quinta-feira, novembro 17, 2005

Eles não precisam, mas...

A Comissão Episcopal da Educação Cristã lamenta que o Relatório do grupo coordenado pelo Daniel Sampaio preconize uma educação sexual restrita à educação para a saúde. Recusa - e bem! - que seja "encarada a partir de um prisma negativo". Diz que o Relatório esquece que "a forma mais segura de educar os adolescentes e os jovens para uma saudável integração da sexualidade é ajudá-los a descobrir a sua identidade de homem ou mulher, que se diferenciam sexualmente e se complementam numa relação de amor".

1) Os membros do grupo têm obra feita. E nenhum deles pode ser acusado de preconizar uma pobre e triste visão apenas sanitária da educação sexual. E o Relatório prova-o, com a sua preocupação de envolver os mais diversos grupos e pessoas no processo e recusando o "espartilho" da disciplina de educação sexual.

2) A visão "global" da Comissão seria para mim pacífica, se não tivesse uma longa experiência do que certa Igreja entende por "ajudá-los a descobrir a sua identidade de homem ou mulher, que se diferenciam sexualmente e se complementam numa relação de amor". Com honrosas excepções, a Igreja não se limita a promover um processo de descoberta, dirige-o no sentido dos seus próprios estereotipos. Além de tornar o amor e o compromisso condições obrigatórias para os comportamentos sexuais, o que é irrealista e totalitário. Acresce que "amor" e "compromisso" não passam, muitas vezes, de sinónimos politicamente (mais) correctos de casamento.


P.S. Colocar Albino Aroso na lista dos médicos mais dedicados do mundo é um acto de justiça. Logo, que se saúda, mas não agradece.

50 comentários:

fora-de-lei disse...

"Com honrosas excepções, a Igreja não se limita a promover um processo de descoberta, dirige-o no sentido dos seus próprios estereotipos. Além de tornar o amor e o compromisso condições obrigatórias para os comportamentos sexuais, o que é irrealista e totalitário."

Professor, pode ser irrealista e até totalitário, mas todo o mal da Igreja fosse esse... Não vamos esperar que a Igreja defenda que a malta se ponha para aí toda a "afiar o lápis" a torto e a direito, não é ?!

E a mim, que tenho muito pouco de católico, não me custa nada aceitar que "a forma mais segura de educar os adolescentes e os jovens para uma saudável integração da sexualidade é ajudá-los a descobrir a sua identidade de homem ou mulher, que se diferenciam sexualmente e se complementam numa relação de amor".

lobices disse...

...permito-me subscrever
...abraço

des contraído disse...

A mundialização capitalista com as suas regras de ‘acumulação do capital’, a mundialização comunista com as suas regras de acumulação de igualdade, e a mundialização cristã com as suas regras de acumulação da virtude são buracos negros que, como abafadores, não permitem jogos entre consciência individuais, nem a livre manifestação da diversidade das idiossincrasias.

A frase de Rosa Luxemburgo, em ‘Reforma ou Revolução’, 'Não se pode lançar contra os operários insulto mais grosseiro, nem calúnia mais indigna que a frase "as polémicas são para os académicos"' aplica-se, hoje, a quem, como leigo, ou como correligionário de qualquer facção política ou religiosa, queira confrontar os seus dogmas, sejam políticos, ou religiosos.

Resta aguentá-los, ignorá-los, ou rebentar com eles.

River disse...

Caro Professor,
em relação ao seu Post de hj, apenas manifestoa a minha concordância c/ as suas palavras.

Queria apenas aproveitar p/ pedira a sua opinião sobre as palavras do Ministro da Educação? (aquelas em q dá a entender q os médicos do SNS são "calões"... e os Administradores hospitalares ñ "conseguem" controlar os seus horários e assíduidade...!!!)

Mt obrigado!
bjs (pró Douro)

sofialisboa disse...

sempre a eterna guerra entre a vida religiosa e a vida civil (se é que se pode dizer assim) o que posso dizer é que cada um educa os filhos como quer e nisso a igreija só entra pela mão dos pais...complexo não é? bem o que posso dizer? esta comissão tem pessoas com trabalho realizado, mas não nos esqueçamos que a igreija católica ainda tem muito peso por cá...cada um que faça o melhor pelos seus. sofialisboa

Anónimo disse...

Alguém quererá fazer o favor de fazer uma sugestão ao Governo? Que tal decretar a obrigatoriedade de assistência/participação dos encarregados de educação nas horas dedicadas à educação sexual (ou será que é de chamar, apenas, "sanitária"?
Posso partilhar neste blog a minha experiência nessa área dizendo que a primeira preocupação, quando confrontada com a primeira experiência sexual da minha filha (17 anos), acompanhando o que se chama a 1ª vez, foi de perguntar "se tinha sido bom, se tinha sido bonito e se tinha sido como ela imaginava". Pergunto, e no blog de tão afamado Professor, cabe bem esta pergunta: quantos pais já fizeram esta pergunta aos filhos. E eu, por acaso, sou católica. Alice

Anónimo disse...

ó anónimo das 2:46 para sua informação foi demais, lá bonito não sei porque estava escuro, mas foi melhor do que ela imaginava, até ficou a dormir, encontramo-nos na missa do costume. Siau

Angie disse...

Concordo em absoluto quanto ao "totalitarismo", insuportável nos dis de hoje, da religião católica (as outras de génese cristâ são piores ainda).
Causa, aliás, da sua progressiva desdequação social.
Mas felizmente há 1 discurso oficial e outro oficioso.
É feio, mas há.
E conto mais: existe uma consciência perfeita (e rejeição) desse abuso por parte de alguns, não tão raros assim ministros da Santa Madre Igreja que conheço.
O óptimo é inimigo do bom...

Anónimo disse...

