sexta-feira, novembro 18, 2005

À portuguesa...

Hoje de manhã, alguém me questionava, irónico: "sempre quero ver se colocas um post sobre o artigo do teu amigalhaço". O artigo em causa era o do Miguel Sousa Tavares no Público sobre o caso das duas alunas, etc, etc... E a armadilha subjacente ao desafio traduz vício muito português: os amigos calam os desacordos, refugiando-se no silêncio cúmplice. Amigalhaço é um termo dúbio, prefiro dizer que me considero amigo do Miguel, só ele poderá confirmar que o inverso também é verdadeiro, eu acho que sim. E depois? Por que raio deveriam as nossas opiniões apenas divergir no futebol? E por que raio deveriam os desacordos pôr em risco a cordialidade da relação? É tão português:(, o hábito de não criticar membros das nossas "pandilhas" (a não ser portas adentro...). Não sou assim. Ele também não. E está farto de saber que não posso concordar com várias afirmações. Ex:

1) Considerar o exibicionismo sexual um "comportamento infelizmente muito típico das comunidades gays e lésbicas" traduz uma generalização injustificada sobre elas. Por outro lado, se o comportamento das miúdas foi o que me descreveram - admito que haja outras versões -, resta decidir se o podemos considerar exibicionista, sobretudo quando o sabemos frequentíssimo entre os heterossexuais.

2) Pôr aspas a cercar a palavra afectos, dizendo o termo próprio dos politicamente correctos, é incompreensível. A menos que se admita a impossibilidade de duas pessoas do mesmo sexo sentirem afecto uma pela outra. Ou se preconize que os heterossexuais podem traduzir os afectos por comportamentos, mas os homossexuais não.

3) Ainda não vi por parte dos colegas das referidas alunas manifestações de choque ou repúdio que justifiquem a preocupação do Miguel com o seu bem-estar.

4) Não tenho dados que permitam classificar o comportamento das miúdas como "atitude voluntariamente desafiadora de exibicionistas sexuais".

5) Estou de acordo que as boas maneiras e bom gosto se ensinam e se aprendem, mas sem distinção pela orientação sexual, há comportamentos heterossexuais inaceitáveis em meio escolar ou público em geral.

6) Por último, confesso que, embora o episódio tresande a discriminação, não me provocou "a habitual erecção escandalizada dos mentores do politicamente correcto".
Mas talvez isso se deva - hélas!:( - à minha provecta idade...

113 comentários:

noiseformind disse...

Ao Director do Jornal Público

Peter Silva Maia
BI nro xxxxxxxx
Rua dos xxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxx
Porto
Nro de tele xxxxxxxxxxxxx

Sexólogo, formado por Johns Hopkins College com Major em HSB (Human Sexual Behavior)

Não posso deixar de ficar indignado com as palavras de Miguel Sousa Tavares (de ora em diante MST) que foram difundidas pelo vosso jornal hoje mesmo (18-11-2005). Quando ele diz que “o problema não é as miúdas amarem-se ou desejarem-se intensamente: é que os restantes colegas da escola não têm nada a ver com isso, nem têm de ser expostos ás demosntrações públicas de tais “afectos”” está a cometer uma enormidade em termos de TOTAL falsidade relativamente à questão que está a analisar.

1- Em primeiro lugar as raparigas em causa têm 16 e 18 anos! Não “14 e 15 anos” como MST pretende logo à partida viciar. Para alguém que assina como jornalista começa logo à partida por mostrar um apego muito baixo ás fontes, nem que fosse ler o artigo que até vem bem documentado no Público de Sábado passado!

2- Seguidamente diz que os colegas não têm de ser “expostos” a tais “afectos”. Ora o uso destas palavras demonstra uma tremenda ignorância em relação aos mecanismos do determinismo da identidade sexual, que só pode existir em alguém que não se quer esclarecer. A ignorância pega tanto nos católicos ou nos leigos. E não vejo em nenhum estudo (…) NENHUMA indicação de que estar “exposto” a actividades íntimas entre pessoas do mesmo sexo seja factor de determinação na identidade sexual. Aliás, MST, tão “jornalista”, recusa-se a usar o termo actualmente correcto (e não é politicamente correcto, é correcto segundo a APA e a OMS) de identidade sexual, usando e abusando da palavra orientação como que para determinar o nexo de causa entre a existência de homossexuais e a expressão de comportamentos homossexuais.

3- Depois fala em TOTAL IGUALDADE de DIREITOS mas logo a seguir diz que “além do mais, trata-se de uma questão de boas maneiras e bom gosto – que são coisas que se devem ensinar e se devem aprender”. Ou seja, os homossexuais devem ser criados (por pais heterossexuais, sub-entenda-se, que o nosso paladino na sua heterossexualidade omnipresente nem acha necessário fazer sob a orientação de que a sua sexualidade é vexante e para não “exporem” os outros (heterossexuais, presume-se) ao contágio é assim e com essa responsabilidade que devem remeter-se a sítios mais recatados para aí darem largas ao seu péssimo mau gosto e más maneiras. Já os milhares de jovens que se beijam pelos milhares de escolas primárias, preparatórias e secundárias do país não correm o risco de terem más maneiras, quando muito de engravidarem ou apanharem uma DST, mas, valha-nos Sartre, ao menos não são homossexuais.

Não percebo como é que uma peça TOTALMENTE ausente de justificação de estudos, de fundamentação profissional ou mesmo de ética pode ver a luz do dia. Presumo que só o facto de MST ser uma “vaca sagrada” do nosso jornalismo justificou a aprovação da publicação de tamanhamente hediondo texto de cariz tão homofóbico.
MST, não se preocupe com João César das Neves, ele ao menos não teme a exposição dos heterossexuais por parte dos homossexuais, considera que a doença está auto-controlada porque estes vivem com a “benção de não se reproduzirem”.
Tudo bem que MST verbere contra a uva espanhola ou os dinheiros públicos, está no seu direito e pessoas com classificações nessas áreas dar-lhe-ão (se acharem interesse) troco. Mas quando pega em seres humanos e os maltrata pela sua sexualidade, como se fossem enjeitados ou padecentes de algum cancro só me posso manifestar totalmente indignado. Não vi aqui ainda nenhuma preocupação de MST para com DST, a questão da SIDA em Portugal, nada. “Incomodam-lhe” os homossexuais e pronto, a isso se resume a sua “intervenção”, se é que uma crónica feita das chatices semanais que acometeram o autor dessa crónica pode ser chamada trabalho de um jornalista. Incomoda-o supremamente um dia ir ao seu tão querido mercado do Campo de Ourique e ver duas pessoas do mesmo sexo a escolherem fruta, a apalparem as maçãs, a verem a qualidade da guelra dos peixes, etc, etc, etc. Para MST isso será logo motivo para se mudar para, imagino, um país islâmico, onde “essa gente”, dirá ele, não se manifestam! É que é sempre muito fácil falar dos ataques dos “intolerantes” quando se fala a partir de uma maioria. Não imagino o sofrimento de MST por não ter podido beijar a sua namorada em público, repreendido e depois vexado diariamente com piropos como “olha o hetero!”. Imagino que MST possa mandar os seus bitaites em plena segurança como membro dessa grande maioria homófoba “bem-educada” de que faz parte.

noiseformind disse...

Se eu fosse fã dessas ciências, dir-se-ia que foi telepatia ; )))))))))))))
Duvido que o PUBLICO publique a minha réplica ao homem...

Conserto disse...

Mais do mesmo à boa maneira do "modo social europeu".

"A democracia não supõe a igualdade dos homens, mas deve ignorar a sua desigualdade.
Não escamoteia a existência de diferenças de sexo, de origem, de cor, de religião e de capacidade intelectual ou outras, mas torna as pessoas indiferentes face a elas."

A frase não é minha mas tenho pena.
Isto como é lógico aplica-se a tudo e todos e não apenas à nossa maneira de pensar.
Mas, aqui para nós, é perfeitamente enquadrado do estilo cultivado por MST de macho-man de meia-idade, ídolo de não-jovens mães, Como se viu na entrevista que deu à Sousa Dias

Anónimo disse...

MST disse um dia que, face ao anti-tabagismo militante a que hoje em dia se assiste, os fumadores só serão novamente respeitados quando forem uma minoria, tal como o são os gays. Eu, que também sou fumador, dou-lhe razão!

Mas também dou toda a razão aos não-fumadores, pois ninguém tem que gramar o fumo dos outros. Mas então porque raio tenho eu que ser obrigado a ver duas 'fufas' ou dois 'maricas' na marmelada, em público?

MST é frontal ao dizer aquilo que pensa, sem se preocupar com o "politicamente correcto". É uma pena que MST seja 'andrade', mas não há ninguém perfeito...

Zezé Camarinha disse...

"Mas então porque raio tenho eu que ser obrigado a ver duas 'fufas' ou dois 'maricas' na marmelada, em público".
Concordo plenamente

Anónimo disse...

Pobres pequenos adultos que se esbarram de forma tão violenta com esta e outras mentalidades - espero que não lhes falte a família e amigos (próximos ou mais distantes) para as ajudar a continuar a crescer e com Saúde (fisica e mental).

O comentário do MST merece, na minha opinião, ser devidamente guardado para ser usado numa qualquer iniciativa sobre comportamentos de risco - fazendo parte da amostra, junto do alcool, a não utilização de preservativo, a partilha de agulhas, etc.

lobices disse...

...o MST escreveu uma coisa dessas?
...a sério?
...estou pasmado!...
...óh Miguel!...
...a liberdade também passa pela sexualidade de cada um; saiba-se respeitar para se ser respeitado.
...
...um dia, na estação de Stª. Apolónia, vi 2 homens abraçados e a beijarem-se na boca num acto de afecto e de amor já que um deles ia partir no combóio; olhei-os com naturalidade, respeitando a sua opção mas muito principalmente pela coragem de demonstrarem os afectos da mesma forma como se de um afectuoso aperto de mão se tratasse...
...será que os heteros têm medo dos homos? E se têm, porque será?
...

Anónimo disse...

anonymous,
e pq. raio tenho que ser obrigado a ver dois heterosexuais em público?

Anónimo disse...

Lobices,

pela primeira vez subscrevo inteiramente o que disse.

Nuno disse...

Subscrevo inteiramente o que disse o noise.
Quanto àqueles que dizem que não são obrigados a vêr duas 'fufas' ou dois 'maricas' na marmelada em público só lhes posso dizer:
-Olhem para o lado, até porque não estão interessados(as) em vocês:D:D:D:D:D
Toda esta raiva contra comportamentos homosexuais não será demonstrativo de alguma insegurânça na sua própria sexualidade??
Deixo esta questão aos psis que por aqui abundam?

Nuno disse...

Daqui a pouco alguém diz:
-E porque raio sou obrigado a ver alguem a rir ou a chorar?

"a nossa liberdade acaba quando começa a liberdade dos outros".

Uma frase tão simples mas que não encaixa na cabeça da maioria das pessoas

Conserto disse...

