sexta-feira, maio 19, 2006

Também isto será pretexto para aumento de audiências?

Francisco Adam (o ‘Dino’ da série ‘Morangos com Açúcar’, em exibição na TVI) consumiu cocaína pouco tempo antes do acidente de automóvel em que perdeu a vida, no Domingo de Páscoa, 16 de Abril – e conduziu ainda sob o efeito da droga.

Segundo fontes médicas que tiveram acesso aos resultados dos exames toxicológicos ao cadáver, os especialistas do Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, encontraram cristais de cocaína (erytbronxylon, o nome científico) em “quantidade relativamente significativa”.

As análises revelaram ainda no corpo de ‘Dino’ vestígios de anfetaminas e cafeína – estimulantes que habitualmente são adicionados à cocaína para aumentar o volume e potenciar os efeitos.

FUROR NA DISCOTECA

Francisco Adam passou as últimas horas de vida na discoteca Clube In Campo, em Coruche: chegou cerca da meia-noite e participou numa longa sessão de autógrafos, que reuniu quase um milhar de fãs, até perto das três e meia da madrugada de domingo.

O actor deslocou-se à discoteca ao volante do seu Renault Clio, na companhia dos amigos Filipe Diegues e Osvaldo Serrão. Francisco Adam, ao fim de três horas e meia a distribuir autógrafos, pediu música da banda Outwork e dançou durante uma boa meia hora ao ritmo intenso e acelerado. A cocaína, segundo um médico contactado pelo CM, estimula o sistema nervoso central e produz agitação.

O actor e os amigos abandonaram a discoteca por volta das 04h00. Francisco Adam seguiu ao volante, Osvaldo Serrão no banco ao lado e Filipe Diegues atrás. No final da estrada nacional 119, no entroncamento com a 118, o condutor perdeu o controlo do carro: o Renault Clio embateu nos separadores, seguiu em frente e esmagou-se contra eucaliptos. Francisco Adam, de 22 anos, teve morte imediata. Filipe sobreviveu com ferimentos ligeiros. Osvaldo Serrão, gravemente ferido, lutou durante 12 dias em Santa Maria até que foi transferido, a 28 Abril, para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde morreu.

Segundo as nossa fontes, as análises clínicas a Osvaldo também revelaram vestígios de cocaína. “Não sei o resultado das análises e da autópsia”, disse ao CM o irmão, Marco. Ontem, o CM tentou sem êxito contactar os pais de Francisco Adam.

REACÇÃO A PERIGOS FICA MAIS LENTA

O consumo de substâncias estupefacientes como a cocaína afecta principalmente as capacidades psicomotoras dos condutores. Ou seja, as drogas induzem uma sensação de euforia, alteram a percepção visual e dilatam os tempos de reacção a situações perigosas, como explicou ao CM um médico legista.

“Um condutor que não tomou nada consegue aperceber-se de determinados perigos e reagir, em tempo útil, aos mesmos. Mas, em alguém que conduza sob o efeito de estupefacientes, a reacção fica lentificado. Isto é, a reacção a um determinado perigo é mais lenta”, disse o clínico. “Além disso, a pessoa perde a noção dos comportamentos e das consequências do mesmos”, acrescentou.

Correio da Manhã.

60 comentários:

b' disse...

como tenho tendência para pensar que toda a gente tem um bom fundo...

pode ser que sirva para uma campanha contra a droga...

@:)

yulunga disse...

Bom dia maralhal.
b' quem sabe, quem sabe. Com esta febre dos Morangos com Açúcar, que em relação a um determinado virus que foi protagonista de uns quantos episódios e que já provocou um histeria colectiva nas escolas onde os alunos acabam por ter os mesmos sintomas.
Vamos ver se neste caso os gostos de um dos heróis não passa a ser coisa a experimentar.
Sinceramente espero que não.
Relativamente à tal onda da doença, nunca pensei que uma série meio novelesca fosse tão perigosamente manipuladora.
Nem a Laranja Mecânica, meu Deus, nem essa.

blogico disse...

exacto. pode ser que ajude nessa campanha e também na da segurança rodoviária, em especial no caso da utilização do cinto de segurança nos bancos traseiros.

É que em caso de acidente o passageiro de trás é projectado contra os bancos da frente, fazendo-os sair dos seus encaixes, o que projecta a pessoa da fente contra a parte frontal do carro. (como se o embate por si só já não chegasse...) Este parece ter sido um desses casos.