Prof. Júlio Machado Vaz - faria uma sugestão, agora a si. À semelhança do Abrupto, porque não "filtra" os comentários que são colocados no seu blog?
Foi pena esta resposta ao meu comentário, porque a intenção era excelente: "alertar para um problema que também existe - os pais - dos tais adolescentes que vão "levar" com "sabe-se lá" que tipo de pessoas a dar dicas de "sanidade mental" - que é coisa que este meu colega de coments não tem !!!!!!!!!!!!!! Alice

Anónimo disse...

Ó Alice eu não a queria incomodar!!!!! António

Anónimo disse...

sofialisboa 2:44 PM

E isso para não se falar do velho Igreija Caero...:-)

Anónimo disse...

Não será antes o Xico Caixeiro?

Conselho disse...

"ajudá-los a descobrir a sua identidade de homem ou mulher, que se diferenciam sexualmente e se complementam numa relação de amor".
Fico tão feliz com essa frase que me ponho logo a imaginar a vida sexual e complementar do José com a virgem Maria. Ou seja já que o José via maritalmente porque é que não lhe chamam o virgem José, e se ele não era virgem será que ia para a cama com outra? Será que se complementavam sexualmente, será que estes pensamentos são porcalhões? Será que Paulo Portas se vai candidatar? (Glup, enganei-me no blog)

Manolo Heredia disse...

A Deus o que é de Deus, a César o que é de César.
Desde que o Imperador NãoSeiQuantos decidiu adoptar a Religião Católica Romana no Império, cada um faz o seu trabalho. A Comissão Episcopal de ... fez a sua parte, o Grupo do JMV fez a sua.
Não se passa nada, afinal!

Julio Machado Vaz disse...

River,
Presumo que se refere ao Ministro da Saúde. Os médicos pertencem -Júlio Machado Vaz incluído! - a uma elite neste país, negá-lo é hipocrisia. E não só neste país, a Medicina resiste ao declínio dos ismos e ganha ainda mais poder, lida com sofrimento e morte, o progressivo aumento de justas reivindicações por parte dos utilizadores do Sistema ainda não equilibrou os pratos da balança. Assim: devo informá-lo que eu próprio, quando ocupei lugares de chefia, fui incapaz de obter de todos os meus colegas a aceitação e prática pacíficas de horários que considerei generosos, jamais levados a fio de espada. É pena, sai caro e prejudica os doentes. Resta-me sublinhar o emprego da palavra "todos", chefiei gente de pontualidade e assiduidade sem sombra de pecado.

Julio Machado Vaz disse...

Maralhal,
Chamo a atenção para o facto de ter escrito "certa Igreja", todos os dias encontro exemplos de uma visão mais aberta da relação entre Fé e Sexualidade. Quanto aos católicos - que também são Igreja... - cada vez são mais os que abordam o tema a partir da sua consciência (católica) e não de preceitos indiscutíveis.

Angie disse...

Prof. JMV
Por práticas semelhantes às suas (conscenciosas) muitos inimigos se ganham, não é?
(embora eu não acredite que haja quem seja capaz de ser seu inimigo, você não deixa...)
Mas quando um director de serviços hospitalares vai ao fundo das questões, e leva a''chefia'' até ao fim, obrigando ao cumprimento dos horários e à utilização, por exemplo, dos blocos operatórios em full time (o contribuinte paga-os de qualquer maneira, mas os médicos é que só operam de manhã, à tarde têm as clínicas...)é odiado pelos colegas e idolatrado pelos pacientes (que topam esta coisa, é de ver, porque se reflecte na obra feita).
Por essas e por outras é que o Prof. Manuel Antunes é o incompreendido do século: ele não está com meis medidas e justamente por isso tem os scores de serviço aos utentes que se conhecem (a rebentar qualquer escala)!
Há muito quem gostasse de lhe incendiar o carro cá pelos HUC...
Mas ele tranquilamente começaria a andar de Fiat Punto sem um galão a menos.
Quanto aos incendiários...não lhes queria estar na pele. O homem tem um mau humor proverbial e de fugir...

Nuno disse...

O que se vê constantemente nesta questão da educação sexual é o empurrar para os outros da suposta incómoda questão, ou então o tipico fechar de olhos e não tocar em nada. Se os adultos têm problemas em lidar com a sua sexualidade como é que vão a preconizar a crianças?
Não creio de que seja uma questão de religião, até porque a grande maioria dos supostos católicos não o são nem de perto, trata-se de imposições registadas no sotão das memórias que têm de ser cumpridas apenas porque sim, porque sempre foi e há o medo de enfrentar a mudança.

cabras.ponto.pt disse...

como educadoras concordamos em pleno.

naoseiquenome usar disse...

River:
1)A grande maioria dos médicos não cumpre nem a pontualidade/assiduidade, nem o seu dever enquanto profissional que é o de cuidar dos doentes com toda a dedicação e zelo, que para tanto fizeram juramento.Isto, falando no SNS, calro. E isto, porque outros valores (€) mais altos se levantam.
Há excepções. Temos de o dizer.
2)O serviço do Prof. Manuel Antunes tem o score que tem, porque paga lindamente a tosdos os médicos do serviço, que assim ewstão lá em exclusividade, a que acrescem prémios de produtividade. Por outro lado, a gestão dos doentes fica facilitada pelo facto de só ser doente do serviço quem for aceite como tal.

Educação sexual: para mim, tem de ter uma abordagem sistémica e transversal, garantindo-se o respeito pelos princípios e tradições de cada um/dos vários "núcleos" existentes, mas com alargamento da discussão, saudável, em todas as direcções possíveis. As nossas criancinhas não são nada burras. Se lhe dermos um vasto leque de informação articulada e com sentido, sabê-la-ão desenvolver e farão as suas opções no futuro, de acordo com o que considerarem mais válido.