À pouco escrevi"Isto como é lógico aplica-se a tudo e todos e não apenas à nossa maneira de pensar".
Acho esta frase um pouco infantil, queria dizer "nossa maneira de viver".

Anónimo disse...

conserto,

desconcertas-me :)

Conserto disse...

Quero dizer o que nos determina são as nossas acções

lekas disse...

Pois... Lá calha, nem sempre agradamos a gregos e troianos. E desta vez a opinião geral é que o MST não esteve bem. E eu que sempre gostei de o ouvir e ler, às vezes dou comigo surpreendida com os comentários no jornal da TVI. Mas há que atender à coisa globalmente e lá lhe dou um desconto...E continuo a admira-lo, pelo menos dá a cara pelas suas convicções o que neste país e estado actual de coisas é mesmo um acto de coragem!
E apostava mais depressa que os comentários do MST se devem à respectiva "provecta idade" e/ou ao 'amor' que anda(?!) no ar (que costuma turvar os sentidos quanto mais o pensamento) do que a (não) reacção do professor se dever à mesma!
Muitos aninhos de "Oxford", não é professor?

-Stardust- disse...

Caro Prof,

apoiadÍSSIMO! :)

Mas olhe que isso de não se escandalizar pode não ter a ver com o pesito dos anos... pode dever-se... pior... ao facto de ser o pão-nosso de cada dia!

noiseformind disse...

Nuno,
PIOR, normalmente é apropriada por aqueles que querem cercear a liberdade dos outros e não por aqueles que querem fomentar a liberdade de todos. Já agora podia perguntar pq é que tenho de ver aqueles maltrapilhos a arrumar carros na rua e a meterem-se comigo por uma moeda? Está a ouvir Sr Rui Rio? ; )))))))))))))))

lekas disse...

Noise (or shall I say Peter?),

que currículo...! quase só faltava o n.º que calças e pouco mais (ih,ih,ih!). Mas é melhor ficarmos por aqui. Estou impressionada com o texto, aliás tenho andado...Adorava mesmo saber se no dia a dia é possível seres tão aberto de ideias como demonstra a tua escrita. Eu bem tento (todos os dias) mas garanto-te que às vezes os preconceitos estão de tal modo inraízados que por vezes fico surpreendida (negativamente) comigo. Vou tentanto :))))))


"será que os heteros têm medo dos homos? E se têm, porque será?"

Lobices, eu também gostava de saber. Mas 'desconfio' que o Professor e o Noise nos esclareciam. Está-me a parecer que deve ser o mesmo "medo" que alguns brancos têm dos negros, ou os nativos dos estrangeiros e por aí adiante...

noiseformind disse...

Lobices,
O medo de alguns heteros não será pela sua insegurança? É que continuámos a negar a nossa herança kinseyanna. Há muito pouca gente totalmente heterossexual como há muito pouca gente totalmente homossexual, a maior parte de nós somos uma gradação de um cocktail de atracção homo-hetero. Os menos identitários hetero deverão ser os mais homofóbicos, digo eu ; ))))))))))

yulunga disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
noiseformind disse...

roxanne,
tava eu a "maralhar" para ti sem saber. O meu comentário saiu depois do teu mas antes que o visse. E não é um esclarecimento, aqui cada um manda a sua fisgada ; ))))) ninguém é mais do que ninguém. Somos todos MARALHAL ; ))))))

lekas disse...

Era "enraízados", mas não vem mal ao mundo...

yulunga disse...

Bom dia maralhal!!!

Ai a porra, ai a porra...
E porque raio não se gostar de ver duas lésbicas ou dois gays aos beijos terá sempre que ser "demonstrativo de alguma insegurânça na sua própria sexualidade"?
Não poderá ser porque não se gosta e pronto?
Tenho vários amigos e amigas "virados" e todos eles sabem a minha opinião: Façam o que lhes apetecer! Mas que eu não gosto de ver, não gosto. Incomoda-me e ponto final. Não tenho sequer que dar justificação.
NÂO GOSTO E MAINADA!!!
E este tema é deveras demonstrativo que a homofobia está presente em todos praticamente sem excepção.
Um homofóbico escreve uma coisa do género e quem não concorda rapidamente se torna homofóbico também em relação a essa pessoa.

Desculpem os erros

cris disse...

Júlio e Lobices, disseram quase tudo e eu não resisto a acrescentar o q ainda falta, creio:
já é tempo de fazer cumprir a Constituição Portuguesa, q no seu art. 13º proibe, desde Abril de 2004, a discriminação em função da orientação sexual.

MST em matéria de homofobia apresenta sérias deficiências e só teria a ganhar em colmatá-las. A todos/as nos faz lindamente reconhecer os erros e procurar respeitar um bocadinho mais os direitos sexuais. Afinal, os direitos sexuais tb são direitos humanos...

Isto daria pano para mangas. Ainda bem que é fim de semana. Bom descanso!

Nuno disse...

yulunga,
claro que é livre de ficar incomodada, assim como os outros de ficarem incomodados de estar incomodada.
A questão não é gostar ou deixar de gostar, é de proibir essas manifestações em público.

noiseformind disse...

Yullie,
Discordar da opinião do MST é totalmente diferente do que ele fez em relação áquelas duas miúdas. Ele mentiu em relação a vários dados da notícia e configurou o positivo ou negativo do seu comportamento à sua vontade. Essa de teres amigos "virados" e eles saberem a tua opinião e continuarem teus amigos só mostra a suprema tolerância deles em relação a ti miúda ; )))))))))) acarinha-os que só mostram ser bons amigos ; ))))))))

Tripeiro de Roterdao disse...

Dr. Machado Vaz:
Sendo eu um apreciador da escrita (opiniões) do Miguel Sousa Tavares, foi com agrado q li o seu post "crítica" ao seu último artigo.
Pensei se não estaria a meter-me em campos que sou apenas um leigo. Felizmente o meu raciocínio estava correcto. Obrigado pelo alívio...

noiseformind disse...

Quanto a ser homofóbico em relação a ti, Yullizinha, sabes que isso é totalmente impossível, ninguém gosta tanto de uma boa discussão como eu. E usando aquela frase velhinha: posso ser contra ti até À morte mas luto até à morte pelo teu direito a seres contra mim ;)))))))))))

yulunga disse...

Nuno Gonçalves
Não vivemos num país onde existe liberdade de expressão?
Então?
Quem acha que se deve proibir tem toda a liberdade, julgo eu, de o expressar.

lekas disse...

Chatice, Yulunga, e eu que nunca vi nada...ao vivo e a cores!
Um dos meus melhores amigos é homosexual assumido e é 'lindo de morrer'...! E tem uma coisa que eu adoro, nada de tiques ou daquilo a que a maioria (eu também) chamam de 'paneleirices', já para não dizer que é das pessoas mais humanas e com melhor fundo moral que eu conheço. Só tem mesmo um "defeito" é homossexual!!! Que tentada que eu já estive a dar-lhe a volta (como se fosse possível). Não sei mas é mais forte do que eu...
Bem, hoje só vai sair asneira...
Acabei de vir de um lanche: castanhas assadas com geleia, huummmm.....Provem é uma delícia!

cris disse...

Mais 1 coisinha: como postei lá no estaminé, não deixa de ser de uma infeliz ironia que este texto de MST surja no mesmo dia em que é tornada pública mais uma execução de 2 jovens iranianos, precisamente por serem gays. Há mtas formas de preconceito, mas todas elas ancoram no medo e no desconhecimento.
A propósito desta execução (mais uma), a OutRage!, um grupo britânico de defesa dos direitos humanos LGBT, encoraja o envio de emails de protesto junto do Presidente Iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, para o seguinte email:
ahmadinejad@president.ir

Be my guest...

Nuno disse...

yulunga,

quem disse o contrário?????

yulunga disse...

Noise meu bom-doso
Vamos dizer que nos aceitamos mutuamente, ok?
Não te fica bem usar a palavra tolerância.

Maria disse...

Prof., Lobices, tenho a ousadia de subscrever inteiramente as vossas opiniões. Estou surpreendida pelo comentário de MST, bem como o de outros que aqui os deixaram. Espero que se um dia a minha filha de 3 anos (ou os deles), quando tiver idade para aceitar as suas escolhas, nunca se cruze com mentes tão tacanhas e incongruentes. Se o MST (e o resto do gang homofóbico) têm a liberdade de expressar a sua opinião (e o asco que lhe está implícito), porque há-de a opinião dos outros ser delimitada? Eu dou beijos e abraços a quem quiser, onde quiser...este mundo está cheio de falta de afectos e daí o resultado: encontra-se a cada esquina um (des)afectado!!!

noiseformind disse...

Yullie,
Seria redundante dizer que eles te "aceitam" como és looooooooooool aliás... essa é uma das palavras da palavra "aceitar" que o Jú não referiu looooooooooooool

Vamos ser homofóbicos em relação ás nossas opiniões mas podemos continuar a fazer sexo como sempre ; )))))))))

Anónimo disse...

""...um dia, na estação de Stª. Apolónia, vi 2 homens abraçados e a beijarem-se na boca num acto de afecto e de amor já que um deles ia partir no combóio; olhei-os com naturalidade, respeitando a sua opção mas muito principalmente pela coragem de demonstrarem os afectos da mesma forma como se de um afectuoso aperto de mão se tratasse...""

Eu gostava de saber se isso seria possível na Estação de Campanhã? Isso é que era doce! Esses mouros alfacinhas são uma cambada de maricones.

Conserto disse...

Só quero acrescentar que o que o MST disse é pura e simplesmente inqualificável, mais, é dificil conceber que alguém com o seu poder mediático e com o seu peso de opinion-maker identificar dois jovens como pessoas indesejáveis. Deveria ter a cultura suficiente para pelo menos generalizar a situação e não lançar um anátema a dois jovens que serão identificados como perniciosos pela nossa "mais elevada" intelectualidade. Só falta a TVI e a SIC irem entrevistá-las como freaks de circo

yulunga disse...

Noise
Pois...
Mas para uma parte ser tolerante em relação a outra é porque a suporta, porque se sente superior.
Então onde está a igualdade de que tanto falas?
Essa é talvez a palavra armadilhada mais usada pelos defensores das igualdades.

sic disse...

"Os menos identitários hetero deverão ser os mais homofóbicos, digo eu" que sou "Sexólogo, formado por Johns Hopkins College com Major em HSB (Human Sexual Behavior)" mainada!

yulunga disse...

Noise
E depois disto... não, não vamos continuar a fazer sexo.
Hás-de mirrar de tanto esperar.

noiseformind disse...

sic,
Tens alguma teoria a apresentar em contra, formula-a. Aguardámos paciente e docemente ;))))))))

Yullie,
Tolerar pode simplesmente querer dizer que não faço parte do grupo com as características presumidas ; ))))))))))
Aceitar pode simplesmente querer dizer que não sou contra.
O uso das palavras é tão pernicioso como a sua génese ; ))))))))))))))
E eu próprio tenho os meus limites na minha aceitação. Dou-te o exemplo de um casal hetero que ainda há dias começou a fazer sexo em plenos Palácio de Cristal. Não tolerei tal comportamento e chamei o segurança. Fui intolerante ; )))))) aceito que façam sexo em público mas não tolero que eu tenha de levar com ele. ; ))))))))))))))))))
Mas posso-te sempre fazer um desenho, se preferires.

