segunda-feira, novembro 14, 2005

Perplexo.

Quando Paulo Pedroso foi acusado, o Augusto Santos Silva escreveu um artigo em que afirmava estar pronto a abandonar a vida política se a sua convicção da inocência do amigo se revelasse errada. Lembro-me de comentar a afirmação no JN, dizendo que tanto o arguido como a acusação eram inocentes até prova em contrário. Porque sou um profissional, acrescentei que a declaração do Augusto era tocante na sua certeza, mas o abuso sexual é uma área que nos pode reservar grandes choques - a noção da reprovação social é tão clara que nos deparamos com "duplas personalidades e vidas", até para os mais próximos. O Augusto é demasiado gentil para mo fazer sentir nos nossos encontros por aí, mas suspeito que o entristeci, ao transformar uma declaração de amizade em discussão abstracta. Lamento, se aconteceu.
Agora leio coisas preocupantes. Um recurso da acusação foi negado por unanimidade. As provas e as testemunhas, ao que parece, são arrasadas. Um homem não vai a julgamento, mas esteve na prisão e vai-lhe ser difícil sacudir a lama por completo. Se a acusação foi leviana, o que traduz esse facto? E pode uma acusação ser leviana e não fazer pensar que podíamos ter sido nós? Porque uma coisa é a Justiça ser cega. Outra andar às apalpadelas...

49 comentários:

River disse...

Apeteçe-me dizer q fiquei contente (e aliviada) com o terminar (de uma parte), desta triste história. Paulo Pedroso foi meu "chefe", e embora ñ tenha privado c/ ele, mt gente c/ quem ainda hj trabalho, teve esse pervilégio; e repetiam convictamente as palavras de Augusto Santos Silva... certo q nenhuma dessas pessoas é "psi"...mas, na vida ñ será mt vezes importante deixarmo-nos levar apenas pelas nossas convicções/emoções???

Yardbird disse...

"Andar às apalpadelas" diz tudo.
O que me parece é que o cidadão deveria ser poupado à suspeição, quanto mais á inquirição, enquanto não houvesse uma quase certeza de que a acusação seria levada a tribunal.
Neste caso, terá havido um excesso de zelo, uma vontade quase irracional de apresentar culpados, e quanto mais mediáticos melhor, para se mostrar ao povo que os poderosos não são intocáveis.
A justiça está numa encruzilhada. Ou readquire a sua credibilidade e o mais rápido possível, ou a perde definitivamente.
Depois de casos como o de Felgueiras, o da busca da casa do Dr. Jorge Coelho e a não ida a tribunal de Pedroso, Herman José e Francisco Alves, estamos perto de bater no fundo. E não me parece que o actual Procurador, em algumas infelizes intervenções públicas, esteja a ajudar muito.

River disse...

Nota: lamento bastante ñ ter participado no Jantar de sábado...era mm impossível; já agora q tal foi??? Espero estar no próximo... :o)

Angie disse...

Pois é, professor. Aqui é que colhe o seu post do elogio do silêncio. E a praxis altamente recomendável da inquietude.
Ou o estado de direito está a cair pela sua base (e ninguém repara)ou a leviandade da calúnia é directamente proporcional à facilidade da esponja.
Não creio em nada: nem na versão A nem na versão B. Só me perturbo com tudo isto, e não me contento também com o desfecho, que alguns vaticinaram que iria ser mesmo assim.
Mas contrariamente à vox populi, não sou dos que pensam que o PGR é o culpado disto tudo, o ineficiente no topo da ineficiência. O que está em causa é bem maior do que ele. Mas, claro, assitiremos ao rolar da cabeça, tem que haver mortos e feridos para simular acção.
Mas a inconsequência continuará.
Próximas perplexidades para os nossos pasmados olhos de cidadãos?!

Julio Machado Vaz disse...

River,
Os meus espiões disseram-me que o jantar correu bem e... acabou tardote:).

monica disse...

é muito complicado. é como se se tivessem criado novas vítimas, sem que fiquem esclarecidos os nomes de que quem agrediu as primeiras. como se se deslocasse o foco da atenção. lançar uma falsa mas verosímel suspeita pode ter este efeito terrível. será que foi isto que se passou?

HarryHaller disse...