-Stardust- disse...

(estou por aqui... a ler..)

=)

fad disse...

Prof.
Se pudessem uma certa igreja manteria o povo como na idade média...
Lembro que o index só foi abolido há meiaduzia de anos e vigorou 5oo anos
....Palavras para quê'

Anónimo disse...

Enquanto a Igreja Católica não resolver a questão do exercício humanamente legítimo e digno da sexualidade dos seus próprios membros,-pelo menos os sacerdotes - não vai haver abertura, nem clemência para os "pecadores". Esquecem-se esses santos homens que a Basílica do Vaticano, também foi construído com os impostos das prostitutas de Roma.
É o modelo feminino é ser "santa".Não ouviram o Cardeal Patriarca na Procissão das velas?
Eu por acaso conheço várias, que aturam bêbados e porrada.

magnificat disse...

Eles sabem que o ser humano é finito e vai morrer. E que quando está terminal, o sexo, a sida, as gravidezes infantis (miudas de 11 e 12 anos) são assuntos que nada dizem a um moribundo. Logo, eles contam, como os abutres, com a decomposição do corpo. Porque a alma, mesmo que seja uma alma sacana, é que interessa...

Melquíades disse...

Sei que o tema não é a assiduidade dos médicos, mas não podia deixar de defender aquilo que conheço, da equipa de cirurgia do porto em relação ao Prof. Manuel Antunes.
1º Vejas as instalações dos HUC em relação a Gaia e ao S. João, os dinheiros de uns e outros.
2º A selecçao criteriosa de doentes pelo serviço do Prof Manuel Antunes, onde so aceitam doentes magros e com provas funcionais respiratórias quase imaculadas, deixando os gordos, fumadores e etc para os restantes serviços, que veja-se nao têm metade das qualidades a nivel de instalações, mas que porventura nao ficam atrás em termos técnicos e de listas de espera.
O sr Ministro que dê as mesmas condiçoes a outras pessoas e vao ver se nao fazemos tao bem ou melhor.
Quanto ao ensino de ed sexual nas escolas penso ser muito bem vinda, nao se trata só de relações entre rapaz/rapariga mas também a prevenção de gravidez e muito mais a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, num país onde os jovens ainda se sentem relutantes ao uso de preservativo e onde o HIV tem marcado pontos. Nunca nos podemos esqueçer que por vontade da Igreja Católica, que agora segundo consta é calçada pela Prada, continuaríamos a ser um rebanho conduzido por um pastor, conduzidos por uma ideia de medo, de terror de pecados mortais.

Anónimo disse...

Eu volto um pouco atrás
Parabéns Alice - Gostei
Falando em partilhar, eu não tenho uma má experiência. Fiz por educar os meus filhos, agora no fim da adolescência, com a maior abertura, mas com alguma dificuldade em personalizar os temas. Acho que lhes transmiti bastante informação, mas sempre teórica. A minha mulher nem teórica, deixou esses assuntos para mim. Está de parabéns – ser capaz de entrar nessas “intimidades” com os filhos é dose! JMV que se cuide porque se a moda pega - adeus psiquiatras!
Luis Boavida

Anónimo disse...

Olá a todos!
Hoje não me apetece comentar nada. Embora reconheça que o 'post' é interessante. Só queria dizer que estive ausente por uns dias a 'curtir' uma cólica renal e lamento que na clínica não houvesse ligação à Net porque tinha sido uma maneira de me distrair. Tive cá um síndroma de abstinência do MURCON que nem vos passa pela cabeça....
Professor, I'm addict!

Pamina disse...

Boa noite,

Estão aqui 2 links, onde poderão ler o Relatório Preliminar do Grupo de trabalho de Educação Sexual e o Parecer da Comissão Episcopal da Educação Cristã. O Relatório completo é um documento com 37 páginas, mas a 1ª, onde vêm mencionados os 10 pontos principais, já dá uma boa ideia daquilo que é proposto.

Quanto à alínea 1 do post, realmente basta ler os pontos 5 e 6 do R.P. para verificar que não se propõe a criação de uma disciplina de Educação Sexual, mas sim o aproveitamento, segundo o termo usado no Relatório, das áreas curriculares não disciplinares. Já tenho discutido este assunto com o Viktor e outros professores e todos se têm manifestado a favor desta solução. A Comissão Episcopal não concorda com "a perspectiva da transversalidade a todas as disciplinas", pois considera que isso causará uma "inevitável desorientação resultante da multiplicidade de mentalidades e de critérios dos professores…" e contrapõe, sugerindo a inclusão de uma área curricular não disciplinar de "Educação da Sexualidade" na Componente de Formação Pessoal e Social. Segundo informações que tenho, esta Componente de Formação Pessoal e Social é um tempo lectivo de 45minutos semanais cujas denominações mais habituais, segundo as várias "ofertas" das escolas, são: "Educação Moral Religiosa Católica", "Educação Moral Religiosa Evangélica (ou outras confissões)" ou uma versão laica chamada "Desenvolvimento Pessoal e Social" (quase nenhuma escola tem). A maioria das escolas tem neste tempo "Educação Moral Religiosa Católica", portanto, trocado por miúdos, parece-me que a Comissão Episcopal sugere que a "Educação da Sexualidade" seja leccionada pelos professores de "Religião e Moral".

Quanto à alínea 2 do post, penso que neste caso o que parece é. Também interpreto o período citado do Parecer dessa maneira.
Francamente arrepia-me um pouco o modo como as frases estão formuladas. "Ajudá-los a descobrir" poderá descambar perigosamente em "fazer-lhes a cabeça" e "que se diferenciam sexualmente e se complementam numa relação de amor", para além da conotação já mencionada no post, nega claramente a homossexualidade. O que é que se faz, no caso de alunos que acabem de descobrir, com todo o sofrimento que isso implica, uma orientação sexual não heterossexual?

