sábado, maio 13, 2006

Semi-prostituição... Apologia do divórcio... Atirados para a valeta... Que visão triste:(.

Apelo à castidade em Fátima
2006/05/12 | 15:44
A multiplicação de ligações gera «situações de semi-prostituição», diz o reitor daquele templo mariano. Actualmente, acrescenta, «faz-se a apologia do divórcio, desprezando os inocentes, atirados para a valeta»


O reitor do Santuário de Fátima, Monsenhor Luciano Guerra, considerou hoje que «a castidade é uma urgência» numa sociedade com «multiplicação das ligações, simultâneas e sucessivas». Segundo este responsável, esta «multiplicação de ligações» vai gerando «situações de semi-prostituição, em todos os meios sociais».
«Faz-se a apologia do divórcio, desprezando os inocentes, atirados para a valeta, revoltados, deprimidos, acabando na droga, no álcool, na cadeia, no desemprego permanente, no fracasso escolar», escreve Monsenhor Luciano Guerra no editorial do jornal «A Voz da Fátima», órgão oficial do Santuário de Fátima, na edição de sábado, 13 de Maio.
Aproveitando o tema anual do Santuário de Fátima, «Guardar castidade», o reitor daquele templo mariano avisa que «exagerando a liberdade entre sexos, desde a idade mais precoce, e fora do matrimónio, banaliza-se o amor esponsal, criam-se vícios, multiplicam-se conflitos, foge-se às tarefas árduas».
«A esterilidade instala-se no individuo, na família e no trabalho», escreve, sustentando que «os europeus, que se preocupam seriamente com a sustentabilidade da segurança social, começam também a perceber que está em risco a existência da população que a sustenta».
«O nosso primeiro problema talvez não seja a falta de dinheiro, a baixa produtividade, o fracasso escolar, a corrupção», considera o reitor do Santuário, para quem é a «ambição» a raiz dos problemas, «e o primeiro entre eles é a perversão do amor», o que acontece «quando o sexo se torna uma droga».
«Guardar castidade» é o tema anual do Santuário, que desde há seis anos começou uma reflexão sobre os Dez Mandamentos. A peregrinação que hoje começa na Cova da Iria, comemorativa dos 89 ano s da primeira aparição de Nossa Senhora aos três videntes - Lúcia, Jacinta e Fra ncisco -, é subordinada à questão «Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo?».

55 comentários:

ulkyi disse...

experiencia

ulkyi disse...

como ainda tem paciencia para ler este tipo de coisas prof?

ulkyi disse...

o menino já tem idade para não ler certas coisas, ou diverte-se?

intimidade indecente disse...

O que sabe a Igreja do Amor quando profere opiniões vergonhosas como estas, quando é a primeira a cair na "tentação da carne" e a aparecer nos títulos gordos sobre escândalos de pedofilia? Dir-nos-ão que são humanos e que, consequente e naturalmente, também erram como todos os outros. Tudo bem, mas têm funções específicas que escolheram de livre e espontânea vontade assegurar, com votos de castidade à mistura. Nesse caso, que adoptassem a possibilidade de incluir o matrimónio na sua própria lista de actos permitidos. Acho verdadeiramente triste que algum membro superior dela se sinta com dignidade para falar sobre este assunto. Ainda por cima, todo este discurso de instauração do medo do pecado em mentalidades contemporâneas, em pleno século XXI, cheira a bafio e a Inquisição da Idade Média.
Tão longe que estes homens andam das angústias e dos instintos humanos...

Julio Machado Vaz disse...

ulkyi,
Não, lamento-as. A Igreja dispõe de condições privilegiadas para estar perto da vida real e ajudar as pessoas. E no entanto parte da sua hierarquia desperdiça-as tristemente.

ulkyi disse...

entendi, mas a cegueira é tanta e tão enervante que já nem tenho paciencia. faz bem em divulgar estas coisas, claro, para ver se começamos a afastar cada vez mais a moralidade como medida de todas as coisas. a facilidade com que a igreja julga e moraliza é assustadora. de facto o seu poder é tão mal usado e atrapalha tanto que ....enfim

noiseformind disse...

