sexta-feira, maio 05, 2006

:))))))).

Uma tampa é uma tampa é uma tampa



Ana Sá Lopes ana.s.lopes@dn.pt
Diário da Vanessa

No amor, as mulheres, antigamente, eram mais simples. Dizê-lo é um risco, mas vem aí o tempero: a maioria era menos feliz. A simplicidade tinha, contudo, vantagens: antes de o "psicologismo" ter invadido praticamente todos os campos de acção, públicos e privados, as pessoas acreditavam que as coisas são como são. Conformavam-se. Faziam croché, piqueniques, tratavam das coisas. Ou então, se era para morrer, morriam (mas era menos de amor que de tuberculose).

Hoje, as mulheres nem morrem nem saem de cima. Acreditam, com uma fé bebida na mutação rápida das relações afectivas, que as coisas mudam. [O caso mais patético e, digamos, mitológico é, como toda a gente sabe menos as implicadas, aquela crença religiosa em que 'ele' se vai separar da mulher]. Talvez as mulheres tenham perdido a sabedoria de identificar o amor, ou a sua possibilidade. Admitem que os mais esconsos sinais podem ter "várias leituras" (a propagação da semiologia também contribuiu para a doença).

Arrisco esta generalização porque conheço a Vanessa, que um dia achou promissora uma criatura que passou um jantar inteiro a suspirar (era de enfado, mas ela achou que havia naquilo uma emoção qualquer), outra que adormeceu e ressonou no cinema e uma terceira que acordou a meio da noite a gritar "amo-te, Maria".

Mas, se calhar, não arriscava a generalização se não tivesse chegado às livrarias um livro dirigido ao público feminino, que quer elucidar as mulheres nos mistérios da alma masculina, ensinando-as que quando um tipo não telefona é porque não está para aí virado. A coisa, que recentemente foi traduzida para português, chama-se Ele não está assim tão interessado e foi um sucesso nos Estados Unidos. Ali pode aprender-se que "um homem sabe usar o telefone" e que os homens quando estão interessados numa mulher telefonam.

Embora a política tenha alguma coisa em comum com o amor (foi no território irracional dos "afectos" que o populismo aprendeu tudo o que tinha a saber), foi mais ou menos interiorizado o saber do dr. Salazar segundo o qual "em política o que parece é". No amor, a resistência ao que parece é imensa. Não fora o mercado promissor, ninguém escrevia livros a explicar que uma tampa é uma tampa é uma tampa é uma tampa.

DN.

54 comentários:

Rosa disse...

Pois, parece que o amor, além de cego, é também surdo e até um bocado estúpido. Mas é tão mais fácil acreditar naquilo que nos faz felizes. Porque o resto exige um esforço tão consciente e racional que chega a fazer doer a alma. [Se é que se pode utilizar as palavras "racional" e "alma" na mesma frase..]

Aspásia disse...

Boa tarde

Pois é... há que saber levar com uma tampa... senão, é porque somos tapadinhas(os) de todo...:))

Friedrich disse...

Queres saber mesmo a verdade? Só estou mesmo aqui pq o meu blog mandou; para ver se tb comentas a minha história. Alguém disse: "que longa introdução". E eu acrescento, mas é mesmo só uma introdução, porque a história vai formando-se dentro da tua cabeça. - P/ descarado só me falta o chapéu... Senão tiver leitores as vendas baixam. - A poesia não precisa, governa-se sozinha!...

Abraços

CêTê disse...

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
Venho saborear mais tarde as reacções e reagir. ;]))))

Angie disse...

Cêtê: pega lá alimento para "reagires às reacções":):)

Parece que o património de sabedoria intuitiva herdado das nossas Avós se perdeu a tal ponto que um livro com uma versão “aggiornatta” das velhas receitas de vida vitoriana se consegue converter numa obra messiânica...
- Um homem sabe usar o telefone?
Ah, se sabe! (And so do we...)
Agora podemos transpor isto para a actualidade e para o correio electrónico:
- Um homem sabe usar o e-mail. (and so do we...). Já para não falar dos mestres em "cover up"...
E para as sms? Também todos sabemos o que querem dizer as respostas automáticas; as sessões intermináveis de ping-pong conversativo; ou, pelo contrário, o tlm desligado; as mensagens sem resposta; ou as chamadas rejeitadas (também se topam, embora os Nokias and others dêem para ficar a tocar em silêncio e fazermos de conta que não estamos ao pé...). Depois tb há as chamadas de 1 número privado: só para “controlar”, sem destapar a careca... (odeio números privados...) E há ainda as mensagens no voice mail que podem ser deixadas sem ser preciso que o tlm de destino toque e o visado dê por ela. (É bom qd não queremos mesmo falar e queremos só monologar...)