Vou fazer copy/paste de uma parte do Relatório de que gostei muito, para quem não tenha paciência de o percorrer. Acho que merece a pena ler (vem a seguir).

Pamina disse...

Excerto do R.P. da G.T.E.S.

Deve promover, numa perspectiva de educação global do indivíduo, a capacidade de ouvir, de negociar, de respeitar o outro, de tomar decisões, de reconhecer pressões, ou de destacar a informação pertinente. Na ES é essencial, por outro lado, discutir e compreender as diversas perspectivas morais e sociais sobre a sexualidade, numa posição de respeito pelas diferenças culturais existentes.
A ES deve ter em conta que a sociedade actual pode fornecer informação contraditória sobre as questões da sexualidade, por exemplo salientando os seus riscos, ao mesmo tempo que promove a ligação entre o sucesso e o desempenho sexual. Nesse sentido, a ES deve fornecer o contexto onde os mais novos possam discernir a complexidade das mensagens, sem esquecer discutir o quadro ético dos seus comportamentos, numa perspectiva de respeito pelas diversas opiniões em presença.
A ES deve facultar aos jovens, para além da informação necessária, a oportunidade de compreender a dimensão afectiva da sexualidade, ajudando-os a compreender as emoções, os sentimentos e as decisões envolvidos no comportamento sexual. A informação na ES deve ter sempre em conta a diversidade de fontes informativas (família, escola, amigos, livros e revistas, Internet etc.), perceber o que é conhecido, corrigir o que foi incorrectamente compreendido e acrescentar os conteúdos em falta. (Sem uma informação correcta, discutida e actualizada em diversos contextos, aumenta a possibilidade de comportamentos de risco.)
Costuma considerar-se que existem dois tipos de ES, a Educação Sexual Informal e a Educação Sexual Formal. No primeiro, a aprendizagem processa-se de forma não intencional e está presente nas diversas vivências do quotidiano. O sujeito, mesmo que não receba qualquer formação específica na área da sexualidade, é sempre influenciado pela contínua transmissão de atitudes e crenças sobre o tema, nos diversos territórios onde se move. Este tipo de influência é importante, mas precisa de ser complementado por intervenções estruturadas e sistematizadas, com o objectivo de possibilitar aos jovens um conjunto organizado de conhecimentos: a ES formal, de carácter intencional. No processo global de ES, é inevitável o entrecruzamento da aprendizagem formal e informal, facto que todos os programas deverão ter em conta, procurando a síntese possível.
A ES em Meio Escolar destaca a escola como local privilegiado para possibilitar aos jovens um aumento dos seus conhecimentos na área da sexualidade, bem como reconhece a importância do território educativo para a promoção de atitudes e comportamentos adequados e com menores riscos. Na maioria dos países, a ES faz parte do processo educativo global embora, como possa verificar-se adiante, existam diversas maneiras de a levar à prática.
Contextos muito diversos podem, como vimos, fornecer oportunidades para a ES. A família é um espaço emocional crucial para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos saudáveis na área da sexualidade e os pais devem ter um papel importante em qualquer programa de ES em meio escolar. Em casa, existem muitos momentos de troca de impressões entre pais e filhos, onde podem ser focadas diversas preocupações e dúvidas dos mais novos. No caso de um programa sediado na escola, os encarregados de educação devem ser chamados a participar em diversas fases do processo. Algumas experiências de envolvimento de jovens (mais velhos do que os destinatários) em programas de ES têm-se mostrado muito promissoras, pela maior proximidade etária dos monitores, facto que facilita a comunicação com os mais novos.

peciscas disse...

A razão de ser primeira do meu comentário tem mais a ver com o P.S.(do seu post, claro...) mas, de raspão, sempre quero dizer que a Igreja, como instituição, tem, como se diria em gíria futebolística, alguma "dureza de rins" para conseguir adaptar-se às evoluções sociais. Bem tenta, por vezes, aparentar uma amplitude de visão que, afinal, acaba por se verificar que não ultrapassa a de um ângulo agudo.
Mas o que eu queria era mesmo falar do Dr. Albino Aroso. Há muitos anos atrás, ainda a mera colocação da hipótese de se falar nas escolas de Educação Sexual levantava ondas de choque e indignação, com declarações públicas inflamadas de Associações de Pais e outras agremiações e já o Dr Aroso andava por aí a falar, de uma forma simples mas rigorosa de questões relacionadas com a sexualidade, em particular na adolescência.
Esteve na escola onde trabalho e em muitas outras, de modo totalmente generoso.
Há, de facto, pessoas que,sem fazerem grande alarido, têm uma vida de dedicação aos outros que. com frequência, passa sem o devido reconhecmento.
Deste modo, subscrevo, por inteiro o seu P.S. (do post, repito).

Sical disse...

Já repararam que o celibato e castidade (sexual)dos padres católocos só decorre a partir do século XVI, depois do Concilio de Trento. Até aí isso não era problema.

Julio Machado Vaz disse...

Anónimo das 10.15,
Sorry:).

andorinha disse...

Boa noite.

Hoje não vou comentar. Faço como a Stardust - fico por aqui e vou lendo...

Anónimo disse...

Mário Soares recebeu hoje dois importantes apoios internacionais à sua candidatura à Presidência da República: Parkinson e Alzheimer.

futurama disse...

Noisy, por onde anda? Você é um mau, só aparece no fim da festa quando já estámos demasiado entediados para o aplaudir ;( pessoalmente como leitora deste blog já ouvi aqui estas mesmas frases sobre os médicos ad putridum. Esperava mais frissom sobre a educação sexual, que julgo totalmente insuficiente na óptica da Igreja e das religiões em geral. Ou estarei assim tão desfazada da realidade?

