quinta-feira, abril 14, 2005

E depois dos triângulos?

"Então percebi que quem sobrevive a alguma coisa, não tem direito de formular uma acusação. Quem sobrevive a alguma coisa, ganhou o seu processo, não tem direito, nem razão para acusar alguém; era mais forte, mais astuto, mais agressivo". Sándor Márai, As velas ardem até ao fim.
Pois... Quantos de nós abdicam de choro, dedo, raiva ou indiferença acusadores? E sentimo-nos assim tão fortes por sobreviver ou apenas verificamos, surpreendidos e aliviados, que a "coisa" não nos destruiu?

132 comentários:

lobices disse...

...apenas verificamos Júlio, surpreendidos, que a "coisa" não nos destruíu...

Rosa disse...

Acredito que não nos acontece "coisa" alguma com a qual não estejamos preparados para lidar (ainda que possa parecer, à primeira vista, que o mundo vai acabar).
Por isso, em última instância, nenhuma "coisa" tem a capacidade de nos destruir.

Ps: Este blogue anda muito triangular... Mas antes isso que quadrado! :)

Anónimo disse...

Professor que maldade, afinal o senhor é um perverso. Quer-nos destruir pela exaustão :)

Maite

lobices disse...

"...Em cada relação que começa, a vida e o amor renascem. A paixão coloca cada pessoa num ponto alto e excepcional, inevitável e imperdível. Gostosamente. Mas as pessoas no seu melhor vêm depois, às vezes muito depois, quando se chora e luta, quando se aceita e se resiste, quando se constrói e quando se acredita. As verdadeiras relações, os grandes amores são sempre virtuais. Não por serem irreais, antes por serem imateriais, apesar de nos darem a ilusão de um corpo, de um suporte material que tocamos e possuímos, que acreditamos nosso, real, físico, material. Sentimos amor, quase conseguimos tocar, agarrar essa sensação. Dizemos convictos que é real. Olhamos o outro nos olhos e parece real, parece que o outro ali está e nos ama mais que nós... Mas ver, sentir, tocar, são formas de aceder ao amor, ascensores, facilitadores. Difícil mesmo é planar. As relações são feitas de ar, planar. É no vento que se ama. Talvez ser o próprio vento, e não a folha. Vê-se melhor o que é amar quando é difícil amar, aceitar que é sempre mais do que improvavelmente, um esforço, um desejo, um empenho pessoal em algo que materialmente não existe, não é palpável nem mesmo se sente. Nunca se ama realmente, a realidade do amor é nunca ser real. Virtual. No dia a dia, corpo a corpo, sonha-se o amor, sonha-se um amor virtual, que se não for virtual não é amor. Virtual porque não depende da presença do outro, da aparência do outro, do comportamento do outro. Um amar que perdura e se sustenta (Vento) mesmo quando não vemos o outro. Amar é memória, antecipação e crença profunda em memórias que hão-de vir. Virar a cara a quem nos vira a cara, sabemos todos que é real, bem concrecto, mas não é amar. Ama-se mesmo quem não nos ama e nos quer deixar. É na paciência, na persistência que se mede o amor. Amar é escolher amar. Depende de quem ama e não de quem é amado. Depende do esforço e disponibilidade de quem ama. Ninguém merece ser amado, porque ninguém pode deixar de merecer ser amado. Não depende do mérito, não depende do comportamento, não se vê nem se comprova. Posso ter que silenciar, posso ter de partir... vai comigo o amor..."
.
.
...o texto não é meu mas está no meu blog e tem autoria devidamente identificada...
...na medida em que me identifico na sua totalidade, aqui o explano

lu disse...

Segundo o catolicismo é a chamada alegria do perdão.

yulunga disse...

O que não nos destrui, fortalece-nos, mas antes desse fortalecimento se dar, andamos a bater mal e a experimentar uma amálgama de sentimentos.

Ale (mestressan) disse...

Sobreviver sempre nos faz mais forte, mas jamais deve nos tornar intocáveis a ponto de nos fazer achar que por tal fato tenhamos o direito de apontar! Cada "coisa" é uma "coisa" única e devemos ter o devido cuidado para que uma delas não nos destrua. A melhor forma de sobreviver é termos a consciência que sempre estamos aprendendo com a vida e jamais ensinando a viver, mesmo que porventura assim estivermos! (ALE)

yulunga disse...

Acho que nestas coisas de relações humanas e quando um elo se quebra ganha-se e perde-se na mesma proporção.

Ale (mestressan) disse...

A respeito deste comentário Yulunga sobre ganhar e perder:
Graças a Deus e a nós, seres humanos! (ALE)

lu disse...

Professor, já pensou em pôr um contador de pesoas online? Seria giro.

Mas, pensando bem,eu não concordo com o Sr Sándor Márai. Ser "mais forte, mais astuto, mais agressivo" pode não ser assim tão bom, e roubar a inocência e fazer sofrer é sempre digno de criar a acusação.

Ale (mestressan) disse...

A propósito novamente! Agora estou a sentir a falta de Portocroft! O que não significa que estou apaixonado por ele também...hehehe! Meu coração não concebe triângulos e atualmente está nas "jaulas" de Yulunga! ;-)

Ale (mestressan) disse...

Lu,

Nenhuma situação justifica a agressividade, apesar de ser algo ainda difícil em alguns casos, mas Jesus demostrou que é possível!

yulunga disse...

Ale, sentindo falta do Portocroft? Ocê é gaucho, guri? Boas blogadas a todos

Ale (mestressan) disse...

Yulunga,

Sou Cearense, terra de "cabra macho" Nordeste do Brasil...hehehe...não se preocupe! Você não se decepcionará comigo...hehehe! ;-) Um beijo e até amanhã!

Soneca disse...

Lu, o contador de visita está no uno da página. E regista quase 10.000 visitas em 17 dias (9900 desde 29 de Março para ser mais precisa!). Mas mais incrível é o nº de comentários por post... Cumprimentos

Anónimo disse...

Ganhar? Ganhar um processo?
Será necessário ganhar o q quer q seja para ter prazer em viver/amar?

Há q aguentar os regimes caóticos do entusiasmo amoroso - e tentar agradar e .., despretensiosa e novamente, tentar agradar.

Esoen

Calvin disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Calvin disse...

Se a coisa terminou é porque deu espaço a uma coisa melhor: Abençoado término. :o) A coisa nunca pode destruir: só a vontade em cada um de sofrê-la.

SonecasS disse...

ops: Fundo da página... obviamente!

PortoCroft disse...

