sexta-feira, novembro 04, 2005

Ambivalência herética:).

Saí do concerto de Steve Vai com "mixed feelings". Devo dizer, antes de mais, que gostei do homem. Ao fim de 25 anos na estrada, o seu sorriso pareceu-me espontâneo e caloroso, a história deliciosa sobre o humor de Zappa não era de "plástico". Depois, a música: guardarei sempre esta recordação privilegiada, o pequeno conhecimento da sua obra não me preparara para um virtuosismo inacreditável. Ainda por cima, emoldurado por um conjunto de outros músicos excepcionais.
Como consegui, então, sair "dividido"? Por vezes senti que o rock perdia terreno face à técnica. O concerto foi longo, felizmente, duas horas e meia bem medidas. E até por isso, aqui e ali, achei que o referido virtuosismo se tornava um fim em si mesmo e não um meio, nada acrescentou à minha admiração por Vai saber que consegue tocar com a língua, por exemplo!Dei comigo a caminho de casa, feliz pelo privilégio de assistir ao espectáculo. Mas lamentando ser já tão tarde, apetecia-me ouvir um riff de Keith Richards ou as guitarras ingénuas dos Creedence Clearwater Revival. Uma palavra para a primeira parte: como em todo o concerto, os decibéis estavam demasiado à solta (digo eu, que sou velhinho!). Mas curti o grupo, tocava uma espécie de "hard-blues" muito fixes.
Entrei às nove e saí a caminho da uma. O silêncio no carro era ensurdecedor:)))))).

67 comentários:

Anónimo disse...

Sabe que fui pesquisar o Steve Vai?Por um lado pq passava na CM.Por outro pq li aqui que ia ver e fiquei curiosa.

Detestei :). Gabo-lhe os ouvidinhos.

Eu não devia dizer isto, mas sempre que fui à Casa da Música vi-o lá. Aqui em casa há quem devore o Barroco e eu, quando posso, vou atrás porque tb gosto das minhas barrocadas:)


OM

fora-de-lei disse...

"O silêncio no carro era ensurdecedor."

O culpado por esse "ruído" todo ainda é capaz de ser o gajo do Service-Marché de Évora... ;-))

ILCO disse...

O FDL FEZ-ME RIR...

EU ACHO QUE O CHEFE NÃO SE DEVIA QUEIXAR DO BARULHO, QUEM O MANDA METER-SE NELAS?

Julio Machado Vaz disse...

Fora-de-lei,
Esse não! Foi simpatiquíssimo e não me levou um tusto, é inocente:))))))))).

Manolo Heredia disse...

O "bichinho" do Rock é terrivel! roe até à morte!
Eu é que já não estou para apertos!

fora-de-lei disse...

Manolo Heredia 2:45 PM

"O 'bichinho' do Rock roe até à morte !"

E hoje em dia ainda R.O.I. mais... ;-))

Conselho disse...

Também estive lá e achei pena que o som do Eric Sardinas fosse demasiado alto para o RnB que ele tocava (enfim uma cedência ao showbiz). Houve lá uns N.Orleans blues que foram aplaudidos como espetáculo de circo musical o que "travou" um pouco o seu desenvolvimento. Gostei muito da virtuosidade e sinceridade do Steve Vai, embora também ache que lhe falta "punch and feeling".
Diferentemente do Prof. o meu problema não foi no carro, foi quando cheguei a casa o silêncio era suficientemente ensurdecedor para não me deixar dormir.

Loira disse...

Olá morena querida! Ainda bem que a encontro. O Bernardo está fora e não me apetecia nada jantar sozinha. Que tal irmos as duas jantar mais logo?

Morena disse...

Parece-me uma óptima ideia.
E quais são as opções?

Anónimo disse...

Se o do Service-Maché não é o culpado quem será?
Meus amigos: andará Mouro na costa?
Que é como quem diz MOURA????????????????????

Loira disse...

Dahhh... Sim ou não

Julio Machado Vaz disse...

Conselho,
O meu problema também continuou em casa:)))).

fora-de-lei disse...

Julio Machado Vaz 3:19 PM

"O meu problema também continuou em casa."

Será que desta vez o objecto da ilusão é o silêncio e não o óleo e, em vez da vareta, foram os seus tímpanos que se "encarniçaram" ?