O que o acórdão diz, não é preto no branco de que a acusação foi leviana e que o PP é inocente, o que diz e passo a citar um extracto é o seguinte:


"há dúvida insanável sobre se ele terá cometido os crimes de que foi acusado e há dúvida insanável sobre se será inocente, como ele proclama."
e citando um dos comentadores de um outro blog"PATOLOGIA SOCIAL" trancrevo a conclusão desse acórdão, com a qual concordo na íntegra.
Ou seja: segundo os Desembargadores(leia-se juizes do tribunal da Relação ou de 2.ª instância), a prova indiciária recolhida no processo não é suficiente para se concluir, com elevada probabilidade, que terá cometido os crimes - e, por isso, não devia ter sido acusado - mas essa prova não é de tal modo frágil que afaste, de todo, a probabilidade de os ter cometido - e daí a insanável dúvida sobre a sua inocência.

Isto é,a prova recolhida no processo, não permite indiciar com segurança, se o Paulo Pedroso cometeu os crimes de que vinha acusado,todavia a mesma não permite concluir com segurança que o mesmo é inocente. Como no âmbito do processo penal, vigora o principio fundamental, imposto pela nossa lei fundamental, (leia-se Constituição da República Portuguesa), do "indubio pro reo"isto é, em caso de dúvida razoável, absolve-se o réu, ou por outras palavras, mais, vale um criminoso em liberdade, que um inocente na prisão.

Assim, discordando do que diz a angie, penso que este processo tem demonstrado que o Estado de Direito funciona em Portugal, agora quanto á questão de sermos um País verdadeiramente democrático, isso já é outra conversa.

Boa noite professor e demais maralhal.

Lobo das Estepes

HarryHaller disse...

Portanto, vir agora o PP. pedir uma indemnização por danos morais, com o fundamento de que a conduta do Ministério Público neste processo se pautou pela leviandade, parece-me a mim no mínimo bizarro, para não falar em má-fé, ao PP ainda o desculpo, pois, está demasiado embrenhado na questão, dado que é parte interessada, agora o causidico que o representa, já me custa a desculpar, pois, ele tem o dever de o aconselhar a não ir por aí. É com esse pedido de indemnização o PP, arrisca-se a que a equipa do Ministério Público que esteve no processo, faça um contra pedido indemnizatório por má-fé.

Lobo das Estepes

andorinha disse...

Boa noite.

Concordo no essencial com o comentário do yardbird(8.20).
"...terá havido um excesso de zelo, uma vontade quase irracional de apresentar culpados, e quanto mais mediáticos melhor, para se mostrar ao povo que os poderosos não são intocáveis."
Sendo tanta a ânsia de apresentar serviço e havendo alvos a abater...
A ligeireza com que se manda alguém para a prisão claro que é preocupante. O que se verificou com Paulo Pedroso poderia e pode-se verificar com qualquer um , ninguém está a salvo. Pode um cidadão sentir-se seguro com a forma como estas coisas se passam? .
Paulo Pedroso irá ter imensa dificuldade em sacudir a lama por completo.
Haverá sempre gente a pensar que ele só se safou por ser político e poder por isso manobrar certos cordelinhos.

Ameninadalua disse...

Maralhal!

O jantar acabou tardote sim senhor!
como convem a um jantar bem servido,em agradável e bem disposta companhia, fluente conversa, com um batalhado despique de temas e algumas provocações!...
Espero que o nosso ilustre e dotado reporter de serviço, tambem conhecido pelo "Faz barulho" consiga aqui apresentar uma crónica oportuna e fiel, que divulgue os pormenores de tão importante evento... :))))

River disse...

;o) Obrigado Professor! ****

Ora aí está o porquê da referida indeminização q PP reclama do Estado... "tirar a lama"! Mesmo q a carreira política, q ambicionava (e construía), fique no lodo para sempre... Qq um de nós faria o mesmo!

andorinha disse...

river,

Não sabes o que perdeste.:)))
O jantar foi óptimo.
Foram momentos de agradável e divertido "cunbíbio" que se prolongou pela noite dentro.
Lá pelas 4h caldo verde, pão com chouriço, chocolate quente, tagarelice, correrias, risadas, enfim, coisas de gente que se quer bem e que estava feliz por estar junta.

Nenhuma magia se perde, só a amizade cresce.

Aparece no próximo e vais ver que tudo isto é verdade.:)

fad disse...