Quanto não se usa cinto atrás, quem se lixa é o da frente.

yulunga disse...

Resta agora à produção de Morangos "usar" a "aproveitar" esta situação em próximos episódios.
Já que usaram em proveito próprio a morte do actor com o degradante espectáculo de fazer do funeral deste um programa lider de audiência$$$$$$$$$$$, cabe-lhes agora em prol dos jovens usar essa situação. A ver vamos como diz o cego.

CêTê disse...

Muito triste!
Sobre a exploração pedagógica do caso os miúdos farão dela sempre as duas leituras: de repulsa e de curiosidade- Dentro de cada um, vencerá a mais forte. Contudo a fazer-se uma campanha que seja orientada por quem tem bues de experiência e melhores resultados na área do acompanhamento de toxis e que não vire uma campanha publicitária da estação. E já agora que se acompanhem os pais do Dino (não deve estar a ser mesmo nada fácil)
abraços

goncalo disse...

Prof.

Desta vez vou ser longo.

A pergunta é pertinente. Por ora, o "Correio da Manhã" já aproveitou. Vamos ver os outros. Em primeiro lugar, faz-me alguma confusão a facilidade como informações que deveriam estar disponíveis apenas para os familiares e Ministério Público, se fosse caso disso, são assim dadas aos jornais. Mas, mais importante do que isso, é a falta de pudor dos media em usar isto para ganhar dinheiro. A cobertura do funeral deste rapaz foi absolutamente vergonhosa. A morte de alguém próximo é um momento íntimo, pelo menos deveria ser, e quando vi o espectáculo que a TVI montou, confesso que, apesar de tudo, ainda me surpreendi em parte, a realidade consegue sempre exceder sempre a nossa imaginação. Não sei se sabem, mas parece que o Moniz tentou fazer reportagem junto do túmulo, ou seja, dentro do cemitério. Aí sim, seria um grande "furo jornalístico", imaginem o caixão a descer à terra e - quem mais poderia ser...- a TVI em cima do acontecimento, filmando as lágrimas da mãe e a dor da namorada. Este plano não foi por diante, porque houve alguém com um mínimo de bom senso que o impediu: o Presidente da Junta de Freguesia. Há muito que passámos dos limites! Para além do oportunismo, a TVI ainda nos quis fazer a todos de asnos: tratou-se de uma homenagem mais do que merecida a um actor que perdeu a vida aos 22 anos. Não discuto se ela é justa ou não, a TVI tem todo o direito a homenagear quem quer, agora, usá-la para disfarçar um oportunismo reles é outra coisa.

A morte deste rapaz deveria ter provocado uma discussão sobre algo mais importante: o efeito que ela pode ter nos adolescentes que vêem a série, eles que vivem no tempo da imortalidade. Mas, como é costume, sobre temas mais complexos os media não se interessam. A razão é a mesma de sempre: não dá audiências. Será assim?

Fora-de-Lei disse...

Há duas ou três décadas atrás, na terra onde Francisco Adam nasceu (Runa, terra dos arredores de Lisboa situada na chamada zona saloia) os putos mais atrevidos, para serem alguém aos olhos dos outros, faziam tudo para ser da equipa de luta grego-romana lá da aldeia. Talvez alguém daqui se lembre... o Runa era, nessa altura, campeão nacional de luta grego-romana.

Mas o tempo passa. E como dizia o outro, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Hoje em dia, ser-se alguém - em Runa - já não passa pela pratica de luta grego-romana... há que ir muito mais longe. Depois há as naturais dificuldades em gerir as etapas que conduzem aos encantados objectivos de vida. Depois, a coca vem por arrasto. Depois...

moon disse...

Hello!

Esperemos que os pais/educadores saibam aproveitar o momento para dialogar com os jovens sobre o tema de forma pedagógica.

yulunga disse...

Fora da Lei
Exactamente. Tal como na moda e no futebol. Sobe-se rápido, dinheiro a rodos, vedetismo em flecha e ninguém por perto para ajudar a balancear esta mudança tão drástica. O pessoal da coca, esse está sempre à coca. Até porque dentro destes meios há sempre quem faça disso o seu principal negócio.

Mythe disse...