Se eu fosse um mecânico alentejano, talvez fosse capaz de o tornar a ajudar. Mas desta vez, a minha "consulta" já não seria grátis... ;-))

amok_she disse...

Mas desta vez, a minha "consulta" já não seria grátis... ;-))

...vê-se mesmo q és um fora-de-lei! :->...aqui toda a gente dá tudo de borla!...e consultas, então, nem te digo, nem te conto...:->

fora-de-lei disse...

amok_she 3:48 PM

Um dos nossos "virtuosos" do neo-liberalismo, muito bem com Deus no seu catolicismo arreigado, escreveu um dia um livro com o título "Não há almoços grátis".

Eu, um dia destes - pouco virtuoso e com uma dificuldade enorme na relação com Deus - escreverei o livro "Não há consultas grátis".

E tu poderás formular o prefácio, se não estiveres com o amok... ;-))

amok_she disse...

...como, homem, como faria eu isso...se sou uma - virtuosa!:-> - defensora...das borlas!???

fora-de-lei disse...

amok_she 4:01 PM

Agora é que tu me lixate. É que - muito sinceramente - não sei quanto te hei-de levar por uma resposta... ;-))

amok_she disse...

...hummmm, estou a ver...pois, tendo em conta essa tua tendência... neo-liberalista(???) sem virtuosismo q se aproveite...ñ levas nada! - sem subverter as tuas convicções economicistas! - é q eu sou bem capaz de questionar e responder ao mesmo tempo!;-)

...é!, sou uma vaidosa!:->..tenho um ego super obeso!!!;-)

fora-de-lei disse...

amok_she 4:15 PM

"Tenho um ego super obeso !!!"

Tens bom remédio. Deixa que te alimentem o ego de uma forma saudável...

amok_she disse...

...pois!...mas, sabes q há vícios difíceis de superar, né!?;-)...eu bem o coloco, de vez em qd, a dieta; ou mesmo de castigo, obrigando-o a vir comigo pró Murcon, mas...:->

Anónimo disse...

quando vi que o gajo se chamava Steve Vai pensei: Vai aonde?


quando vi as fotografis dele pensei: que vá.

OM

Conserto disse...

A quem interessar, no próximo 14 vai haver na casa da música um concerto de Bill Frisell, guitarrista de jazz muito "elegante", influênciado por Jim Hall e que recomendo a quem gostar :-) de jazz :-(

Julio Machado Vaz disse...

Fora-de-lei,
Obrigado, os sintomas passaram espontaneamente:))))).

Anónimo disse...

Bem, tenho sempre lido, lido...e hoje decidi-me a escrever.
Foi um repente que me deu...
Primeiro, para dizer que concordo 100% com o post de JMV acerca desta ’’pandemia’’ da guerra das audiências, que até invade os defesos científicos. Falta de organização dos empreendedores, ou esperteza saloia pura e simples, para fazer publicidade enganosa e atrair públicos? Acho que estas atitudes (e eu lido também um pouco com estes meios, on both sides...) acabam por ser perfeitos ‘’tiros nos pés’’ para quem os ensaia. Com o tempo, retiram credibilidade aos programas científicos e viram-se contra os feiticeiros. Por fim, já ninguém dá crédito ao que se anuncia. E aí é que as ‘’empresas’’ se distinguem: pelo modus faciendi. Enfim: para além de outras coisas, todas elas feias, isto é também revelador de uma outra coisa muito básica, que faz muita, muita, muita falta nesta sociedade em que nos tornámos: falta de chá, pura e simples. Há truques que são impensáveis pela falta de respeito que evidenciam. No fundo, é isso que está em causa.
Mas adiante, e por falar em respeito, que é o que tenho por JMV (ele próprio um bom respeitador dos outros, et pour cause) vou passar ao segundo ponto e dizer uma coisa que não queria, mas vai resultar se calhar muito pouco simpática. (pigarreio, e aí vai):
-Estou de acordo também com ANONYMOUS, quando diz: Caro Professor, há por aí uma espécie de vaidadezinha que se tem vindo a acentuar nos seus últimos posts. É muita "letra" sobre si próprio. Nem parece seu!
Tirou-me as palavras da boca: é essa a sensação com que fico muitas vezes, também com pena. E vamos lá a ver: não sou bajuladora (como se vê pela amostra), mas sou mulher!!!
O problema talvez esteja em conseguir escapar aos efeitos do mediatismo, compreensíveis e humanos, que neste caso somam ao ‘’umbiguismo’ do mundo académico. Acredite, Anonymous, é difícil resistir a essa marca de água: são deuses do Olimpo, malgré eux... E aqui também: malgré tudo o que sabemos do JMV e da sua simplicidade. O vírus ataca no melhor pano!!!
Bem...antes um grande ego que um breakdown, quando se trata de 1 pessoa de quem gostamos!!!
teresa lima