Ah... Essa até eu sei... Essa é fácil 'fessôr... Se o traído(a) não descobrir que esposo(a) andou por mares nunca dantes navegados... Está sujeito a que o companheiro(a), nem que seja por acidente, um dia descubra o Brasil. ;)

Caso contrário, o ofensor da 'moral e bons costumes', acaba a cantar o 'E depois do Adeus...';)

Caramba Rosa, com um sorriso assim é impossível segurar o animal. :)

Ale (mestressan) disse...

Portocroft,

Ainda bem que já nasci no Brasil! ;-) Concordo contigo a respeito do Sorriso da Rosa!

andorinha disse...

E porque terão os triângulos que terminar?
Mas se terminam, concordo com o Lobices - verificamos, surpreendidos, que a "coisa" não nos destruíu.Não penso que as pessoas se sintam mais fortes por sobreviver, penso que será o contrário, ficará sempre o receio de uma nova "coisa" e a incerteza de se saber se se conseguirá sobreviver também a essa.

A Maite tem uma certa razão:))
Quer-nos destruir pela exaustão?
Quer ver até onde vai a nossa capacidade de resistência e argumentação?
Ai, ai:))))

andorinha disse...

Portocroft,

Sempre galanteador:)

andorinha disse...

Calvin,
Se a "coisa" terminou é porque deu espaço a uma "coisa" melhor.

Se fosse assim a vida seria um mar de rosas...

Ale (mestressan) disse...

Acho que se fosse assim a vida não seria um mar, mas um rio...como se uma coisa substituisse sempre a outra e nada teria raíz! Sou a favor das raízes no relacionamento, de construirmos "O Amor da nossa Vida"- Um dia encontro, tenho fé!

PortoCroft disse...

andorinha,

Nunca o disse, com tanta propriedade: O importante é a Rosa. ;)

lobices disse...

"...e porque as tuas flechas não foram ainda temperadas pelo fogo do destino, receio mais por ti agora do que quando te escudavas no ventre de tua mãe..."
...
(autoria desconhecida)

andorinha disse...

Ale,

O facto de uma coisa poder ser substituída por outra , não significa que não se criem raízes...

lobices disse...

...o nosso amigo Profe pode estar a testar a nossa capacidade de "argumentação"...ou não...
...mas, se estiver
...é malta...não nos podemos dar por vencidos!...
...é com prazer que vos vejo dardejar as palavras...

(o que é que quer dizer: dardejar?)

andorinha disse...

Portocroft,
Claro que sim. O importante são todas as Rosas deste mundo, concordas?

lobices disse...

...tendes razão...a Rosa tem um sorriso perfeito!... só gostava de lhe ver o olhar (era apenas para lhe ler a alma - manias minhas...)
:)

andorinha disse...

Lobices,

"...se estiver?".
Mas então nós estamos num exame?!

lobices disse...

...claro Andorinha: estes Psis são levados da breca!...

lobices disse...

(...bem...é que eu sei muito bem do que estou a falar) :)

PortoCroft disse...

andorinha,

Sem dúvida. Especialmente em decúbito sorridente. ;)

Lobices,

Eu, também gosto do 'olhos nos olhos'. São a janela da alma. O problema é que alguns têm persianas.

Pessoal, sinto falta da Elisa e do bordel alojado no seu coração. ;)

Raquel disse...

pois é crescer dói muito...:)

andorinha disse...

Portocroft,
Isto é um lugar-comum, mas lembra-te que todas as rosas têm espinhos!

Lobices,

Claro?....Lá por serem psis têm que nos estar sempre a examinar?
Então temos que ter mais cuidado com o que dizemos:)))

lobices disse...

...exacto...o Júlio está a examinar a maralha!...
LOL

PortoCroft disse...

Espinhos? Claro, andorinha.

E não te preocupes com os 'psis', o máximo que te podem fazer é catalogar e pôr a prozac. ;)

Ale (mestressan) disse...

Andorinha,

Mas da forma que foi exposta, entende-se que sempre se faz substituições! Como enraizar algo que não para? Raiz depende de tempo e de convivência, e se é sempre substituido, logo não enrraiza! Beijo (ALE)

andorinha disse...

Portocroft,

Sabes o que é feito do Noise?
Já nem responde às minhas provocações...:((

circe disse...

Assim como assim, é preferível um
triângulo a um círculo fechado!

E porque é que a "coisa" não nos
destrói? Porque o SER é muito mais
importante que o TER; deixas de ter
(uma relação) em que investiste o
capital todo e ficas teso, tinhas
expectativas no investimento,claro.

Nunca percebi porque é que eu me sentia VAZIA por ter amado tanto e
não sentir o retorno...até que concluí que o Amor está dentro de nós - quanto mais dás,mais recebes
pois a recompensa do amor é...o Amor himself.
Se não andarmos à procura do que nos falta no outro, não vamos cobrar - o outro é tão incompleto
como eu, admitindo-o torna-nos mais
livres.
Bolas, não tenho mesmo jeito para
me expressar - mas o Lobices disse
tudo (leiam de novo).Obrigada pela
sintonância, Lobito!

PortoCroft disse...

andorinha,

Não. Não sei. Acho que comentou hoje de manhã cedo mas depois... já não deu sinal de vida.

Bárbara Vale-Frias disse...

Mas a "coisa" destrói... ou, pelo contrário, fortalece? ;)

Anónimo disse...

Ó Kocas,
O que não mata, engorda...

circe disse...

E tem outra vantagem:
Não passarás pela angústia da separação!

Podes admirar as sereias à vontade
- mas assegura-te de que estás bem
preso ao barco...

sotavento disse...

SPOOOOOOOOOOOORTING!... :)

(Nota: sou Benfiquista!...)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
stella_matutina disse...

Depois não sei...desconfio que quem mais amou (?) tem de renascer das cinzas, qual fénix...mas se tiver a "coragem" de o viver que sinta que foi infinito enquanto durou...como diria Vinicius.
Os amores são de facto, às vezes, mui complicados...já agora, eu gostava que se falasse dos motivos que levam a que surja um triângulo...

Lucília disse...

O Prof desculpará,mas este Sándor Márai deve ser tonto!
Digo eu...que já sobrevivi a muito,e sim,estou de dedo acusador!!
Boa noite

circe disse...

Bingo, Amok_she!
Juro-te: sem "ar irónico".

Enfatizamos a traição, o ciúme,
a POSSE, o desencanto, e netc...
como se os tais tri-ângulos se desenhassem só pelo sexo. Ora, se fosse essencialmente isso...
nem seria tão longa esta discussão.

Intimidade, pois, apanhaste a onda
rapariga! Vocês ajudam-me bastante,canudo, eu sou gaga a escrever.

AJFRM disse...