A Justiça está de facto moribunda...Não morreu mas está muito mal...Mas facto é que quem a pode curar não manifesta vontade de o fazer...Há muitos Paulos Pedroso...
E com esta me fico...
Fad

pisconight disse...

Boas.

A pergunta é se com uma indeminização o PP conseguirá limpar o nome, pois de certeza que há quem ache que ele é culpado e que mexeu foi uns pózinhos e tal..., e para esses ele ainda vai tentar sacar algum ao estado.
E mesmo quem ache que ele é inocente, pode ficar contra o acto do pedido de indeminização.
Acho que o nome vai ficar sempre agarrado ao caso Casa Pia.

;)

iflifegivesyoulemons disse...

Eu disse que ou o esatdo de direito está ferido, ou a leviandade da calúnia é proporcional à leviandade da esponja.
Agora, vejamos: ninguém espera que um acórdão exiba uma esponja declarada, ou não fosse feito por juristas e não fosse a nossa cultura forense, bem ao gosto alemão, muito conceituosa e pouco ligada à realidade crua dos siginificados da norma (mais à moda inglesa).
Falo é das consequências e do que de facto resulta em termos morais: a leviandade da calúnia? Ou a leviandadde da esponja? Ambas disfarçadas. claro.
NãO, não sou derrotista ao ponto de fazer o funeral ao estado de direito. E mais: antes fazê-lo á democracia (formal) que ao estado de direito. Este é que é o pilar da nossa cidadania, quer se goste quer não.
Senão, vão a Cuba ver o que é que lá faz falta...
Assim, não faço um diagnóstico tão viloento: mas sempre digo que o estado de direito tem as vertentes formais e as outras: cuidado. Estas não estão à vista e podem minar o edifício.
Estarão mesmo de pé os velhos princípios de Montesquieu, memso em versão aggiornata?
DUVIDO!!!
Vão estando atentos....
E com esta me vou jantar, também já se foi a música francesa!

Anónimo disse...

Tudo isto é uma lástima.
Só gostava de saber quem lucrou com esta poeira de encher os olhos (afinal era peixe graúdo, davam-se ares de cortar a direito....) Sim, pq as vítimas aí estão!
Cortaram mais a torto que a direito pelos vistos. Lamentável! Por tudo. Pelas vidas destruídas e sobretudo pelos que, devendo ser acusados, "escapam" ilesos!

Na altura li o artigo do ASSilva. Recordo-me de ter pensado que só uma pessoa generosa, com imensa boa fé e muito sentido ético (relativamente à amizade e à causa pública) poderia ter tomado aquela posição pública tão clara e frontal! Fiquei a gostar mais dele. Mas...admiti, como o JMV sugere, que se trata de um campo demasiado escorregadio para que não pudesse trazer surpresas. Ainda bem para o ASS que não teve surpresa nenhuma.

Saudações
Mariadosol

Pamina disse...

Boa noite,

Também gostei do comentário do Yardbird (8.20). Penso que ele focou todos os pontos essenciais. Só gostaria de acrescentar que achei chocante todo o espectáculo montado à volta do momento da prisão do Paulo Pedroso. Para ser justa, devo dizer que também não me agradou a "resposta" do PS, aquando da sua saída da prisão preventiva. Na minha opinião, menos circo e mais sobriedade teriam sido preferíveis.

Quanto ao jantar, como disseram Ameninadalua e a Andorinha, correu tudo muito bem. A conversa foi interessante e divertida (quem conhece o Noise pessoalmente não pode avaliar, mas é impossível uma pessoa não se divertir perto dele). Pesoalmente, foi também muito importante a possibilidade de rever pessoas que já começam a fazer parte do meu círculo de amigos. Gostei ainda de conhecer as 3 pessoas que ainda não conhecia, entre as quais uma menina de 8 anos, com uma carinha amorosa, que foi com a mãe ao jantar.

Estamos à espera que o Noise envie as fotos. Por onde andas Noooooise?

Anónimo disse...

Mais um Viva:

Só para felicitar o JMV por partilhar publicamente o lamento de eventualmente ter entristecido o ASS. Gostei! É de gente :))

Mais saudações

Mariadosol

fora-de-lei disse...

