te todo ; )

Acho que a Yulunga teve o mérito de despontar o debate, o conservadorismo é sempre polémico entre pragmáticos (e agnósticos, não esquecer o Papa Julios I) e sem a posição dela para polarizar o debbate acho que ele não teria certamente tanta fibra.

Quanto ao dono da casa, posso-te desde já tranquilizar Éme. Se há coisa de que tratei aquando do meu regresso a Portugal foi de digitalizar toda a tua obra escrita (sim, incluindo a dissertação entregue ao Conselho Suiço da Universidade do Jura bem como o pequeno livro correspondente das provas prestadas ao Conselho do ICBAS) bem como o pedido e digitalização de todos os teus programas emitidos na RTP1, coisa que não me ficou barata, muito menos estando eu acabadinho de pousar em terra pátria e ainda sem consultório aberto. Mas em vez de carro anda-se de transportes públicos e sempre se confrateniza com o objecto de estudo ; )))

Espero que agora não me vás perseguir pelos direitos de Autor, o que seria uma crueldade pois nunca fiz cópias terceiras do material e reservo-as para puro prazer privado. Por isso mesmo que um dia destes se "esqueçam" de ti de vez há pelo menos um lar luso-americano que vai continuar a passar as tuas litanias ; )))

Aliás, não tendo eu televisão nos primeiros meses da minha vinda aqui para a terra-onde-o-aborto-é-proibido foi um fartote de "Sexualidades". E o Allen Gomes tinha razão, como confessaste na crónica que lhe dedicaste por alturas da sua reforma: não te deixaram lá por muito tempo, incomodavas demais. Mas cada vez que morre um bispo fico com esperanças que as coisas mudem sabias looooooooool (de morte natural claro, que não quero parecer anti-clerical)

"-Era um café e uma fatia de arco-iris se faz favor" que o sonho não paga imposto.

Quanto aos programas de rádio só tenho os da Radio Nova gravados, com excepção do que meti na time-shell há 9 anos.

Se alguém tiver programas de rádio do Éme posteriores gravados que diga, dão-se alvíssaras ; ))

PortoCroft disse...

lobices said...

'um fellatio é um acto sexual, claro...'

Cunilíngus, também. ;)
................................
lobices said...

'como acto de amor destinado ao prazer e à procriação onde pode ser obtido o orgasmo'

Alto e pára o baile!... (onde é que eu já li isto?)
Essas prioridades, podem até ser muito católicas mas, não me parecem ter nada que ver com a prática. Ou então, voltamos à afirmação do Deputado Morgado como ponto de partida. ;)

Anónimo disse...

Não entendo a indignação do blogocompanheiro e Murcon Invicto.

Primeiro: este pregador agnóstico e radialista diz-se (qualidade não autenticada pelo Sínodo Episcopal ou entidade afim ou parecida) sexólogo, logo homem especializado em mister de escarafunchar em coisas sujas e pecaminosas que só se devem praticar, na estritamente necessária medida, com a finalidade única da procriação. E para procriar, o sexo é só e simplesmente: zás, catrapás, já está, aliviado estou (o de cima), venha o filho da receptora (em baixo), ponto final, baptismo, crisma, comunhão, matrimónio, castidade, santidade, vida eterna, amen. E neste circuito tão simples, o que faz um sexólogo? Peca, só pode. Porque complica o simples, o directo e o rápido.

Segundo: Morto o Papa mas não enterrado e esperando novo Papa mas ainda não eleito, admitia-se que a Antena 1 de uma República laica transmitisse as ímpias palavras de um sexólogo que, por natureza, só pode ser um devasso? Experimente o ilustre mas pecaminoso radialista pregar num dos fundamentalistas reinos islâmicos. Limpavam-lhe o sebo, pois limpavam. Aqui, na Laica República, cortam-lhe o pio. Só. Haja Deus. Bem hajam os cruzados – os passados e os presentes.