Como disse Freddy Mercury no documentário sobre os Queen e adaptando ao título do post:

I'm a musical semi-hooker, my dear ; ))))))

intimidade indecente,
Adoro ver uma conservadora indignada por existirem conservadores susceptíveis de provocarem-lhe indignação ; )))))

Boss,
Tás sempre a confundir Vaticano com Dioceses com Igreja. Um dia destes temos de fazer uma sessão de esclarecimento para perceberes as diferenças ; )))))))) que pode ser feita com extractos do "Código da Vinci" pq não? ; )))))))))))

Eu ontem fui engatado por duas freguesas que me trataram muito bem, como semi-prostituto não tenho nada a dizer mal. E uma das únicas 3 vezes em que encontrei uma pussy divinamente rapadinha sem ter de pedir foi em Fátima com uma local. Portanto é caso para dizer que era um "inside speach" o do reitor ; )))))) e além disso ele está chateado pq as freirinhas novas se calhar já não ajoelham como deviam ; ))))) vocês são de uma intolerÂncia para com os dramas mundanos da vidad e um homem de deus, pá...

ulkyi disse...

morreu-nos uma pessoa muito intima de familia. os meus filhos, que não anda na catequese acompanharam o caixão até á cova, por sua opção. a minha filha pediu-me a seguir para ir para a catequese pois queria perceber o que acontecia depois da morte.ainda estava a ponderar a experiencia. depois de ler o seu artigo acho que vou negociar com ela(8 anos): um telemovel se desistir da ideia. valha-me nossa ter que lhe explicar porque que é que o nosso corpo é templo do espirito santo. a miudeca ainda pensa que está possuída!

ulkyi disse...

noise essa da conservadora indignada não era para mim, espero. se foi confundiu-me com outro nick

ulkyi disse...

já vi que se dirigia a outra pessoa. desculpe noise

intimidade indecente disse...

noiseformind, não percebo minimamente onde viu contornos para me caracterizar como tal. Sou tudo menos conservadora. Acho hilariante que se tente rotular uma pessoa dessa forma aparentemente tão segura sem a conhecer de lado nenhum. =)

ulkyi disse...

temos romance....

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Tens razão, deveria ter dito hierarquia, Igreja são todos. Embora certa hierarquia - e não só no Vaticano... pareça ter dificuldade em admiti-lo.

atolle disse...

outa vez sem a pass

atolle disse...

I`m ulkyi

goncalo disse...

É muito curioso que o prof. fale em ajudar as pessoas. É verdade que especialmente os sacerdotes dispõem de condições quase únicas para ajudar os crentes. Mas a sua intervenção das 2.26pm leva-me a perguntar se alguma vez a autoridade católica teve intenção de realmente ajudar os seus fiéis? Antes de tudo o resto, penso que a hierarquia católica teve sempre um projecto de poder. É claro que estas posições distanciadas da realidade nos podem indignar, mas a verdade é que o poder do clero assenta muito na defesa destes valores que preservam a identidade da religião católica, um pouco a exemplo do que acontece com o PCP. Outra coisa bem diferente é os crentes sentirem-se ajudados pelas profissões da igreja. Não duvido disso, mas também é verdade que alguém sentir-se ajudado não é a mesma coisa do que ser ajudado

atolle disse...

a esta hora o noise já estará a privar para esclarecer as coisas. estamos sós prof, hehehehe, ao fim destes anos anos todos à espera deste momento

Aspásia disse...

