quinta-feira, maio 18, 2006

É hoje, é hoje!

Dia da Libertação
Impostos sempre a crescer


Arquivo CM


A cada ano que passa os portugueses têm de trabalhar mais para pagar impostos. De acordo com um estudo realizado pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa em parceria com a Associação Industrial Portuguesa (AIP) em 2006 são necessários 137 dias de trabalho para pagar impostos, ou seja, mais três dias que no ano passado, sendo hoje o primeiro dia livre de impostos. Face a 2000 o aumento do esforço fiscal é ainda mais notório, uma vez que nesse ano foram necessários 127 dias de trabalho para pagar os compromissos fiscais.


Até final de Abril passado, o Estado já arrecadou 680 milhões de euros a mais que o previsto em impostos.

Curiosamente o aumento de impostos não tem atenuado o défice das Finanças Públicas que tem continuado a agravar-se apesar da pressão fiscal cada vez maior sobre os contribuintes.

Desde 2001, a carga fiscal não tem parado de aumentar e prova disso é que a cada ano são necessários mais dias de trabalho até ao Dia da Libertação dos Impostos.

Quer isto dizer que se os portugueses só começassem a levar para casa o ordenado depois de pagarem os seus impostos, hoje seria o primeiro dia do ano em que receberiam o respectivo salário.

De acordo com os dados ontem revelados pelo gabinete de estatística da Comissão Europeia, o Eurostat, a carga fiscal global portuguesa representava 34,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2004. Nesse ano a carga fiscal portuguesa ainda estava abaixo da média da União Europeia que é de 39,3%. O Estado-membro com maior carga fiscal global é a Suécia (50,5 %) e aquele onde se pagam menos impostos é na Lituânia (28,4 %). O Eurostat sublinha que apesar de um amplo consenso sobre a necessidade de diminuir a carga fiscal, a redução foi diminuta e a média na União Europeia continua elevada face ao resto do mundo.

10 comentários:

sendyourlove disse...

O que dizer...que andamos a ser roubados e bem...
Vou deixar de trabalhar, afinal também não ando a atrabalhar para mim.

Fora-de-Lei disse...

Lembrei-me de repente: onde estão os 150 mil novos empregos prometidos, durante a campanha eleitoral, pelo PS de Sócrates ???

Isabel Pietri disse...

Desculpem, nada a ver com o post (já estou cansada de me lamentar - na verdade, se todos pensarmos bem como vão as coisas, só nos resta agir e, para isso, ainda não estamos suficientemente motivados).

Entretanto, pus-me a pensar nisso e fiquei sem vontade de fazer o que ia fazer que era pôr aqui o URL de um site interessante para descontrair, mas que agora tornei a ter vontade de pôr ;-))) (chamem-me complicada ;-) ): http://www.naoestafacil.com/

No fundo, no fundo, até tem a ver. Pelo menos o título ;-)

Isabel

Aspásia disse...

Boa tarde a todos

estou com obras emcasa ainda não consegui ler nada hoje.
Desculpem aquele mugido da vaca fazer perder o bilhete de volta para a caixa de comentários... tentei pôr target="_blank" mas a caixa de coment. não aceita. Não sei se há alternativa para pôr aqui pequeninos sons.

DE momento o que ouço é o som do berbequim...VRUUUUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMM... até mais logo.

AQUILES disse...

E está tudo dito.
Para quando a revolta activa?

yulunga disse...

Hacemos una Moncada, coño.

yulunga disse...

Dr. Murcon
Andamos muito trauliteiros, andamos. Será por ser um "home" do Norte?

Julio Machado Vaz disse...

Yulunga,
Não se esqueça que já os livrámos dos comunistas que comiam criancinhas!

yulunga disse...

;-)

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 4:59 PM

Mas não nos livraram dos que dão injecções atrás das orelhas dos velhotes. Desses continuam a existir por cá aos magotes... ;-))