Todos somos tolerantes e todos aceitámos... até um certo ponto. Por exemplo, aceito que alguém fume numa pastelaria, mas não tolero o fumo e caso alguém comece a fumar ao meu lado saio imediatamente dessa sítio. Agora, o cheiro a tabaco é real e sensorial, não é uma reacção moral!!!!!!!!!! Percebes? Incomoda-me o cheiro!!!!!!!!!! MESMO!!!!!!!!!! looooooool looooooooool looooooooooool looooooooooooooool loooooooooooooool
O que MST estava a dizer era que alguém, mesmo sem a presença dele, mesmo sem ELE ESTAR LÁ, não deveria ter O DIREITO a fazer certa coisa, tá a ver? ; ))))))) E essa coisa faz parte da identidade dessa pessoa. E fumar nem sequer faz parte da identidade de alguém, é um hábito que resulta de ter-se dinheiro no bolso ; )))))))))))
E pronto, da minha parte explicar-me melhor impossível miúda.

River disse...

Noise disse: "Essa de teres amigos "virados" e eles saberem a tua opinião e continuarem teus amigos só mostra a suprema tolerância deles em relação a ti miúda ; )))))))))) acarinha-os que só mostram ser bons amigos ; ))))))))

NÃO CONSEGUIRIA DIZER MELHOR (apesar de por vezes me "irritar" um bocadinho c/ os seus comentários :o))
Mas defendo ao máximo o, já aqui dito, "A minha Liberdade termina onde começa a do próximo"!

Qto ao assunto de hoje, e toda esta polémica, apenas vos deixo esta:
Na escola das minhas filhas (uma pequena EB do interior Ribatejano...profundo); as raparigas foram PROIBIDAS de se abraçar e/ou agarrar. Exactamente assim! Nem mais, nem menos!

Comentários, deixo pra esta Passerelle imensa de comentadores...

PS.1 Obrigado Professor pela resposta à observação que lhe fiz ontem sobre os médicos, fiquei ainda mais esclarecida...(Que é o que prentendo qdo aqui venho)

PS.2 Fiquei triste c/ o artigo do MTS... por norma "alio-me" ao que ele escreve.

bjs pra todos. bom fds!

fora-de-lei disse...

yulunga 6:02 PM

É assim mêmo, Yulunga !!!

yulunga disse...

Noise
Olha que esse teu comportamento de delator nem parece de uma pessoa tão dada ao sexo puro, duro, selvagem e com mais que duas ou três que costumas fazer por todo o lado.
Calculo que estavas sózinho no Palácio de Cristal e que a tua máxima nesse dia a defender era: Não se come na frente dos pobres ;-)

yulunga disse...

fora da lei
Tens e-mail :-)

naoseiquenome usar disse...

xiii!!!
Isto parece-me mais ser um caso de (falta) de Educação para a tolerância.
O que se constata é a viciação de tão díspares opiniões, sem que se chegue a um patamar mínimo de aceitação/tolerância/respeito, pelo outro!
Agora que cada um de nós tem um padrão de referências, lá isso tem e sempre terá, não havendo sequer alternativa...

noiseformind disse...

River,
Não pode ser sempre a mesma comidinha não é? Ás vezes gosta-se, outras vezes não ; )))))))))))

Maralhal, maralhem muito. Esta noite temos aqui no Porto a peça Ratos e Homens de John Steinbeck e não quero perder. Quem estiver em Lisboa mate alguém mas arrange o bilhete para o Mário Lajinha na Culturgest, vai ser demais!!!!!!!!!

JANTAR DO MURCON!!!!!!!!!!!!!!!!!!
17 de DEZEMBRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
INSCREVAM-SE PARA O MAIL JANTARDOMURCON@GMAIL.COM
NESSE DIA REALIZA-SE TB O DIA DO MARALHAL QUE COMEÇA AO ALMOÇO E INCLUI CAVAQUEIRA PELA TARDE FORA ATÉ AO JANTAR ; ))))))))))))) SE ESTIVEREM INTERESSADOS DIGAM NO MAIL DE INSCRIÇÃO
ANTES DE SE INSCREVEREM TENHAM A CERTEZA QUE VÊEM MESMO ; ))))))))))))))))
ALOJAMENTO DISPONÍVEL PARA O MARALHAL QUE VEM DE FORA A 50 METROS DO LOCAL DA JANTA (NÃO, NÃO É DE BORLA MAS QUASE!!!!!!!)

gonçalo disse...

Caro Prof. JMV,

É curioso que hoje de manhã pensei colocar aqui o texto do MST. A ideia era, a partir do mesmo, lançar a discussão em volta da discriminação dos homossexuais. Mas, não só, porventura inconscientemente também o queria provocar ou pelo menos usar da mesma ironia que refere a propósito do seu amigo. Convém dizer que não penso que o exibicionismo seja uma atitude exclusiva dos gays e das lésbicas. Admito até que manifestações de afectos idênticas sejam consideradas naturais ou normais em heterossexuais e actos exibicionistas se demonstradas por homossexuais. Acresce ainda que, no caso destas alunas, estamos a falar de beijos e apalpões, algo muito típico entre os heterossexuais(((. Agora, há um exibicionismo, esse sim típico de gays e lésbicas, que resulta da própria discriminação de que são vítimas. É aquele que pretende chocar, escandalizar e provocar, muitas vezes através do maneirismo. Não é mais nem menos do que uma atitude defensiva. Embora não se aplique ao caso das alunas, provavelmente foi a isto que MST se queria referir.

Seja como for, dou razão a MST num ponto: há hoje uma enorme intolerância para com todos os que são contra o casamento entre homossexuais ou mesmo contra a adopção de crianças pelos mesmos. A tolerância ou a indiferença que é reclamada para os homossexuais é negada até àqueles que têm dúvidas sobre o assunto. Parece um método de “terrorismo intelectual.” Aceito a expressão “politicamente correcto”, no sentido em que ela é hoje entendida como sinal de modernidade e como a única respeitável. Ora, lutar contra a discriminação dos homossexuais não é uma questão de modernidade, mas sim de igualdade. O problema é muitos dos que “lutam” pelo direito à indiferença o fazem porque se supõem participantes de uma causa de vanguarda, à frente no seu tempo, ao estilo do Bloco de Esquerda e do “sacerdote” Louçã((((. Ora, eu penso precisamente que a igualdade entre heterossexuais e homossexuais é uma questão que já devia estar resolvida, vem atrasada.

a disse...

no outro dia estava a dançar no lux e uma rapariga veio para perto de mim dançar também. não me importei, apesar de não a conhecer, não me estava a incomodar. a certa altura, atira-se a mim e manda-me um beijo(bastante sexual) na bochecha, fiquei surpreendida, não estava à espera. e sinceramente não gostei, assim como não gosto que venha um gajo qualquer agarrar-se a mim na disco.

Talvez devido à minha tenra idade (22), lembro-me desde sempre de ver pessoas a comerem-se (2 de sexos diferentes, do mesmo sexo, ou mais do que 2) em público, nas escolas. surpreende-me que seja notícia. é quase como ser notícia (e já foi) vender-se droga no bairro alto! toda a gente tem conhecimento.

Sical disse...

Posso sugerir que releiam, ou leiam, a Écloga VII (ou dos Faunos) de Luís de Camões?

sic comédia disse...

" Imagino que MST possa mandar os seus bitaites em plena segurança como membro dessa grande maioria homófoba “bem-educada” de que faz parte." digo eu que faço isso neste blog constantemente porque sou "Sexólogo, formado por Johns Hopkins College com Major em HSB (Human Sexual Behavior)" e mainada!

yulunga disse...

Até depois maralhal.
Boas blogadas.

noiseformind disse...

51 comentários em duas horas e meia, é caso para dizer:




SUAS BICHAS FALADEIRAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



E agora vou-me mesmo ; )))))))))))))))))))))))))


Té logo maralhos parceiros

River disse...

Noise: Onde é o jantar?... alojamento, etc... esses pormenores todos estarão no blog???
Obg.

PS.3 Ó professor, já sabe qdo lança estes assuntos é combate total! :o)

bom fds!

sic bichas disse...

"aceito que façam sexo em público mas não tolero que eu tenha de levar com ele." digo eu que sou franzino e sou "Sexólogo, formado por Johns Hopkins College com Major em HSB (Human Sexual Behavior)" e mainada!

noiseformind disse...

River,
essa informação, bem como todas as outras em pormenor será divulgada por mail aos inscritos quando fecharem as inscrições no dia 10 de Dezembro ; )))))))))) mas espero que o Boss concorde em mostrar uma foto da sala, que é muito bonita ; )))))))))))))))

andorinha disse...

Boa noite maralhal.

Depois de ler o post e todos os copmentários só posso dizer que concordo plenamente com o que é dito pelo Júlio, pelo Noise(4.49) e pelo Lobices(5.17).
Também eu me pergunto se o medo de alguns hetero não se deverá à sua insegurança.
Há muitas formas de preconceito, mas todas elas assentam no medo e no desconhecimento.
"Nada na vida deve ser receado, tem apenas de ser compreendido".
(Marie Curie).
Vivemos no século XXI e não há meio de as mentalidades evoluirem.:(

Lusco_Fusco disse...

Em relação ao post de hoje, apenas o posso comentar por si, baseando-me nele digo o politicamente correcto.
Haja tolerância.
Concordo plenamente com isso, mas queiramos ou não, ainda estamos no começo da nossa educação para a aceitação.
O saber estar é uma questão de educação e recato, seja A ou B.
Infelizmente o que os discrimina é tanto se falar deles. Agora pergunto se estas atitudes fossem habituais (para não dizer normais) gastar-se-ia tanta tinta?...
Ser contra ou a favor em que os beneficia? A união entre eles é que tem de ser boa ou má e disso devem dar eles conta. Sendo tão natural não percebo tanta dedicação á “causa”.
Gosto do Miguel Sousa Tavares, sempre gostei. Sabe o que fala e do que fala. È frontal concordo, por isso o admiro tanto. Tolerância também está aqui, cada um é livre de gostar ou não. Ele não gosta, não é problema dele?(se é que há algum problema nisso).
Eu pessoalmente, como já escrevi em posts anteriores, sou tolerante em relação a este tema, faria como o lobices perante o que viu. Mas sinceramente, seria fingida se dissesse que não me custa ver… (coisas da idade).
A nossa educação não passou por aí temos de nos reeducar e muitos de nós não tem tempo para se dar a esse trabalho, temas mais aliciantes ocupam a nossa mente ;-). Cada um come do que gosta.
Não admito, e aí sou até agressiva, “olhinhos” para o meu lado Já me aconteceu e cresceu-me um nervoso que me apeteceu partir para a ignorância.
Como vê Mahatma sou mesmo da paisagem.Gostos não se discutem.:o)
MJ

peciscas disse...