Boa Tarde

Não é assim que a Igreja vai lá... e, também, infelizmente, veja-se alguns peregrinos em Fátima a desrespeitarem as medidas de segurança. Que é que essas pessoas terão dentro da cabeça? Nada, além de futebol, Fátima, novelas e concursos na TV. Agora praticarão também talvez mais castidade, não sei... Mas quem tem a culpa?
Ah la la... Ó vós, gurus do cristianismo, tendes que se vos diga... sois os primeiros a desrespeitar Cristo, que se calhar também fez sexo se lhe apeteceu, mas não tinha conta na Suíça, não vestia brocados e nem era seguido pelos guardas desse mesmo país...
E que outra instituição tem provocado mais guerras no mundo ao longo dos milénios do que a dita "religião" lato senso? Salve-se talvez a budista...

Um bom fim de semana para todos.

atolle disse...

bom fim de semana também para si aspásia

atolle disse...

bom fim de semana também para si aspásia

Fora-de-Lei disse...

É um facto que a linguagem utilizada por Monsenhor Luciano Guerra é um pouco hermética, mas alguém que diz que a «multiplicação de ligações vai gerando situações de semi-prostituição em todos os meios sociais», é alguém que - em meu entender - está muito mais próximo da vida real do que se possa imaginar.

Realmente, é cada vez mais difícil ser-se católico. Mas quem não está bem, mude-se. Ou então, aguente-se à bronca. Cá para mim, não há problema: para além de ser agnóstico, nem sempre sou da minha opinião... ;-))

Xelim disse...

«faz-se a apologia do divórcio, desprezando os inocentes, atirados para a valeta»

Já agora, há mulheres que se casam só para terem o filho...

e homens que se casam mais por causa do sexo...

(e depois já se podem divorciar, ah, ah!)

CêTê disse...

A- «a castidade é uma urgência».

Uma urgência??? De que hospital? (Vai daí o socrates também a fecha)

B- "Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo?»

Então não sabemos? Venha ele quando desejado LOL


Porque será que silenciaram os 3 pastorzinhos, taditos?

Agora 1/2 a sério 1/2 a brincar- deve haver substâncias alucinogénicas em zonas calcárias. A sério- investiguem em que tipo de solos estão localizados os maiores santuarios a "Maria"?

LOL - Ó professor (desculpe o abuso se puder ;]]]) mas ainda bem que a sua Maria, mesmo não sendo de carne e osso não se empoleira em árvores. Se não ainda o Blogue virava um movimento mariano!

bom fim de tarde

atolle disse...

fora de lei
eles limitam-se a interpretar mal os comportamentos que lhes relatam nas confissões. ainda não entenderam ( porque não têm formação ou/e sensibilidade para isso) que as pessoas procuram o amor e não sexo, mesmo os homens( salvem-se as excepções),que as pessoas procuram ser mais autenticas e felizes. enfim...claro que não estou a falar das faltas de caracter, que também as há.com tantos estimulos e tão rápidos as respostas necessáriamente são outras. continuam a moralizar. são os jovens que são todos uns desatentos e mal comportados e as mães todas umas p. dos pais nem falo, já sabe...

noiseformind disse...

FDL,
Estámos à brocha loooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool

ulkyi,
Estou como o outro. Nunca me engano, raramente tenho dúvidas e uso Harmony Sensitive pq o de Espermicida dá mau sabor no sexo oral final pré-orgásmico e eu tenho livro de reclamações ; ))))))

indecente,
A estes 1000km de distância és do mais conservador que a minha pobre catalã por afinidade alma consegue imaginar ; ))))) mas mesmo assim explico-me em relação ao teu conservadorismo

"O que sabe a Igreja do Amor quando profere opiniões vergonhosas como estas, quando é a primeira a cair na "tentação da carne" e a aparecer nos títulos gordos sobre escândalos de pedofilia? Dir-nos-ão que são humanos e que, consequente e naturalmente, também erram como todos os outros. Tudo bem, mas têm funções específicas que escolheram de livre e espontânea vontade assegurar, com votos de castidade à mistura. Nesse caso, que adoptassem a possibilidade de incluir o matrimónio na sua própria lista de actos permitidos. Acho verdadeiramente triste que algum membro superior dela se sinta com dignidade para falar sobre este assunto."