Os aparatos mudam, mas as mentalidades não são assim tão diferentes, afinal....
Ainda me lembro da minha mãe se aborrecer comigo quando me ouvia tomar a iniciativa de ligar para um amigo (que ela não conhecesse, e mesmo esses...). Porque uma mulher devia sempre esperar a chamada, e nunca fazê-la. Isso demonstrava interesse. E o desinteresse era a “alma” da coisa... Nunca liguei, diga-se (ligar de seguir o conselho...e não ligar de telefonar!). Se me apetecia telefonava. -Mas que gente medieval! Contudo, ficava o aviso no ar e a ideia geral absorvida no inconsciente. Não me dei mal.
Pelos vistos, é de novo preciso voltar a ensinar o que antes já se conhecia:”os homens sabem usar o telefone...”

(Agora, irrito-me eu com os telefonemas incessantes para os filhos homens. Bolas! Elas nem disfarçam, atiram-se sem ponta de vergonha!!!- vou eu pensando. O que é certo é que verifico que as miúdas que depois poisam não são as “telefonadeiras-mor”...)

jasmim disse...

O pior de tudo são as tampas...devolverem-nos o amor...e isto tanto vale pra eles como pra elas...ou elas não dão tampas???? Ah...pois o livrinho esclarece as coitadinhas das fêmeas que o macho sabe utilizar o telefone, não li mas cheira -me ser condimentado à boa maneira "Ópra Xoue", tipo: ó pobrezinha, tens de ter amor próprio senão ninguém terá amor por ti, não viste no anúncio?! É... bem visto até é...mas também que diabo(!)amar com intensidade é levar uma tampa e sofrer com intensidade, na mesma medida...e se for pra evitar o sofrimento intenso...lixe-se, vou amar sempre no limite, sonhar o mais alto que possa e se tiver que levar tampa atarraxo-a(e eu q pensei q atarraxar era com ch) bem atarraxadinha e deito fora.E Sigo.À procura do sonho.

andorinha disse...

Boa tarde.

Depois de ler isto, só posso ir a correr comprar o "Ele não está assim tão interessado"! Era o livro de que eu estava à espera para, finalmente, poder entender o universo masculino.:)
Por amor de Deus, não percebo como se escrevem livros destes, fico mesmo com urticária....
Nós mulheres, que coitadinhas não sabemos interpretar os sinais ou os distorcemos e admitimos que "os mais esconsos sinais podem ter "várias leituras" e que, cúmulo dos cúmulos nem sabíamos que os homens sabem usar o telefone.Looooooooooooooooooool
Tudo isto é risível de tão disparatado.
Eu por acaso, também sei usar o telefone:) e se não estiver interessada num homem também não lhe telefono, não atendo as chamadas ou respondo aos sms.
E é preciso ensinar aos homens que isto é uma tampa???!!!!!!!!!!!!!

b' disse...

coitada da vanessa!!!

b' disse...

há sempre quem prefira viver no mundo da ilusão, independentemente do género

como disse a rosa lá em cima é tão mais fácil acreditar naquilo que nos faz felizes

agora queria lançar aqui uma perguntinha... e quando eles/as percebem de mais?

isto é, uma pessoa apenas é simpática e tem um lindo sorriso ;)))

e logo se entende a simpatia como sinal para avançar...

isto deve andar é tudo daltónico!!

fiquem bem

@:)

andorinha disse...

b'
Quando eles/as percebem de mais, é uma chatice.:)
Concordo contigo, deve andar tudo daltónico, com tanta dificuldade em perceberem os sinais...
Mas quantos, de facto, interpretam a simpatia e um sorriso como luz verde para avançar? Devem achar que só sorrimos para eles.:))))

b' disse...

andorinha,

era aí mesmo que eu queria chegar, o pessoal anda tão macambúzio e triste e só que basta alguém que lhes dê um pouco de atenção que se agarram como lapas....

bem, como lapas também não...:))

Angie disse...

b'
LOL....
Bingo! Também acontece sim senhor...
É a chamada tampa megalómana. Ou presunçosa. Ou a meta-tampa...
Ah, ah!

Vendo bem, até dava para alinhar 1 "tipologia" de 12 tampas:

1- Tampa-na-mouche (stop, eu não quero)
2- Tampa-preventiva (antes que isto seja o que parece ser)
3- Tampa-"defensiva" (antes que isto piore...)
4- Tampa-"ofensiva" (vai à m***)
5- Tampa-estrtégica(a vitoriana: eu quero mas disfarço)
6- Tampa-distraída (não dei por ela)
7- Tampa-megalómana (eu sou o (a) maior...e ele (a) está-se a fazer ao piso)
8- Tampa-contrariada (eu bem queria mas não posso)
9- Tampa-X ( o velho tampax...)
10-Tampa-Mal-Empregada (nem sabes o que perdes)
11- Tampa-descartável (hoje não quero mas amanhã talvez)
12- Tampa-Don Perignon (aquelas especiais do champanhe: aguenta-te aí agora, mas não percas o gás...)

AQUILES disse...

B' e Andorinha.«o pessoal anda tão macambúzio e triste e só que basta».
E isto é o drama das novas vivências. A questões das solidões cercadas de multidões.
No outro dia dia fui a um Bar Dancing com um grupo, o que já não fazia há muito tempo, e reparei que o bar estava cheio de gente solitária e triste com comportamento eufórico.
Há muita solidão porque passou a haver muita dificuldade de as pessoas se relacionarem. E etc, etc..