Angie disse...

Eh... Eh… (onomatopaica incitando à calma…) nunca imaginei que o meu comentário acerca do Prof. Manuel Antunes gerasse agitação!
Apenas me ocorreu citá-lo, com toda a espontaneidade, face ao comentário do Prof. JMV, porque de facto o seu caso é mesmo exemplar (e não vou divinizar, só digo que é exemplar).
Mas esqueci-me imprudentemente do factor ‘’C’’ (corporativismo), que obviamente também por aqui anda! Como não, se anda por todo o lado?!
E claro que este funciona das 2 maneiras: quer para agregar, quer, pelas mesmíssimas razões, para denegrir (mesmo com a curialidade que a elegância profissional impõe…), quando o alvo é um outsider dos sistema!
Pois é:
Eu não quis partir loiça alguma, mas já agora e então sempre digo também que a reacção em 2 posts só vem comprovar a ‘’minha’’ tese: ele é de facto a personificação do anti-paradigma, tendo por referência o que existe e conhecemos: o paradigma que todos querem fazer-nos crer que é único possível (o do modelo dominante)!
Portanto, aqui temos a reacção!!! Quod erat demostrandum…
Mas, lá por não ter querido primeiro fazer polémica, não quer dizer que venha fazê-la agora,
Por isso, antes de mais entendamo-nos: nada tenho contra os médicos.
Pelo contrário.
Não pertencendo à classe, tenho com ela muitos e estreitos laços. O que me leva a ter a noção clara de que (apesar do corporativismo…), nem todos são iguais e há de tudo ‘’como na ’’ farmácia ’’. Penso até, que, na generalidade, as pessoas cumprem bem e se calhar acima da média, sendo naquelas coisas piores que possa haver um pouco as vítimas (satisfeitas…) do sistema.
CONTUDO: não brinquemos…
Scores são scores: são números, reais, não manipuláveis! Está bem, sabemos que MA faz a triagem dos pacientes (não tanto como a caricatura...) mas, se ele operou 5000 ‘’magros’’, quantos (magros+gordos) operam os outros?
E ele atinge o score porque lhe pagam bem? Como assim? Alguém de bom senso acredita que é o dinheiro que o move? A eficiência não será antes a causa do ordenado, e não a consequência?! Claro que é. Ainda bem que ele ganha bem: merece cada cêntimo que ganha…Quantos podem dizer o mesmo? E tenham lá pachorra, mas alguém tem dúvidas de que ele ganharia o quíntuplo se fizesse privada?! Era só querer! Pois é…e aí toda a gente se calava, curiosamente. Mas o problema é esse: é que ele não faz privada, está sempre no serviço, continua lá quando os outros debandam…e por isso chega a ser quem é. Não, não falamos de lendas, mas de obra feita. Pessoas reais, vidas reabilitadas, gente de todos os estratos sociais: vão ver o serviço de olhinhos abertos e inveja na algibeira…
E desenganem-se: nada tenho também contra a medicina privada. Pelo contrário: ainda bem que temos médicos nos seus consultórios, senão…Estou é contra a mistura perversa das 2 coisas: estado (SNS) e mercado (privada). É um ciclo vicioso, topam? Género: a pública não dá resposta a tudo, logo, há que admitir a privada, que por sua vez existe porque lá estão os que também estão na pública…São sempre os mesmos!!! Como é que a pública há-de funcionar bem desta maneira?! Não, não sou contra a privada. Sou é contra a acumulação das 2 coisas!!! Um advogado não pode ser do MP ou da magistratura, Um quadro superior da AP não pode advogar, ainda que qualificado para o efeito (c/ exame à Ordem e tudo). Não podem acumular E BEM.
Portanto, por que raio há profissões…e profissões?! Moralidades e…moralidades?!
Não: isso não me parece bem.
Por essa razão, porque é um craque, um defensor da medicina social na verdadeira acepção da palavra e um profissional dotado de 1 sensibilidade gestionária notável é que MA é um exemplo.
Desculpem lá: repito que nada tenho contra a classe médica, mas tenho olhos na cara para ver. E aliás, o rei vai nú…
E sabem que mais? Tenham cautela nas justificações porque esta opinião (serena) que tenho é a de muita gente. As pessoas já não embarcam em qualquer coisa….
Amigos na mesma: pró- MA; nada contra os médicos; a favor da mudança.
Não assino, mas não sou a Leonor Beleza....

noiseformind disse...

Ju, Ju, Ju,
Snif, Snif, Snif...
Encontro-me oficialmente desiludido com este teu post ;(
Então que fidelidade ao saber livresco é essa? Um mero jornal Público??????????????????????? A tua análise vai assim tão pouco fundo? Que se passa para justificar tamanhos problemas de penetração
; )))))))))))))))))
Um dos meus vícios (além do sexo em grupo, que aliás não tem nenhuns efeitos secundários) é coleccionar livros sobre sexualidade. E num dos meus favoritos pode ler-se algo que se poderia dizer tirado a papel químico deste comunicado. Passo a transcrever/ ditar para o computador:

"Esta expressão [educação sexual], até há pouco chocante para certos meios, é hoje absolutamente normal e de todos aceite como designativa de importante capítulo do assunto geral de vastíssimo da educação humana e cristã. Entendendo por «educação seuxal» a instrução ministrada relativamente aos problemas do sexo, é evidente que estoutra terminologia «educação da vontade» seria muit mais exacta, visto que o elemento predominante neste esfoço educativo dos jovens há-de ser sempre a aaquisição de bons hábitos. No entanto, a expressão «educação sexual» tornou-se designação comum, e, por isso, a aceitamos, em sentido usual moderno. Consideramos, pois, como «educaçao sexual» não somente o ensino das questões respeitantes ao sexo, senão tamém o exercício para a aquisição de bns hábitos, necessários aos homens neste ângulo especial da sua vida. Não e instrução sexual, senão educação sexual, poque não pretendemos dar só instrução sobre determinados assuntos, mas também provocar o exercício das energias biopsíquicas do jovem para conveiente desnvolvimento da actividade humana, a respeito da qual se deseja instruir. Há que declarar, primeiramente, que este tipo de educação é necessário soa jovens, como necessário é qualquer aspecto da educação integral humana; mais, que é atéindispensável, além disso, tanto em ordem a uma acertada e prudente celebração do casamento, como em relação a estados humanos mais elevados, como o celibato ou a virgindade."