Achar que alguém por ter telhados de vidro não deve emitir opinião (mesmo que se discorde dela) é de uam pobreza de discurso e aniquilação de tertúlia total, própria dos conservadores que se desculpam os seus pequenos pecadilhos mas que aos outros exigem grande virtude. Já aqui tivemos malta que escolhia divórcio como bom e aborto como mau baseado pura e simplesmente na sua necessidade em relação à coisa (estou a falar concretamente da Angie). A Fé é para ser vivida, não para ser uma apostização dos que nos rodeiam e não vivem as mesmas negociações que nós. Quanto aos casos de pedofilia não vejo a malta do processo Casa Pia ser condenada ou indeminizar os putos. Quando muito o Estado. Os autores, népia. Mesmo sem provas materiais a Igreja Católica indeminizou num valor superior a 85.000 milhões de dólares (só nos EUA) as vítimas, pagando igualmente toda a terapia associada. Enquanto que a Igreja aqui evoluiu rapidamente para um postulado das vítimas depois de anos de encobrimento a sociedade em Portugal continua com imensos problemas em sequer JULGAR os casos. E acho que isso é uma coisa positiva e não, não acho que tenha nada a ver com o divórcio ou com o tema da homilia. Já aqui disse, e volto a dizer, que o Boss tem este feeling em relação à Igreja, sente-a mas não tem os problemas associados a uma prática de uma fé católica, no que é secundado por toda a bancada aqui presente. Mas lá está, um católico que está em contacto com a Igreja e não pode meter-se de fora a dizer "cool, fixe" tem de fazer leituras mais pessoais e portanto não percebe (como não percebo) a preocupação que a malta aqui tem de cair em cima da Igreja. Uma espécie de Estado mas com mais gozo para quem acusa pq temos os MAndamentos e os Sacramentos...

Eu até tiraria o semi- da prostituição quando falo, por exemplo, de casais cuja única motivação para casar é consguirem pagar uma casa em conjunto e não partilham nada a não ser suor no carro uma vez por semana. Prostituição de afectos, por exemplo. Nada contra, muitos depois por via da culpa engrossam a lista de espera para a terapia de casal, procurando "licença do profissional" para consumar o divórcio. Mas lá está, sem nunca ter precisado dele defendo o divórcio como forma lógica de resolver afectos que se esgotaram ou em que as formas de sentir e dar e exigir são incompatíveis

Quanto à multiplicação de relações sou feliz com as minhas múltiplas relações mas elas existem à luz do dia, não encobertas. Portanto, peco, positivamente peco. E mais, até defendo que se delas surgisse algum rebento deveria ser abortado, dado que o sexo que acontece nelas está totalmente orientado para o prazer que sinto e quem está comigo sente. E isto sim é uma posição liberal, Indecente. Quando chegares aqui à estação social de Barcelona, apita que eu e o Pére vamos-te buscar ; )))))))))
Agora, quando vejo miúdas de 12 e 13 anos que têm no photoblog delas fotos com pepinos enfiados na vagina ou delas a fazerem sexo oral a colegas pergunto-me se não será um demanis. Pergunto-me a mim, não pergunto à Bíblia, pq S. Paulo não viveu em 2006 ; )))))))) Cristo diria "deixai vir a mim as criancinhas" se soubesse que miúdas de 11 anos fazem sexo em grupo com colegas no fim das aulas? Se calhar não... se calhar não... Ou seja, uma vida sexual liberal e uma vida em que o sexo é praticamente a única forma de satisfação além da comida são elementos profundamente redutores. E nisso a mensagem do Reitor faz sentido. Portanto é como vês minha filha, cada um tem o que quer das palavras que lê, mas eu infelizmente não me posso pôr tão alegremente a atirar pedras a alguém com quem não concordo. Ele sou eu e ambos tentámos obter a nossa salvação pelos outros. Se ele com aquelas palavras consegue tocar 400.000 pessoas, quem sou eu para o criticar? Ou estás chateada por 400.000 pessoas o ouvirem? 400.000 pessoas que se interessam o suficiente para muitas delas irem a pé até lá. E a quem aquelas palavras dizem qq coisa. A mim n dizem, mas compreendo que há nelas uma interpretação que para mim faz sentido, como palavras de um irmão em Cristo. Got it, ou queres que te faça um desenho e te arrange um vibrador? ; ))))))))

marakoka disse...