Professor, isto ainda tem a ver com o webcasting... Quando tiver disponibilidade para navegar, dê uma vista de olhos pela Internet (através do Google, por exemplo), usando as palavras-chave "ecast" e/ou "podcast". Have a nice trip...! ;-))

fora-de-lei disse...

Qualquer pessoa tem o direito de ser considerado inocente até prova em contrário. O pior é que isto não é propriamente uma verdade por todos interiorizada, mas sim apenas um princípio jurídico.

Para além disso, ainda nenhuma instância jurídica considerou inocente fosse quem fosse. Quanto a Paulo Pedroso, o Tribunal da Relação "limitou-se" a dizer que não havia provas suficientemente concludentes para o incriminar. Mas, como é lógico, não o declarou inocente !

Pese embora o tal princípio inicialmente formulado, em termos de verdade interiorizada pelo "zé povinho" nenhum dos arguidos (ou envolvidos) vai algum dia conseguir limpar a auréola de suspeição em que está envolto.

Até porque esse mesmo "zé povinho", na sua arguta sabedoria, sabe que a Justiça é tudo menos cega e que sempre teve e terá dois pesos e duas medidas. E isso ainda agrava mais a suspeição em torno das chamadas figuras de proa...

No entanto, há uma coisa que até eu - profundo leigo em matérias jurídicas - consigo "adivinhar": o Bibi, esse não se safa !

Pior que tudo isto - porque pode ferir gravemente o regime democrático - há uma falsa (?) imagem que ficará para sempre: com o PSD e/ou CDS no governo, a "Justiça" aponta contra o PS. Com o PS no governo, a "Justiça" corre a ilibar os que foram anteriormente acusados. Ou seja, vai ser muito difícil que o "zé povinho" continue a acreditar na independência dos magistrados face ao poder político.

E, sem que nós demos por isso, os FNs e quejandos estão aí à esquina para aproveitar estas "desatenções" da Democracia.

fora-de-lei disse...

"Pior que tudo isto - porque pode ferir gravemente o regime democrático - há uma falsa (?) imagem que ficará para sempre: com o PSD e/ou CDS no governo, a "Justiça" aponta contra o PS. Com o PS no governo, a "Justiça" corre a ilibar os que foram anteriormente acusados. Ou seja, vai ser muito difícil que o "zé povinho" continue a acreditar na independência dos magistrados face ao poder político."

ADENDA

Há quem diga que tudo isso tem a ver com a "Grande Loja Regular" e com o "Grande Oriente Lusitano". Vá-se lá saber... ;-))

Lusco_Fusco disse...

Este tema é melindroso.
Desde o escandalo Casa Pia que não vejo TV. Considerei-me tão fora da realidade na época que resolvi estar mesmo fora de meios de comunicação que me manipulem. Mantenho-me informada mas escolho eu o que me informe.
Neste caso, resta a dúvida como diz o HarryHaller ás 8.40. E a dúvida, por sua vez, demonstra o quão levianos estão quer a justiça quer o poder político. Crimes destes deviam ser realmente investigados e aplicada a justiça com isenção.
Vejamos o final. Não me admirava nada se prendessem os meninos, para mostrar serviço.

noiseformind disse...

Começo pela Janta ; )))))))))))

FOI UMA DESGRAÇA!!!!!!!!!!!!!!!
Passo assim a relatar os tristes eventos que tiraram qualquer hipótese de o jantar ser satisfatório:


- O nro de carros que estava previsto incendiar não foi atingido, muito por culpa de uma pessoa cujo nome não vou divulgar (mas que usa o nick Paula) se ter esquecido de trazer garrafas de vidro para metermos a gasolina (trouxe muitas de plástico, que eram muito boas se o objectivo fosse emolar-mo-nos pelo fogo)


- As três virgens que estavam previstas sacrificar à hora do sacrifício já não o eram (má ideia ter deixado o Vic a guardá-las)

- Um tipo apareceu lá a pensar que o SJSM era o São João Sem Martelinhos e ficou tão triste por não ser que a ameninadalua teve de o consolar por várias horas ; ))))))))

- A Andorinha atirou-me pela janela (E estavamos num 14º andar) do Alfa quando se apercebeu dos ruídos nocturnos que faço. Sorte minha estavam uns senhores no 13º a limpar as janelas!!!!