Àparte da parte anedótica final (de a educação sexual ser fundamental para perceber os estados mais "elevados" da virgindade e do celibato) não estaria D. Sebastião Soares de Resende, Bispo da Beira, em condições de acusar a Conf Episcopal de PLÁGIO????????????!!!!!!!!!?????????!!!!!!!!!?????????? É que quase textualmente os maganos dos putos-bispos, que em 1962 eram, quando muito, ainda jovens padres, copiaram o texto do pobre e já falecido bispo quase palavra por palavra.

Por aqui (e por muitos outros livros, como o liberado pela Diocese de Braga chamado "Jovem, já és um Homenzinho") se vê que o discurso da Ibreja em mais de 40 anos cristalizou totalmente. O livro mais antigo que tenho (datado de 1885) chama-se Higiene e Celibato (apesar de falar praticamente na íntegra no Casamento) e dele até ao mais recente (o tal "Jovem, já és um Homenzinho") a linha é flat, como as ondas de uma praia algarvia com a Lua Nova ; )))))))))

A questão, quanto a mim, prende-se com a problemática de o sexo ser uma obsessão fundamental do Estado. Como não o podia regular directamente o Estado alegremente delegou na Igreja essa tarefa. E os Pregadores lá foram fazendo o que podiam, condenando tudo o que fosse não conforme. Claro que com a Reforma e a colocação da felicididade do Homem À frente do seu "propósito" (purpose em Inglês) foi uma dura machadada na pregação. Afinal aquela sensação não era apenas uma "marca do pecado" nem sequer a sensação de nojo era sinal da repulsa que se sentia pelo acto. Afinal eram tudo resultado de uma quebra hormonal perfeitamente natural. E aí começaram os tumultos.

Caríssim@s,
Só posso falar de educação sexual escolar na vertente das escolas que visitei nos últimos 2 anos a convite de colegas que lá estavam sitiados e do contacto com algumas psis a trabalhar em CAD's. E o panorama é mais semelhante a regressão do que a qualquer estabilização ou estagnação. Penso que muitas vezes pensámos que o pior é a estagnação, mas há pior, há a regressão, há o retorno a comportamentos de risco, há a falta de apoios para campanhas de divulgação do preservativo, há os CAD onde 9000 pessoas vão ser testadas e cerca de 1/10 não vai lá levantar os exames sendo que desse 1/10 35% têm testes positivos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! A Igreja Católica vai assobiando para o lado, afinal que percentagem têm eles de jovens para pastorear? 10%? 8%? Os putos vão lá fazer a Comunhão, cada vez mais a primeira, depois voltam lá para o Crisma, aparecem um dia para marcar casamento, que poder tem a Igreja nestes campos a nível prático? A resposta, como é óbvio, é NENHUM!!! Portanto que lhes resta? Protegerem-se diante dos velhinhos que por cá ficam. Lembro-me do primeiro CPM em que fui convidado a falar, a velhinha enfermeira que os ministrava escreveu rapidamente carta ao Bispo do Porto dizendo que lá se falavam de coisas tão terríveis como a "pirula" e o "preservativo". A coisa ganhou contornos de Inquisição e só me safei de reprimenda maior pq garanti que não tinha falado rigorosamente nada desses assuntos, PQ TODOS ELES JÁ ESTAVAM INSTRUIDOS NELES!!!!!!!!!!! E que iria fazer o Bispo? Excomungar tão zelosos jovens dos seus Vicentinos? Da sua JUFRA? Claro que não!!! Se não foi ensinado publicamente então é crime privado e para isso os cristãos têm a confissão.

Mas o problema da relação perversa Amor/Sexo não acaba com o fim da pratica institucionalizada de uma religião. Mesmo sem qq expressão religiosa não poucas são as mulheres que continuam À espera do seu verdadeiro amor para resolver problemas de ausência de excitação ou situações complexantes e/ou inibidoras com o "Sentimento". Aliás, nas discotecas tripeiras ainda se ouve muito o "quero-te sentir" como forma aparvalhada de mastodonte de Gondomar tentar engatar miuda de Nevolgilde tentando dizer assim "quero-te foder" com toda a elegância. Pq ainda não entrou na cabeça da massa indiferenciada e amorfa de tudas que o SEXO, sim, o SSSEEEXXXOOO, APRENDE-SE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