"Quem sobrevive a alguma coisa, ganhou o seu processo, não tem direito, nem razão para acusar alguém; era mais forte, mais astuto, mais agressivo"

Quem assim fala não não sofreu.
Pode ser que sim, que alguns passem por situações, e se sintam sobreviventes com estas caracteristicas. mas são uns sobreviventes inconscientes do que passaram, pelo que passaram.
Pois muito dificilmente alguém passa por lá sem deixar algumas penas!
Ou ainda... é uma boa maneira de pôr uma máscara, para obviar ao que vai na alma, e fazer acreditar aos outros e sobretudo a si próprio que é um vencedor. como tal não um sofredor.
Auto ilusões, realidades distorcidas...
Desconfio sempre de quem demonstra tanta magnanimidade, pois sim...

Calvin disse...

Pegando no que a amok_she disse a propósito da motivação para que surja um triângulo, o Princípio de Okham (tradução selvaticamente livre de Okham's Razor) diz que a explicação mais simples para um fenómemo tende a ser a mais correcta. O triângulo não surgirá porque alguém quer mudar mas tem medo de ficar com os pés frios?

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
OrCa disse...

Um triângulo não me parece ser mais do que uma linha recta que teve um soluço... que talvez possa ir da simples contracção do diafragma ao arroto profundo e azul. E daí a origem dos equiláteros, dos isósceles e dos escalenos, se a memória não me atraiçoa.

AJFRM disse...

Continuando na minha inconveniente ignorância (por aqui, et ailleurs, venho ver se a diluo) a mandar bitaites para o ar ;
continuo sem perceber como alguém depois de 'triangulações' e mais, pode achar-se , sentir-se 'mais' em algo do que os outros?
se calhar ainda não sofri o suficiente, para o perceber...
ainda não sou um sobrevivente/vencedor.
E esta hein?
é que essa história de ter que sofrer para ser merecedor de algo, ser reconhecido por, nunca fez meu género.
não gosto, e agora?
terei que sofrer pois.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Calvin disse...

amok_she, essa estratégia das palas é sobejamente utilizada... :o)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
PortoCroft disse...

Resto de boa noite para todos. E, ainda em relação ao 'post', uma última achega.

Ave Dolorosa

Ave perdida para sempre - crença
Perdida - segue a trilha que te traça
O Destino, ave negra da Desgraça,
Gêmea da Mágoa e núncia da Descrença!

Dos sonhos meus na Catedral imensa
Que nunca pouses. Lá, na névoa baça
Onde o teu vulto lúrido esvoaça,
Seja-te a vida uma agonia intensa!
Vives de crenças mortas e te nutres,
Empenhada na sanha dos abutres,
Num desespero rábido, assassino...

E hás-de tombar um dia em mágoas lentas,
Negrejadas das asas lutulentas
Que te emprestar o corvo do Destino!

(Augusto dos Anjos)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
circe disse...

Amigos, não se esgadanhem!
Nestas situações, ou melhor, ao sair destas situações não há vencedores nem vencidos - apenas
perdedores...

Elsa disse...

Diz o povo que pelo menos se ganha experiência ou sabedoria! Aqui tenho as minhas dúvidas, como cada caso é um caso, nada daquilo que vivemos pode chegar a repetir-se, com a agravante que cada vez temos é mais medo!

É muito difícil não contruir a nossa felicidade em cima da felicidade alheia, todos nós temos e tivemos amores que ainda nos querem e que ao seguirmos em outra direcção, lhes causamos dor e sofrimento.
Aqui não há vitórias nem derrotas! Há apenas uma opção que foi tomada.
Se isso deixou mais forte quem ficou para trás,volto a dizer: tenho grandes dúvidas...muito grandes mesmo...

noiseformind disse...

Depois do êxtase de ouvir e perseguir Lou Reed por um autógrafo, o lamento por matar o gato ao entrar pela casa adentro. Lembrou-se de adormecer contra a porta, quando a abri voou disparado contra a esquina de um móvel, nunca mais se mexeu o coitado, amanhã far-lhe-ei ritos fúnebres pela manhã, o velório será pouco participado, dado que a essa hora os cães ainda estão a dormir e não há registo de grande simpatia por ele.

Obrigado por notarem a minha ausência por aqui Portocroft e Andorinha, mas a participação hora-a-hora num blog não se compadece com a entrada hora-a-hora pela porta do consultório de actuais e futuros pacientes. Daí que entre profissão/vocação e Éme, por maior que seja a tentação, não há muito a fazer: ))))))

A posta:

Umas das discussões mais actuais entre os psis deste mundo é a questão da “inocência” na relação. A certa altura o debate tornou-se ensurdecedor entre duas correntes principais e uma conciliadora. Por um lado estão aqueles que dizem que a inocência advém de uma falha implícita da relação, um ponto cinzento em que uma das partes não compreende verdadeiramente a outra e portanto não pode compreender as suas reacções. Outra corrente que diz que a partir do momento em que uma das partes mente então tudo fará para dissimular as suas atitudes e portanto a parte enganada não terá culpas nenhumas no confessionário do terapeuta. A corrente alternativa a estas duas é a típica corrente chamada bissexual: dá para os dois lados e estatisticamente não é verificável.

A minha opinião, pessoal e de participante em alguns triângulos como amante de alguém com um namoro: o sexo é bom, pode-se ter uma relação muito completa, mas se da nossa parte não existir disponibilidade para a progressão para preencher o espaço que permitiu ao affair começar então a mulher optará, em qualquer crise da relação, por se cingir ao seu “mais-que-tudo”, dado que com ele, pela presença constante, tem pelo menos a esperança de reformatar os enunciados. Quando o “outro” descobre… bem… do que me tem acontecido, há um momento de bravata típico, aquele em que vêm a correr até ao meu consultório ou até minha casa, depois de um murro ou outro lá acalmam, fica-lhes o sofrimento passageiro mas poucas semanas medeiam entre a dor lancinante e usarem a sua estória triste para novos relacionamentos. Imagino que tenha havido um ou outro que tenha sofrido mais mas isso deveu-se acima de tudo a expectativas matrimoniais frustradas, e já sei o que vais dizer Éme, dizes-lo em quase todos os “sexualidades”: as pessoas têm o direito a terem expectativas. Pois… lá está… a inocência, será que as pessoas têm o direito a viver com alguém e terem esse buraco negro no campo de visão da personalidade da parceira? Terão, a relação é isso mesmo, o compromisso, dir-nos-á aqui a Amok_she, a Lyra ou qualquer outro embaixador do amor romântico. Mas esse direito À expectativa choca com o direito fundamental que também apregoamos como pão-para-a-boca: a tua liberdade acaba onde começa a minha. E esta ideia de casal como “projecto”, quando o projecto não é assumido em partes iguais, caminha, mesmo que inconscientemente, para o desastre.