- A nãoseiquenickusar tentou que nós lhe tomássemos conta da miúda para ela poder ir finalmente ir ao cinema e jantar num date a sério ; ))))) recusamo-nos, afinal todos os homens presentes na sala eram solteiros ; )))))))) Maralhal Makes It Better

- Várias pessoas apedrejaram o carro de alguns presentes quando perceberam que o Boss não ia aparecer (mas nós incendiamos-lhes os carros, as casas e os respectivos locais de trabalho e já temos as certidões de nascimento e as moradas dos pais e filhos deles)

- a Pamina prometeu aprovar o meu comportamento no Jantar e falar de mim como se eu fosse uma pessoa divertida se eu me mantivesse casto com a Andorinha. Eu cumpri a minha parte e é bom ver que ela tb cumpriu a dela looooooooooool loooooooooool looooooooooool looooooooooooooool looooooooooooooooool loooooooooooooool loooooooooooooooooooool

- O Ju teve a brilhante ideia de nos parabenizar chegado a Cantelães (esquecendo que em Cantelães não há rede GSM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)

- A Yullie... bem... a Yullie é uma querida e, sem dúvida, teve os melhores gostos em relação ao que escolheu para comer nessa noite ; ))))))))))))) looooooooooooooooool loooooooooooooool loooooooooooooool loooooooooooool looooooooooooooooooooool

- a Rosa tentou matar a Isabel quando as duas discordaram sobre qual era a personagem mais engraçada de "Sex and The City", mas ficou marcada uma luta na lama entre elas no próximo Jantar do Murcon para a questão ficar decidida ; ))))))))))

Por isto e por muitos outros factos que estão sob segredo de justiça (pessoas que estavam a ouvir a nossa conversa chamaram a polícia que nos prendeu a todos por atentado ao pudor por não termos tapado as orelhas da participante mais nova enquanto falávamos) o SJSM é uma das minhas piores memórias até à data e espero que a hipnose regressiva, a lobotomia ou o suicídio o tirem da minha cabeça!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Já para não falar que tive de passar mais de 30h com a Andorinha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O que equivale ao tempo que um casal médio passa junto numa semana!!!!!!!!!!!!!!!!!!
; ))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))) Poderão em breve comprovar grande parte destes infames eventos nas fotos que serão publicadas no
Blog da Janta. E fiquem atentos que muito em breve terão lá sugestões para novo JANTAR DO MURCON, que, pode ser já adiantado, decorrerá num edifício quase tão antigo como o próprio MURCON ; ))))))))))))))))))))

gonçalo disse...

Julgo que há uma questão essencial: estará o Ministério Público, e em particular a Polícia Judiciária, preparados para investigar o crime de abuso sexual de crianças? É hoje evidência cientifica que as crianças sexualmente abusadas podem ter tendência para efabular, contando histórias falsas, envolvendo na maioria dos casos figuras públicas. Não me surpreenderia, por isso, que algumas das vítimas do processo Casa Pia pudessem ter mentido, provocando acusações ou prisões injustas. Mas, também admito o contrário, que todas tenham dito a verdade. O acórdão da Relação não alterou a minha posição: mantenho a dúvida, e recuso-me a condenar ou absolver os arguidos acusados por mera intuição ou à luz de cabalas políticas. Não sou apologista de teses conspiratórias, demasiados complicadas para a minha cabeça(((. Por isso, e poderá parecer um chavão, mas resta-nos, apesar de tudo, tentar confiar na justiça.

amok_she disse...

A questão é que ao não ser levado a julgamento por falta de provas, isso não prova - nada! - a sua inocência ...julgaria eu, na minha burrice costumeira, que seria do seu próprio interesse que o julgamento fosse efectuado para, sendo inocente, o provar...duma vez por todas!, mas isso sou eu que sou burra...:->

...aqui tenho de "confessar": sempre me quis convencer q o PP era mesmo incente...agora, perante a estratégia adoptada face aos resultados...já ñ sei, ñ...continuo a achar q se eu fosse acusada injustamente tudo faria para querer provar a minha inocência...mas, enfim...

naoseiquenome usar disse...

a propósito do tema e depois de ter feito quase 600Kms. hoje, sugiro a leitura de:
http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/2005/11/correio-dos-leitores.html
e de:
http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/2005/11/paulo-pedrosojustia-ii.html - com maior relevo para esta.