Anónimo disse...

Este ''anonymous'' foi involuntário. O facto é que não consegui fazer o login de blogger, vá-se lá saber porquê.
Será que o sistema nos ''censura''?
Eh, eh, i'm joking!
teresa lima

amok_she disse...

bem...bem...'tá aqui, 'tá o homem a acreditar, mesmo, nessa(s) "criticazinha"(s) ...:->

...ñ vejo q venha mal ao mundo com essa "vaidadezinha" aqui deixada transparecer...q apenas se percebe nas entrelinhas e q só a bajulice (ou outra coisa bem pior!:->) insiste em não ver!...

...mas, com isso, ñ acho q o homem deva, precise sequer, maneirar isso q (já são duas!?!) criticam com mais ou menos suavidade...é claro q eu detesto humildades parolas e isso...valha-o todos os deuses do Olimpo, o homem ñ usa!...é assim a modos q delicado por natureza; de fugir aos conflitos; de suavizar as palavras, mas...caramba!, antes assim e com a tal da "vaidadezinha" a espreitar pelo meio das palavras, q virtuoso de pau carunchoso!

...é claro q de quem admiramos e/ou amamos, esperamos - exigimos! - sempre mais q aos medianos - uopssss, o Prof dizia no outro dia q "medianos somos todos nós",mas essa era a dose necessária de modestia ;-) - a esses nem lhes reparamos nos defeitos até q os mesmos comecem a afrontar-nos a inteligência, entre outras "coisas"...:->

fora-de-lei disse...

Anonymous 5:44 PM

"Este anonymous foi involuntário. O facto é que não consegui fazer o login de blogger, vá-se lá saber porquê."

Ai, teresinha, teresinha. Quem te viu e quem te vê... ;-))

fora-de-lei disse...

amok_she 5:59 PM

Lá te deu o amok outra vez... ;-)) Já estou como disse o outro: tu és lixada !

SV650S disse...

Caro Professor,

Vê-lo ontem à noite na CM a assistir ao concerto de alguém que eu, tal como muitos outros, considero ser uma lenda viva da música relembrou-me a existência deste seu blog; vim espreitar, e como seria de esperar cá estava o seu post acerca do concerto de ontem.
Vejo-me forçado a concordar consigo na questão dos dBs, a frase mítica "It's getting too loud!!!" foi levada demasiado à letra. Felizmente tinha-me precavido contra tal eventualidade e levei comigo um fiel par de protectores auditivos...
Quanto ao virtuosismo... indescritível. Só fiquei com pena dos problemas técnicos durante a entrada em palco que o impediram de tocar o "Glorious" em toda a seu glória (não ouvir o que estava a fazer contribuiu para um grande número de pregos por segundo...).
Encontro marcado para a próxima visita dele a Portugal?

yulunga disse...

Bom dia maralhal, booom dia.
Pois eu o concerto não vi e, perdoem-me a ignorância, não faço a mais pálida ideia de quem seja o senhor.
Fui pesquisar na Net e acho que o moço até tem boa pinta.
Sobre a vaidade, Dr. Murcon, quem sou eu para dar conselhos...
Mas sabe o que lhe digo?
Beije-se de manhã ao espelho, beije as mãozinhas e os bracinhos e o que a elasticidade permitir, porque em relação a gostarmos de nós devemos fazê-lo em grandes quantidades e sem humildade nenhuma.

yulunga disse...

Sobre as guerras de audiências
"uma colega faz figura de segunda escolha, eu de pessoa que falta a compromissos à última hora"
Mau, muito mau
E principalmente
eu de pessoa que falta a compromissos à última hora

Nestes casos há que entrar a matar com uma boa dose de arrogância e dizer: Não admito!

fora-de-lei disse...