A minha opinião, de profissional do meio: à medida que as mulheres ganham cada vez mais auto-suficiência emocional, À medida que o stock de mulheres casadoiras e super-optimistas em relação a fazerem todas as tarefas domésticas em troca de uma “pequena ajuda” masculina se vai esgotando, exigindo aos homens mais reciprocidade nos espaços sociais diversos dos diferentes tipos de relação enquadrados na sociedade, cada vez mais os homens ficam inseguros em relação à traição. É que estas mulheres já não lhes querem agradar só a eles, oh, traição suprema, estas mulheres querem mesmo é agradarem-se a si próprias, sabem o que querem na cama e exigem-lhes isso, quando o sexo não corre como elas esperavam dizem-no despertando neles a angustia da traição ainda antes dos indícios, daí a paranóia da infidelidade estar a disparar nos homens. A minha mensagem de solidariedade para com os meus pares? Homens, habituem-se, dominaram o mundo durante 7000 anos e o resultado… bem… o resultado foi uma desgraça, habituem-se à mó de baixo e à insegurança, a Nova Vaga vem aí…

Meus caros, tenham muito prazer esta noite, eu vou re-escutar a gravação que fiz do concerto, viva o Minidisc, por nos permitir ter no bolso um estúdio de gravação digital!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Peter

sotavento disse...

Bom dia!...
Será que se percebeu que gritei Sporting, sendo eu do Benfica? Poderá isso ser considerado um triângulo?!... :)

Anónimo disse...

Amok_she e o que é um triângulo a não ser um embuste? Alguém que não prescinde do conforto do lar (ou de qualquer outro) e não tem a coragem de romper completamente com ele, não por um acto de humanidade, mas por puro egoismo e egocentrismo.
Confundir "sexo livre com promiscuidade"? somos lá pessoas de fazer isso!!!! E a promiscuidade emocional não será tão degradante como a sexual?

Ninguém é perfeito! (diz alguém) Caramba!!! Mas temos toda a liberdade de o ser.

Bom dia

Maite

yulunga disse...

Noise não existe paranoia alguma sobre a infidelidade praticada na maioria das vezes pelos homens. Sabemos que é uma questão natural, fisica, animalesca, instintiva e irracional, mas vocês também pensam por vezes ou não?
Existem homens que se dizem fieis, assumem e praticam. Existem outros que não são, admitem e são como os chineses: tudo o que mexe, come-se!
A paranoia acho que está na não compreensão do que se lê; uma boa maioria dos homens neste tipo de conversas (blog, chat, forum, mesas de café, etc.)fala bonito, tão bonito que nos deixa a pensar: porque só a mim não me calha um bacano assim?
Dizem eles:
A mulher é o ser msis lindo do mundo.
Quem magoa os sentimentos duma mulher merece sofrer.
A ti mulher te dedico este poema: blá, blá, blá...
...E quando tu me faltares, eu...
Pronto todas aquelas barbaridades que se lê, e que eu não tenho o mesmo jeito que vós para escrever.
Meus amigos das duas um.
Ou vocês se assumem e dizem: Minha amiga cá comigo é assim, sexo é sexo, sexualidade é uma treta e sentimentos fiquem vocês com eles.
Ou então concretizam todas essas mentiras que apregoam aos sete ventos.

yulunga disse...

E antes que venham as pedradas, um esclarecimento: Não sou feminista!!!
Sou curiosa, gosto de fazer perguntas e na medida do possivel obter respostas.

j disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Outra coisa que não entendo é porque motivo a traição cometida por parte dos homens é sinal de masculinidade e por parte des mulheres é sinal de leviandade. Porque têm as mulheres que perdoar e os homens... bem... cai o Carmo e a Trindade

j disse...

A propósito de triângulos, não me sai da cabeça o Pitágoras. O quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadrados dos catetos. Donde se deduz que o resultado é sempre maior que a soma das partes...
Quanto a mim, ainda não consegui tirar conclusões. Continuo a "mastigar" as premissas, com a dúvida de que o silogismo não terá mesmo conclusão...

yulunga disse...

Essa do silogismo é engraçada. Pode-se obter uma conclusão errada a partir de premissas certas. Já fizeste esse exercicio?

sofia disse...

Maite: Quantas vezes, não exercemos o nosso direito a qualquer liberdade, porque, simplesmente, somos humanos e erramos...? Eu tinha a mesma opinião - exactamente a mesma - que a Maite. E já não tenho... :)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lena disse...

fiéis são os cães e eu prefiro gatos! :D

também eu gritei Sporting e sou Benfica >8)

também eu faço parte de um triângulo e tou na maior O:)




tadinho do gato do noise
:((

jotakapa disse...

Passamos uns dias longe daqui, e somos surpreendidos com textos triangulares que potenciam estes comentários em crescimento exponencial!

Nem consigo ler os comentários todos, tantos que eles são.

Os triângulos andam por aí e nem devemos surpreender por existirem: basta olhar para literatura ou o cinema e ver como é tema recorrente. E qualquer obra por muita ficção que seja tem sempre algo de autobiográfico (vivido ou presenciado).

Pode amar-se duas pessoas em simultâneo? Sim e não! Podemos amar várias pessoas, mas decerto que de forma diferente cada uma dela!

E como se sobrevive aos triângulos? Não sei, há quem sobreviva anos a fio, bem ou mal, mas também há quem não aguente. Há os que não aguentam a falta, quem não aguente a partilha, quem não aguente dividir-se, quem não aguente a mentira, quem não aguente a indiferença... etc...

Cada caso é um caso (ou vários em simultâneo) e acho que não existe razão que possa ditar regras, porque nestas coisa o coração (e o corpo) conseguem ser mais forte que a tal "razão".
E essa "razão" muitas vezes é quase só um juízo de valor que se faz.

Depois dos triângulos, ou de outras "coisas" más, muitas vezes descobrimos que podemos sempre ver as coisas de forma diferente um dia. E que hoje é mau pode ser bom um dia, e vice-versa.

E fica tanto por dizer... muito mais haveria a dizer dos triângulos, e de outras formas geométricas! Se os ditos "amantes" forem ambos casados, será que estamos a falar de um quadrado ou rectângulo?

lena disse...

acho que sim, jotakapa :)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lobices disse...