Quanto ao jantar, adorei-vos, muito embora não tenha de facto conseguido os intentos aqui denunciados pelo Noise :)))

noiseformind disse...

No decorrer do processo Casa Pia pedi aleatoriamente ao meu contabilista informação sobre 15 dias em que precisava de confirmação do local onde me encontrava, a propósito de uma hipotética multa de estacionamento. A partir do serviço NetCode deu-me de telemóvel, multibanco e facturas a minha localização tri-confirmada. E eu sou um pobre cidadão anónimo. O PP precisou de meter recursos atrás de recuros, delongar ao máximo a passagem do tempo desses recursos sem apresentar quaisquer provas.

Na transcrição do HarryKiller
"há dúvida insanável sobre se ele terá cometido os crimes de que foi acusado e há dúvida insanável sobre se será inocente, como ele proclama."

A única diferença entre PP e os outros arguidos é a existência de um irmão no CSM. Coisa de pouca monta, muito indirecta, irrelevante. A dor daquelas crianças todos os dias é passada cá para fora de forma higiénica. Todos os dias ouço que determinado jovem testemunhou comprovando os factos da acusação e que os advogados dos acusados, tão lestos a apresentarem recursos de todas as formas e mais uma concedem e aceitam, não questionam, não apresentam provas, que suposamente eram ás malas!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Reparem bem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ainda não ouvimos que numa única sessão que fosse a um testemunho de um jovem os arguidos apusessem uma daquela catrefada de provas que tinham!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Nada!!!!!!!!!!!!!!!!!! Aquelas centenas de facturas e Vias Verdes e movimentos do multibanco por onde andam??????????????????? E as facturas de telemóvel e localização de chamadas?????????????? Nada. As crianças falam, os arguidos ouvem e calam. Acabados todos os truques processuais resta-lhes aguardar que um deslize formal os solte, que eventualmente com recursos até ao Constitucional acabará por surgir, afinal as leis em Portugal parecem feitas para isso mesmo: para decretarem o destino de muitos, permitindo ser apenas um contratempo para poucos.

Estado de Direito? Estão a brincar comigo, só pode ; )))))))))

noiseformind disse...

Ainda vamos acabar a ouvir que "fez-se prova" mas "a forma como foi obtida não está de acordo com a forma e letra de lei" portanto "não poderá ser tomada em conta na sentença" e sendo assim "manda-se libertos" todos os arguidos, com a excepção de "Carlos Silvino, autor confesso de 1650 crimes de abuso sexual" de várias estirpes. HarryKiller, vai uma aposta que é esta a sentença que será decretada no Supremo ou Constitucional?

Mais alguém aposta comigo? ; )

noiseformind disse...

O SJSM mostrou que existem 6 pessoas em Lisboa, duas nas Caldas da Raínha, duas no Norte e duas em Cascais (mas juntinho à fronteira com Oeiras) que apreciam suficientemente o Boss para se juntarem em espírito de tertúlia à volta da sua personna. Para o Jantar do Murcon imagino que virão mais pessoas de Lisboa que todas as pessoas presentes no SJSM. O que mostra bem o materialismo do mundo em que vivemos. Toda a gente diz que gosta de uma boa conversa, mas no fim são as stars (ou a star) que determina a adesão das massas. Ninguém se assume como carneiro mas sem cenoura (quase) ninguém aparece ; ))))))))))))))) num tempo em que toda a gente gosta de dizer que tem pensamentos próprios, a con-formação (para roubar as palavras do entrevistador do Boss por outras bandas) é gritante. Imagino que vão começar a dirimir sobre núcleos e outras patetices assim. O que é ridículo, pois tivemos participantes que nem por aqui comentam. Portanto, o que os atraiu foi um local de confrontação de ideias e criação de novas texturas discursivas (basta ver as vezes que eu e a Yullie nos arranhámos ao longo da "conferência" no Bar") ;)))))))))))))))))))))))))))))))))

tangas disse...

é de facto lamentável que, justamente nesse processo, se observe tanta história mal contada. infelizmente, não é uma surpresa e se há uma mancha na justiça portuguesa, é de facto no que toca aos direitos de menores e mulheres. daqui a um ano o senhor pp capitalizará o facto de ser injustiçado e daqui a um ano as vítimas continuarão a ser vítimas e a serem postas em dúvida. essa é a natureza destes processos, infelizmente. e a cegueira da justiça cai sempre para o mesmo lado, assim como a sorte, nos tribunais, é sempre de quem mais pode. infelizmente, infelizmente, infelizmente

devo ção zinha disse...