APRENDE-SE A FAZER SEXO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A sério!!!!!!!!!!!!!!!! Parece chocante pessoal, mas é verdade!!!!!!!!!!!! Pq é que as pessoas não falam de transformações na qualidade sexual d@os parceiros? Tipo... pq é que as pessoas falam de uma pessoas BOA na cama ou MÁ na cama?????????? As pessoas não podem APRENDER?????????? Não podem MUDAR????????????????? Não podem DESCOBRIR????????????? A sério... pq é que neste país que segundo o estudo internacional da Durex se dão 109 quecas por ano, pq é que neste país em que em média cada tuga é abençoado com 1 acto sexual de 3 em 3 dias, as pessoas não EVOLUEM??????????? PQ não é assim que o sexo é visto. O sexo é visto e continuará a ser visto como algo que é inerente À identidade da pessoa!!!!!!!!!!!!! Ou se é ou não se é. Por isso mesmo ainda há muita pessoa que fala em "química" quando quer designar um bom parceir@!!!! Por isso mesmo é que tanta gente tem dificuldade em lidar com a sua frustração sexual numa relação afectivamente plena. Por isso é que ainda temos pessoas a engolirem ser aceitável um casal com 29 anos fazer sexo de 6 em 6 meses!!! Sim, e não é assim tão incomum como isso. O Síndroma Nuno alastra. As mulheres exigem, os homens encolhem-se, e o sexo passa a ser algo muito falado no casal mas fazê-lo???? Isso é outra história. Homens agarrados ao computador a noite toda enquanto que as suas esposas olham para os corpos corcundas deles iluminados na face. COntinuámos a identificar a sexualidade como algo que é assim e pronto.

A própria ideia das mulheres a partir de uma certa idade de que estãoa ficar mais selectivas ou dos homens que já aceitam uma de qq idade é de um absurdo só significativo num país africano. Não, as mulheres não estão a ficar mais selectivas, apenas estão a perceber que todos os homens fazem mais ou menos o mesmo e que o mesmo não quer dizer quase nada em termos de prazer. A própria preocupação com o prazer do outro é manifestada todos os fds nos milhares de broches que se fazem em carros um pouco por todo o nosso litoral (nas zonas interiores, no meio do mato) sem qq RETRIBUIÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!

O próprio conceito de ORGASMO continua a ser tão confuso que a maior parte das mulheres que se queixa de não o ter o faz não para satisfação própria mas sim PARA AGRADAR AO PARCEIRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Mas isso é um pensamento de alguém com alguma auto-estima sexual? Tipo... dizer que se quer ter um orgasmo para agradar ao parceiro? Quantos homens é que andam para aí a queixar-se de não terem um orgasmo para agradarem à parceira??????????? Tipo, estámos a entrar na toca do coelho, estámos a perder na selva do "agarra o que encontrares, usa e deita fora" a construção de indentidades sexuais entre as pessoas e não identidades sexuais de facto!!!!!!!!!!!!!!!

Fora-de-lei,
A malta devia afiar muito mais o lápis ; ))))))) pq com malta a afiar o lápis em 3 minutos não há mulher que consiga tirar o pó da passarinha dela, por mais lápis que o homem afie por noite ; )))))))))))))

Pamina,
Vamos lá falar de vivências do quotidiano. MASTURBAÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tipo, lês essa palavra no tal relatório??????????????????? Eu li... reli... treli (se calhar como leio muito depressa não deve ter apanhado ou então foi por ter lido já há uma semana que me esqueci)e o máximo que consegui encotnrar foi isto...

"6 - Propõe-se, também em cada agrupamento/escola, o aproveitamento das áreas curriculares não disciplinares (“área de projecto”, “estudo acompanhado”, “formação cívica” e “opção de escola”), para a abordagem da Educação para a Saúde em função das características da escola e dos docentes disponíveis com formação adequada. Este espaço curricular, obrigatório e com avaliação dos alunos, será complementar do referido no Ponto 5, e utilizado como período de exposição, reflexão e pesquisa."

Bem, agora fiquei mais descansado. formação Cívica!!!!!!! Imagino que neste sector os meninos portugueses serão iniciados na fantástica arte do "NÃO É NÃO!!!!!!!!!!!!!". Ou seja, que as miúdas quando dizem "NÃO" não estão a tentar dizer "SIM" de uma forma rebuscada (com 65% das mulheres com menos de 35 anos a dizerem que foram pressionadas verbalmente ou fisicamente para ter sexo, era capaz de ser uma boa ideia). Também podíamos ensinar aos miúdos que NÃO É ENGRAÇADO TER UM BÉBÉ PQ OS TEUS PAIS NÃO TE VÃO DAR MAIS ATENÇÃO A ISSO como acontece actualmente em muitas zonas de Lisboa, e não falo apenas de locais degradados.
Temos tb "estudo acompanhado". Excelente, e isto quer dizer que finalmente vamos abordar a masturbação na sua vertente acompanhada? Tipo, é que com estes paninhos quentes TODOS acaba-se por não se falar de SEXO!!!!!!!!!!!!!!

Toda a gente anda por aqui a dizer que se fala demasiado de sexo, mas depois compactam tudo a um acto mais ou menos cinzento que fazem com um parceir@ igualmente cinzento e temem que ensinar alguma coisa aos miúdos lhes possa tirar a certeza de eles serem tão ignorantes como eles próprios. Pq é este o medo! Não se iludam! Para os pais as redes informais de aprendizagem de "como o mundo é" por parte dos amig@os dos filh@s deverá bastar. Então se lhes bastou a eles!!!!!!!! Ora porra!!!!!!!!!!! Sexo oral??????????????? Os meus filhos não fazem isso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Sexo????????????????? Se lhes explicarmos como funciona um orgasmo vão-se meter todos a experimentar!!!!!!!!!!!!!! As respostas deste tipo a inquéritos na Tuga (como o da equipa de Boaventura Sousa Santos no final dos anos 90) são tão terceiro-mundistas que este tipo de interpretação pedante e superficial sobre o que deve ser a educação sexual acaba por a anular. Pq se vamos para lá dizer aos putos para não fazerem que é mau e se engravida e se apanha doenças eles percebem logo a marosca. "Então pq é que toda a gente anda a falar nisso, pq é que todos os filmes metem isso?". Tipo, eles não são parvos, são ignorantes e a maior parte que tirar um curso vai para o desemprego ou para o estrangeiro, mas não são parvos ; )))))))))))))))))

Beijos a todos

P.S. Futurama, satisfeita?

futurama disse...