SV650S 6:04 PM

"Felizmente tinha-me precavido contra tal eventualidade e levei comigo um fiel par de protectores auditivos..."

Porra, mas vocês foram ver um concerto rock ou uma prova de Formula 1...?

Bolas, a Casa da Música continua a roubar os contribuintes... Depois dos brutais desvios orçamentais, agora ainda manda com a malta para o médico de família para tratar dos tímpanos. E quem paga é sempre o mesmo... ;-))

DISCURSO BAIRRISTA: e porque é que tenho que ser eu - que sou alfacinha - a pagar a "reparação" dos danos auditivos que a Casa da Música do Porto anda a causar na população dessa cidade ?

PS: houve para aí uma artista (ministra da cultura ???) que disse que enquanto não arranjarem um Mourinho qualquer para dirigir a programação artística da CM, a malta sai lá de dentro com o orelhame feito num oito... ;-))

Anónimo disse...

"Os inspectores da judiciária 'visitaram' a toca do coelho à procura dum valiosíssimo tabuleiro de xadrez, que o Américo lhe deu. Se a Fátima foi avisada pelo poder judicial que existia um mandato de prisão contra si, mais facilmente o Jorge terá sido avisado que andavam à procura do seu tabuleiro."
Quitéria Barbuda in "Quem se mete com o PS leva", Revista "Espírito", nº 21, 2005.

www.riapa.pt.to

fora-de-lei disse...

yulunga 6:12 PM

"... e o que a elasticidade permitir..."

E o que a elasticidade permitir ??? Yulunga, é preciso ter lata. Daqui a um bocado até estás a aconselhar o uso de auriculares e tudo... ;-))

yulunga disse...

fora da lei
Olha lá oh miudo não leves para a maldade que não foi até aí que levei a elasticidade ok?
Os auriculares já foram hoje aqui aconselhados e não foi por mim.

Conselho disse...

Eu quando vou à praia também levo protector solar :-)

yulunga disse...

Até depois maralhal.
Boas blogadas.

Julio Machado Vaz disse...

sv,
Esteja eu vivo e lá nos encontramos:))))).

amok_she disse...

fora-de-lei disse...

amok_she 5:59 PM

Lá te deu o amok outra vez... ;-)) Já estou como disse o outro: tu és lixada !

6:03 PM


...desculpa lá, mas...o q o "outro" disse foi q eu...era fodida![há q ñ adulterar o rigor da coisa!]...e eu apoiei, pois então!:->

...qt aos meus amok's, até q são bem calminhos...até me passar qd vejo coisas pequenininhas como...burrice, bajulice, falsas humildades, estúpidez, esperteza parola, virtuosismos de pau carunchoso...por ag chega, mas...ainda há mais!, depois admiram-se q o coitado do amok ensandeça...:->

Anónimo disse...

A música hoje está muito nostálgica. A selecção é de quem? Ainda não deu para perceber por isso gostava de esclarecimento: é sua professor? Ou aí a culpa também é do Noise e do Vic?

Moira disse...

Júlio, doce Júlio a quem tantos prazeres estou devendo. Desconheço o músico que referes mas vou de certeza conhecer, entretanto passei o meu 1 de Novembro enrodilhada em posição fatal revendo pela não sei quantésima vez o Cyrano de Bergerac. A ti agradeço o tê-lo conhecido nesta versão.
Quanto ao mais deves tu sabê-lo melhor do que ninguém "q'on a toujours son panache"...

melómana disse...

Professor JMV,

Com o devido respeito, porque não ouve as "suites para Violoncelo" de Bach, os "Quartetos de Cordas" de Beethoven,ou tantas outras maravilhas, interpretados por geniais músicos?
Garanto-lhe que jamais ficará dividido. O solidó da música pop,-com a devida vénia e usufruto da sua qualidade - nem sempre é suficiente para remir a necessidade de plenitude.
Ainda hoje me comovi, ao ouvir, mais uma vez o "Prelúdio à morte de Isolda".

Pamina disse...