...em espírito de tertúlia à volta da sua personna ... estilo procissão da sra de fátima até aos restauradores?

fora-de-lei disse...

noiseformind 5:33 AM

Eram cinco e tal da matina quando escreveste este "discurso" mas - infelizmente - sou obrigado a admitir que o sono ainda não te tinha tirado a lucidez. Isto para azar do nosso Estado de Direito...

andorinha disse...

Noise (12.10)

Loooooooooooooooooool
Mas olha que para a próxima podes não ter tanta sorte na queda.:)))))
E foram só 30 horas?????
A mim pareceu-me uma eternidade.LOL

Isabel Dias disse...

Noise,
Confesso que não gostei do que li da tua pena ás 5h47. Mas mesmo o que não gostámos de ler pode ser verdade. Confesso que a presença do Professor para mim seria um grande atractivo, mas agora olhando para as fotos vejo que o ambiente era tremendamente comunicativo e nem se notavam as pessoas habituées ou as outras. MESMO que o Professor não vá ao Jantar do Murcon, conta comigo! ;)

noiseformind disse...

Tangas,
Infelizmente parece verdadeiramente Fado não é? Infelizmente é verdade looooooool looooooool loooooooooooooool

Fora-de-lei,
A abstinência sexual (nem que seja por 24h) torna-nos assim: lúcidos ; ))))))))

Andorinha,
A nossa união de facto foi uma maravilha, tirando aquele pequeno incidente que te levará por uns meses ao divã do Jú ; )))))))))))))

Isy,
Não digas isso, tu tiveste mais do que coisas para fazer no fds, estás totalmente absolvida. E mesmo os condenados por conformismo serão recebidos com abraço faternal e o carinho de sempre por terras lusas. Tratava-se de um desabafo, não de uma acusação.

Beijinhos a todos!!!!!!!!!!!

River disse...

Ao Noise,
sendo este um espaço de "livre" expressão; aqui vai... ñ me parece nada correcto partir quase de um princípio inabalável, de PP é culpado e só ñ "paga" pq é irmão de quem é! De todo! Ñ faço ideía se ele é culpado ou inocente, mas achar q "cambalachos" são a resposta pra td...naaaa :o)

Qto ao jantar, à pessoas (como é o meu caso), q ñ foram mm pq concerteza ñ podíam, seja lá pq razão for. Mas a vontade de conhecer pessoalmente alguém q admiramos, e com quem aprendemos, ñ tem nada de "carneiríçe" c/ ou s/ cenoura... :o)

bjs.
Ps. vemo-nos no próximo.Loooool

andorinha disse...

Noise (12.55)

Incidente? Que incidente?????
Não me apercebi de nada...deves estar a delirar.:)

rosa disse...

Aí como eu gostava que um dia viesse a haver um JANTAR DO MURCON SPAEAPP*. ( Deixo aqui a minha sugestão: façam-no num local onde não existam espelhos. A vaidade é tramada. )

* SEM-PESSOAS-QUE-SE-ACHAM-ENGRAÇADAS-E-APENAS-PROCURAM-PROTAGONISMO ( Pobre coitado, nunca ninguém lhe disse que um coisa é comentar, outra é gostar de se ler ).

-Stardust- disse...

"E pode uma acusação ser leviana e não fazer pensar que podíamos ter sido nós?"

E sendo nós, desenrolar-se-ia da mesma maneira, ainda que fosse uma acusação leviana? Concerteza que não... As apalpadelas seriam ainda mais incómodas, ainda que menos "broadcasted"!

amok_she disse...

River disse...
(...) Mas a vontade de conhecer pessoalmente alguém q admiramos, e com quem aprendemos, ñ tem nada de "carneiríçe" c/ ou s/ cenoura... :o)

bjs.
Ps. vemo-nos no próximo.Loooool


...a vontade de conhecer, pessoalmente, alguém q admiramos e com quem aprendemos, ñ sendo absolutamente necessário para a continuação desses pressupostos, ñ terá nada de carneirice, mas...