CêTê disse...

Esperava mais sangue lol mas, pronto!
Não creio que a distorção da percepção seja coisa ligada ao sexo (refiro-me à informação contida nos cromossomas sexuais, corse). Mas talvez seja mais frequente no nosso género, por razões culturais. O tema fez-me recordar uma amiga (nada dada a desporto, por sinal) que chegou a casa quase à beira de um ataque cardíaco de tanto correr pensando que um homem que corria se dirigia a si com aos propósitos (que se calhar ela desejava ;]]]). O pobre do rapaz só estaria- deduzimos n´so que a socorremos- o seu jogging! A discussão cómica que se seguiu foi deduzir qual teria sido a leitura dele: obviamente!;]]] dependeria dos seus próprios medos, ou não? ;] Convencêmo-la a usar fato de treino quando fosse para aqueles lados...

Bom fdt (fim de tarde);]

andorinha disse...

Aquiles,
Isso é outra questão, quanto a mim.
Em bares e discotecas grande parte da malta exibe uma euforia artificial provocada por bebidas e outros "estimulantes". Mas essas pessoas procuram deliberadamente essas sensações, inebriadas pela música e pelos copos estão no seu mundo e isso é o que lhes interessa.
As pessoas só não se relacionam com os outros se não quiserem; há sempre uma forma de estabelecer contactos e de os aprofundar, só se a pessoa for mesmo muito retraída é que terá dificuldade em o fazer.
Há é muita gente que só se relaciona com os outros duma forma superficial e depois queixam-se de que não têm amigos. Estão à espera do quê? Não querem investir em relações e depois lamentam-se.

b' disse...

oh andorinha,
ninguém quer levar uma tampa!!!!

@:)

b' disse...

angie,

looooooooooool

@:)

b' disse...

cêtê,

não há sangue porque, com a honrosa excepção do aquiles, os elementos masculinos da tertúlia ainda não apareceram

eheheheheh

@:)

Rui disse...

Boas noites! Cá para mim, este livro é que é um sinal! Sinal de que os códigos de conduta actuais são tão variados, mais as variações que cada um entende acrescentar assim como uma espécie de marca pessoal, que isto das relações, amorosas e outras, está é uma confusão dos diabos!

Pois é b' e andorinha, um sorriso pode ser um sinal para avançar (para mim, isto é equivalente a querer conhecer melhor, ou não é?)... porque não? O que me dana é o medo das mulheres que leva muitas vezes a não espalhar sorriso nenhum; dana-me porque o mundo sem o sorriso generoso das mulheres é muito desolado para nós, homens!

Rui disse...

A propósito de tampa, na mais memorável da minha vida, até enfiei o pé no balde de lavagem (cheio de água suja, claro!) da porteira do prédio, de tal modo saí desnorteado depois de a ter levado! Com essa rapariga nunca havia dúvidas com os sinais emitidos, ela era de uma clareza cristalina e, atrevo-me a dizer, brutal! :))))

Ameninadalua disse...

Angie:)))

Isso é o que se chama sistematizar hum!:))))

Eu pratico mais a estratégica a chamada vitoriana:)) raramente tomo a iniciativa mas tenho muita muita pena, pois acho que o devia fazer mais vezes...mas a educação e os preconceitos entraram fundo...

Mas de qualquer modo acho que esperar é sempre preferível do que a impulsividade; dá espaço e tempo para ambos reflectirem, sentirem e quem sabe terem algumas certezas...

Contudo os comportamentos podem diferir entre pessoas e diferentes intensidades de gostar.

E até existem aquelas situações, aliás únicas na vida em que ninguem exita nada; tudo acontece na hora)))))))))))))))))

Ameninadalua disse...

Esqueci-me de dizer que as tampas declaradas são sempre possíveis de evitar; existem avisos e sinais intermédios que podem ser dados sem ter de chocar ninguem, como por exemplo ter-se o cuidado de nunca criar espectativas que sentimos não ser capaz de cumprir...

Ameninadalua disse...

Ah! desculpem!

Esqueci-me de vos desejar boas noites:))

AQUILES disse...

Andorinha

Investir em relações??

Anda todo o mundo à defesa. Os que quebram as defesas, baqueiam.
Mas concordo contigo.

b' disse...

rui 8:37 PM
o mundo sem o sorriso generoso das mulheres é muito desolado para nós, homens
oooooooohhhhh tadinhos!!! ;))

agora a sério, um sorriso pode ser um sinal de simpatia, gentileza, concordância com o que a pessoa está a dizer
quando se quer conhecer melhor alguém diz-se "gostei de te conhecer, havemos de conversar mais vezes" e sorri-se
aqui sim, é um sinal que se quer algo mais :))))

ameninadalua 9:03 PM

existem avisos e sinais intermédios que podem ser dados sem ter de chocar ninguem

pois existem, mas ainda há quem não os perceba, ou não os queira perceber :)))

@:)

andorinha disse...