Boa tarde,

Não sou grande apreciadora nem conhecedora deste género de música, mas fiquei curiosa. Ainda por cima com um blog musical, "noblesse oblige", como diria o Sr. Falso Conde. Portanto, como a Yulunga e outro maralhal, também fiz algumas pesquisas. Consegui ouvir algumas músicas de um album chamado "Alive in an ultra world". Para quem conhece este disco (presumo que o Prof. JMV conheça), não gostei nada de "The black forest" e "The power of bombos". Gostei de "Blood and Glory" e "Light of the Monn" (espec. desta). "Principessa" parece um bocado o género de melodias pimba que tocam aqui nos bailaricos, mas achei piada. Depois, ainda ouvi umas antigas interessantes e dei assim por terminada a minha educação.:)

Bom fim-de-semana para todos.

Julio Machado Vaz disse...

Anónimo,
Noise e Vic.
Melómana,
As suites tocam neste momento:).
Pamina,
Esse eclectismo consegue sempre encher-me de inveja! Bom fim-de-semana!

Anónimo disse...

:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

noiseformind no telele at CM disse...

O movimento Sarabande da 5 é sempre misteriosamente milagroso pessoal ; ))
E que ninguém fale de ecletismo que quem não considera Jommy Hendrix música clássica merece de castigo ser treinador de uma equipa que jogue contra o Chelsea do Mourinho ; )
Ju, temos de falar sobre essa falta de solidariedade para com com a nossa pátria irmã brasileira ;) mas se pensarmos que sem este blog hoje não teria (e pela primeira vez) a companhia da Isabel Dias aqui para o Seu Jorge, é mais que motivo para te perdoar ;))

moon disse...

ameninadalua,

Agradeço a sensibilidade, estava mesmo à toa...
Mas já descobri como é que se sai, saindo!:))))
UUUUFFFFFFF......

moon disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Su disse...

eu não fui ao concerto, mas o silêncio em minha casa era ensurdecedor:)))
jocas maradas

fora-de-lei disse...

Su 10:52 PM

Olha mais outra que está a precisar de passar pelo Service-Marché de Évora... ;-))

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Su disse...

fora...tu não estás bem a ver aonde eu estou :)) a milhas:)))))
jocas maradas

vate disse...

SONETO
Ó Moon que estás tão alta
Tão alta e tão isolada!
Se a minha mão te faz falta
Perdoa, estava ocupada

A uma punheta fazer,
Coisa de maior valia,
Que me dá maior prazer
Que essa tua poesia.

Assim é melhor tentares
Outr'arte mais comezinha
E p'ra melhor te curares

Pega na tua mãozinha
E ensina-lhe com vagares
A mesma arte da minha.

Anónimo disse...

Ou Vate, se fosse o prof. ou outro ilustre possivelmente acharia piada.
Pareceu-me que a moon não estava a falar para si, mas certas pessoas aqui gostam mesmo de rebaixar, enfim...
Quanto ao Steve Vai, não gosto, o que lhe sobra em virtuosismo falta-lhe na alma, mas isto digo eu.

Anónimo disse...

desculpem o anónimo, embora fiquem na mesma com o
JF :)

noiseformind disse...

Eu achei ambos os poemas válidos pq originais. O da moon por ser resultado de uma reflexão de vida, o do Vate por ser altamente qualitativo em termos de métrica. Ter sido provocado (e ser amoral em relação ao) pelo poema da Moon é secundário. A criação, desde que verdadeiramente criação é sempre válida, é estética, é dinâmica. A moon fez-me pensar na possessão que os nossos sonhos ás vezes nos fazem e o Vate fez-me pensar no chauvinismo dos homens portugueses, sempre a achar que uma mulher precisa de alguma extensão dos ser corpos ; ))))))))))))))))

; ))))))))))))

Maralhal,
12 de Novembro espero-vos a todos lá em Lisbon, vão ao blog do jantar que está lá o mail para as inscrições. E mesmo não inscritos... APAREÇAM loooooooool loooooooooooool looooooooooool looooooooooooool

noiseformind disse...

Já agora a pergunta que uma comentarista deixou lá no meu tasco.
Será a obesidade a última forma de discriminação aberta socialmente aceite?
http://people.aol.com/people/articles/0,19736,1125542,00.html

Conserto disse...