...bom dia à tutti!...
...após a minha habitual caminhada, hoje com um pouco de sol à mistura e um Black sempre uns passos à frente, olhando de soslaio porque o seu único olhito a isso o obriga (é interessante ver a nova forma de olhar do animal), eis que chego a este meu canto (de porta aberta virada a sul e o ar puro dos meus quintais a invadirem o ambiente sereno que me cerca) e me deparo, ao abrir o blog do nosso amigo Profe com uma série de "novas" considerações triangulares...
...de repente, lembrei-me do jogo ontem do Sporting... belo jogo, por sinal e graças a umas belas triangulações o resultado ficou à vista...
...a seguir, deliciei-me com as palavras do nosso amigo Noise (um dos membros deste indefeso núcleo duro...) e invejoso por ele ter estado no concerto e eu não... reduzi a minha actividade neuronal ontem à noite a ver o Sporting, a ver a série Sem Rasto e depois a séria Miami SCI...
...aprendi que a inalação de gases combustíveis podem ser indendiados pelo simples acender de um isqueiro e, pior, pelo atender um telemóvel...
...enfim, o que se aprende a ver estas coisas... tinha, antes,m espreitado também o nosso amigo Sócrates que fez um discurso calmo e depois verifiquei também que os comentadores todos estavam, no grosso, de acordo com ele...
...coisas de politiquices
...porém, aqui fala-se de triângulos e esquece-se dos quadrados!...
...quando se chega àquele momento em que um triângulo não é sofrimento e passa a ser vingança pela entrada de um quarto elemento
...diria que amor com amor se paga ou que traição com traição se paga
...é sempre o Amor que perde; mais ninguém perde; mas há quem sofra mas também há quem não sofra...
...porém mantenho a minha frase inicial: a "coisa" não nos destrói
...abala-nos talvez e a estrutura do prédio JAMAIS será a mesma...
...por isso, deve haver algures uma receita; aliás, existe uma receita mas nem todos gostam do resultado final desse receituário
...deixar o Amor seguir os seus caminhos sem nos preocuparmos com eles (caminhos) e nos centrarmos apenas e tão somente no caminhar
...uma relação constrói-se sobre pilares inseguros e é cimentando-o com camadas de atenção e cores garridas de tudo o que haja para deitarmos a mão; preencher os espaços vazios e, principalmente, sabermos o momento certo para não estragar a pintura; quando tal surgir, sabermos enfrentar o dano e sabermos adquirir novas formas de reconstruir outro prédio com a certeza de que aquele jamais será possível remendar...
...a um, ou duetos, ou tercetos, ou quartetos (ou ainda mais), haverá sempre e o Homem é um ser relacional, comunicativo, mas acima de tudo ainda com um enorme instinto animal de predador, de caça, de conquista...
...e isto já se aplica a ambos os sexos; nunca se esqueçam das fêmeas que caçam para alimentar as suas proles... aquele instinto também existe na Mulher...
...amem o mais que puderem
...saibam entender o que tem de ser entendido e compreender que SER é mais importante que TER...
...permitir fluir e deixar voar é a atitude mais nobre que existe e a mais profunda prova de amor que se pode dar ao ser que amámos...
...amem porque há quem vos ame

sofia disse...

Amok_she: Acho que faz todo o sentido, o que defende. Concordo com o que diz. Mas não acho que se deva generalizar o que sentimos. Podem, de facto, existir pessoas fiéis, não porque as normas sociais o impõem, mas porque essas pessoas o querem genuinamente. A "mais rematada mentira", não o é para toda a gente. :)

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Bom Dia Professor,
Por vezes, quando escrevo. Penso, que o que escrevemos nos nossos blogues, tem concerteza matéria de sobra, para uma tese sobre o assunto.
Depois surge o Senhor por aqui e penso, eu... "Deixa cá ver, o que é que pensa, disto, ou daquilo..."
Pensei que viria ler, respostas... Mas, não. O Senhor, enche-nos de perguntas, de questões e mais "macacos" para desmistificar... E em meia duzia de linhas... consegue-o, lindamente...

Auto-análise...
Partilhas

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
lobices disse...

...claro...mas eu já o afirmei mais que uma vez: o nosso amigo Profe está a analisar...
...às tantas anda por aí a preparar uma nova tese para defender...
LOL
...
(e o que ele não se divertirá!...)
...

Anónimo disse...

Olá a todos
Estou perplexa, lixada, furiosa e se calhar outras coisas que nem eu própria ainda consegui defenir
Só hoje quando recebi um requerimento por mail apresentado pelo deputado João Teixeira Lopes ao Ministro Augusto Santos Silva me apercebi que o programa do Prof de Domingo tinha mesmo sido censurado.
Confesso a minha distração pensei não ter havido por questões de programação que jáacho grave sem qualquer explicação aos ouvintes, mas censura? Em que país estamos? que é feito do Estado Democrático?
A Administração da Antena 1 tem medo do quê?
Então e aqui no blog isso não é falado ou estou tão apressada que não dei por isso
Então é só dizer Júlio és o máior e não se protesta? Que pensam disto os amigos do Murcon?
Teresa

yulunga disse...

Lobices, o Ale escreveu no blog dele o seguinte: "ele joga o arroz e nós os pombos brigamos por um grão enaquanto ele apenas nos observa". O que partilhamos meu Deus. Mais um para a lama... :-)

yulunga disse...

Onde anda o Noise, o Ale, o Portocroft, as meninas do nucleo femea e todos os habituais?

Sofia disse...

Bom dia Senhor Professor Júlio Machado Vaz,

o que entendo do seu "post", e desculpe se não percebo nada disto, é que se alguém já esteve caído e se conseguiu levantar, com ou sem ajuda, aprendeu! Não sei se ficou mais agressivo, talvez!, mas mais compreensivo também. Como disse, soberbamente, Gabriel garcia Marquéz: "He aprendido que un hombre sólo tiene derecho a mirar a otro hacia abajo, cuando ha de ayudarle a levantarse".
Pois...
Um abraço,
MSR
P.S. para a Teresa:

estou consigo!

sofia disse...

Nem eu, Amok_she, me referia à fidelidade. Apesar de estarmos no mesmo barco :), continuo a achar que há "estórias" que acabam aí. A fidelidade, pode não ser uma opção. Pode ser apenas uma consequência natural. A infidelidade, idem. O que me parece, é que existe, por vezes, uma tendência para desculpabilizar a infidelidade com argumentações do género "As pessoas que optam pela fidelidade (pura e dura), são pessoas pouco criticas...". Ser fiel a outrém, vai, muitas vezes, contra vontades ou desejos. Mas pode não ir. Pode ter-se a convicção de se estar numa relação, na qual não temos tudo o que queremos, e mesmo assim, ter o suficiente. O necessário. Não o óptimo, mas o bom. Não achas? :)

Anónimo disse...