Bem, voltei...

b'(8.32)
Eu falo de relações no sentido mais lato do termo.
E claro que ninguém gosta de levar uma tampa, mas viver é arriscar.:)

Rui(8.35)
Um sorriso pode ser um sinal para avançar ou pode ser simplesmente um sorriso, ponto.
Se uma mulher é por norma simpática e sorridente, isso não é nenhum sinal, tudo tem que ser interpretado no seu contexto.
Sem querer pessoalizar, posso dizer que por natureza sou bem disposta, sorridente, gosto imenso de conversar e faço-o sem tabus e isso já tem dado origem a propostas totalmente descabidas, precisamente porque quem estava do outro lado interpretou mal o que via.
Depois queixem-se que as mulheres portuguesas são tristonhas, reservadas, macambúzias... Se nos obrigam a ser assim!:)

Aquiles(9.21)
Eu não ando à defesa e de certeza que não sou a única, por Deus!:)
Se andarmos à defesa ganhamos o quê? A vida não faria sentido, se assim fosse.

b'(9.47)
Totalmente de acordo.:)

CêTê disse...

Ora oooooooooooos(leia-se: bolas ;]) eu a pensar que os bem-dispostos Noise e FDL iam animar a festa, e nicles berdicles!;[[[[

Tenham um resto de noite feliz
bjnhs ;]

Lusco_Fusco disse...

Não menosprezemos a inteligência das nossas avós. É ao fazê-lo que estamos a cortar uma aprendizagem que poderia virar ciência :)))) pela recolha de experiências que não se repetem de certeza, mas que podem moldar-se aos dias de hoje. As mentalidades têm evolução que muitas vezes se torna em retrocesso comportamental pelo menos. Esta nova fase de recolhas sistemáticas de experiências debilitam a noção de vida, de amor-próprio, fragilizando sentido do querer e tornando o futuro num vácuo quanto a recordação. O legado de experiências adaptados a cada época devem ajudar a minorar os problemas. O grande problema de hoje é a falta de conversa nos serões de vivências colhidas ou contadas e a falta de conhecimentos históricos. Parece que o mundo começa com o nascimento de cada um e a história da humanidade se reduz á época vivida.


O "Sei que nada sei" da mulher de hoje dá-lhe uma experiência sem história e sem recordação. Uma sôfrega procura e recuperação de um tempo perdido (que não foi o delas e que não podem avaliar qualificando-o e quantificando-o) o legado de experiências de sucessos ou desventuras deviam ajudar a melhorar uma relação. A recordação é memória futura de cada um de nós. Essa recordação, acaba por ser o astro que iluminará o nosso entardecer. Esta busca dilui afectos que se perdem como chuva de trovoada em terra seca.
Para quê a busca de um igual que se quer diferente?!
MJ

Lusco_Fusco disse...

Esqueceram-se de dizer que não há comportamentos iguais e muitas vezes o que parece não é.
Quantas de nós não aceitou telefonemas só para alimentar ego?! Podemos medi-los por nós, porque não?...
Quantas vezes refreamos a vontade de um sms ou algo mais sussurrado e acabamos por nos privar dessa "melguice"?...

Quantas vezes resistimos verdadeiramente desinteressadas, de início e com o tempo as resistências fragilizam e lá estamos nós a “dar troco” a quem inicialmente dávamos “tampa”?.
Não há comportamentos uniformes e padronizados.
Enfim comportamentos mais ou menos usados, mas gerais.

As pessoas (homens e mulheres) não têm um comportamento padrão porque há um sem numero de itens condicionadores ou motivadores em cada momento (desde o estado de espírito ao temperamento)
É esta complexidade que não deixa que se faça dos comportamentos emocionais regra.
Tampa pode não ser tampa pode ser apenas resguardo :)))

Quantas vezes não dissemos "Desta vez não nos leva na conversa". Mas somos o duo, razão e sentimento, muitas vezes não suficientemente fortes para amordaçar um e/ou outro.

Pamina disse...

Boa noite.

Pois exactamente passando a escrito os conselhos das avós, ou da avózinha duma delas, é que a Ellen Fein e a Sherrie Schneider estão milionárias!:) Primeiro lançaram o livro "The Rules: Time-Tested Secrets for Capturing the Heart of Mr. Right" e agora já têm mais série deles, mais uma rede montada pelo país inteiro (EU, claro, onde mais poderia ser?), com conselheiras treinadas por elas na "Filosofia Rúlica", etc., etc. Elas próprias dão consultas escritas bastante caras. Vi uma vez uma entrevista com elas no "Ópra Xoue", como diz a Jasmim, e fiquei abismada, mas parece que o negócio prospera.
Quanto aos telefonemas, penso que as duas senhoras são muito rigorosas. O homem tem que telefonar primeiro. Se ao fim de um ano ele não fizer um pedido de casamento, deve-se mandar o sujeito à fava, para evitar perder tempo. Se lhes apetecer rir um bocado (não sei se é para rir, se é para chorar) vão até:
http://www.singlescafe.net/datingGame.html

Quanto ao livro de que fala o post, penso que é este: "He's Just Not That Into You" by Greg Behrendt and Liz Tuccillo
Aqui há um excerto: http://www.usatoday.com/life/books/excerpts/2004-09-08-hes-just_x.htm

Bom fim-de-semana para todos.

andorinha disse...