Aqui vai a letra de Fuck Yourself de Steve Vai . Album "Flex-able Leftovers

Fuck yourself with a rubber hose
Stick it in your mouth and down your throat
Up your nose and in your heinie hole
I don't care where it goes
And it don't matter if you're straight or gay
You should fuck yourself anyway
Now, you don't have to listen to a word I say
But I know you, you'll be humpin' away
Fuck yourself with your neighbor's nose
If you can't use that, use a 10-foot pole
Stick it up your ass and go for a stroll
Everyone will know you've been to this show
If you can't take, eat my stool
Masturbate with some crazy glue
I don't care what you do
Fock yourself with a garden tool
Fuck yourself with politics
Ahh they're full of fuckin' fuckin' shit
I mean you know we've been lied to ever since we were born
It's amazing that we've been getting fucked that long
Fuck yourself with the world wide web
Man you could ride that sucker right from your bed
You may even meet a Tom, Dick, Jane or Billy
Then grab onto your modem and fuck yourself silly
Fuck yourself with your heart and soul
Give it everything you got, hey I'm talkin' to you
If you can't even fuck yourself,
How ya gonna fuck somebody else?
Fuck yourself with my microphone
I'll give it to you later when we're all alone
We can turn it up loud
And see if you come, but
Don't get your jizz on my microphone
Fuck yourself with organized religion
Now that is some seriously sinnin' business
If the Lord sees their pathetic crimes
He'll be fuckin' them 'til the end of time
And can someone explain to me this racist crap
I know it isn't white, but it isn't black
And to all you people who only see things your way
Well, you can suck my dick and take all day
Fuck your nose with a pound of blow
Watch your money get up and go
but when you burnt your brain and you say
I don't know!
I hate to tell you but I told you so
Fuck yourself with this grunge rock noise
I mean, stuff those albums in your groin
They come down on me because I know how to play -
Hey... fuck you!
Fuck yourself with a copy of Rolling Stone
Or are they too holy for your holiest of holes
Now those people think they're holier than Moses
But aren't they just a bunch of fuckin' posers
Fuck yourself with your mother's jewelry
I won't tell, I ain't a stooly
If you pounce hard enough you'll cough up a ruby
Your blood will be rich and so will your doodie
Fuck yourself with the latest fashion
With your spikes and your hair and those cute little buttons
And if you happen to have some leather and lace
Fuck yourself 'til you're blue in the face
Fuck yourself with your income tax
They're fucking you and that's a fact
Before you know it your money's all spent
And you've just been fucked by the government
Fuck yourself with your lawyer friend
You're the only one that's getting fucked in the end
I have been so fucked by legal bills
that my asshole is the size of Beverly Hills
Fuck yourself with your full-length sweater
With your minks and your diamonds and your Irish Setter
With your cash and your trash and your sinks and your drinks
Just fuck yourself 'til you can't even think
Those of you who enjoy this song
thank you thank you, I love you
Let's get it on
But for those of you who are totally outraged
Fuck yourself with your face

Ameninadalua disse...

Noise

Relativamente ao jantar,já enviei a sugestão do restaurante que me parece muito adequado para o Victor...mas as reservas têm um senão ; se formos mais que 10 apenas aceitam apartir das 11h da noite.
Por isso convem confirmar particicipação com alguma brevidade.

Nina disse...

Olá!

Vim espreitar se o Steve já tinha 'ido'...

Bom, mesmo que volte, aproveito este «steve break» para dizer que o post do Júlio me tocou por um tema quase inabordado, porém presente: o silêncio. Júlio,devia chamar-lhe prof., porque consigo aprendi algo belíssimo: a simplicidade da presença de alguém que levava livros com páginas marcadas, e partilhava as passagens escolhidas para ilustrar aquilo de que falava... como quem partilha uma caixinha de memórias. Sem egoísmo. Com um prazer que me levou a gostar da 'pessoa' Júlio.
Partilhar a beleza é um acto de amor. É SER PROFESSOR. Foi mesmo um professor para mim, Julio. Hoje faço o mesmo com os meus alunos. E eles gostam. De certa forma, Júlio, está também nas minhas aulas.

Quanto ao silêncio... lembrei-me de um livro belíssimo de Vercors: 'Le Silence de la mer'. A presença do silêncio que pesa, que se torna ruído.