Esperemos que as mães vermes não se revoltem, e de lápides em riste, não venham para a porta dos cemitérios manifestar a sua indignação contra o aumento do consumo derivado de estupefacientes pelos seus ingénuos vermezinhos.

yulunga disse...

Aliás ao contrário da heroina, que é sempre associada a quem anda por aí a bezerrar com mau aspecto, a coca é droga de elite. Festa in que se preze tem coca. O consumo de coca é associado a um determinado status. Dificil vai ser reverter essa ideia.

Fora-de-Lei disse...

yulunga 5:31 PM

coca
caca
coça
caça

Isabel Pietri disse...

Concordo a 100% com o Gonçalo.

Na verdade, não vi o funeral na TV, mas ouvi falar. O miúdo era giro - muito giro!!! Era muito engraçado mesmo! Tive muita pena. Se há coisa que me incomoda é a morte de gente assim jovem, ainda por cima nestas condições. Tive um colega de curso que morreu no primeiro ano, tb de acidente de automóvel. Acho que fiquei marcada. Custa-me.

Mas custa-me ainda mais o aproveitamento destas situações para tirar dividendos em proveito próprio, sejam eles financeiros, políticos, ou outros quaisquer.

Sinceramente, parece-me que a exploração destes factos de que agora tivemos (indevidamente) conhecimento, não passaria de mais uma tentativa triste de aproveitamento da situação.

O miúdo era giro e tinha uma boa imagem pública. Espero que, pelo menos para a preservar (e provavelmente ganhar com isso), a TVI tenha algum pudor em explorar esta questão.

Tenho pena, mas imagino que aí neste momento se devem estar a fazer planos previsionais para tentar descobrir o que dará mais dinheiro: divulgar e espremer bem o assunto, ou ficar calado.


Isabel

yulunga disse...

Fora da Lei
E por falares em desporto. O desporto era, era... assim como tu dizes.
Actualmente também ele está associado ao consumo de drogas que nem lembra ao diabo.
Faz tempo um conhecido meu ao saber que me dava com pessoas ligadas aos cavalos, pediu-me para ver se lhe arranjava equipoise, um produto que se dá aos cavalos, pois nessa altura essa substância não tinha forma de ser detectada. Dizia ele que rentabilizava o trabalho muscular e que não tinhas efeitos secundários. Pois não, não tinha. Tinha apenas a capacidade de lhe fortalecer os musculos de tal forma que estes poderiam esmigalhar-lhe os ossos.

Isabel Pietri disse...

aí, lá, na TVI, claro. :-)

Fora-de-Lei disse...

yulunga 5:48 PM

Esse teu amigo queria era Viagra de borla... ;-))

Fora-de-Lei disse...

Mythe 5:31 PM

Mães vermes
Lápides em riste
Ingénuos vermezinhos
Azedume e fel

yulunga disse...

Fora da Lei
Seria? Coitado!
Pois não sei.
Sei que existe a palavra e a noção de limite. Ultrapassá-lo só lembra mesmo ao ser humano,

Julio Machado Vaz disse...

Gonçalo,
É. O interesse formativo de um programa não "risca" nada - pelo menos em bom horário - em comparação com a possibilidade de atrair anunciantes. Que por sua vez se ligam a programas de grande audiência. Que, em termos gerais, são "alavancados" por nós, gente real e não marcianos. E é tão fácil não ver...

Fora-de-Lei disse...

Leveraged

Bolas, até o anfitrião já diz "alavancados"... ;-))

noiseformind disse...

Desculpem lá mas se o funeral foi uma palhaçada então estarem aqui a falar de "quantidades relativamente significativas" é o mesmo tipo de devassa, penso eu de q. Mania de não deixarem a malta jovem viver, mania de se darem a ares de "eu avisei" pq já não metem, pá.

Adam,
Se me estás a ouvir, muito bem fizeste tu em snifrar a tua coca pá. Ficas como alerta para muitos miúdos em relação a "metê-la" e depois ir conduzir mas ainda bem que morreste com um sorriso nos lábios. : ))))))))))))))

gonçalo,
O efeito da novela? Please. Então o CSI Miami, que tem um crime todos os episódios e mostra o trabalho dos investigadores é o quê? endosso ao crime? Vocês andam a ver muita televisão malta, e os vossos rebentos tb. Não controlam o comando lá em casa? tudo bem! Mas não venham para aqui dizer que os vendedores de Skip e Cerveja é que têm a culpa de fazerem pela vidinha. : )))))))

S Guadalupe disse...