Lusco_fusco (12.09)
Ao ler-te sinto-me uma ET.:)))
Não me revejo em nada disso.
Aceitar telefonemas para alimentar o ego???
Refrear a vontade de uma sms???
Mas porquê? É uma coisa para mim inconcebível. Não devemos expressar as nossas emoções e sentimentos?
Então fazemos o quê?!

"Tampa pode não ser tampa, pode ser apenas resguardo."
Sinceramente, não percebo.
Se gostar de uma pessoa e confiar nela não tenho por que me resguardar; se não gostar, mando-a passear. ou seja, para mim, tampa é tampa, embora muitos homens ainda pensem ( o que solenemente me irrita) que uma mulher diz não, mas quer dizer sim, daí que por vezes eu tenha que repetir o não mais do que uma vez.
Podemos vir a "dar troco" a quem anteriormente dávamos "tampa", como dizes, mas isso é diferente, é porque acabámos por ver que afinal àquela pessoa até valeria a pena dar troco.
Agora dar sucessivas tampas por estratégia para finalmente vir a dar troco também não entendo.
E tenho dito.:)))

P.S. Temos posições divergentes em muita coisa, como já constatámos ao vivo, mas gosto sempre de falar contigo. Gosto de pessoas que têm opiniões firmes e não daquelas que andam ao sabor da corrente e são capazes de defender hoje uma posição e amanhã a contrária.

Maeve disse...

Olá!

Como faço parte da geração de mulheres que têm a mania das “várias leituras” e por isso, deixaram de ser supostamente simples, pelo menos no que diz respeito ao amor (lol), atrevo-me…
Seguindo a lógica do exemplo… Para um tipo optar por não telefonar, mesmo que seja porque não está interessado, é porque tem o número de telefone da “tipa”, provavelmente ou talvez já esteve interessado e por isso telefonava, não? Para além disso, antes de ter deixado de ligar por completo, é bem possível ter havido um período de tempo em que existem muitas situações, em que não ligava não porque não queria, mas sim porque não se podia (lol). Enfim, onde eu quero chegar é, porque é que o tipo em vez de não ligar mais, não liga uma última vez a dizer que vai deixar de ligar, exactamente porque interesse se foi ou porque nunca existiu? Ou então se não tem intenção de ligar para que chega a pedir o número? Para que dá o número de telefone quando não quer receber qualquer chamada da “tipa”? Pelo menos assim, o espaço para especulações, esperanças, é reduzido e a não haverá tantas dúvidas de que a tampa é meeeesmo uma tampa, .
Afinal de contas quem é que complica??? Alguém deixou de ser simples? Mais simples que isto é mesmo impossível. Todo o resto é complicar, ou não?

jasmim disse...

Bom...boa noite a todos...considerem-se tampados!

Lusco_Fusco disse...

Andorinha
É verdade que pensamos diferente, mas como disseste respeitamo-nos nas diferenças é assim que se fazem os bons amigos :)

Aspásia disse...

Boa noite

Não tenho tido tempo de comentar... mas venho desejar bom FdS a todos... e que o número de tampas per capita seja o mais reduzido possível! ;))

CêTê disse...

Andorinha,
(;] lá me vou eu meter contigo!lol)
"Gosto de pessoas que têm opiniões firmes e não daquelas que andam ao sabor da corrente e são capazes de defender hoje uma posição e amanhã a contrária." Sabes,.."passarita" (com todo o respeito e ternura ;]-estou para ver o que sai daí(e esta parte deveria estar a itálico) ) mudar de opinião nem sempre é sinónimo de falta de carácter mas de a prova de que se evolui- independentemente do que o conceito pessoal de "evoluir" possa ter- e se tem espírito de abertura para entender outras prspectivas que não a nossa. As opiniões devem sim ser contextualizadas (no tempo, no espaço e em coordenadas afectivas).
De toda a forma é uma maçada quando temos como amig@s só quem diz amén...
Saudações cordiais!
(no actual clima de "suspeição" espero que não te sintas obrigada a mandar-me uma "cápsula" hehehehe)

CêTê disse...

Desculpem... boooooooom dia para todos! E bom fds ;]

andorinha disse...

Bom dia.

Lusco_fusco,
É isso, exactamente:)
Bjs.