Mas o ímpio Murcon não desarma e ameaça, apelando ao contágio do pecado: “O mesmo programa será emitido no próximo Domingo. E, ao contrário do habitual, tenciono ouvi-lo. Para tentar perceber o que disse de herético, que gargalhada traduzia falta de respeito, quantas pessoas - católicas ou não... - ofendi.” A isto, só respondo: também eu, também eu, também eu. Tri-pecando. Porque, com esta corja, mais que papista, só apetece mesmo … pecar. Pelo menos, para evitar confusões de misturas. João Tunes

Odete disse...

Esta tertúlia está mesmo a ficar espectacular!
O comment do João Tunes está o máximo. Assino por baixo:)
Vai passar a ter mais ouvintes ( até eu que nunca o ouvia na rádio)
Diga lá que não está agradecido ao Papa? loooool

th disse...

Este o meu comentério a este postEu sou FÃ,já disse aqui algures e repito, sou fã do murcon, e não é por sermos os dois do Porto, sou e pronto e há muitos anos, sou fã do meu Julinho, e vi-o no último Domingo-e onde o viste th?-na RTPN, todos os Santos Domingos o vejo em " Estes Difíceis Amores", às 23h (JT desculpe a publicidade...lol) e nada de ciumes sr. JT que tb sou sua Fã e venho cá todos os dias, beijo...

jpt disse...

o que é um agnóstico, senhor professor? [confesso que nada me irrita tanto na blogosfera (essa tão repetida utopia comunitária) como este tratamento (único) que aqui lhe devotam - e não é o senhor professor que me irrita, entenda, aqui lhe presto vénia pelo blog quente (eu naõ o conheço da tv, é uma revelação), é a reverência que surge constante]. Desculpe o aparente acinte, que de acinte só poderá ter o aparente.

CC disse...

O Sr. PortoCroft sabe tanta coisa (sobre Portugal, as relações humanas, o sexo e o-modo-correcto-de-pensar-e-se-comportar) e desconhece as razões por que «a Igreja não aceita, ao menos, o aborto terapêutico? (e) não aceita então o uso de preservativo»?

Porque não se tenta informar, então? Porque não tem essas veleidades? Ocupa-lhe muito tempo? Ou será porque lhe é mais fácil pensar que um pensamento diferente do seu é uma asneira?

yulunga disse...

Lobices, o tio ou "tio" obviamente que vos é indiferente, mas se fores como eu, ávida de comunicar e partilhar, esse pequeno pormenor apeteceu-me confidenciar. Dr. Murcon com toda a certeza que vou exigir ao tio que venha dar uma vista de olhos por estas bandas.Portocroft, sobre a posição da Igreja em relação ao uso do preservativo, não dei a minha opinião. Apenas vesti o hábito e tentei ver as coisas pelo lado deles. E eu tenho a certeza absoluta que me entendeste.

yulunga disse...

Noiseformind, acredita que são palavras mágicas. Mas magia maior é quando essas palavras fluem de forma natural com aquela malicia saborosa

Anónimo disse...

"Mas, onde está a tolerância?" sr Portocroft! E o direito à indignação não é ceitável? ou só o será dentro do que é considerado actualmente "politicamente correcto" (a moda em todas as suas variáveis)?

Maite

lobices disse...

...to Noiseformind:
...dizes:
"...Pois pois pois Lobices, aí no campo todo bucólico mas depois quando toca a falar de amor, "amor" e ""amor"" destravas-te todo ; )...
...e não é bom ser destravado?...
LOL
abraço

PortoCroft disse...

CC,

Eu não sei de nada. Sou o mais absoluto básico. Coloco as minhas questões e procuro obter respostas para elas, simplesmente. O que será que o/a levou a pensar isso?

Quanto ao 'pensamento' da Igreja, é publico.

A questão é outra. A questão é que a Igreja continua a apresentar soluções do século XII no século XXI. Continua a tê-las como válidas, ignorando que muita água passou debaixo da ponte entretanto.