O MST é, porque pode ser (ganhou esse estatuto), um extremista com direito de antena.
Até em termos futebolísticos. Todos sabem que é "dragão" assumido (cá por mim é uma boa escolha) mas que já vomitou no decorrer de um jogo do FCP.Ou seja, assume as suas paixões com exageros.
E é um extremista apressado. Escreve e fala,muitas vezes sem se preparar muito bem sobre alguns temas que aborda.
Talvez porque, tendo que pregar ao mesmo tempo em muitas freguesias, lhe falta o tempo para se documentar.
E assim, acontece-lhe (e ultimamente com maior frequência) meter "a pata na poça". E estou à vontade para dizer isto, porque já concordei com muitas coisas que o MST disse ou escreveu.
Mas, também não esqueço que uma das "argoladas" históricas que cometeu, foi qundo se meteu com os professores (pertenço à classe) e chegou à bizarra e ridícula conclusão de que os profes deste país tinham duzentos e muitos dias de férias por ano e trabalhavam pouco mais de cem (contabilizando feriados nacionais, fins de semana, neste caso contados duas vezes no período normal de férias, ...)chegando ao cúmulo de cometer um erro matemático numa conta de somar que não se perdoaria a um miúdo do 1º ano (1ª classe).
Portnto, MST, muitas vezes apressado e superficial.
Na questão vertente das duas jovens, seria bom que se reflectisse sobre quais são as fronteiras entre aquilo que admitimos poder ser visto em público ou não poder. Porque as geaduações poder ser tão ligeiras que, às tantas não saberemos bem onde teremos (ou devemos) de parar.
Muitos, aí para trás, já falaram sobre demonstrações de afectos discriminadas de acordo com o sexo (admissíveis entre hetero e não entre homo). E houve quem dissesse que não gostava de ver se fossem homo. Está no seu direito. De virar a cara e não ver. Assim como eu não aprecio certas exibições de carnes obesas a espreitar por debaixo de saias demasiado curtas ou a escaparem-se de tops demasiado subidos.
De degrau em degrau, onde chegaremos?
Voltando às analogias futebolísticas. Posso não gostar do Benfica e achar que esse clube só deve existir para ser vencido pelo meu, mas daí até alinhar no coro do "SLB SLB SLB f.p SLB", vai a distância entre o meu gosto pessoal e as minhas escolhas e a intolerância cega, estúpida e injustificada!

lobices disse...

...na verdade, é tudo uma questão de "educação" (não o ser-se bem educado ou mal educado perante os outros, mas sim, uma questão de cultura, educação, crescimento, caldo de fabricação do Homem ao longo dos séculos)...
...o Homem sofreu, sofre e ainda sofrerá muitas mutações e, para além delas, muitas (des)ilusões...
...o Homem não quer entender que mais não é do que um simples e mero peão num tabuleiro de xadrez eterno e infinito que é o Universo (já o tenho dito tantas vezes e não me canso de o repetir - provável é cansar-se quem me lê, mas isto já é um problema de quem me lê e não meu, pela simples razão de que sou livre de exprimir a minha opinião e, como tal, tenho o dever de aceitar a dos outros)
...o Homem não quer "aceitar" que a evolução dele mesmo passou, passa e passará por muitas fases e faces
...ontem era uma criança despreocupada; depois fui um adolescente interessado; depois passei a homem com responsabilidades; hoje sou um ser pensador... então, para além de fazer o que faz o mais comum dos mortais, eu também penso tal como qualquer um dos meus semelhantes; ora, se eu penso A e aquele ali pensa B porque razão não pensará o outro em C ou D...?
...pensamos todos e esquecemo-nos de pensar que não sendo iguais também não somos diferentes; somos apenas divergentes; divergimos em tudo e ainda bem (que chatice tamanha seria convergirmos em tudo e por tudo...); divergimos nos gostos inclusivé... e é aí que a porca torce o rabo porque lá pelo facto de eu gostar do azul nada impede que o outro goste do vermelho; então, devo exigir que permitam o meu gosto pelo azul como me deve ser exigido que eu permita que o outro goste do vermelho...
...e é aqui que o cerne da questão se verifica: ACEITAR...
...tão simples: aceitarmo-nos todos mutuamente tal como somos não deixando, no entanto, de lutarmos pelas nossas ideias, batendo-nos até, se for preciso, por elas, mas aceitar que o outro, aquele que está ali e que não sendo igual a mim também não é diferente de mim (apenas diverge e deixa de ser paralelo - ninguém é obrigado a seguir as pisadas do outro - podemos tangenciar, cruzar, ultrapassar até mas não somos obrigamos a sermos paralelos em tudo e por tudo), possa ser o que é e não o que eu quero ou quereria que ele fosse...
...permitir (aceitando) que aquele ali siga o seu caminho como eu desejo que ele permita que eu siga o meu...
...permitir (aceitando) que aquele ali pense de forma diferente de mim e que lá por ele pensar e agir diferente de mim eu o deva rejeitar
...aceitar não significar ceder
...aceitar não significa concordar
...aceitar é apenas permitir que nos seja dado o que esperamos receber e permitir que nos seja dada outra coisa que não aquela que esperamos receber
...aceitar é unir as dádivas
...
...porque todos têm o direito de dar o que podem dar e todos têm o direito de ver aceite a dádiva que puderam ofertar
...
...aceitar é viver, ao fim e ao cabo, em harmonia e em ordem no caos do Universo...
...sejam felizes

Su disse...

...o que me impressiona é a capacidade que as pessoas tem de viver à custa do alheio, e não dão conta das pobres vidas q levam...
como diz o outro, fico chateada...
(como sempre estou com a lucidez do noise.. na verdade eu penso e ele escreve, eheheheh,jocas miúdo)
jocas maradas per tutti

CêTê disse...

O gene egoíta faz um apelo que ecoa na sociedade como norma- a moral de darmos continuídade à espécie. Também eu, consciente que a unica imortalidade se resume aos genes, espero que os meus filhos a façam perpectuar no tempo...com a fé ignorante que só mais adequados se revelem...
Mas depois...no tempo que a vida me permitiu reflectir sobre os afectos vejo quanto ridículos- por mútaveis- são os critérios com que seriamos as pessoas. Tudo depende de tudo e o que depende de tudo não pode ter consistência! Para percebermos deveriamos conjugar a situações na 1ª pessoa do singular e na do plural... Afinal não serão seguramente só os genes que passamos mas toda a nossa conduta.

CêTê disse...

O gene egoíta faz um apelo que ecoa na sociedade como norma- a moral de darmos continuídade à espécie. Também eu, consciente que a unica imortalidade se resume aos genes, espero que os meus filhos a façam perpectuar no tempo...com a fé ignorante que só mais adequados se revelem...
Mas depois...no tempo que a vida me permitiu reflectir sobre os afectos vejo quanto ridículos- por mútaveis- são os critérios com que seriamos as pessoas. Tudo depende de tudo e o que depende de tudo não pode ter consistência! Para percebermos deveriamos conjugar a situações na 1ª pessoa do singular e na do plural... Afinal não serão seguramente só os genes que passamos mas toda a nossa conduta.

T-Rex disse...

MST é um escritor exímio, mas um opinador demasiado compulsivo. Detesta que concordem com ele. Cultiva ódios de estimação que por vezes não consegue controlar. É arrogante e intolerante. Acho que estes predicados dizem (quase) tudo...

Pamina disse...

Boa noite,

Esta parece ser a semana da "Parvoíce Pública". Na quarta-feira foi o Ministro francês, hoje vem o Miguel escrever uma coisa destas.
Acho que o essencial está dito nos pontos 2 e 5 do post que subscrevo inteiramente.

Se o Miguel andar por aqui, peço-lhe que leia com atenção o comentário do Lobices (5.17) e que, lembrando-se dos tempos da Fac. de Direito, medite na frase:
"...a liberdade também passa pela sexualidade de cada um..."

Bom fds para todos.

rodrigo disse...

epah... O MST fala\escreve, fala\escreve, fala\escreve e ás vezes sai-lhe o tiro pela culatra...Num curto espaço de tempo foram duas de rajada.

Imaginem lá o seguinte:

Local:
- Café de bairro em Campo de Ourique

Intervenientes:
- Um casal de lésbicas
- Uma senhora fumadora a exercer o seu vicio

Nota adicional: A senhora que está a fumar é habituée do já referido café.

1º Acto:
- O casal de lésbicas começa aos beijos.

2º Acto:
- O mesmo casal de lésbicas solicita à senhora que está a fumar para deixar de o fazer.

Já estão a ver como é que o MST iria descrever este momento?

Manolo Heredia disse...

É na idade da pubredade que se têm as experiências sexuais mais marcantes. Para os jovens que não têm uma sexualidade muito definida pode ser determinante para as suas preferências futuras ter hoje contactos homosexuais. Isto é, os quadros de sensações associados à líbido criados após essas experiências, podem fazer com que voltem desejar repetir actos homosexuais como resposta ao desejo sexual.
Está aberto o caminho para o aparecimento de mais um homosexual que não o seria se não tivesse tido a tal experiência na pubredade.
Por isso é grave que se banalise as posturas homosexoais nas escolas, pois isso pode ajudar a dirigir para a homosexualidade jovens que até gostavam de ser heterosexuais. E desejar ser heterosexual é mais natural do que o contrário!

O Miguel Sousa Tavares TEM RAZÃO. Os Psis daquí, grande parte deles homo, estão é a puxar a braza à sua sardinha!!!

Ameninadalua disse...

O M S T devia estar mesmo mal disposto quando escreveu no público...estou a brincar mas falando sério ao mesmo tempo; como é que um homem, que aliás eu admiro imenso, tão defensor dos direitos humanos pode ter escrito o que escreveu? com argumentos tão pouco sustentados?
Quando diz:“o problema não é as miúdas amarem-se ou desejarem-se intensamente: é que os restantes colegas da escola não têm nada a ver com isso, nem têm de ser expostos ás demosntrações públicas de tais “afectos”
Isto demonstra um desconhecimento do que acontece no ambiente estudantil nas escolas em que os adolescentes não têm qualquer problema em manifestar publicamente os afectos. Ora se defende a igualdade porque devem uns manifestarem-se e os outros não?
Para mim o mais chocante da questão é sabendo ele que existe neste país um défice sério de aceitação relativamente às "diferenças", (e não só sexuais)...vá falar pela abordagem generalista e fácil que é o lado mais vulgar de tratar o assunto. Mais valia ter estado calado...

amok_she disse...

Julio Machado Vaz disse:(...)E por que raio deveriam os desacordos pôr em risco a cordialidade da relação? É tão português:(, o hábito de não criticar membros das nossas "pandilhas" (a não ser portas adentro...). Não sou assim. Ele também não. E está farto de saber que não posso concordar com várias afirmações.(...)