Cêtê,
Eu falei com a Lusco_fusco, não tens nada que te meter na conversa.Loooooooool
Mas já que eu sou uma tipa condescendente lá te vou responder.:)
Podes-me chamar "passarita" à vontade, já me chamaram aqui coisas muito piores:), mas isso eram outros tempos.Loool

"...mudar de opinião nem sempre é sinónimo de falta de carácter, mas a prova de que se evolui..."
Estou totalmente de acordo,claro que a médio ou longo prazo pode-se mudar de opinião, eu já o fiz ao longo da vida, e só pessoas pouco inteligentes não o farão, mas não me leste com atenção, não foi isso que eu disse.:(
O que eu disse foi que há pessoas que defendem uma posição, hoje, sábado e com toda a despreocupação outra diferente, amanhã, domingo, tendo em conta sobretudo quem é o interlocutor, pessoas sem personalidade ou sem ideias próprias e que têm uma necessidade doentia de dizerem Amen.
E depois já lá dizia o Jorge Palma "domingo sabes de cor o que vais dizer segunda-feira".
Papagaios falantes; nenhum dos dois tipos me agrada, confesso.:)

Espírito de abertura para entender outras perspectivas que não a nossa penso que vou tendo;por isso tenho uma boa relação com a Lusco_fusco, como já disse. Não abdico da minha forma de pensar, mas respeito outras, a não ser que sejam completamente idiotas.:)))

E pronto, rapariga:), tenho que ir, tenho uma vida e gente lá fora à minha espera, mas gostei muito deste bocadinho(sem ironia).
Fica bem:)

Até mais logo, gente:)

Fora-de-Lei disse...

Ameninadalua 8:56 PM

"E até existem aquelas situações, aliás únicas na vida em que ninguém exita nada..."

Se a aspásia te apanha, podes crer que não 'exitará' ;-) em dar-te nas orelhas...

Fora-de-Lei disse...

Uma das formas dos homens evitarem tampas é saberem que, num dado momento, as mulheres até estão para aí viradas, mas - se não for nesse exacto momento - deixam de o estar. Mas que bicho mais esquisito... ;-))

Fora-de-Lei disse...

Ahhh... e quando "actuam aos pares", enquanto uma não estiver para aí virada, a outra também não estará. E vice-versa. Deve ser por isso que vão ao WC sempre aos pares... ;-))


b' 8:35 PM

"Não há sangue porque, com a honrosa excepção do aquiles, os elementos masculinos da tertúlia ainda não apareceram."

Vai haver sangue. Ai vai, vai...!

AQUILES disse...

Essa das idas ao WC aos pares é algo que ainda nunca ninguém me explicou bem. A melhor que me deram foi que era para falarem mal dos respectivos à vontade, deixando-os "lá fora" a secarem. É até muito lógica.

Agora a TAMPA é algo que faz parte inerente às tentativas de relacionamento. Toda a gente está sujeita. É sempre preferível uma salutar tampa a uma hipocrisia traiçoeira.

b' disse...

fora-de-lei e aquiles,

elas vão aos pares para poderem comentar o gajo bom da mesa do lado ;))))))))

@:)

AQUILES disse...

b'

Caramba, essa foi mesmo para arrasar o ego masculino :):):):)

b' disse...

aquiles

não percebo porquê :))

os parceiros podem ser igualmente apetecíveis!!

elas é que não ficam ceguinhas :))

@:)

Rui disse...

Aquiles (4:04),
não foi não, porque nós somos sempre o gajo da mesa do lado, bom ou não, isso é irrelevante (" a relva do vizinho é sempre mais verde e fresca do que a nossa", ou qualquer coisa assim)!

Andorinha (10:26),
mas qual é o mal de receber "propostas totalmente descabidas, precisamente porque quem estava do outro lado interpretou mal o que via."!? Explica-me que eu não entendo. E "Depois queixem-se que as mulheres portuguesas são tristonhas, reservadas, macambúzias... Se nos obrigam a ser assim!:)"!!!!!???????

Se calhar por ser extremamente tímido, mas sempre afável (nunca me zango com ninguém), foi com uma ternura sorridente e afectuosa que já recebi algumas (embora sempre um pouco aflito por ter podido contribuir para magoar quem o não merecia).
E nunca deixei de sorrir, devido a isso, nem de dizer a uma mulher que a acho bonita ou bem vestida.
Digo-te uma coisa: SE FOSSE HABITUAL AS PESSOAS SEREM SIMPÁTICAS UMAS PARA AS OUTRAS, JÁ NÃO ACONTECERIAM ERROS DE INTERPRETAÇÃO, A SIMPATIA SERIA SÓ ISSO MESMO: SIMPATIA!
O problema é que ela é rara aqui em Portugal e, quando surge, começamos logo a sonhar todos (homens e mulheres).

AQUILES disse...

b'

Boa saída. :):):):):):

andorinha disse...

Boa tarde.

Fora de lei (3.04)
Bicho esquisito, nós???!!!

b' (3.29)
Excelente!:))

Rui (4.57)
"Se fosse habitual as pessoas serem simpáticas umas para as outras, já não aconteceriam erros de interpretação, a simpatia seria só isso mesmo:simpatia!"
Concordo, simpatia é simpatia, ponto.
Perguntas-me qual é o mal de receber propostas totalmente descabidas? Não entendes? Se fosses mulher, entenderias. (Estou a brincar):)
Mais a sério: o "mal" é que surgem equívocos e criam-se às vezes situações melindrosas sem necessidade.
Continuo a ser como sou, afável, sorridente e expansiva, mas lá está, de vez em quando pago o preço.:(
Mas não posso (nem quero) passar a ser quem não sou.