"ser casto, era bonito.
confesso que daria um certo ar à minha fisionomia"

....alguém disse ...

ehehehehe

jocas maradas de pecados..remas/paletes/granadas/montanhas já agora contentores...os meus amores...lá lá lá

marakoka disse...

deixai vir a mim a crianças disse o ginasta após fazer o cristo

nota: isto não é pedofilia....ok?

o noise tem este efeito em mim.....vou a marte e fico por lá uns tempos:))))))))))))

atolle disse...

noise já nem me lembro o que lhe disse anteriormente. fosse o que fosse não vejo qual a ligação para a sua resposta tão...tão...não duvido inteligente. mas falta qualquer coisa. explique-se

AQUILES disse...

Maralhal.

Estou mesmo a ver as dores de cabeça a serem substituídas pela apologia, urgente, da castidade. Mais desgraças se avizinham. :):):):):):):):):)

AQUILES disse...

Noise
Subscrevo o teu último post.
Mas tenho sempre muitas dúvidas em relação à capacidade dos padres e da hierarquia se pronunciarem sobre os assuntos do sexo e do amor não espiritual.Tenho dúvidas.
Devo já dizer que Eu creio em Deus, mas não em padres. Eles arrogam-se como interlocutores de Deus, mas como bem sabes, isso não existe, por como o nosso corpo é templo do espirito santo os intermediários estão postos de parte. Por isso tenho dúvidas sobre o que é que eles estão a falar. O que é que eles sabem sobre o assunto? Teoria e péssima.
E não me alongo para não ir trilhar outros caminhos que não são para aqui chamados, mas que tem a ver com a sexualidade individual deles e a castidade que praticam, nada Divina.

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 4:48 PM

"E mais, até defendo que se delas surgisse algum rebento deveria ser abortado, dado que o sexo que acontece nelas está totalmente orientado para o prazer que sinto e quem está comigo sente. E isto sim é uma posição liberal."

Noisy, quando um dia tiveres um(a) filho(a) nunca mais serás capaz de ser tão "leviano" nessa afirmação. Não te esqueças daquilo que agora te digo... depois, cá estaremos para ver quem tem razão. E olha que quem fala assim é alguém que até é favorável a que - dentro de certos limites - seja alargado o âmbito da Lei da IVG...

moon disse...

«Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo?».

Má escolha!
Como todos sabemos os templos são locais privilegiados de peregrinação. Com tanta gente que lá entra e sai por dia, onde estavam com a cabeça para escolher esta questão? Até parece mesmo uma apologia à prostituição... Ts, ts, ts....

Mais do mesmo: hiprocrisia!!!

Encontra-se em exibição na "Sic" (em 4 episódios) o filme "O crime do Padre Amaro". Diga-se de passagem que é bastante esclarecedor dos meandros da Igreja e um bom retrato da sociedade em geral e dos muitos preconceitos. Só não vê quem não quer. E, claro, há muita boa(?) gente que simplesmente não quer ver, ponto! Quanto mais largar os horizontes...:(

A felicidade é muitas vezes relegada para segundo plano e vivem-se vidas perfeitamente cinzentas e tristes com o patrocínio da Igreja e de outras "instituições". É a vida?!

atolle disse...