...os membros das várias "pandilhas" deviam atentar - e com uma atenção redobrada! - no sentido destas palavras... simples, mas directas ao alvo!

...por mim, folgo q... não seja assim!

...qt ao MST fica para outro comment a seguir...para ñ conspurcar este...:->

Manolo Heredia disse...

cêtê,
100% de acordo. Andas a ler o Daniel Dennett.
Como é possível haver alguém que veja a vida sobre este planeta de uma forma diferente do evolucionismo actual!

AJFRM disse...

Sem querer opinar em concreto sobre qualquer situaçao;

Nunca entendi porq é q os homossexuais se escandalizam com a nao compreensao e nao aceitamento dos heteros em relaçao à problemática homo.

chamando a atenção para tal, de todas as formas e maneiras.

Quer queiram, quer nao.
para os heteros em geral, o facto de ser,e o comportamento homo,
será sempre mal aceite e criticado porq essencialmente nao compreendido.

Então desde sempre foi-se educado de uma maneira pretensamente 'a correcta'.
Não se pode criticar e desejar q por meia duzia de frases e eventos consciencializadores, q se mude radicalmente, sim radicalmente, a sua forma de ver conceptualmente a sociedade e as relaçoes entre os seus menbros.

Não me digam q não se está melhor agora , do q há uns anos atrás.

E a tendencia é prosseguir na 'normalizaçao' , no aceitamento de tais diferenças.

Tem q levar forçosamente o seu tempo, para poder ser uma evoluçao sustentada, e perene.
Porq tudo o q é forçado , tem um fim certo a prazo.

O martelar constante do 'apontar o dedo' às reacçoes heteros para com os homos, só ajuda a manter um certo regime de anti-corpos. e mais reacções virulentas.

Os homos têm q ter um grau de inteligencia superior na forma de lidar com estas reacçoes.
é do seu interesse.
Têm q ter tacto e subtileza suficiente para o perceber e fazer.

Têm q tentar colocar-se no lugar do outro.
Invertam os papéis, as realidades.

Se a maioria da populaçao fosse Homo na generalidade.
E tal situaçao fosse tida e aceite como o normal.

Se os heteros tentassem forçar os homos a aceitar o seu ponto de vista como algo de igual!
Quando são diferentes.


Q tipo de reacçoes teriam nesse caso?


Não é facil, nunca foi, nem nunca será.

Mas nao se pode ACUSAR assim tão de pronto,
quem reage de uma maneira normal, para essa pessoa é normal.

Como tbm se compreende q os homos têm uma tarefa muito dificil pela frente.
Uma vida dificil pela frente.
Mas é uma opçao deles,
é uma escolha deles.
Sabem-no muito bem à partida ao q se propoem.
Têm é q ter a subtileza suficiente, acho eu, para com o tempo e bom senso, conseguirem levar a sua avante.



Acho q nao fui suficientemente esclarecedor nesta minha duvida.
Tbm eu sei q nao é facil entenderem-me.

Com calma e muito diálogo talvez me entendam, e eu tbm :)

Mas q não é fácil nao é!
Muito menos se se extremar posiçoes!

uma_pessoa disse...

Caro manolo herida,

Sem querer abusar de si..mas então como é que o senhor se predispõe a resolver esse "seu problema"? Mete os homo de um lado e os heteros do outro? Divide-se o mundo por orientações sexuais? Com o "frio que senti" ao ler o seu comment(11:04), achei que o senhor está no minimo a escrever-nos da Antártica...

PS: Não sou psi nem homossexual(pelo menos conscientemente).

amok_she disse...

...qt ao MST, pois...é daquelas coisas...difíceis com'ó diabo!...o homem de vez em qd descarrila, é verdade!, diz umas coisas q ñ se lhes vê ponta q se lhe pegue, mas...tem, pelo menos a vantagem - enorme qualidade! - de ser suficientemente bruto na sua frontalidade!...diz o q pensa e, mesmo correndo o risco de estar errado, diz!...ñ anda a reboque de "pandilhas"; ñ anda a reboque de directores_de_jornais_cães_de_fila_ dos_investidores; enfim...ñ anda no beija_cú em q meio mundo neste país decidiu empandeirar!...é claro q o faz pq pode!...tem a independência económica q lhe garante ñ precisar de se submeter às quotas de mercado, mas...há muitos q tb o podiam fazer e se deixam manietar pelo "prestígio"... de cáca dos medíocres!

...por isso tem, agora, tantos inimigos; tantos críticos; tantos invejosos no encalço!...tempos houve em q era venerada a sua opinião...qd ainda ñ tinha decidido dizer q o rei ia nú!?!:->

...ñ partilho de muitas das suas ideias/teorias/afirmações, mas... sempre o vi bater-se pelo q acredita duma forma corajosa, nem sempre justa e/ou imparcial, mas...q raio!, o homem escreve artigos de opinião!...o homem escreve crónicas!...o homem ñ anda a tentar formar as massas (a)críticas deste país...para as quais mt me palpita q se deve estar bem marimbando!...logo, é tão livre de dizer o q lhe vem à tola como qq um de nós...porque ñ me parece q ele se furte, depois, às críticas!...como muitos pindéricos que por aí andam na nossa praça...

...mas é claro q é sempre uma afronta, para a carneirada, os espíritos livres q ousam expor-se ao manifestar o q pensam...depois, a escrita fica para quem a pensa e as interpretações para a dimensão de quem interpreta...:->

Manolo Heredia disse...

uma_pessoa,
Pelo conteúdo do seu Post Scriptum deduzo que é heterosexual ou bisexual. Já que não aceita a minha divisão do mundo em homos e heteros.
Acho que a minha ideia está bem explicita e voçê entendeu bem. Quis foi arma-se em "modernaço".!
Alias foi a sua primeira intervenção! Ou então mudou de "nik" para se proteger!

Anónimo disse...

Para não variar muitas opiniões, umas mais elaborados outras menos, tudo isto é bom, mas porque será que fico sempre com a sensação que falam só de conceitos e nunca de pessoas.
Mesmo o Lobices, que até falou bem, deve entender que o natural era ele não ter reparado, mesmo com naturalidade:).
Estas discussões e outras, como a IVG por exemplo, fazem-me confusão, enfim, no fundo ainda somos muito atrasadinhos.
Cumprimentos a todos!

Manolo Heredia disse...

amok_,
Você está tão amarga hoje! coma um cubo de marmalada de Odivelas! Vai ver que melhora!

amok_she disse...

...olhe, Manolo, primeiro estou a dieta!...segundo, sempre odiei essa porra de marmelada!...terceiro, hj Manolo!???...ñ era suposto cá pró burgo q eu o estivesse sempre!???:->

...mas ñ estou!...ou se estou, ñ estou mais q sempre estive...e estarei qd vejo os medíocres atirarem-se aos q fazem alguma coisa - mesmo se mal! - como gato ao bofe!...este meu snobismo elitista faz-me sempre abominar as mentezinhas pobres...:->

AJFRM disse...

Lobices 5.17
"saiba-se respeitar para se ser respeitado.
..."

Respeitar quem a quem?


**
N. Gonçalves 5.25
"Toda esta raiva contra comportamentos homosexuais não será demonstrativo de alguma insegurânça na sua própria sexualidade??"

"Daqui a pouco alguém diz:
-E porque raio sou obrigado a ver alguem a rir ou a chorar?

"a nossa liberdade acaba quando começa a liberdade dos outros"."

Quem é quem ?

**
ris 6.03
"MST em matéria de homofobia apresenta sérias deficiências e só teria a ganhar em colmatá-las. A todos/as nos faz lindamente reconhecer os erros e procurar respeitar um bocadinho mais os direitos sexuais. Afinal, os direitos sexuais tb são direitos humanos..."

Espere lá q isso dá pano pra desmangas?

**

Noise 6.08
"
Essa de teres amigos "virados" e eles saberem a tua opinião e continuarem teus amigos só mostra a suprema tolerância deles em relação a ti miúda ; )))))))))) acarinha-os que só mostram ser bons amigos ; )))))))) "

A yulie de certeza q nao tolera nada...

**

Decerto q por aí abaixo haverá mais disto...

Chiça!

q dizia eu?
Só radicalismos!!

Isto parece-me ser a defesa do Eu!
em detrimento do Nós!

Radicalizando eu tbm, tendo em conta os exemplos supra referenciados:

E no dia em q houver um nº relevante de pessoas a exigir como normal, e demandar direitos e igualdades,

Ter Sexo com Animais??!!

Em publico, e suas demais demonstraçoes de afecto, etc, etc

Qualquer coisa q hj é considerada bizarra e desviante?

Que fazer?

Impõe-se limites?
Poíbe-se?
Que se faz?
Hein?
Tentem explicar-me!


Bom senso!!

Anónimo disse...

Como todo o ser humano o Miguel S.T.espalhou-se.Já começa aser hábito sentir-se o dono da verdade..
Só é de lamentar...A idade não perdoa...Mesmo nos julgamentos.

Conserto disse...

Há muitos anos quando beijei a minha mulher num café fui expulso pelo dono. Só agora compreendo que ele era homosexual e não queria maus exemplos lá na espelunca.

susana disse...

Caro Prof.JMV

Todo o exibicionismo em pares ou em trios (duplex ou triplex) é desagradável e constrangrdor, em meio escolar ou público. Seja hetero, homo ou outra modalidade. Nunca gostei dos parzinhos a dar beijinhos-ventosa no meio da rua e a esfregarem-se em qualquer cruzamento. O gozo maior é nitidamente o do "palco", porque em privado não tem já, graça.

Se vamos expor todas as nossas intimidades em público, por que não lavarmos os genitais ou trocamos o "tampax" no meio da rua ou outro qualquer dislate
semelhante?
O erotismo e a sensualidade são primos direitos da privacidade e da intimidade. Tudo o resto, o grande resto, pois arenas grosseiras e gentinha rudimentar é o comum dos mortais, É..... FEIO!

Susana

Sical disse...

Releiam a Écloga dos Faunos,a VII de Luís de Camões. É bom reflectir. Antes de se exprimir qualquer opinião. Continuo a achar que para tudo, quase tudo, o bom senso é a resposta ideal. Para a paixão é que não. Onde é que já se viu bom senso numa paixaão?

Paula disse...

Como outras pessoas aqui, não estou com vontade de ser politicamente correcta! Que se danem os hetero mais as suas sensibilidades! Quem não gosta de ver demonstrações de carinho ou interesse sexual entre duas lésbicas ou gays que vire a cara para o lado! Pode ser que quem tem amig@s virados fique virad@! Looooooooooooooooooool

Realmente não vejo razão para aceitar quem não me aceita. Já lá vai o tempo em que o medo de chocar os outros existia. E não devo nada a ninguém (excepto a casa ao banco, claro) por isso não vejo razão para me portar como se devesse.

Ao contrário do professor, com a idade estou a ficar menos ‘tolerante’ com certas coisas, e esta é uma delas.