Lusco_Fusco disse...

`Concordo contigo Andorinha. Ser-se desinibido tem factura alta :)
Mas é preferivel pagar a factura com IVA :o))))
Beijoca

noiseformind disse...

"Mas, se calhar, não arriscava a generalização se não tivesse chegado às livrarias um livro dirigido ao público feminino, que quer elucidar as mulheres nos mistérios da alma masculina, ensinando-as que quando um tipo não telefona é porque não está para aí virado. A coisa, que recentemente foi traduzida para português, chama-se Ele não está assim tão interessado e foi um sucesso nos Estados Unidos. Ali pode aprender-se que "um homem sabe usar o telefone" e que os homens quando estão interessados numa mulher telefonam."

MEU DEUS!!!!!!!!!!!!! ESTÁMOS TRAMADOS!!!!!!!!!!!!!!!!! AGORA QUE AS MULHERES SABEM ESTE SEGREDO MANTIDO NA OBNIBULAÇÃO DESDE QUE MARCONI INVENTOU O SEGUNDO SÍTIO MELHOR ONDE METER O DEDO (A VELHA RANHURA DOS TELEFONES, ONDE QUANTOS E QUANTO RAPAZES NÃO TIVERAM AÍ A PRIMEIRA INSTRUÇÃO NO QUE AO CLITORIES DIZE RESPEITO) COMO É QUE OS PSIS VÃO SOBREVIVER???*

Já sei o que sentiram os pronto-socorro quando meteram os radares na VCI e se acabaram os acidentes. Ver assim, por tão simples medida, desaparecer uma fonte de rendimento é verdadeiramente irresponsável das editoras que publicam este tipo de lixo. Vis e cruéis são os seus actos e não passarão impunes.

Concordando com o que a irmã em Jú Andorinha diz sobre pessoalmente não compreender tamanha engonhice não posso deixar, por deformação de vida vivida, de encolher os ombros e concordar tb com a irmão Luscofusquense pois ouvi tantas, tantas, tantas, tantas engonhices na minh curta vida que até doi. Desde mulheres que comiam um gajo todo mas depois o deixaram sem resposta pq "não são dessas" até mulheres que colecionaram vidas torridamente ilustradas com desconhecidos procurando "tipos sérios e de confiança" para as relações.

O Rui diz que isto vai lá com simpatia, eu sou useiro e vezeiro no pecado do pessimismo e acho que isto só vai lá com sinceridade. Sinceridade, disse eu, não confundir com snobismo, não confundir com arrogância, não confundir com cobrança do Outro! Sinceridade no que se quer e no que se deseja. Se a pessoa nos excita, pronto, excita-nos. Se a pessoa nos agrada mas nos inculca alguns receios, seja dito. Se há coisa que detesto e em que era virgem até meter as patinhas nesta república não-oficial de Espanha é quando uma pessoa que nos ignorou após um contacto inicial nos vem dizer passados meses que a torturámos com a nossa indiferença, que ela estava quase, quase, quase, quase a deixar cair as defesas e a tornar-se a nossa melhor amiga, tivessemos nós ao menos mandado mais uma sms sem resposta, tivessemo-la aturado em mais uma ida ao bar em que as nossas palavras ficaram sem resposta ou acompanhamento. Pelos diversos exemplos pessoas que me têm sido dados desta patologia eu diria que não é tanto as mulheres compreenderem os homens, é mais a mulher saber o que quer para si e o que não quer.

Já ouvi da boca das mais seráficas das minhas amigas a frase lapidar:

-Dormi com fulano, que não me diz nada, mas estava sozinha e ele até é boa pessoa.

E quando se pergnta:

-Pq é que foste fazer isso?

Lá vem o chorrilho de justificações com a solidão fêmea e de que neste mundo ninguém fornica como devia. Pois... mas se calhar quem constroi uma ilha de sedução à sua volta vivendo no medo de fazer eleito entre pedintes acaba por não ter esmola de espontaneadade para dar a si própria. ; ))))))))))))) Penso eu de q... bobby, tareco... chupa, chupa, enraba, enraba ; )))))))))))))


* como é óbvio, meus caros correctores sem vida social, clitories e dize foram erros propositados ; )))))))))

FDL,
Explica-me essa do "momento"? Será que há um MOMENTO G????????????? ; )))))))))))))))))))
Engraçado, olha que eu, tendo por aquela banda do clit os fingers a coisa costuma alinhar-se pelo diapasão da música dos Stones... don't stop... baby don't stop ; ))))) mas eu tenho pouca experiência disso, terão de colocar aqui a sua experiência gente mais experimentada. Aspásia, chega-te aqui ao micro e fala-nos da tua experiência clitoriana com o super-ultra-extra macho luso.