monn as pessoas nem sempre podem escolher a vida que querem. depois as ditas instituições agarram -nos de pequenos e chafurdam-nos com dogmas. ás tantas já nem sabemos o que somos e quem somos. a pelicula que separa o natural do cultural é muito transparente,uns têm a coragem e a sorte de a sentir e se distanciarem. outros nem por isso.isto é muito complicado....( na minha opinião)

atolle disse...

temos que respeitar também quem vê e opta por ir vivendo, quando essa é a sua escolha. além disso a vida de cada um é feita de fases . ás vezes podemos estar mais virados para deixar andar,outras vezes ligamos o turbo e malhamos.como diz não sei quem "é importante a rapidez com que nos levantamos e não as vezes que caímos".(se não é assim é esse o sentido)

atolle disse...

já vi que está tudo a cuidar do corpo, já que ele pertence ao espirito santo...convenhamos que o feed-back deste blog é animador.....hoje já tenho a minha dose de silêncios

andorinha disse...

Boa tarde.

Estas posições da hierarquia da Igreja já nem me suscitam quaisquer comentários, tão usuais e repetitivas elas são.
Não sou tão optimista quanto o Júlio, penso que a hierarquia tem desperdiçado oportunidades de estar perto da vida real e ajudar as pessoas e vai continuar a estar.
Concordo com o Gonçalo, também me parece que a Igreja está mais interessada na manutenção do seu estatuto de poder,e sendo esse poder baseado em grande medida nestas posições, não estou a ver a Igreja a abdicar delas, pois isso seria o mesmo que abdicar da sua identidade.

Noise (4.48)
Não tragas o processo Casa Pia para aqui, porque não tem nada a ver com isto; lá estás tu a querer confundir as coisas e o maralhal.:)))))))))))
A Igreja indemnizou as vítimas porque foi a maneira mais fácil e rápida de as calar, a intenção foi essa, não sejamos ingénuos.

..."não percebo a preocupação que a malta aqui tem de cair em cima da Igreja."
Não é preocupação, a Igreja é que nos dá todos os motivos para isso tão retrógradas são as posições que defende. E não me venhas dizer que sou conservadora, que desse mal não sofro.:)))

Aquiles (4.59)
Loooooooooooooool

Julio Machado Vaz disse...

Noise,
Um dos problemas é que certa hierarquia se está nas tintas para a prostituição - sem semi... - desde que monogâmica e com a bênção da Santa Madre Igreja. Quanto à preocupação, já ta expliquei: fui educado por outro tipo de padres e tenho expectativas sobre o papel que a Igreja - todas as Igrejas! - podem desempenhar. Nesse sentido, nunca me considerarei a falar "de fora" - sou um ser humano com esperanças defraudadas por instituições humanas.

nuno marujo disse...

desculpa mas,
podes me dar uma ajudinha ?!
vai a:
http://tunaoexistes.blogspot.com/
obrigado!

andorinha disse...

Atolle (7.49)
Nesta tertúlia há feedback, não te esqueças que as conversas também são feitas de silêncios.

andorinha disse...

Júlio,
Claro que essa prostituição é abençoada....disso ninguém fala.:(
"...sou um ser humano com esperanças defraudadas por instituições humanas."
Mas como se pode continuar a ter esperança numa instituição que dá mostras de não querer alterar nem numa vírgula o seu discurso?

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:57 PM

"A Igreja indemnizou as vítimas porque foi a maneira mais fácil e rápida de as calar, a intenção foi essa, não sejamos ingénuos."

CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP

Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Fora-de-Lei disse...

Ouvi dizer que hoje, em Fátima, a hierarquia eclesiástica se ergueu toda - sem excepção - contra o que se estava a passar em Vila de Rei... ;-))

Out of Time disse...

Não quero entrar em juízos do valor da hierarquia ou do papel da Igreja na sociedade mas nunca tinha ouvido falar em semi-prostituição. Prostituição é o acto de dar sexo em troca de uma compensação material. Ora tanto quanto sei a promiscuidade que este senhor refere é voluntária e gratuita pelo que não vejo aqui prostituição nenhuma.
A castidade como valor ou valoração do amor parece-me redutora e assustadora.