E para o Manolo Heredia (11:04):

“Por isso é grave que se banalise as posturas homosexoais nas escolas, pois isso pode ajudar a dirigir para a homosexualidade jovens que até gostavam de ser heterosexuais. E desejar ser heterosexual é mais natural do que o contrário!”

Deve andar a ler livros com barbas!!!!!!!!!!!!! Se se documentasse melhor, ou falasse com pessoas que não são iguais a si, descobriria que grande parte das pessoas que são homossexuais já se sentiam assim em crianças ou jovens adolescentes, e mesmo quando adiaram essas experiências por anos ou décadas, acabaram por lá chegar!!!!!


PS: este comentário nasceu na minha cabeça muito mais inflamado, mas depois de ter tido uma agradável saida com duas boas amigas, os ‘outros’ ainda importam menos.

PS2: para quem quiser saber mais sobre o assunto, e não só opiniões sobre opiniões, aqui vão alguns links:

Notícia Correio Manhã:
http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=180426&idselect=10&idCanal=10&p=94


Grupo Panteras Rosa, Post 10 Novembro:
http://panterasrosa.blogspot.com/

Carta Aberta da Rede ex aequo, Post 13 Novembro
http://cacaoccino.blogspot.com/

andorinha disse...

manolo (11.04)

Ainda não percebi como consegues dizer tantas barbaridades duma só vez. Onde vais buscar essas teorias?
As pessoas, e incluem-se aqui os adolescentes, como é óbvio:), devem ser livres de viverem a sua sexualidade da forma que entenderem.
Mas isto é assim tão difícil de aceitar????????

P.S. Desconfio que dizes essas coisas só para provocar o maralhal.:)

ajfrm(11.55)

"Ter sexo com animais."
Como queres comparar coisas que não são comparáveis.

Haja bom senso, digo eu.

antes buondi disse...

O MST fez muito bem em deixar-se de palermices "soixant-huitard". CIDADANIA, meus caros é não obrigar o próximo a ser espectador do nosso tesão, paixão ou o que quiserem.
E quanto aos "poverinos" gay & lesbian, já cheira mal tanto proterccionismo~em relação "às diferenças". E os que são gordos, pobres, feios, gagos, ceguêtas, mancos? Também são muito mais injusta e cruelmente diferentes.
Aliás o "orgulho ghay" aí está para demonstrar que se acham superiores aos desgraçados cafonas dos hetero, que andam a esmifrar para sustentar a gente que, tão fora de moda, ainda põem no mundo.
Os homo estão em todo o lado: na política, nas artes, no desporto, na ciência, na medicina, no showbiz. Essa da discriminação já era. Não me lixem!

susana disse...

Paulinha,

Ninguém fala em demonstações de "carinho" lésbicas ou gay, mas sim em exibição DE QUALQUER GÉNERO.
Deixem-se de se armar em vítimas!

Anónimo disse...

CIDADANIA É NÃO OBRIGAR O PRÒXIMO A LEVAR COM O ESPECTÁCULO DO NOSSO TESÃO, QUALQUER QUE SEJA A NOSSA ORIENTAÇÃO SEXUAL.
Esses delírios que aqui leio de "anos sessenta" nostálgicos e pessoal que se caga para a comunidade, porque os jovens...têm direito as ser egoístas e insolentes, devia reciclar a cabeça. É por isso que este país é uma merda.

Ticiano disse...

Vi há uns meses um programa de TV, sobre pais de teeagers de 14 e 15 anos,em Lisboa, que iam de alta madrugada, buscar os meninos e meninas, nas ruas transversais de alguns bares e discotecas, para os coleguinhas não toparem. Pobres e estúpidos pais e mães!
O servilismo perante a ditadura dos "direitos" dos jovens, tem dado os resultados que se sabem.
E quanto aos e às "perseguidos", também frequentam as hierarquias das Igrejas e das Magistraturas. E em Portugal estão na moda na TV.Que mais querem?

ticiano disse...

"teenagers", claro.

Bernardo disse...

Parabéns pelo post. Tomei a liberdade de o linkar.

Cumprimentos

??? disse...

manolo

Será melhor que se explique porque o que diz pede provas ...

"Os Psis daquí, grande parte deles homo, estão é a puxar a braza à sua sardinha!!!"

mas ... quantos psis há aqui identificados?

Refere-se aquele supremo psi que dá supremos palpites sobre todos os presentes e os ausentes, exibe o curriculo e ri-se muito sempre que fala?

AJFRM disse...

Faz-me impressao e incomóda-me,
todo o tipo de sexualidades 'alternativas'.
ou por opçao,
ou por identidade,
ou seja lá o q for .

Tudo o q nao se enquadra no 'normal' q me foi ensinado e q eu me apercebi como tal na minha sociedade.
Incomóda-me sim.

Não é por isso q vou começar uma caça ás bruxas.

Porq é q os heteros têm q ser forçosamente os maus da fita?!

Que nao respeitam os outros, etc, etc

Será q daqui a alguns anos vamos estar a debater o mesmo assunto em relaçao à pedofilia?

e outras opçoes sexuais?
identidades sexuais?

Choca-me sim sr!
Viro a cara para o lado sim!

Mas nao o aceito como normal!

E agora?
Suicido-me por ser incapaz de compreender?

E quem respeita a minhas opçoes, e os meus direitos?

Por favor!

Nem tanto à terra, nem tanto...

tangas disse...

ena, ena... tanto hetero a discutir lgbt (reparem que eu ponho 'l' primeiro, em vez de 'g', como fazem os gays - nós as lésbicas, atentamos a esses pormenores) - mas é uma riqueza ver tanta gente entusiasmada a discutir....
professor júlio machado vaz, isto sim, é que é postar!

quanto ao MST, eu tenho que o desculpar porque afinal, desde os tempos da Drogaria Ideal (quem não sabe fica a saber que a Drogaria era onde se juntavam, há um quarto de século, as primas e os primos e os lésbicos e as bis com tendência a amarfanhar o ego dos seus respectivos indo prá cama com as primas) que o pobre miguelito leva pra trás das primas (que são as fufas de que os senhores aqui falam tão generosamente).

se vocês não se alembram, eu refresco-vos a memória, porque isto já vem desde os tempos da Cris Kopke na Drogaria, que ela cantava bem que sa farta, lá isso cantava, não me lembro o quê, mas nem importa, porque a prima cantava e a gente ia lá vê-la cantar e fazer charme claro está.
então o miguel lá estava caído todas as noites, muito embasbacado, ele que não aprecia as demonstrações públicas de afecto entre os gays e as gays.
mas da kopke gostava ele aos molhinhos, isso vos garanto, que eu estava lá e ninguém me contou e foram estes olhinhos que a terra há-de comer que viram tudinho.
e depois é claro que o miguel ficou a ver navios que a kopke era prima e tinha uma prima significativamente sua, claro está.
isso não o impediu de continuar a teimar e quando ele nos atira assim uma porradas públicas a mim só me apetece pô-lo de castigo e deixá-lo sem sobremesa, porque não é para toda a gente ter um miguelito sempre à perna mesmo sabendo que não leva nada das primas e o certo é que a gente mais volta menos volta leva com ele.
pronto, mas isso é lá problema do miguel, está visto. que fazer? gosta de primas e nem sequer é uma delas. gosta de as castigar, em público, que é para elas saberem... tá certo!

agora aquela de duas mamãs e dois papás serem um trauma para a educação das crianças, essa é forte, caramba - miguel, miguel... ai se um dia um dos seus rebentos se vira para si e lhe diz: papá, sou gay/lésbica e é um trauma pra mim ser criado por heteros. vais escrever um artigo sobre isso?

noiseformind disse...

A mim metem-me nojo os pretos na rua. Que nojo, que imundice. Toda a gente sabe que eles transmitem doenças e são totalmente descontrolados em relação ao sexo, por isso se repdroduzem em catadupa. Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

Também me metem nojo as mulheres andarem por aí nas discotecas meias-nuas, parecem todas umas Kate Mosses, sem pai nem mãe, não se pode fazer nada em relação a isso? Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

E essa parvoice dos homossexuais? Doentinhos da cabeça, era interná-los a todos, uns banhos de rosas ás mulheres e mão pesada nos rapazes e já se curavam. Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público

E esta coisa dos pobres andarem nas rua? Não se pode arranjar uns campos onde eles sejam obrigados a trabalhar, dado que no dia a dia são demasiado preguiçosos para o fazer? Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

E pq é que anda aí essa emigrantada toda? Quem é que lhes deu o direito de andarem por aqui a roubarem os empregos aos portugueses? Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

E esta coisa do meu vizinho ter um carro melhor que o meu? Não há direito!!! Eu trabalho muito mais horas que ele e mesmo assim mal consigo pagar o meu chaço. Aposto que a mulher anda a fazer uns cobres "por fora".Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

E isto de as pessoas me acusarem na rua quando vou com o meu cão à rua para ele se aliviar. Pq é que se têm de meter na minha vida? Tenho o direito de passear o meu cão onde quiser, a polícia não apanha os drogrados e vai-se meter comigo pq? Este é um direito meu e que tenho todo o direito de defender em público.

etc...
etc...
etc...
etc...
etc...


Tão português, tão rétro ; ))))))))))))))))))))))))))

AJFRM,
Não tens de te suicidar, apenas constatar que és ignorante e colmatar essa falha com informação (por exemplo aqui).

"Why Is it Important for Society to be Better Educated About Homosexuality?

Educating all people about sexual orientation and homosexuality is likely to diminish anti-gay prejudice.
Accurate information about homosexuality is especially important to young people who are first discovering
and seeking to understand their sexuality,whether homosexual, bisexual, or heterosexual. Fears that access
to such information will make more people gay have no validity; information about homosexuality does not
make someone gay or straight."

A ignorância em relação à formação da identidade sexual só pode, num mundo com a WWW, ser mantida por vontade própria. Bastavam-te meia dúzia de clicks para desfazer esses anos todos de preconceito alimentados pelos que te influenciaram a ter esse pensamento. É que, ao contrário da identidade sexual, ninguém NASCE homofóbico. Por isso é que não é uma coisa em que eu possa ser contra a tua existência ou actividade. Só posso entristecer-me com a tua ignorância, que acaba por aprouvir a uma necessidade de superioridade e medo. Um dia destes tens de fazer um teste de determinação de identidade sexual de Kinsey, aposto que tu e o MST devem estar nos tais "indecisos" que interpretam a sua ligeira atracção pelo mesmo sexo como um medo de serem estimulados a mudarem de equipa (para qem vê as identidades sexuais como equipas separadas claro).

Susana,
Então andas a sofrer com esses heteros todos maus que expressam os seus sentimentos de tipo "cola" na rua? Bem, o casal que surpreendi junto à zona de crianças do Palácio de Cristal em pleno coito incomodaram-me, mas um beijo não será uma forma distrofiada de sensibilidade? ; ) aliás, acho esse um dos grande benefícios da blogosfera...