Andorinha,
Já viste a sorte que tiveste em nascer em Portugal, em que todos os homens, por mais mal-entendidos que aconteçam, são sempre de uma qualidade muito acima da média europeia?????????????????????????????? Diz lá se não vale a pena ganhar menos uns tostões que as suecas mas ter esta cornucópia de sensualidade e luxúria que são os Tugas? ; ))))))))))))

Aquiles,
As tampas são como o Natal, é quando um quer e o outro não quer também looooooooooooooooooooooooooooool

b',
As mulheres vão à casa de banho aos pares para se masturbarem umas com as outras e assim a noite não ser dada como perdida de todo loooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool

Quantos ás múltiplas interpretações estou ali alinhado com a Luscofusquense. Realmente as mulheres dobram-se demasiadas vezes ás necessidades mais primitivas do seu eo e isso é mau, muito mau. Mas ISTO É CULPA DOS HOMENS. As mulheres chegam a esse dilema por caminhos do seu passado e de experiência. E não estão dispostas a ficar com 60 ou 100 (no meu caso) kgs de porco só para ter uns quaisquer 300gr de chouriça. Portanto concordo ali totalmente com a

Maeve,
que diz-nos que as múltiplas interpretações são necessárias. Fraca oferta leva as consumidoras a ficarem desconfiadas de produto bom disponível.

Ou como diz uma amiga minha:

"-A partir dos 30 as hipóteses de homens em condições para uma mulher são equiparáveis ás de um parque de estacionamento lotado. São estão livres os lugares para deficientes ; ))))))))))))))))))))))))))))))))"

E agora vou-me para a night, a minha sis está numa barraquinha na Queima e eu prometi dar-lhe apoio moral. Espero que com esta conversa toda quando chegar a hora de me meter na Citânia Romana da Senhora da Assunção em S. Tirso para uma noite de sexo entre as ruínas a minha companhia não me dê uma tampa ; ))))))))))) loooooool looooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool loooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool looooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool

DESCONCORDO com a ANDORINHA E A LUSCOFUSQUENSE quando dizem que ser-se desinibido tem uma fatura alta. Ser-se desinibido tem um preço, que é atrair e logo a seguir repudiar toda a porcaria que anda por aí no mundo a fazer-se de pessoas simpáticas que não são para usarem os outros. Ora se a malta do lixo se afasta há que nos mantermos em contacto com o mundo e a conhecer novas pessoas. Só será uma factura alta quando desistimos de construir amizades com as pessoas certas pelas razões que nos são afectivamente satisfatórias. Mas a malta que se contenta com a passividade e está agarrada ao casamento por via dos filhos e status social paga um preço muito maior que é estar em estado de limbo enquanto envelhece. Portanto, só não abre portas quem não as destranca meninas... ; ))))))))))) e tenho dito...

Lusco_Fusco disse...

Noise
Beijoka garanhão lololol
É para ti, pois!Macho mais procurado da tugotexas. DEvo ir armada?!...lol

Fora-de-Lei disse...

andorinha 6:59 PM

Bicho esquisito mas insubstituível... :-)


noiseformind 9:32 PM

Referia-me a um momento muito anterior a esse momento...

andorinha disse...

Lusco_fusco (8.00)
Tenho pago tantas facturas que estou quase na penúria.:)))))))))
Beijinhos.

Noise,
Concordo e discordo, ora vamos lá a isto.:)
"Isto só lá vai com sinceridade, sinceridade no que se quer e no que se deseja."
Também acho, mas há poucas pessoas sinceras a esse nível.....

"...é mais a mulher saber o que quer para si e o que não quer."
Já há muitas mulheres que sabem o que querem, o problema é que os homens não sabem lidar com estas mulheres e normalmente preferem aquelas que não fazem "ondas".

Dizes que não concordas quando se diz que ser-se desinibido nos faz pagar uma factura alta. Em que mundo vives, miúdo???!!!
Aqui são evidentes as desigualdades de género. Um homem desinibido é o máximo, isso só lhe traz vantagens; uma mulher desinibida é, para a maior parte dos homens, uma tipa "fácil".
Não entendem nada de nada.:(

"Mas a malta que se contenta com a passividade e está agarrada ao casamento por via dos filhos e status social paga um preço muito maior..."
Não compares o incomparável.
Só paga esse preço quem quer.
Existe uma coisa chamada divórcio, não existe?
Então se mantêm casamentos desgastados e de fachada para não perderem o status social fazem-no por opção.
Toda a gente conhece casos desses, lá está, voltamos ao princípio, não existe a tal sinceridade de que falavas, esses casamentos só se mantêm pela mentira.
É uma situação totalmente diferente, ou não é?

Fora de lei (11.23)
"Bicho esquisito mas insubstituível..."
Assim está melhor.:)

Su disse...

a vida é simples nós é que a complicamos...tampa é tampa mesmo
querendo ou não querendo....
jocas maradas