Henrique Doria disse...

O invectivar da ambição feito por alguém ( a Opus Dei) que controla um banco que suga este país, é uma demoonstração clara de que a hierarquia católica continua tão cínica como no tempo da Inquisição. Já não pode é ser tão cruel. Para uma reflexão sobre o tema de Deus, sugiro uma visita ao ODISSEUS.BLOGS.SAPO.PT. Um abraço professor.

Lusco_Fusco disse...

Boa noite!
As declarações desse representante da igreja parecem provocação. Dos muitos representantes da igreja que conheci parte deles têm estes sermões, mas poucos são aqueles que os praticam. Não admira, que quando pregam, dizem ou nos deixam adivinhar "Olhai para o que digo e não para o que faço".
Pessoas bem formadas e com fé têm de ser coerentes e pensar que "pecado" é o que nos agride e magoa. Se tivermos esta percepção em relação a nós, saberemos no nosso dia a dia, usá-lo para não cometermos erros em relação a nós e aos outros.
Acho que a maior parte dos representantes da igreja vive de enganos e transmite-os. Alguns (?) tentam "a todo o custo" não cobrar juramento, mas caem em tentação (taditos). Isto fá-los ser mais exigentes para com as "ovelhas". Se não existissem as semi... e totais... Eles não diziam " vim para padre, porque padre anda com a mulher dos outros e ninguém anda com a dele". Acabando com estas tentações eles estarão a salvo. Deve ser mais para se protegerem.... :))))
Nem comento mais para não me esticar...lol
Um abraço

andorinha disse...

Fora de lei (10.59)
Até que enfim que alguém me compreende.:)
Danke schön!

Lusco_fusco.
"...vim para padre porque padre anda com a mulher dos outros e ninguém anda com a dela."
Looooooooooool

andorinha disse...

a dele, como é óbvio.

Rosario Marques disse...

1. Não compreendo qual seja o problema! Faça a Igreja (ou os seus representastes, ou os seus seuidores, ou...) o que fizer, baste que se confesse, e é perdoada. Mais fácil que para os outros , que só respondem perante si e até parece que é costume terem dificuldade em perdoar-se.

2. Essa dos fothoblog's, chocou-me.
Nem quero ir procurar, para não ter que confirmar com imagens.
Mas,
afinal, ainda há bem pouco tempo, casavam as miudas dessa idade (e ainda casam em muitas culturas!), sem lhes perguntar e sem que ninguém se preocupasse com isso.
porque será que a preocupação só surgem quando aparenbta ser decisão própria?

(Estou delliberadamente a ignorar a falta de educação sexual existente, que faria assumir a consciencia do próprio corpo, ensinando a dizer não, sem receio de rejeição dos colegas, do grupo, da "malta").

3. Semi- prostituição????
E o que era, quando a mulher tinha que se manter casada, por ser a única forma do seu sustento e dos filhos?

lena b disse...

Enfim, temos de tentar compreender que a igreja - instituição, até tem uma visão futurista.
Ora vejamos: andou o mundo às voltas depois da revolução industrial, maravilhando-se com os avanços da ciência e da técnica, com a conquista do direito de voto para as mulheres, com o direito à auto-determinação dos povos, com a pílula, etc, etc, para vir mergulhar na era pós-moderna que, em muitos aspectos, representa um retrocesso no que diz respeito à evolução de mentalidades. O conservadorismo está a marcar pontos, não só entre católicos, nem apenas no que diz respeito às relações humanas, mas também inter-estados. A desconfiança perante o outro, o forasteiro, o diferente, leva muitos a procurar refúgio na sua "tribo" e a salvação numa aliança histérica com o sagrado.
Neste ponto, não há dúvida de que a igreja teve visão estratégica. Deixa-se estar quieta, parada no tempo, à espera que a terra gire e tudo volte ao ponto de partida. Para quê cansar-se?