Estamos a falar da TVI, não estará tudo explicado? E digo "tudo", para o lado do "vamos explorar" ou "vamos abafar".

É triste peceber que nos infantários as conversas das crianças andam à volta de novelas. Perceber que a minha filha de 5 anos tinha de inventar conversa (que nunca tinha visto até há bem pouco tempo tal coisa) para integrar-se no seu grupo. Lá vou e ter que explicar que há quem use e abuse de drogas. Esperava isto mais adiante!

noiseformind disse...

Alguém sabe aqui quanta droga foi para estarem com postas de pescada? Não sabem. Portanto descansem. aliás, eu acho que a tolerância que antigamente tínhamos em relação ao vinho agora a malta tem em relação à cannabis. Fumar cannabis é o novo standard de saúde mental adolescente na Tuga. E os pais orgulhosos assinalam os seus episódios. Não querem que os putos fumem, que bebam, que se droguem. Um paraíso na Terra, já ouço os anjos. Como se o Adam é que permitisse o tráfico, como se a TVI é que pusesse os putos especados em frente à tv. Cena mais fatela, malta...

Lusco_Fusco disse...

A TVI como meio de comunicação, só tem a perder se usar em proveito próprio este tema. Não é de um actor de novela produzida por ela e que singrou lá e que lá se perdeu?!...
SE eu fosse o Director da Estação de Televisão teria cuidado. A fama e a novidade pode resultar numa sede de vedetismo tal que dê resultados destes. Os miúdos não têm noção dos perigos que correm e vão de meios sãos para a selva completamente despidos de defesas. Mas os pais, de quem nessa idade são dependentes, que viram e ficam a saber o porquê do acidente, terão mais cuidado ao darem o aval aos castings para concursos.
É bom ter os nossos filhos felizes, mas vivos e saudáveis. A euforia da fama e o dinheiro no bolso não será, por certo, a melhor companhia para jovens dessa idade que se tornarão presas fáceis desses e de outros abutres.
A TVI deve orientar esta notícia no melhor sentido sob pena de ficar sem caras novas.
A cabeça dos jovens humildes (e até adultos) gere mal este popularidade precisam de acompanhamento. Nisso a TVI está em falta, como outras estações de televisão e exploram a humildade das pessoas para obter proveitos. Nisto não são diferentes dos empresários da noite.

Graças a Deus o único sentimento ainda com o valor de antigamente é o amor dos pais pelos filhos e o cuidado pela saúde. Só estes podem fazer finca pé.
Mais vale um filho comum com saúde a uma vedeta morta.
MJ

Fora-de-Lei disse...

A morte ao serviço das audiências

Até há uns dias atrás, eu não sabia quem era Francisco Adam. Este meu desconhecimento deve-se ao facto de nunca ter visto um único episódio dos “Morangos com Açúcar”. Mas, como é natural, isto não me impede de lamentar a trágica morte deste jovem actor, desaparecido na chamada flor da idade.

Logicamente, este meu desconhecimento também não me impede de criticar a forma como a TVI explorou - desgraçadamente - a morte deste jovem actor, ao ponto de ter transmitido o seu funeral, em directo, como de um grande acontecimento nacional se tratasse. Audiências oblige...

Vivemos numa época em que a ausência de valores é total. Estamos a atravessar um longo período do “salve-se quem puder”. Em termos de economia, é o neo-liberalismo que impera... E, na realidade, já não há agente económico que tenha alguma vergonha na cara. Desde que os famigerados mecanismos de mercado funcionem, está tudo bem. O resto são balelas de românticos bem intencionados... Na verdade, um funeral como espectáculo é - para toda essa gentalha - apenas mais um produto a ser colocado no mercado do audio-visual.

Mas esta ausência de valores é uma moléstia que se vai espalhando. Segundo consta, os jovens fãs que se deslocaram a Runa para o funeral de Francisco Adam, pareciam lá estar apenas para ver - ao vivo - os actores dos “Morangos com Açúcar” presentes, não mostrando grande emoção com o acontecimento, em si. Mas, no fundo, a culpa não é deles. Há que não esquecer que “filho de peixe sabe nadar”.