... pq andámos por aí pelas ruas, pelos bares, por tantos sítios públicos, e não ouvimos estas opiniões. Sabemos que somos um país homofóbico e chauvinista mas não vemos homófobos e chauvinistas na rua. Claro que depois de ler o que o AJFRM escreveu é perfeitamente possível comprender a atitude da professora da Escola onde o caso das duas miúdas se deu. Uma pessoa criada na noção (totalmente infundada) de que a homossexualidade se pega obviamente ao encontrar um foco da doença (como ela a interpreta) tentará debelá-la ; ))))))))))))))))) Servem estes comentários (E o nro deles, que em nro é quase igual aos comentários de indignação do que MST escreveu) para mostrar o nosso atraso intrínseco em termos de sexualidade e de sociedade. Queremos ter todos o desenvolvimento do Canadá, da Finlândia, do Japão, mas queremos ter esse desenvolvimento com uma população com o civismo e mentalidade de angolanos ou moçambicanos. Aliás, engraçado ver como o nosso crescimento do nro de casos de HIV se aproxima muito mais do modelo africano do que do modelo europeu. Mas isso não é para ser falar na rua. Essa gente que se esconda em casa (seria a opinião imediata de muitos) ; )))))))

Ana Sampaio disse...

Dr. Noise, tenho horror a ver pessoas de mão dada na rua desde que me divorciei, apetece-me matá-los a todos. Que fazer? Ajude-me!!! ; )

O Noiseformind e o Professor dissecaram logo à partida estas questões de forma tão diligente que tudo o que possa ser dito depois, incluindo estas minhas palavrinhas, é redundante. Podemos ser um país homofóbico e chauvinista, mas temos muito honrosas excepções e pessoas que não só toleram e aceitam comportamentos alheios como ainda por cima os defendem.

Abracinho para todos

bora lá disse...

“But they are fantastic in a kitchen, in a bed, but in a sport?”
Sacha Baron Cohen, aka Borat Sagdiyev - citação de “The Unofficial Borat Homepage”

noiseformind disse...

Estás a exagerar Anica ; ) o comentário mais relevante aqui presente tem sido pouco perabenizado e gostaria de o salientar. É do Manolo Heredia e foi colocado ás 11 horas e 4 minutos da noite. Pela sua importância como testemunho educacional e antropológico, reproduzo-o quase na íntegra:

"É na idade da pubredade que se têm as experiências sexuais mais marcantes. Para os jovens que não têm uma sexualidade muito definida pode ser determinante para as suas preferências futuras ter hoje contactos homosexuais. Isto é, os quadros de sensações associados à líbido criados após essas experiências, podem fazer com que voltem desejar repetir actos homosexuais como resposta ao desejo sexual.
Está aberto o caminho para o aparecimento de mais um homosexual que não o seria se não tivesse tido a tal experiência na pubredade.
Por isso é grave que se banalise as posturas homosexoais nas escolas, pois isso pode ajudar a dirigir para a homosexualidade jovens que até gostavam de ser heterosexuais. E desejar ser heterosexual é mais natural do que o contrário!"

Pessoal, vou-me até Peso da Régua provar uns vinhos do Porto, não espero encontrar gays nem lésbicas, naquela zona, como sabem, o vírus ainda está sob controlo looooooooool loooooooooool loooooooooool looooooooooooool


------------------------------------------
Q: What do you call a lesbian dinosaur?

A.: Lick-a-lot-a-pus
------------------------------------------
(roubado ao about.com)


P.S.- As opiniões do Manolo foram tiradas, potencialmente, daqui

... disse...

o sexólogo de serviço é potencialmente ...

Angie disse...

Quando li o artigo do Miguel Sousa Tavares não imaginava que iria aqui encontrar uma ‘’recensão’’ do Professor JMV, embora por acaso me tenha lembrado logo dele!
-Mas acham mesmo que ele põe em causa a liberdade de orientação?
-Ou a liberdade da exibição gratuita?
Tudo é subjectivo. Eu interpretei como alguns aqui já defenderam.
Penso que ele se referiu ao”show-off” dispensável, e ao valor acrescido que essa “demonstração de força” assume quando, ainda por cima, sabemos que estão em questão comportamentos não dominantes (embora não rejeitemos a sua legitimidade).

Não vivemos em ilhas: vivemos em comunidade.
“Topamo-nos” bem uns aos outros, nas diferenças. Porquê agitar as ondas, a troco de nada?
Por mim, concordo e entendo onde MST quis chegar: também eu não gosto de exibições de intimidade explosivas em público, quer elas sejam hetero, quer homossexuais.
Questão de bom gosto e de respeito pelos outros.
Mas também, atenção: a “contenção” que quereríamos ver nos outros deve ter como contrapartida, se queremos ser coerentes, a nossa contenção na sua apreciação: se a contenção deve ser A atitude, então tem de ser recíproca.

Mesmo assim, parece-me que haverá que distinguir entre:
- Controlarmos os afectos e a sua demonstração excessiva em público, por mera questão de princípio e senso comum, sensibilidade e livre opção

- Tentarmos honestamente resistir a essa demonstração, mas não conseguirmos, porque o momento é único e irreprimível, por isso à fava com o recato! É bom demais para deixar fugir aqueles segundos e há que mergulhar de olhos fechados no paraíso da volúpia do outro! (todos já os vivemos, até era imoral resistir a essa bendita tentação! Afinal, perdoa-se…ninguém mais existe no mundo, tudo está escuro à nossa volta, só existimos nós e o objecto do nosso desejo. Graças a Deus que existem momentos destes…)

- Mandarmos o autocontrolo e os outros em geral à m… (não só nesta, como nas restantes matérias da vida) e fazermos de conta que vivemos na selva. Arrogância, falta de civismo e infantilidade, na minha opinião. Aliás, esses casos “topam-se” bem, à distância: eles até olham à volta para gozar o efeito…
(Enfim, há gente a quem a assistência dá adrenalina… e endurece o pau. É o seu viagra, coitados). Gostam e procuram assistência e apupos…E quando há mais do que dois (a tal assistência) o caso chama-se espectáculo, ficando portanto tudo dito.

Só não gostei das aspas nos afectos. Dois homos sentirão afecto, é evidente. E se não, se só sentirem t…., também nisso não são diferentes dos heteros, convenhamos.

Pois é: o MST tem 1 estilo agressivo, directo e pujante, convocando sempre os fantasmas do maniqueísmo (preto e branco, bem e mal, certo e errado).
Num tempo de relativismos, de “politicamente correctos” e de pusilanimidade, confesso que lhe aprecio a perspectiva!
Às vezes exagera, é certo. Mas o género é sempre o mesmo!
Ora, não lhe damos nós sempre o ‘’desconto’’ quando concordamos com ele?
Então porque é que haveremos de ‘’contar’’ , e não ‘’descontar’’ agora?!
Não sejam histéricos, por favor!!!
Não se dão conta de que baralham tudo?!

Quase que me atrevo a achar que, afinal, o Prof. JMV não se escandalizou pura e simplesmente porque (e acertadamente) é 1 pessoa coerente e …lhe deu o desconto.
E fez muito bem em poupar o MST!
O homem até escreveu aquele romance espectacular, de ir ao céu e voltar, por mim desde então está perdoado e tem as bulas papais todas até ao fim dos dias!

Ana de Sena & Miguel de Sena disse...

A respeito deste assunto, e se a minha opinião é potencialmente válida, gostaria então de deixar estas palavras: Infelizmente, a mentalidade do Povo Português herdou (quase) toda a "doutrina" do Estado Novo, as Corporações ainda funcionam em pleno, ainda se praticam «as virtudes públicas, vícios privados», e discrimina-se tudo aquilo que não tem cabimento na "Ordem previamente ordenada"...
Mas como sou positivamente optimista, e usando o raciocínio de Emmanuel Todd, toda esta "batalha" é sinónima da mudança irreversível de mentalidades, isto é, o antigo "establishment" não consegue lutar mais contra «a força das coisas»...
Já agora, Doutor J.M. Vaz, parabéns por este seu "informal fórum".

AJFRM disse...

Noise,
obrigado pela iluminaçao,

Definitivamente a homossexualidade nao se pega.
Como a pedofilia tbm nao,
como a escatologia tbm nao,
como a zoofilia tbm nao,

e comparar o nosso desenvolvimento depreciativamente com países de africa,
fica mal a quem defende igualdades e direitos.
no minimo contraditório.

Mas de si...
é o expectável.

Manolo Heredia disse...

Noise,
Nunca tinha visitado esse "site", nem nunca li nada sobre este assunto, para além dos artigos de jornal ou revistas não da especialidade.
Eu digo o que penso e sinto. Procuro a verdade das coisas no convivio simples do dia a dia e no conhecimento de mim próprio. Assim evito a intoxicação pela opinião dos outros (sobretudo pela opinião daqueles que são reconhecidamente "kraques" nas diversas matérias). Raramente concordo 100% com os "Kraques".

rodrigo disse...

manolo,

Reparou no outdoor que está na página principal do site indicado pelo noise?. Deixo-lhe aqui o link: Outdoor

Um leitor atento e indignado disse...

PROFESSOR DOUTOR JÚLIO MACHADO VAZ

SÓ AGORA VEJO ESTE CASO GRAVÍSSIMO DE HOJE (20 nov 05) APARECER UM TEXTO (4:31PM) A QUE SE SEGUE, IMEDIATAMENTE (4:31PM) UM IGUAL ASSINADO COM OUTRO NICK, SEGUINDO-SE A ESTES DUAS RECLAMAÇÕES DO ÚLTIMO AUTOR SOBRE A APROPRIAÇÃO PIDESCA DA GESTÃO DO BLOG QUE DEVERIA PERTENCER APENAS A JMV !!!

PROFESSOR, PORQUE ISTO É UMA INTROMISSÃO INTOLERÁVEL, INÉDITA NO MUNDO DOS BLOGS, GOSTARIA DE SABER QUEM DOMINA A GESTÃO DESTES ACONTECIMENTOS NO SEU BLOG PARA PODER AVALIAR DA SUA FUTURA CREDIBILIDADE QUE ESTÁ COMPLETAMENTE ABALADA!

1º TEXTO: Anonymous said...
Dr. JMV
O senhor não tem de pedir desculpas, afinal tem uma opinião que respeito e cada um tem a sua, respeitamo-nos e isso é são. Não me incomodam nada os homos e não lhes dou a importância (etc, etc ...) 4:31 PM

2º TEXTO: Lusco_Fusco said...
Dr. JMV
O senhor não tem de pedir desculpas, afinal tem uma opinião que respeito e cada um tem a sua, respeitamo-nos e isso é são. Não me incomodam nada os homos e não lhes dou a importância (etc, etc ...) 4:31 PM

3º TEXTO: Lusco_Fusco said...
Esse anonimo é estranho.... Como conseguiu copiar o que escrevi? Até nisso a falta de respeito é notória.
Pode explicar-me como consegue entrar no que escrevo antes mesmo de sair?!... 4:35 PM

4º TEXTO: Lusco_Fusco said...
Parece que incomodo alguém não era minha intenção.
Sinto muito que assim seja.
Sou apenas eu, não uso palavras de ninguem nem pretendo magoar ninguem.
Tudo de bom para todos.
Mas sinto-me magoada com isto tudo. Conseguiu o seu intento "Sr. anónimo" ou Srª fique bem.
MJ 4:40 PM

Um leitor atento e indignado

amok_she disse...