Amok, afinal não estou sozinha, Graças a Deus!
"Os triângulos não se procuram... Acontecem!... E quando nos vimos metidos num não há forma de lá sair sem se sofrer e muito!, Assim como não há forma de lá permanecersem se sofrer e muito... E essa dor toca, de igual forma, no que toca à intensidade, a todos os vértices!"
E não seria capaz de o descrever melhor e, no entanto, já passei pela "fase" do "felizes para sempre" até um dia acontecer... E a cabeça por vezes dá voltas e quantas mais voltas dá mais se embrenha na dúvida... Sou feliz e pronto!

Katz

yulunga disse...

Claro que os triãngulos acontecem, mas também convem sair-se deles o mais rápido possivel ou não? Mas também há quem os procure. E é uma opção desde que todos estejam de acordo. O encobrimento é que me parece injustificavel.

noiseformind disse...

Lobices, se gostas de CSI podes fazer a busca "CSI Miami L T" no emule que aparece o meu servidor com todos os episódios da série nos diversos estados em que é filmada:))))))) está online 24 horas por isso podes tirar à vontade

Yulunga, o pessoal tá numa de relax, as condições de trabalho aqui são péssimas, péssimo ordenado. Fogo, até para um comentáriozito numa revista me pagaram, e para as dezenas de linhas que já levo aqui tou como o outro: NEM UM PREGO NO PÃO loooooool

Tenho de me sindicalizar:))))))))

A amok_she diz que não disse, e eu detesto essas pequenas mentiras de polichinelo. Na discussão do post sobre o poema dos triângulos ela diz que ficou sensibilizada por que quando o pai do Éme queria sair de um sítio ela rapidamente tratava de tudo para voltarem para casa. Imagino que seja isto que fazes com marido e amante: quando um quer, o outro geme de fome...

Aliás, até hoje nunca conheci um affair que não passa-se por expectativa de melhor sexo face ao amante, por isso ouvir estas cenas pink da Amok, da sofia, da Katz e da Maite é uma coisa que para mim, tirando o drama de viverem a sua vida com um filtro rosa que as impede de apreender a realidade, é apenas e só divertido.

Nem todas as procuras são conscientes minhas caras, e muitas vezes somos procurados. Muita mulher satisfeita na relação de repente fica insatisfeita pq o amante surge e na ânsia da conquista lhe atira com todo um conjunto de argumentos, que o marido, por achar já não estar em competição, não pretende dirimir.

Mas pronto, bons casos para todos nós aqui presentes:)))))))9

Laura, pois é, o bichaninho tinha a mania, e eu esqueci-me que ele podia tar ali. Mas já várias amigas ofereceram gatinhos de substituição, estou em fase de selecção de cores para ver qual deles fica melhor com a cor dos cortinados e dos sofás da sala looooooool loooooooool looooooooool loooooooooool looooooooool

Imagino que os encontros da Amol_she com o amante sejam longas dissertações sobre Proust, tal a pureza desse segundo amor. Amok, eu sou um tipo azarado, sempre apanhei umas "matulonas" que mal entravam no carro ou eu no delas diziam "vamos para o hotel"... péssima ideia, passar a tarde a ter orgasmos... péssima e melífula ideia;)))))))))))))

lobices disse...

...transcrevo email recebido de
isabelsilva_lisboa@hotamil.com


MACHADO VAZ CENSURADO NA RÁDIO DO ESTADO



No passado dia 03 de Abril, como aliás acontece todos os domingos, tinha a telefonia ligada na Antena 1 para ouvir o programa “O Amor é”, de Júlio Machado Vaz. Mas para minha grande surpresa e espanto, o programa que fora gravado na quarta-feira anterior, não foi emitido, e sem que fosse dada nenhuma explicação aos ouvintes. Poder-se-ia pensar que não houve programa devido a alterações na programação para a cobertura dos acontecimentos relacionados com a morte do papa que ocorrera no dia anterior. Mas esta razão não pode ser invocada porque os programas que costumam ser transmitidos na manhã de domingo até ao meio-dia, não foram cancelados excepto “O Amor é” convenientemente substituído por um inócuo espaço musical. Por isso interroguei-me se nessa gravação haviam sido abordados alguns dos pontos em que Karol Wojtyla fora mais intransigente como a contracepção, a interrupção voluntária da gravidez, o divórcio, a homossexualidade, o celibato do clero e o magistério ordenado feminino.

Mas Machado Vaz prontificou-se a esclarecer que nesse programa não havia feito quaisquer referências críticas ao papa e à Igreja Católica e que o tema do programa era algo tão singelo como “as mentiras no amor” acrescentando que não foi informado da súbita e inesperada sonegação do seu programa na emissão da Antena 1. Passo a citar a mensagem que colocou no seu blogue Murcon (http://murcon.blogspot.com/) sugestivamente intitulado "Mais papistas do que o Papa?":



«A Antena 1 decidiu não pôr no ar O Amor É... de Domingo passado. Sem me dar qualquer explicação ou - bem mais importante! - aos ouvintes. O resultado aí está: fui inundado por mails a protestar, alguns falando em eventual censura, outros a verberar o ridículo da atitude. Trata-se de um episódio triste e surpreendente, devo confessar. Até por traduzir uma ideia "medieval" sobre os católicos: alguém acredita que se sentiriam chocados por eu abordar "as mentiras no amor" no dia seguinte à morte do Papa? Ou será que o programa nem sequer foi ouvido e se lhe receou o estilo, habitualmente descontraído? O mesmo programa será emitido no próximo Domingo. E, ao contrário do habitual, tenciono ouvi-lo. Para tentar perceber o que disse de herético, que gargalhada traduzia falta de respeito, quantas pessoas - católicas ou não... - ofendi.
Perdoem a frase num agnóstico - Por amor de Deus! » (Júlio Machado Vaz, em 05Abr2005).



Alguém decidiu que, no dia seguinte ao da morte do papa, estava fora de questão dar tempo de antena a um tal Júlio Machado Vaz, um sujeito que se ocupa de um tema tão pecaminoso e diabólico como a sexualidade e, como se isso não bastasse, ainda tem o imperdoável defeito de ser um incorrigível livre pensador que não se coíbe de criticar publicamente a santa e madre Igreja.

O que se passou no dia 03 de Abril é de uma extrema gravidade, por configurar um acto censório de todo inadmissível e intolerável num Estado de Direito Democrático, ainda para mais num órgão de comunicação social pertencente ao Estado, Estado esse que tem a obrigação constitucionalmente consagrada de zelar pela garantia de isenção e de liberdade de expressão nos órgãos sob a sua tutela. Volvidos 31 anos sobre o 25 de Abril de 1974, que devolveu as liberdades essenciais aos portugueses, nunca imaginei que um distinto cidadão como o Dr. Machado Vaz viesse a ser vítima da mordaça da censura. Machado Vaz não pede licença a ninguém para exprimir as suas ideias, atitude que muito aprecio e admiro e, por isso, tem toda a minha solidariedade sempre que for atingido por qualquer medida censória sejam quais forem as circunstâncias e as razões invocadas.