NOTA DE RODAPÉ: um gajo que fosse mesmo mauzinho diria que os Balsemões e os Penins estão - nesta altura - tristérrimos por não ter acontecido algo de semelhante a alguém que fosse imagem de marca da sua estação televisiva.


Fora-de-Lei
19.04.2006

Julio Machado Vaz disse...

Fora-de-lei,
Eu pus entre aspas, have mercy:).

andorinha disse...

Boa tarde.

Concordo totalmente com os comentários da Cêtê e do Gonçalo.
Tudo isto é, de facto, muito triste.
Também não vi o funeral na TVI, mas chegaram-me ecos do que se passou.
É triste que os media não tenham qualquer pudor em usar estas informações,infelizmente, na guerra das audiências vale tudo.
O rapaz morreu nas circunstâncias trágicas que todos conhecemos e é lamentável que se continue a fazer todo o tipo de especulação em redor dessa morte.
O que sentirão os pais e outros familiares perante isto?
Da namorada já não direi o mesmo, ainda agora vi a capa de uma revista em que ela aparece toda sorridente a dizer que sente muito a falta dele. Mais uma que quer protagonismo, nem que seja à custa da morte do namorado.:(

andorinha disse...

Fora de lei (6.55)
Assino por baixo.:)

Júlio,
O Fora de lei é distraído, não reparou nas aspas:)

goncalo disse...

Prof,

É verdade. Mas, também chegámos a uma ideia tão perigosa quanto errada: a de que a qualidade não dá boas audiências.

Noise,

Referia-me ao efeito da morte do Adam e não da novela que, aliás, nunca vi...

CêTê disse...

Noise, estás muito condescendente com as estratégias publicitárias.
Quanto aos toxicodependentes ( todas as nuances de consumidores da droga clássica e vulgo alcóolica) que bom seria que fossem do céu inferno e deste ao céu sem arrastar quem não a consome: familiares, amigos e outros que só têm o azar de se cruzarem com a morte que eles levam gravada com um sorriso idiota!

Lusco_Fusco disse...

Eu não vejo TV. Foi-me contado pela minha filha no dia da apresentação do livro em Matosinhos, de regresso a casa enquanto conduzia. O efeito que causou em mim, esta falta de sensibilidade, foi, depois do relato e dos comentários de desagrado dela (que fechou a televisão tamanha foi a revolta), dar por mim a pensar o que faria no lugar dos pais do miudo com esta invasão. Como resultado passei a indicação do ramal de acesso que me levaria a casa e percorri ás 2 da manhã mais 30 km até ao próximo e os mesmos de regresso.
Resumindo esta gente não deve ter filhos.

Rui disse...

Boa tarde a todos!

Isto é tudo tão complexo! Leio os comentários e fico meio baralhado (excepto no que respeita à tvi - por estas e por outras faz meses que não abro a televisão).

O que eu digo aos meus alunos: não se deslumbrem com desempenhos extraordinários e aparentemente felizes; quando isso acontece, há gato, ie, droga.
É que nao há milagres, todos temos uma vida, interior ou exterior, habitualmente mais ou menos lixada, todos nos cansamos (refiro-me também aos cantores que estão em palco a saltar e a cantar ao mesmo tempo durante mais de uma hora), todos somos humanos com as mesmas fragilidades.

Surprendentemente, também digo isto aos meus colegas de trabalho.
E chateio-me com aqueles que têm um actividade incansável; às vezes atrevo-me e digo-lhes que não tomo drogas, nem das legais!

CêTê disse...

Quanto à série pois eu acho todos os pais e educadores deveriam vê-la sim e comentá-la com os educandos (caso eles, os educandos, vejam a série). A série permite e diria mais: exige ser comentada. Quanto mais não seja é um bom pretexto para chegar aos miúdos- fazer aquilo que todos prescrevem "diálogo"- pode ser o ponto de partida de muitas conversas. Se me perguntarem se gosto da série... não.

inté

andorinha disse...

Gonçalo,
Infelizmente, programas de qualidade ainda não proporcionam boas audiências; estas atingem-se muito mais facilmente com todo o lixo televisivo, reality shows, telenovelas lamechas, concursos sem piada nenhuma e por aí fora...

andorinha disse...

Lusco_fusco,
Têm filhos, têm, mas como isto não se passou com nenhum deles...vamos em frente, o miúdo morreu, é pena, mas...até dá jeito.:(

goncalo disse...