Bem, vamos lá a ver esta treta...mais uma...

Já timha reparado na coisa, mesmo antes da Lusco-Fusco "reclamar"...tb achei estranho, mas...eu ñ sei quem é Lusco-Fusco. Não tenho a mínima razão para a colocar em dúvida, mas tb nenhuma tenho para colocar as mãos no fogo por ela. No entanto inclino-me mais para o facto de alguém ter pirateado qq coisa, mas...

...vamos lá a ser minimamente inteligentes!...nem o Prof terá nada a ver com o caso, nem alguém q partilhe com ele o acesso à administração do blog...por vias normais!...eu, pelo menos, ñ tenho nenhum conhecimento dum qq metodo q me permitisse aceder aos comentários antes deles serem colocados online...

...quer dizer: a bem da verdade já vi pr'ali qq opção q dizia permitir-me ver os comentários e decidir se os mesmos seriam publicados ou não... desculpem lá, mas não nos ofendam a inteligência pretendendo fazer crer q essa opção poderia ser tomada pelo Prof!...e depois tb ñ sei se pra lá dessa opção - deixar online, ou não - existe a opção de editar os comentarios dos outros...

...mas por via das dúvidas já vou testar a coisa...esta gente 'tá sempre a inventar merdices, raios!!!!

serafina disse...

Acho que as pessoas devem ser livres de expressar os seus sentimentos como querem, desde que não choquem os demais, sejam hetero, homo, bi e afins...

agent disse...

Oh Dona Serafina isso do "chocar" é tão relativo...
Ainda ontém passei pelo a praça do comércio e vi aquela árvore de natal gigantesca e fiquei chocado com a quantidade de alarves que paravam e saiam dos carros para tirar fotos. No entanto, com milhões de luzinhas a piscar, um adepto do tuning irá ter, concerteza, orgasmos múltiplos. Vê? É tudo relativo.

inês almeida disse...

ainda me vou rindo. do alto da minha vincada homossexualidade, sempre me vou rindo.
gostaria de saber se o sr. manolo heredia, por exemplo, tem forma de me conseguir descrever todo o tipo de atributos que crê integrar uma "fufa" ou um "maricas", como li acima. se vai retribuir-me com um displicente rol de interjeições e expressões físicas, pode, então, poupar-se. essa visão estereotipada esgota-me.
se partilhasse comigo um banco de comboio, por exemplo, mudaria se se apercebesse que estava ao telefone com uma eventual namorada? ou aquilo que choca o heterossexual é o confronto com a figura e não com a imagem? pergunto-lhe: muda de banco quando encontra um casal de namorados heterossexuais a roçar-se desabridamente? incomoda-o a recordação da sexualidade? se a sua resposta, que nem que me contrarie acreditarei, for não, então trate de ser coerente.
a normalidade não se auto-justifica, e receio bem que se continuar a ser esse o fio de prumo da sociedade, dificilmente se conseguirá algum dia discutir sem afecto esta temática.

agora, há um ponto na comunidade homossexual que considero PERFEITAMENTE atacável, e que me irrita sobremaneira: a necessidade de criação de associações atrás de associações de defesa dos direitos dos homossexuais. acontece que essas associações têm o efeito contrário, que é o de debilitar a imagem do homossexual. se alguém precisa de se fazer defender, é porque se entende inferior (é precisamente na mesma lógica de ideias que considero as feministas ofensivas). legalmente, não há nada que coloque os homossexuais num estatuto menor. e se moralmente isto já não acontece, vai muito mais da maneira como as pessoas se fazem apresentar. se ninguém concorre a um emprego fazendo constar do seu currículo a sua heterossexualidade, é lógico que em momento algum me passará pela cabeça advertir um potencial patrão disso mesmo. nesta linha, atiro para o lado dos homossexuais a culpa de muitas vezes se colocarem em situações de previsível discriminação.
como vê, falo contra mim. os meus colegas não sabem da minha tendência sexual e sabê-lo-ão se algum dia me virem com a minha namorada. não porque pretenda esconder mas porque se fosse heterossexual não me começaria conversa ou relacionamento (profissional ou não) algum com: "e sendo heterossexual, blá blá".
portanto, embora não conceba a sociedade homossexual isenta de culpas, também me atormenta que hajam ainda construções medievais (arriscando no uso deste termo, porque na idade medieval havia uma correcção no tratamento deste assunto) e obsoletas acerca dos monstros que parece que somos.

inês almeida

Xuana disse...

Sou uma antiga aluna da escola António Sérgio, onde as duas alunas estudam. Actualmente sou estudante de direito, talvez pela marcante existência de tais paredes. Na qualidade de antiga aluna, nunca poderia concordar com as afirmações de Miguel Sousa Tavares, que certamente desconhece a realidade do lado dos estudantes. Não deixo de olhar com um laivo de orgulho para a situação... Por saber que os estudantes da António Sérgio fazem parte de uma nova geração, que dá valor aos sentimentos e que de facto não cria compartimentos, pequenas divisórias e sub divisórias para o Amor.
Sei, porque a "Lei Anti-abraço" não mostra mais do que a irritação do Conselho Executivo, a irritação dessa “gente educada”…
Estou certa de que polémica foi a naturalidade com que o corpo estudantil encarava os “afectos” como descreve MST, obrigou-os a tomar “medidas drásticas”... Talvez numa tentativa de os “educar” (aquela treta da moral e bons costumes).
A António Sérgio foi onde aprendi a exercitar a democracia, onde realmente utilizei os instrumentos que nos são permitidos. Fomos a Associação de estudantes, da Assembleia de Escola, do Conselho Pedagógico, fomos representantes da colectividade de escolas na Assembleia Municipal de Gaia de Uma Plataforma estudantes à revelia da FNAES. Aprendi a questionar, tive a sorte de partilhar com bons amigos experiências que iriam mudar a minha maneira de ver o mundo e com um certo orgulho paternal, influenciar a de tantos outros...
Organizamos o primeiro debate daquela escola sobre homossexualidade (por isso a luta já vai longa...já que eu já vou na 5ªinscrição da faculdade) onde convidamos membros de associações gay para um debate informal. Um primeiro ataque á mentalidade e obtivemos uma resposta fantástica e desfizemos mitos. Irritamos muita gente também com as nossas manias...
Mostramos maneiras diferentes de ensino, quando convidamos José Pacheco a partilhar connosco a sua experiência na Escola da Ponte, editamos livros com pensamentos de alunos... Aprendemos a pensar juntos e partilhámos com toda uma escola o que nos ia na alma, sentimos aquela felicidade de sentir que conseguíamos mudar alguma coisa, questionar e motivar as pessoas a compreender o espaço social que é a escola para além das aulas. A escola é a nossa introdução no mundo social, é o nosso mundo social naquela idade. É onde estão os nossos amigos, as nossas relações...
Daí quando digo que discordo de Miguel Sousa Tavares, sinto-o de uma forma muito pessoal, porque me irrita a distância para com as pessoas. A atitude do conselho executivo não espelha de forma alguma o que a António Sérgio acredita muito menos a de Miguel Sousa Tavares.
Orgulho-me porque vejo que o espírito da António Sérgio não mudou e a Associação de Estudantes mais uma vez apoiou o direito á diferença. Daí o orgulho paternal, pois apesar dos 5 anos de diferença, tenho orgulho nesta nossa geração de irmãos mais novos. Que continua a agarrar todas as oportunidades que o sistema nos permite para dar voz ás pessoas que somos. Há quem diga que somos educados “para” a cidadania, agrada-me ver que ainda há uma escola que se educa “na” cidadania, sem a ajuda dos professores. (Infelizmente).
Sinceramente não me podia interessar menos o que o Miguel Sousa Tavares pensa acerca delas, o que realmente me importa é que a mentalidade mudou! Nós, como humanos compreendemos que não há nada de diferente, na substância são os mesmos sentimentos partilhados por todos e que nos negamos terminantemente a aceitar que nos imponham uma "lei anti-abraço"!

Xuana disse...

Agora numa outra consideração mais maldosa. Sendo Miguel Sousa Tavares tão douto no direito. Não deveria saber que aprova algo que fere a própria constitução? Que fere a nossa lei elementar... dado que com a nova redacção no art. 13º lê-se "...2.Ninguém pode ser priveligiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, istrução, situação econónica, condição social ou orientação sexual" sendo que este último é uma recente alteração ao artigo aquando da Revisão de 2004.
Ora, privados de direitos foram de certeza, de direitos constitucionalmente consagradas, como o de expressão e o supra citado de igualdade.
Mas isto são outros quinhentos. Miguel Sousa Tavares não só trava uma disputa aqui, como acende uma no seio da doutrina.

bem-vos-quer disse...

Eu gosto de pessoas. Será preocupante???
ups...

amok_she disse...

olha, xuana...tomei a liberdade de te cop&pastar o teu comentário p o meu blog...se tiveres algo em contrário é s+o dizeres...

Francisco Alves disse...

Estimado Prof. Júlio Machado Vaz.



Sou ouvinte assíduo do seu programa, nomeadamente o que vai para o ar ao Domingo.

Num dos programas, não recordo qual, terá dito que já lera a totalidade da Bíblia, frisando o seu maior interesse no Novo Testamento.

Sou Cristão e, embora não pratique a religião Católica em todos os seus requesitos, tenho um afecto muito especial pela figura de CRISTO.

Apesar do Menino Jesus ter sido educado pelo Pai e terem ambos a profissão de carpinteiro, a história pouco ou nada refere da figura de São José. Para além de não ter contribuido geneticamente na aparição do menino, não é relatada a sua presença na Sua última e derradeira Páscoa.

Estou em crer que este alheamento de José é um marco histórico fundamental na formação da família ocidental.

Todavia, ao lêr a genealogia de CRISTO escrita na primeira página da Epístola do seu mais amado discípulo, São Mateus, este não se refere à Mãe de Jesus, mas apenas ao Pai. Verifica-se que Jesus é descendente de David através do lado paterno.

Pode parecer uma heresia, mas não vejo qual a diferença entre a concepção de Maria sem intervenção humana e o caso de seu primo João Baptista o qual recebeu a Bêncão Divina após o nascimento.

Reconheço no Professor um interesse muito especial com a condição humana e sua história. Assim, coloco-lhe uma questão para a qual eu não vislumbro resposta:

Como seria actualmente a estrutura familiar, e qual o impacto na sociedade, tendo por base uma Sagrada Família em que os conjuges usufruíssem de igualdade de direitos e deveres e a mesma projecção social?




Cumprimentos.

Francisco Alves