Oliveira Salazar morreu há 35 anos, mas as suas ideias continuam bem vivas nas mentes de muitos supostos bem pensantes. A censura salazarenta não morreu, continua a reinar entre nós.



Isabel Silva,

Ale (mestressan) disse...

Bom dia Yulunga! A prop[osito estava eu a fazer o mesmo que fizeste comigo ontem, me fizeste sentir saudade...demorei propositalmente para verse lembravas de mim! hehehehe...Estou aqui, porém gostaria de pedir ao Prof que mudasse o assunto, estou farto de declarar sobre triängulos ou qualquer que seja o polígono formado pelas formas de adultério!

yulunga disse...

Ale de facto hoje sou eu que estou em pulgas. Este espaço vicia, mas todos temos as nossas ocupações e por vezes os horários não coincidem, o que é uma pena.
Todos bem juntinhos aqui no mesmo horário debaixo do mesmo "cobertor" e com a mesma disponibilidade sabia tão bem...

sofia disse...

Noiseformind: Nem tudo é o que parece... Apesar das coisas pink que digo, apreendi da vida mais do que deixo transparecer :). Apenas considero que, o que já me aconteceu não tem, obrigatóriamente, que acontecer a todos. E não deve ser catalogado como bom ou mau, frequente ou raro, correcto ou incorrecto. Só me insurjo quando vejo argumentos que apontam o dedo. Seja em que direcção for. Só isso :). E se não tinha conhecimento de nenhum affair com essas características... voilá! :)

sofia disse...

(Como é que me fui esquecer de comentar o post...??) Depois dos triângulos, nada será igual. Ou pior, ou melhor. Igual, não. Sempre com sofrimento. Provavelmente, algumas vezes a pensar "E se...?", depois de decidir quais os ângulos que ficam. Não destroi, não mata... mas pode moer.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Amok_she para mim, o filme que melhor traduz sexo, locura, paixão, amor tudo bem misturado e no estado mais puro e sem uma pedacito lapidado que seja: Império dos Sentidos.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

O Saraband não vi, mas como falaste de filmes, veio-me à ideia esse e deixei o meu parecer sobre filmes

Anónimo disse...

Depois da sacanice, traição ou ... chamem-lhe o que quiserem, dou por mim com uma manha nunca dantes experimentada – não gosto mais de mim assim, mas não tive outro jeito, já que há por aí amigos brasileiros.

Anónimo disse...

Ai, Ai Mr Noiseformind! Terei sentido aí um dedo apontado? Não se esqueça de que, ao apontar o dedo tem um outro a apontar directamente para si ;)). Com que então "cenas pink"??? Bom, lamento informá-lo mas, além de ter falado de alguma experiência tida, posso também garantir-lhe que as coisas não se resumiram nunca ao acto só e simples, felizmente houve toda uma troca de aprendizagem a todos os níveis de onde os intervenientes sairam mais ricos. Lamento que veja as coisas nessa perspectiva, e se acha que isso é uma "cena pink"... Pois então, prefiro uma "cena pink" do que a simples satisfação física e explosão hormonal....
Isso das matulonas não será de andar a mostrar as chaves do porsche a torto e a direito(?);)))

Fiquem bem!!!
Katz

noiseformind disse...

Looooooooooooool
Katz... se calhar... ; )))))))))
mas por acaso não é um Porsche, é um Honda S2000, mas como é preparado pela Porsche ás vezes elas confundem. Mas ando muita vez no 206 e a reacção é a mesma.

Amok_She, para desvalorizares os orgasmos de certeza que andas a ter menos que a quota que é tua por direito ; )))))))

yulunga disse...

Noise tu é esperto! Picas as mulheres todas a ver se as pões em ponto de rebuçado. E claro que para ti triângulos é pouco, querias mais algo... tipo... ECC

noiseformind disse...

yulunga, como qualquer bom habitante da Costa Oeste americana só tenho um método de análise da satisfação feminina: está desmaiada está satisfeita. Claro que não vale dar-lhe com um pau na cabeça, tem de ser por exaustão cerebral mesmo;)))))))))))))))))

Por isso é que estes triângulos, de tão sensaborões me parecem banais... não tenho culpa...;)))))

Bom fds, porta-te pessimamente

yulunga disse...

Noise olha "está desmaiada está satisfeita" LOL. Deliciei-me com esta. Bom fim de semana para ti e para os habitues.

Anónimo disse...

Amok_she ainda não conseguiu convencer-me (com tantos comentários sobre o asunto) que ama mesmo essas duas pessoas, porque sinceramente não consigo conceber isso. Só consigo conceber amar uma de cada vez. Eu não sou psi e por isso atrever-me-ia a dizer que apenas fiquei com a impressão que tem uma personalidade dúbia e mal resolvida. No seu triângulo, todos os vértices sabem que há o triângulo (estranha forma de a amar a deles!!) Ah! para não falar que só deve estar a falar do seu triângulo e que os outros vértices também tenham o seu triângulo (isto dá o quê?) Afinal eles também têm o seu direito a tê-lo.
E ainda falando deste assunto, o seu triângulo pode não ser banal para si, como para os que os têm o deles também não será banal para eles.
sr noiseformind você é o tipo de homem que um dia se vai cansar de triângulos e vai "arrumar-se" com a mulher mais conservadora que encontrar. Eu digo conservadora a nivel de ideias que agora você chama de "pink", mas uma mulher profissionalmente muito activa e independente. Há-as, sabe? Ah! :) e vou já antecipar-me antes que alguém diga que eu me estou a candidatar ao lugar. Informo, com grande pena minha lol, que já passei o prazo de validade do sr noiseformind. Ele é muito novo.
Sofia, quando eu disse que "temos toda a liberdade de sê-lo" não queria com isto dizer que o sejamos (que seria pretensão a mais) mas que deveriamos esforçar-nos por sê-lo.
sr portocroft, não me interprete mal. 1º porque não o considero um elefante e eu não sou nenhum nenúfar. Pelo exposto, esses não são os motivos óbvios.

Bom fim de semana para todos

Maite

yulunga disse...

Maité, deixa-os lá. Concebem triângulos quando são eles e mais duas. Quando são: ele e mais ela e mais outro e cara dos gemeos é igual à do padeiro...

Anónimo disse...

lol Yulunga

Bom fim de semana :)

Maite

noiseformind disse...

Maite, isto é coisa de se desejar a uma pessoa?