Andorinha,

Julgo que o "Prós e Contras" tem boa audiência. Outra coisa é estar em condições de competir com o lixo...

andorinha disse...

Gonçalo,

São as tais excepções que confirmam a regra...infelizmente:(

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 7:01 PM

"Fora-de-Lei, eu pus entre aspas, have mercy."

I would not want it on my conscience that I held someone back from all the mercy and forgiveness of punishment due to sin. So, you are free! :-)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:07 PM

"Fora-de-Lei, assino por baixo."

Já podias ter assinado há 1 mês atrás... ;-))


"Júlio, o Fora-de-Lei é distraído, não reparou nas aspas."

Ah isso é que reparei. Mas as aspas não podem valer por duas situações. Ou bem que eliminam o anglicismo em si, ou bem que glosam a palavra agora muito em voga na boca de políticos e executivos. As duas em simultâneo é difícil... Mas o meu perdão já está dado, hehehehehe.

andorinha disse...

Fora de lei (7.50)
Pois podia...mas também sou distraída:)

Quanto à tua não distracção...all's well that ends well.:)

Manolo Heredia disse...

Alguém daqui viu o filme "A morte em directo"?
Tão velhinho e tão actual!

Fora-de-Lei disse...

andorinha 8:01 PM

"Quanto à tua não distração... all's well that ends well."

Posso ter outros defeitos, mas distraído é que não sou. Aliás, estou sempre a pau com a escrita... ;-))

jasmim disse...

Boa noite...relativamente à série e à sua influência nas crianças e adolescentes, tenho a dizer que esta semana constatei que a dita pode provocar histeria colectiva. Sugestionados por um dos episódios, os alunos de algumas escolas do Norte, nomeadamente a minha (1ºciclo, os pobres são viciados naquilo e os meus petizes de 7 anos têm os cadernos diários repletos de cromos-autocolantes dos cromos-vedetas),conseguiram movimentar ambulâncias (plural, notem) baseados num alegado acesso de comichões e como sabem o comer e o coçar vai do começar... a minha aluna Rita(nome fictício, ehehe)dizia que os do 4º ano tinham dito que andava ali um VIRU! Entrei na sala e estavam todos com as camisolas a tapar os narizitos com medo do VIRU.Desmistifiquei a coisa e "ala a trabalhar" que se faz tarde
Série poderosa hein?????
A morte do jovem...triste.
O facto de ter consumido cocaína e afins assusta-me...cruzamo-nos na estrada diariamente com pessoas inconsequentes!
A exploração mediática: confesso que tb me surpreendeu, qd pensávamos que a tvi não podia fazer pior..."vai que ela consegue"!Sem palavras...não resisto, nojento!

jasmim disse...

Já agora se alguém tiver paciencia de me explicar como se colocam as carinhas, tipo de letra etc e a imagem identificativa do "blogueiro"...agradecia!
Assina a novata e analfabeta funcional das novas tecnologias...

Aspásia disse...

Boa Noite

O Dino consumiu a ilegal cocaína e (muita) malta consome a legal TVIna...fica tudo em casa... é apenas uma questão de diferentes papéis de embrulho...

Lusco_Fusco disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Lusco_Fusco disse...

Jasmim no profile do teu nick existe um local para inserir uma imagem ou foto, certo?
Fazes assim:
Numa imagem de um site que te agrade copia-la Assim:
- botão direito do rato e abre um menu - nas propriedades clicas e
aparece um quadro que diz URL- copias esse URL )

cola-lo no local do profile que pede foto
- carregas no botão laranja do fundo para que assuma as modificações e fica actualizado já com a imagem inserida.
Espero ter ajudado
MJ

Rui disse...

Lusco_fusco,

Muito obrigado pelas indicações (apesar de não me serem dirigidas)

Boa noite

AMMedeiros disse...

Apenas me ocorre tecer um único comentário: não raras vezes a realidade transcende largamente a ficção...

Lusco_Fusco disse...

De nada Rui
:) ainda bem k conseguiste :)))))

Julio Machado Vaz disse...

Fora-de-lei,
Obrigado, obrigado, obrigado:):

lobices disse...