Não há-de ser a ultima vez que a própria Igreja reconhecerá erro nos seus dogmas.

Maité,

O direito à indignação é, evidentemente, aceitável. Mas, onde acaba um e começa o outro?

yulunga disse...

Portocroft, o que me levou a pensar que me entendia/as foi a forma como escreves. Se concordo ou não com a forma de pensar da igreja isso deixamos para segundas nupcias. Admitir erros? Este Papa já o fez e pediu desculpa. Não nesta situação paricular que comentamos (uso de preservativo), mas já é um bom começo. Alguém levantou o véu, os que vierem a seguir compete-lhes continuara o trabalho

PortoCroft disse...

'I'll be looking forward'(pelas segundas núpcias, claro).;)

CC disse...

Sr. PortoCroft,
quais são, então, as questões em que « a Igreja continua a apresentar soluções do século XII no século XXI»?

E, já agora, porquê?

Anónimo disse...

Gandas malucos:hoje chegaram ao
comentário nº 69...
matemática eloquente para o post original, que assim bate hoje o
record de fiéis devotos!

A fé alastra: um dia havemos de encher o estádio da LUZ, em concílio com o Pastor Júlio...

Circe,vossa companheira de romaria.

Azenhas disse...

BUUUUUUUUUUU.....

Haja decoro.

Ao menos na morte que haja decoro.

Isabel Silva disse...

Poder-se-ia pensar que não houve programa devido a alterações na programação para a cobertura dos acontecimentos relacionados com a morte do papa que ocorrera no dia anterior. Mas esta razão não pode ser invocada porque os programas que costumam ser transmitidos na manhã de domingo até ao meio-dia, não foram cancelados excepto “O Amor é” convenientemente substituído por um inócuo espaço musical.
Alguém decidiu que, no dia seguinte ao da morte do papa, estava fora de questão dar tempo de antena a um tal Júlio Machado Vaz, um sujeito que se ocupa de um tema tão pecaminoso e diabólico como a sexualidade e, como se isso não bastasse, ainda tem o imperdoável defeito de ser um incorrigível livre pensador que não se coíbe de criticar publicamente a santa e madre Igreja.
O que se passou no dia 03 de Abril é de uma extrema gravidade, por configurar um acto censório de todo inadmissível e intolerável num Estado de Direito Democrático, ainda para mais num órgão de comunicação social pertencente ao Estado, Estado esse que tem a obrigação constitucionalmente consagrada de zelar pela garantia de isenção e de liberdade de expressão nos órgãos sob a sua tutela. Volvidos 31 anos sobre o 25 de Abril de 1974, que devolveu as liberdades essenciais aos portugueses, nunca imaginei que um distinto cidadão como o Dr. Machado Vaz viesse a ser vítima da mordaça da censura. Machado Vaz não pede licença a ninguém para exprimir as suas ideias, atitude que muito aprecio e admiro e, por isso, tem toda a minha solidariedade sempre que for atingido por qualquer medida censória sejam quais forem as circunstâncias e as razões invocadas.
Oliveira Salazar morreu há 35 anos, mas as suas ideias continuam bem vivas nas mentes de muitos supostos bem pensantes. A censura salazarenta não morreu, continua a reinar entre nós.

Jose Ferreira disse...

Estou solidário consigo. Viva o 24,5 de Abril de 1974.
Não nos podemos rebaixar mais porque senão vêm-nos o "tutu". Que parece que é das coisas que a padralhada mais gosta. Pelo menos estão escondidos no Vaticano mas, com lugares de destaque. HIPÓCRITAS.

Anónimo disse...

Descobri agora o Murcon. Gostei de saber que existe. E encontrei algumas ideias que podem estimular (até sexualmente) um ser, mas tambem muito desconhecmento de alguns temas. Por exemplo alguem sabe o fundamento da a igreja não defender o uso de contraceptivos? que é uma coisa diferente da contracepção. Não custa nada tentar estudar...

J J R disse...

Recebe montes de emails mas eu não consigo o endereço!...