"sr noiseformind você é o tipo de homem que um dia se vai cansar de triângulos e vai "arrumar-se" com a mulher mais conservadora que encontrar. Eu digo conservadora a nivel de ideias que agora você chama de "pink", mas uma mulher profissionalmente muito activa e independente."

ai ai ai, isso não. Sim, gosto de mulheres independentes, confesso que nada me irrita mais do que ter de pagar uma conta com a sensação de que estou a fazer um "papel" social. As mulheres conservadoras são umas queridas, permitem longas conversas sobre o sexo que não fazem, sobre os amantes que não têm, sobre os amigos que abandonam para se dedicar ao Amor Maior. Mas para amigas minhas não... não vamos por aí.

Já pagar contas a amigas mais novas dependentes da mesada é diferente. Aliás, hoje vou jantar com algumas amigas e uma delas tem 14 anos, é óbvio que lhe vou abonar caso contrário só no jantar lá se ia o dinheiro do mês loooool

Quanto ao prazo de validade, eu pecador aqui me confesso humilde. Depois de ter tido a exp de uma jovem de 50 anos que entrou em paragem cardíaca a meio do coito fiquei traumatizado: passei a jogar apenas e só com a seleção de sub-25. Claro que se calhar estou a afastar o amor da minha vida, que pode ter 30 neste momento e esperar por mim languidamente, a sua alma gémea. Oh filha, mas que posso eu fazer???

Se bem que uma amiga minha que faz yoga e é de Leiria me diz que com ela eu levantava a "bandeira branca" na certa. Mas pronto... estou como S. Tobias looooooooool loooooooool looooooooooool loooooooooooool loooooooooooool loooooooooooool: só depois de ver o LOP e o Afixo é que compro essa!

: )))))))))))

noiseformind disse...

yulunga, nunca tive num triângulo de eu e mais duas. Normalmente o outro vértice tem sido sempre o namorado/esposo.

Agora se me falares em TRIOS (três pessoas na mesma cama) isso é outra história e sim, são uma das maiores invenções da sexualidade.

E não acho mal nenhum de um trio de uma mulher e dois homens, desde que sejam compatíveis. quantas vezes fui para esses trios sorridente e depois o outro desgraçado ou não se "animou" ou "desacrrilou" muito cedo e o trio rapidaemnte se tornou casal... ai ai ai... para a semana vou a Londres, se calhar o Portocroft vai investigar comigo essa coisa dos trios/triângulos

looooooooooooooooooooooooooooooool

circe disse...

e porque já é fim de semana para
aligeirar a "coisa", uma curta-metragem:

o NOISE, ganda maluco, encontra uma
moçoila com quem curtira anos antes
e propõe-lhe relembrar a curte.

Na boa, correm por um campo fora,
embriagados e soltos, na escura e
fresca erva se enrolam, se contorcem, se extasiam...até que ela OOOOOOOOOOOOOhhhhhhhhhhhh - e
desmaia.
NOISE estende-se orgulhoso ao lado
da moçoila desfalecida e exclama:
sou um gajo competente, uau!


Ela acorda e, meia zonza, diz:

Chiça, NOISE, este muro não estava
electrificado ´quando aqui estivemos da outra vez!!!!!!!!!!


looooool looooooooool looooooooooool loooooooooooooool

PortoCroft disse...

"sr portocroft, não me interprete mal. 1º porque não o considero um elefante e eu não sou nenhum nenúfar. Pelo exposto, esses não são os motivos óbvios."

Maite,

Eu sei quais são os motivos óbvios. Posso não ser um elefante mas, tenho a memória.

Quanto a não ser nenúfar... Carissíma amiga, há sempre duas versões de nós próprios... A nossa e a das outros. Ambas são válidas, embora possa nenhuma ser a correcta. Enquanto não tiver a oportunidade de verificar os contornos e a textura da folha, como o poderei saber? ;)

Bom fim-de-semana e...descalce o Sr., para não me estragar a alcatifa, sff.

Noiseformind,

Se estás a contar comigo para as apagar...Se calhar é melhor alugar um gerador. (Essa foi bem metida Circe) ;)

Anónimo disse...

Portocroft...ok, vou "descalçar o sr", porque longe de mim "estragar-lhe a alcatifa" :) mas insisto em tratá-lo por você (disso não abdico). Claro, há sempre a perspectiva que temos de nós próprios e a que os outros têm de nós e, sem dúvida, que diria, que 90% das vezes, não são coincidentes pelo facto de cada um de nós olhar os outros sob a perspectiva das suas, já vivenciadas, relações interpessoais.
sr noiseformind, se o meu mundo "pink" o faz rir, as suas ideias hard-core divertem-me muito mais.
É pena que, hoje em dia, as classes médias adoptem os comportamentos degradantes que algumas pessoas das ditas classes altas têm vindo a revelar ao longo dos séculos.

Maite

P.S. agora é mesmo o último comentário :))

PortoCroft disse...

"mas insisto em tratá-lo por você (disso não abdico)."

Maite
Ah!... Não abdica...Quem lhe garante que eu lho permitiria? ;)

Anónimo disse...

Tá a ver !!! Afinal conseguimos chegar a um acordo. Eu cedi um bocadinho e você cedeu um bocadinho ... e voilá :)

está decidido, tratamo-nos por você) :))

Maite

PortoCroft disse...

Maite,

Está combinado, titi. ;))

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
yulunga disse...

Noise, só vim emendar um erro:ECG e não ECC, mas acho que lá chegaste.

Katz disse...

Mr Noiseformind you're one of a kind!

(Já passei dos sub-25, já pago as minhas contas e não me encanto com hondas.... e nem os confundo com porsches! Acho que o meu clio ficaria tão danado comigo que de tantas vezes que já me deixou a pé, essa, seria com certeza a última! - Ainda não consegui ver o Woodsman!..... Estou danada!)

AJFRM disse...

"4) O privilégio de ouvir o Guilherme discutir arquitectura com o José Mateus. E perceber que a beleza e o talento, quando explicados por "gente como nós" e não parvalhões emproados, ficam ao alcance da compreensão de todos."

Certamente que não é, nem será, o intuito de JMV.
Mas que assenta que nem uma luva, qual bofetada de luva branca, ai isso assenta;
a muita gente (gente mesmo) que não se coíbe nos comentários a emendar e corrigir outros ( e de que maneira!),
sem terem a humildade e coragem de dar um passinho atrás e 'auto-mirarem-se' na atitude que estão a ter e moderarem-se.

Pois o facto de não concordar, não outorga o direito de sobranceriar.

Nem todos somos capazes do mesmo nível e rapidez de compreensão.

Crítica construtiva aceita-se e respeita-se.

Talvez esteja a caír em igual sarjeta.
Mas quem não se sente...

Anónimo disse...

Isto pode ser o que fica depois de um triângulo...

Súplica
Miguel Torga

Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.

amok_she disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.