"...passeio pelas ruas da minha cidade... um cheiro intenso a vida, um odor repleto de vivências, aquilo a que eu chamo de experiências, de seres contidos em si mesmos e de seres virados para o para lá de si... pessoas que passam e pessoas que estão... vivem e não sabem que vivem porque apenas são... mas eu olho e vejo ao meu redor essa vida que não se vê e que não sai nos noticiários dos jornais televisivos nem nas parangonas dos tablóides... eu cheiro o perfume da urina nas esquinas e o sabor do odor do peixe frito nas varandas... o exalado pólen que vem das faias e das margaridas... o zunir das abelhas... eu vejo aquela mãe naquela varanda de peito de fora a amamentar o seu filho... eu vejo aquele miúdo traquina descendo a rampa no seu triciclo... os trilhos do eléctrico apanham um tacão desprevenido... e o senhor João da camisaria, à porta, a todos que passam, dirige o seu cumprimentar sorridente... e ali vai a varina de cabaz à cabeça apregoando o carapau e a sardinha... no café do senhor José o Soares está sentado a tomar a sua meia de leite com uma meia torrada e ao lado a senhora Miquelina assoa o nariz ao avental enquanto espera pela filha que foi ao hospital com o neto que havia rachado a cabeça a jogar a bola ali para os lados dos Guindáis... a vida percorre-me as veias como eu percorro a vida pela minha cidade... o Austin do senhor Carvalho acabou de passar e o fumo do escape aquece o chão que piso... a minha cidade tem vida e ninguém dá notícias dela... a vida não é notícia; esta apropria-se da morte que lhe dá valor e a desgraça vende; a guerra faz subir as audiências e o terror instala-se e provoca fresenim e a adrenalina sobe na pesquisa de mais um caso escabroso para contar... a minha cidade não tem notícias para dar... a minha cidade está viva e não vem nos jornais nem aparece nas televisões..."

lobices disse...

e a minha cidade não tem nome nem vem no mapa dos homens; está apenas no meu coração

Fora-de-Lei disse...

lobices 10:31 AM

Não imagina o quanto eu gostaria de viver nessa (sua) cidade... com varinas e tudo.

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 10:11 AM

Não precisa de agradecer. Mas, por favor, não "alavanque" nunca mais o meu mau feitio... ;-))

fiury disse...

boa tarde

fiury disse...

(atolle)
não contesto o aproveitamento da captação de audiências por parte da tvi. penso que não foi feita a cobertura do funeral sem o consentimento da familia do francisco.a partir daí o que nos preocupa? as crianças assistirem a um funeral? terem ficado impressionadas com a morte? um funeral é a coisa mais vulgar que acontece todos os dias. o problema é escondê-los das crianças como se a morte fosse tabu e fossemos todos imortais.e se lhes morre o pai ou a mãe? também se esconde? a televisão apenas mostrou a realidade:a morte faz parte da vida e esta continua. a muitos fez bem despedirem-se do actor.
do mesmo modo (e pagando o preço das figuras públicas nos seus bons e maus momentos) não fazia sentido esconder a causa da sua morte. esconder que o francisco, porque experimentou droga e a ela ficou preso levando-o à morte precoce seria esconder uma realidade que infelizmente pouco se previne.

Irmão אלוהים disse...

Não totalmente OffTopic:

ISTO É VERDADE?!?!?! ou é uma montagem??

NOTÍCIA DE JORNAL

Aspásia disse...

Irmão Alopim

Creio que o Prof. já tinha lido essa notícia no "Amor É" na Antena 1.

Lobices

Gostei muito desse texto cheio de poesia e saudade.

Bjinhos e bom Domingo para todos:)

Su disse...

essa serie está a viciar os mais pequenos, que repetem as cenas nas escolas e junto aos pais... não sei como ainda niguem deu conta do baixo nivel da serie em varios aspectos...é aliciante para os miúdos, pois ali, mostra-nos simplemente o mundo deles sem adultos, ou então com graves maus exemplos de respostas a pais e prof

qto à morte na estrada, do actor que estava drogado/alcoolizado , nefim como tantos, penso que deveria ser sido feito alarde do sucedido em relação ao consumo desses produtos já tão banalizados em vez de esconder como fez a tv q foi mostrar uma morte acidental dum jovem promitente...enfim sejamos coerentes....
como ele morrem tantos, seria então uma boa oportunidade para mostrar aos mais jovens que o ideal deles afinal tinha como tantos resmas de defeitos e que a droga afinal existe....

como sempre os interesses economicos jogam mais alto

detesto a hipocrisia


jocas maradas