...contrariar a falta de vontade de conhecer alguém completamente desinteressante, desagradável mesmo!, só para conhecer quem admiramos e com quem apredemos...convenhamos q é um preço demasiado alto!!!...pelo menos para mim q ñ me interessa, para nada!, conhecer todo o bicho careta!:->

Luís Bonifácio disse...

É tudo uma questão de Poder e dinheiro

O que foi válido para Pedroso, não o foi, para um comum mortal em Coimbra em Março passado.
http://novafloresta.blogspot.com/2005/11/assim-vai-justia-em-portugal-i.html

colega disse...

faço minhas as palavras das meninas anteriores 'rosa' e 'amok_she' realmente há aqui uma certa poluição q castra vontades. Terá conseguido a 'organização' do último jantar tirar da enorme adesão que teve as insdispensáveis ilações? Nahhhh!

amok_she disse...

...cara "colega", ñ se acanhe e ñ tome a núvem por Juno!;-)))...esta poluição parece mais nefasta do q é na realidade...e a castração só é efectivada se as vontades forem fracas... de pachorra!;-)))...com um pouco desta os vapores chumbosos acalmam e deixam perceber-se a(s) realidade(s) q pretendem transfigurar ...haja um pouco de pachorra...e bom humor!;-)))

River disse...

amok,
permita-me "assinar" tb por baixo das suas palavras.
E dp colega, td na vida só tem a importância q lhe damos ;o)

***

afterdream disse...

Sou um visitante diário do Murcon apesar de nunca aqui ter comentado antes. Ao sr. prof., permita-me que lhe diga que é uma referência para mim. Este blog é um espaço especial, uma verdadeira "tertúlia virtual".

Li os últimos 44 comentários de fio a pavio...e deixai-me que vos diga, senti-me recuperávelmente defraudado quando de repente a partir de um "noise", se deixou de falar sobre o tema levantado pelo prof. e deu-se inicio a uma verdadadeira "feira de vaidades".

O processo da Casa Pia é a constatação cabal do facto que os média são os verdadeiros lideres de opinião da sociedade portuguesa.

Todos são inocentes até prova em contrário". É isso que a nossa justiça nos ensina, mas não é isso que infelizmente a nossa sociedade o interpreta.

As "Gentes", as "Marias" e as "Visões" e as TV(i)'s destes país, forçam indirectamente (?!) a opinião pública a condenar quem presumivelmente ainda está inocente. Acho que neste caso os média portugueses se portaram mal...muito mal mesmo. Deveriam ter feito uma análise muito mais reflectida sobre o impacto mediático das noticias que veicularam e continuam a veincular na sociedade portuguesa... pois esquecem-se que a fronteira entre a informação e a desinformação é muito, mas muito ténue...

A Democracia e o estado de direito teem destas coisas... :))

Não condeno o PP por pedir uma indeminização. Depois destes anos todos de processo e de todo o mediatismo à volta do mesmo, só agora e por mais incrivel que pareça passado tanto tempo é que finalmente saiu um acordão a indicar que ele estaria inocente e não iria a tribunal. Se fossem vocês o que sentiriam? Será que ele é assim tão dessimulado?

Vai voltar á "toca do lobo"? Para quê? Para correr o risco de tal como já disseram anteriormente neste post, do seu processo ser novamente ser todo revisto? O seu lobbie é assim tão forte ao ponto de poder contornarde forma tão mediática as regras da Justiça Portuguesa?

Para os leigos como eu que (ainda) acreditam na Justiça Portuguesa só temos uma coisa a pensar: "Ele está inocente e ponto final parágrafo".

Agora... Deixo para os peritos a análise profunda deste processo e a consciência (se existir) para todos aqueles que participaram no mesmo.

Se foi um erro judicial: "Mas que malfadada justiça que temos..."

Anónimo disse...

gostava muito mas nao consigo registar-me

Anónimo disse...

ha 3 noites que ando as voltas nas vossas conversas estou a adorar(:

Anónimo disse...

aguardo um sinal

Anónimo disse...

O ministério publico tem dado pessimos exemplos do que é ou deveria ser a justiça. A tentativa de acusação de Herman José por, alegadamente, ter cometido um crime em dia e hora em que, comprovadamente, estava a milhares de Km é, por si só, ridicula e indicia séria incompetencia do Ministério Publico. (mesmo leviandade em tema tão sério).