Satisfeitíssima para além de qualquer um dos meus mais loucos sonhos... e texto imprimido para levar amanhã para a escola. Não tem direitos de autor pois não? hihihi

noiseformind disse...

E eu lá te exigia uma coisa dessas? Conheces-me muito mail... perdão: MUITO MAL!

Silence disse...

Noise,
"...Por isso mesmo ainda há muita pessoa que fala em "química" quando quer designar um bom parceir@!!!!" (????)

No teu ponto de vista, se eu entendi bem, todos temos o mesmo tipo da satisfação e prazer com qualquer pessoa desde que ele ou ela sigam o que se poderá chamar um bom desempenho sexual...Não há portanto diferenças...Não concordo mesmo nada!!! para ti o sexo é só uma acção fria e calculista despojada de qualquer sentido ou intimidade propriamente dita, conhecimento etc... Ou terei interpretado mal esta leitura??

noiseformind disse...

Silence,
Olhando para o post e para o teu reparo só posso interpretar que quando falei no alarmante grau de ignorância e prevalência de elemntos romanticizantes em relação ao sexo estava precisamente a falar de pessoas com essa abordagem. Não, os parceiros não são todos iguais por se CONHECER formas PRATICAS de fazer sexo. São todos iguais é quando a nossa ignorância sobre essas praticas nos leva a interpretá-los como unidades estagnadas, que são boas ou são más, que é o que acontece com a grande maioria de pessoal na Tuga. Mas claro, como vês tudo a preto e branco (mais ou menos como o gado, que tb é monocromático) para ti ou é "amor" ou então é "uma acção fria e calculista despojada de qualquer sentido ou intimidade propriamente dita, conhecimento etc". O que mostra que a culpa do teu comentário só pode ser minha, ou seja, como o comentário é muito grande foste passando por ele como por seara mondada e quando viste qq coisa que não concordavas lá foste tu a correr ao teclado como se não houvesse amanhã ; ))))))))))))))) Antes e depois de falar da "química" digo precisamente que o nosso lugar em diversas estatísticas deitapor terra a ideia de que o "Amor" é a função intrínseca da nossa sexualidade. Sermos ignorantes reduz as nossas possibiliade de independência de expressão sexual. Capice? ; )))))))))) a "frieza sexual" não tem nada a ver com "conhecimento sexual". É precisamente essa necessidade em ridicularizar o conhecimento e informação sexual que nos torna incapazes de cosntruir biografias sexuais relevantes em termos de relevância de satisfação, e o que contribui para que sejámos o país da União europeia em que a actividade sexual mais depressa decai dentro do casamento ; )))

ecologista disse...

que chatice ...
e onde pára a naturalidade?
ou teremos todos que treinar actuações?

Elle disse...

olhem pessoal, acho que estão a fazer uma péssima leitura do nosso Portugal. O qe não nos falta é naturalidade. Ou não fôssemos o país da UÉ com mais infectados com HIV. Acho que este enorme comentário do Sr. Noise devia estar à porta das escolas e ser distribuido aos miúdos, para eles perceberem o quão ignorantes são sobre sexo e por aí ficarem quietinhos até perceberem umas coisas. Isto dito por uma miúda de 23 anos que aprendeu a fazer sexo e que nem por um dia trocava este conhecimento por suposta naturalidades que normalmente querem dizer que ele vai atingir o orgasmo pouco depois de começar e nós no nosso Grande GRANDEEEEEEEEe amor não podemos reclamar. Visão mais chauvinista, porcaria de país, não há nenhum país que esteja a precisar de trolhas e aceite mandar para cá alguns homens por troca com os nossos?

noiseformind disse...

Elle,
loooooooooool loooooooooooool looooooooooooooool (essa do HIV... mais naturalidade que isso não pode haver, de facto)

Anónimo disse...

Desculpem passar por cima de toda a estimulante discussão que aqui estão a ter mas queria apenas e só agradecer ao Professor as incontáveis horas de prazer musical que me tem dado, muitas delas me têm enriquecido pois era totalmente ignorante nos caminhos do Jazz e estou agora deliciada a ouvir o Paul Motian Trio. Mais um novo espaço de aprendizagem se abriu para mim, todas estas texturas musicais e que agora me fazem companhia todo o dia, sem falta. Por isso, e por tudo o resto, que é imenso, O B R I G A D A!!!
Catrythn

ecologista disse...

sr elle e sra noise
não sejam assim...

Anónimo disse...

Noise disse:

"sejámos o país da União europeia em que a actividade sexual mais depressa decai dentro do casamento"

E eu diria: e floresce fora dele....

lekas disse...

Notícias do "mundo animal":

Por publicação no Diário da República, foi nomeada uma assessora para prestar serviço na "manutenção dos conteúdos da página oficial do Ministério da Justiça", site da DGAJ. Ordenado: € 3 254,00, subsídio de Natal, de férias e de refeição. A título de comparação é de referir que um juiz de ingresso aufere cerca de 2500,00. Responsabilidades tão diferentes...! Orgãos de soberania, indeed...

É caso para dizer: LOUVADOS SEJAM O NOISE E O VIKTOR!

Conselho disse...

Segundo consta a Conferência Episcopal decretou que o So-du-ku já é permitido aos membros da Igreja. Ainda não houve confirmação oficial, mas penso que não passa de um mal entendido.

noiseformind disse...

roxanne,
Eu e o Vik somos dos acessores mais mal pagos na blogsfera, snif snif snif snif snif.
Se eu usasse, diria que ando aqui por "amor À camisola". Mas quem me conhece sabe que só uso camisa loooooool loooool looooooool looooooool looooooool