Gostaria de ir ao jantar, uma vez que resido em Lisboa. Há laços que existem dentro de mim face a muitas pessoas aqui, mas não tive ainda o tempo para os demonstrar... sou novata nisto de 'blogar'. Talvez ainda não seja o timing certo.

Noise, quanto às pessoas rotuladas como obesas ( já estive a ler o teu post no teu blog. Mas sempre que tento colocar lá algum comentário... ele não fica registado!)a sociedade é implacável. E se a obesidade é um factor de risco, a anorexia mata!
Mas nas revistas, página sim, página sim, vemos corpos ditos perfeitos...imagens que ficam tatuadas nas mentes de tantas pessoas como um ideal a atingir.
Magreza e juventude!

Até há bem pouco tempo fui...«modelo fotográfico» (não gosto da designação...porque modelo remete, mais uma vez, para algo a imitar... )paralelamente à minha carreira académica. E a dita 'beleza' esconde, em tantos casos, a infelicidade de prazeres proibidos...e a suprema: a infelicidade de não se ter amigos.
As mulheres olham-nos como inimigas, com raiva. Os homens, como um corpo, apenas. Creio que por muito interessante que seja o diálogo, por muitas afirmações de amizade que se façam... a verdade surge: és um corpo que eu quero. Nada mais me interessa em ti. Literatura, cinema? falar disso para quê? Os olhos vêem apenas o corpo. E dói. Podem rir. Mas dói mesmo.


Nina

Julio Machado Vaz disse...

Nina,
Muito obrigado, é o melhor elogio que se pode fazer a um professor: "contá-lo" a alunos que nunca foram seus:))))))).

Nina disse...

Professor Júlio Machado Vaz... Júlio: 'Contá-lo' a jovens de 19, 20 anos... contar 'gestos', como a partilha, o entusiasmo de 'mostrar' as palavras que o fizeram sentir que aquele momento era perfumado... é um gesto de afecto. Porque gosto da minha profissão. Gosto de pessoas. E se partilho, recebo muito mais. (E isto, sabe-o por experiência!).O rigor na parte científica... aquecido pelo 'braseiro' à volta do qual, em certas aulas, me sento com os meus alunos... e ouvimo-nos.
E rimos-nos. E silenciamos, por vezes. Um professor aprende muito mais do que ensina...

Um sorriso com carinho para todos. Bom fim de Sábado.

Nina... a Maria pequeNINA.

nocas disse...

Nina,

Tens toda a razão. As mulheres caem muito na inveja. Mas olha que os homens também, além dos impulsos da testosterona, também têm muita inveja do sucesso "físico" das mulheres. Acham sempre que o que elas conquistaram nas profissões ou no espaço público, foi na horizontal.
E se a mulher for bonita, pior ainda. Carrilhos e Partidos àparte, o cocktail de invejas macho/fêmea que se gerou a propósito da Bárbara Guimarães, nas últimas autárquicas é elucidativo. Nunca se viu nada de semelhante com Madame Cavaca....E até me lembro de ver um beijinho na boca, dos felizes esposos, em pleno palco, salvo erro, numa "rentrée" do Pontal.

Mas ainda há gente boa! Eu tive a sorte de ter vários professores, que levavam os livros marcados para as aulas e partilhavam tanta coisa connosco. Será que agora é tudo em power-point?

andorinha disse...

nina,

Gostei muito, muito de te ler.

Se resides em Lisboa, não tens desculpa para não apareceres no jantar.:)

V/T disse...

Agradeço Noise o teu comentário ao meu soneto burlesco. A tua capacidade criativa e matemática, captou o esquema rimático, aliás simples e improvisado. Ou não fosses tu um talentoso geómetra (no sentido helenístico) de jogos de damas e músculos compassivos. Estes "compassivos" são muito cómicos. Qual é a lógica semântica ou etimológica? A fisiologia (?) e as suas nomemclaturas são um mundo fascinante.
Nem sempre estou de acordo contigo, excepto no nosso Dragão.
Mas, com permissão do Patrono -figura pioneira e super-estimável a muitos níveis - blog murcon sem ti, é mesmo um murcon.

Vate/Trobadora
(ad libitum)

Angie disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.