Mas ao menos, ficámos a saber uma coisa, com esse discurso: a igreja não peca! Depois da queda do muro de Berlim e do desmantelamento da União Soviética, ninguém mais, na hierarquia católica, viu televisão, leu jornais ou navegou, sequer, pela internet. Só assim se explica que o Monsenhor Luciano Guerra possa afirmar, convictamente, que "após o desaparecimento do comunismo ateu, os povos possam finalmente viver em paz"... Nota-se!

Lena b

Lusco_Fusco disse...

lol escrevi cobrar e era quebrar. Fica a emenda.

moon disse...

"She's taking you to hell"

Hum, hum... Muito bom som. Gosto!

O filho dá-nos música... O pai leva-nos to another level... Que dupla!:))

moon disse...

Atolle,

Eu sei. Sem dúvida que é complicado, que boa vontade só não basta e que tantas vezes pensamos de uma maneira e vivemos de outra. E quantas não nos traímos?!

Ameninadalua disse...

Bom dia!

O poder da Igreja numa sociedade como a nossa em que cada indivíduo (pelo menos aparentemente) tem espaço para fazer da sua vida o que bem quiser, é relativo...

Tudo o que a Igreja possa dizer ou falar, deve ser assumido como algo enquadrador de valores morais, de preceitos ou orientações que os fieis devem ter em conta.
Mas na relação Igreja-indivíduo , apenas aquilo que faz sentido individualmente é seguido e isto tanto para os fieis como para os elementos da própria Igreja.Daí a hipocrisia e a falsidade que existe entre a teoria e os princípios defendidos e a prática de cada um...
O desfasamento entre esses princípios e a sua pratica , não significa que não possam ser criadas dinâmicas que modifiquem e alterem a posição de ambos os lados. A História dá-nos imensos exemplos.

Contudo defendo que a Igreja no seu todo , não possa ser assumida apenas como resultado desta ou daquela opinião individual dum dos seus membros. Ela é e continuará a ser a instituição que garante o espaço espiritual e cultural que o homem desde a sua existência manifestou necessidade de ter.

Rui disse...

Noise, (4:48 PM):
“Mas lá está, um católico que está em contacto com a Igreja e não pode meter-se de fora a dizer "cool, fixe" tem de fazer leituras mais pessoais e portanto não percebe (como não percebo) a preocupação que a malta aqui tem de cair em cima da Igreja.”

1 – Não são os que concordam comigo que me fazem evoluir. São os que discordam; quer dizer, se eu procurar honestamente perceber o que o outro pretende dizer com o que diz.

2 – O problema das generalizações enfáticas, seja sobre a “liberdade entre sexos”, seja sobre professores, seja sobre essa imensa entidade que é a Igreja, é que depois sobra pouco espaço para um debate sério (entendo por isto o confronto de ideias feito com o objectivo de se atingir uma síntese de ordem superior) que me permita realizar o ponto 1 -.

Daí as tuas dificuldades, Noise. Com as quais eu alinho; de completamente fora de todas as igrejas.

E a minha posição acerca desta posição de Monsenhor Luciano?
A minha 1ª dificuldade é que há aqui, não uma, mas várias afirmações sobre problemas variados.
A minha 2ª dificuldade é que, à medida que vou envelhecendo, vou realmente sabendo cada vez menos.
Devo dizer, no entanto, que discordo de quase tudo o que Monsenhor diz. Porém:
- é a ambição a raiz dos problemas: quem tem a certeza que a ambição não traz problemas que atire a 1ª pedra!
- e o primeiro entre eles [problemas] é a perversão do amor: à partida, totalmente de acordo (apesar de eu suspeitar que não estamos a pensar no mesmo, eu e Monsenhor)
- o que acontece quando o sexo se torna uma droga: não sei o que isto quer dizer (sexo a mais – o que é?-, sexo variado?, não percebo), pelo que, por prudência, discordo.

Boa tarde a todos!